Categoria: Situações de Emergência

E se você tivesse que andar até sua casa?

Eu trabalho a cerca de 20 minutos de casa. Quer dizer, vinte minutos de carro, sem tráfego pesado durante os 9.5km de percurso.

Quando estava preso no tráfego semana passada pensei: “E se eu tivesse que andar até em casa?”. Digamos que houvesse uma explosão solar ou qualquer outro evento que deixasse os meios de transporte modernos inúteis… E se as estradas fossem fechadas pelas autoridades e as pessoas fossem avisadas para ficarem onde estão ou andarem ao seu próprio risco?

Felizmente para mim, pego apenas grandes avenidas para chegar em casa e o tempo geralmente coopera, mas mesmo assim… Se eu tivesse que andar?

The Darkest Hour – Heróis, Covardes e Armas

Ontem, resolvendo sair mais cedo do escritório, e precisando comprar uma camiseta para usar na academia (estou tentando entrar em forma, graças ao blog…), circulando pelo shopping resolvi assistir “A Hora da Escuridão”. Não havia visto nada sobre o filme, mas como o diretor é conhecido de um filme russo “Guardiões do Dia”, muito bom, resolvi assistir. Fique tranquilo, não vou contar o filme. Mas, basicamente, somos atacados por monstrinhos elétricos (não, não são “Pikachus”…) que matam quase todo mundo.

Enquanto via o filme, não podia deixar de lembrar do Selco, e sua experiência em sobreviver um ano em uma cidade sitiada. No filme, o covarde morre tão rápido quanto o herói. Quem sobrevive? O “malaco”….mas não por o ser, mas sim pela DETERMINAÇÃO em sobreviver. E se pensar em situações extremas, a sobrevivência é algo que depende de determinação. Absoluta. Sobreviver é algo feio, como já dissemos em posts anteriores. Não há espaço para a covardia ou para o heroismo sem sentido. Custer quis ser herói e levou suas tropas ao matadouro em Little Bighorn, nas mãos de Touro Sentado e Cavalo Louco.

Outra coisa que me chamou a atenção é o fato de que quando explode a confusão todos pensam em armas de fogo, ou em meios militares. Isso é curioso. Já vivi situações onde “anti armas” perguntaram se ninguém estava armado, em especial durante situações com risco de assaltos ou coisa pior.

Obtendo Informações: Princípios Básicos

Sempre tendo em mente um cenário hipotético, em uma situação de emergência a capacidade de receber um fluxo contínuo de informações pode fazer grande diferença.

Seja em um evento limitado, como uma falha no sistema elétrico de sua cidade, que lhe obrigue a permanecer alguns dias sem energia elétrica, seja em um evento de grandes proporções, que implique na necessidade de afastamento das cidades ou um volta ao campo, eventualmente, em especial no início dos fatos, muitas meios de comunicação continuarão a operar, sejam emissoras comerciais ou cidadãos, ou ainda os órgãos de emergência.

Reality Show: The Colony (A colônia)

A certo tempo venho acompanhando o reality show “The Colony” (A Colônia), que propõe uma simulação do que aconteceria com os sobreviventes de um mundo devastado por um evento epidêmico. O grupo deve se estabelecer em um local e tentar construir uma base segura, com as comodidades mais próximas possíveis da vida real. Este reality show não promove a eliminação de seus participantes, focando apenas na questão da sobrevivência. Hoje o programa já conta com duas temporadas completas e este ano irá lançar mais uma.

Condicionamento Físico: Como e porquê começar a se exercitar

Com todas as muitas escolhas e caminhos de como nos preparar para uma crise (natural ou feita pelo homem), um detalhe que é crítico e muitas vezes esquecido é a necessidade de estarmos fisicamente em forma. Sim, chegou o momento de você enfrentar o seu medo de atividades físicas e este texto tem como função explicar um pouco sobre o corpo humano pra você entender como as coisas funcionam.

Hoje temos um aumento de pessoas sedentárias, fato triste porém real, demonstrando que grande parte da população está fora de forma. Não estou me referindo as pessoas que possuem 10% a mais de gordura corporal, e sim aquelas que realmente não conseguem correr 100 metros sem ficar sem folego durante 5 minutos.

Prevenindo-se contra situações indesejáveis

Seja um acidente ou um desconforto, algumas situações anormais podem atrapalhar sua rotina normal. A segurança e a tranquilidade de seu refugio é fundamental e prioritário para um bom sobrevivencialista e evitar situações desagradáveis é a solução mais correta e óbvia.

O telhado ameaça cair. Agir antes que o pior aconteça é a melhor solução para evitar transtornos futuros

Com certeza todos já ouviram falar sobre a lei de Murphy. Em um dos seus artigos ele diz que “Se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará”. Para evitar que isso ocorra seguir três simples passos podem prevenir acidentes ou pelo menos amenizar grandes prejuízos ou perdas.

Princípios psicológicos de sobrevivência

Como já falamos em alguns posts sobre situações de emergência, todos nós já temos certa ciência que se nos encontrarmos em uma situação em que as práticas de sobrevivência devem ser utilizadas, não será nada fácil. Por sorte poderemos ter um de nossos kits ou quem sabe uma faca, porém se não tivermos conhecimento e nem ter praticado estas habilidades, de nada vai adiantar termos esses recursos à mão. Por isso é bom compreendermos alguns princípios da “psicologia da sobrevivência”.

A vontade de viver

Existem casos de pessoas que foram tratadas de todas as formas e, mesmo tendo chance de sobreviver perderam suas vidas, ou seja, perderam a vontade de viver. A experiência de militares, principalmente na 2º guerra mundial, isolados em combate, demonstram que a sobrevivência fundamentalmente é uma questão de perspectiva mental. A vontade de viver é o que vai falar mais alto, se você não estiver mentalmente preparado para vencer os obstáculos e esperar o pior, as suas chances de sair com vida são grandemente reduzidas.

Sobreviventes uruguaios de uma tragédia aérea ocorrida na cordilheira dos Andes em 1972 comemoraram o início do resgate dos 33 mineiros presos no Chile, certamente se os dois casos tivessem desistido, não estariam contando as suas histórias.