SHTF School: Adaptabilidade – Como desenvolver sua mente para lidar com as mudanças rapidamente

Hoje em dia muitas pessoas estão sobrecarregadas com as mudanças. Não importa se elas acontecem no trabalho, em casa ou na comunidade, o número de respostas improdutivas que as pessoas dão para os cenários é geralmente muito grande. Esta é apenas uma das muitas razões do porque os preparadores estão começando a pensar em adaptabilidade e que tipo de estado mental funcionará melhor para lidar com cenários de crise generalizada.

Este é um post de uma convidada no blog do Selco, os comentários dele sobre o tema estão no final do texto.

Sem dúvida, se você ou outros não conseguirem gerenciar as situações menores sem piorá-las, como você espera lidar com as situações que são realmente ruins? Neste artigo, você aprenderá sobre os fundamentos da adaptabilidade e como desenvolver uma visão saudável que irá lhe permitir lidar com qualquer situação de maneira eficiente e eficaz.

O que é adaptabilidade?

De acordo com Gandhi, “Adaptabilidade não é imitação. Significa ter poder de resistência e assimilação.” Lidar com uma situação de crise requere a habilidade de saber quais ações tomar e quais evitar.

Por exemplo, se você está acostumado em tomar banho todo dia, a adaptabilidade durante um tornado pode requerer que você mude esta atividade. Aqui estão algumas opções – dentro deste nosso exemplo – que você precisa avaliar e perceba os níveis de adaptabilidade necessários para cada uma delas:

  • Você pode decidir tomar banho usando água que vem do sistema, mesmo que os indicadores demonstrem que a água não é segura. Esta escolha requere simplesmente seguir o que você já tem feito – imitar ações passadas. Não requere mudança, porém carrega um alto risco de deixá-lo doente ou até mesmo te matar pois o mundo ao seu redor mudou drasticamente.
  • Você pode evitar tomar banho com água do encanamento e usar lenços umedecidos que por ventura você achou em casa. Mesmo que esta escolha seja mais segura, ainda requere uma mudança muito pequena. Irá funcionar, porém depende de disponibilidade do recurso.
  • Como você vive em uma área propensa à tornados, você comprou um chuveiro de camping, mas nunca abriu a caixa ou testou ele. De certa forma isso pode parecer uma boa adaptação pois você tomou as ações para se preparar para a situação de “não poder tomar banho”, mas ainda possui alto risco de falha pois você nunca testou o equipamento para entender como ele funciona e SE ela funciona.
  • Finalmente, vamos imaginar que você comprou o chuveiro para camping e o testou. Você sabe que ele funciona perfeitamente e tem tudo à mão para fazê-lo rodar quando for necessário. Como um preparador experiente, você também adquiriu equipamentos para purificar água e até mesmo coletá-la a partir da umidade do ar. Esse é o nível de adaptação que você precisa buscar. Você não está apenas ajustando suas ações para responder às circunstâncias, mas está “resistindo” a tudo o que pode atrapalhar seu estilo de vida saudável e seguro se organizando antes destes obstáculos aparecerem. Você tomou tempo para aprender a purificar água e operar os equipamentos, então você acabou por assimilar conhecimentos que vão aumentar suas chances de superar o cenário.

Como um estado mental adaptável se parece?

O estado mental adaptável parece ser e realmente é saudável. Aqui estão alguns elementos básicos:

  1. Consciência situacional e resposta
  • Você está atento a tudo que está acontecendo à sua volta sem ficar distraído com coisas não importantes ou que podem te tirar do contexto onde você está. Por exemplo, você pode estar ciente que outras quatro pessoas estão na mesma fila que você, entretanto não se perde nos detalhes e apenas protege seus pertences de maneira eficaz;
  • Detalhes não importantes podem prender sua atenção, mas você não exagera. Vamos imaginar que você está nesta mesma fila com as quatro pessoas e uma delas está usando um casaco moletom com capuz e parece que está com algo grande por baixo da roupa. Alguém adaptável irá manter esta pessoa em sua visão periférica até que consiga definir se o indivíduo é ou não uma ameaça, analisando os atos e comportamento da pessoa com cautela porém sem tomar nenhuma atitude precipitada;
  • Você responde rapidamente ao estimúlo ameaçador e de maneira apropriada. Intensificando o cenário acima, vamos imaginar que você está observando a pessoa de casaco e ele tira uma faca de seu bolso. Neste ponto, qualquer pessoa racional iria pensar que algo ruim iria acontecer, e força seria necessária para parar o ato. Visto que pode não ser apropriado utilizar imediatamente força letal, você pode fazer inúmeras outras ações, que vão de tentar desarmar o criminoso, buscar por cobertura ou ligar para a polícia. A forma como você lidará com esse cenário irá depender diretamente de quais ferramentas você possui e qual o seu nível de treinamento para agir de maneira correta. Quanto mais você treina habilidades físicas e mentais, maiores serão suas chances de tomar a decisão correta e prevenir que danos sejam causados à você ou terceiros. Não existe substituto para treinar sua mente, corpo, instintos, reflexos e emoções.
  1. Ter consciência situacional não lhe impede de ter uma vida normal. Isso inclui ser capaz de sair com amigos e se sentir seguro dentro e fora de casa. Você também pode escolher as ferramentas apropriadas para cada situação e projetar uma imagem de confiança saudável.
  2. Você tem expectativas e objetivos realistas. Aqui também entram as expectativas financeiras e a sua chance de sobrevivência em cenários de desastre baseados no seu conhecimento e habilidades. Quando você tem uma capacidade de análise honesta de onde você está, é muito mais fácil fazer planos para chegar até onde for necessário.
  1. Ter respostas emocionais, mentais, físicas e sociais apropriadas. Muitas pessoas acham que hoje em dia é necessário pensar sem emoções ou que tudo precisa ser baseado na lógica. Quando você coloca estes bloqueios você nunca verá as respostas alternativas que poderiam funcionar melhor. Se você está se sentindo triste, esteja triste. Se estiver bravo, fique bravo. É normal sentir emoções, apenas não se perca ou se fixe nelas por um tempo longo demais. Tenha certeza de que você sabe como mudar o seu estado de pensamento e como controlar a mudança entre estes estados. Controlar os seus níveis de estresse faz parte desse processo.
  2. Você é bem conectado com o mundo e com a comunidade ao seu redor. Um dos aspectos mais importantes da adaptabilidade é que você consegue ficar confortável com outras pessoas ou completamente sozinho. Você nunca sabe quando trabalho em equipe será necessário em uma situação de crise ou quando terá de medir o quanto confia em cada um ao seu redor. Estar próximo de outras pessoas é a única forma de desenvolver capacidades de análise eficientes.

Conheça seus pontos fortes e suas vulnerabilidades

Não existe nenhuma pessoa que não tenha fraquezas e vulnerabilidades. A chave para se tornar adaptável e sobreviver ao inesperado é saber quais são seus pontos fracos e também daqueles ao seu redor. Depois disso, você precisará aprender como utilizar suas forças para compensar as áreas que ainda precisam de trabalho. Também é muito importante ser capaz de avaliar estes pontos em terceiros para que você consiga delegar tarefas que aproveitem o potencial de outros ao máximo.

Uma pessoa altamente adaptável não teme seus prontos fracos, ela os aceita, supera e trabalha para contorná-los quando necessário.

Continue aprendendo, descobrindo e explorando

Você já deve ter ouvido de outros preparadores que quando o “plano A” falha, você precisa ter todo o resto do alfabeto antes de desistir. Você terá de se mover entre um plano e outro, então é importante estar aberto para novas informações durante todo o tempo. Mesmo que você acha que sabe tudo sobre um assunto em particular, continue pesquisando, aprendendo e experimentando. Isso inclui estudar assuntos de áreas relacionadas ao objetivo principal para que você possa pegar conceitos diferentes que possam ser adaptados em outros pontos do seu desenvolvimento como sobrevivencialista.

De maneira geral, a pessoa adaptável nunca para de perguntar e procurar por novas respostas. Quando você para de perguntar significa que chegou em um ponto onde a adaptação e mudança serão limitadas. Também pode significar que você duvida de sua habilidade de aprender coisas novas, e isso pode minar sua confiança acima de tudo. Em uma situação de crise você precisará pelo processo de tentativa várias vezes, e, enquanto estiver questionando, você terá maior chance de encontrar a resposta correta.

Um dos grandes segredos é saber a diferença entre fazer perguntas e estar confuso. Quando você está questionando o seu objetivo é encaixar mais informações no seu plano já pré-existente ou ajustar seu curso de ação. Contudo, quando você está confuso você está em busca de informações pois não sabe o que fazer.

Lembre-se, a utilidade das respostas que você obter serão proporcionais a qualidade das perguntas que você conseguir elaborar.

Faça planos, mas mantenha a flexibilidade

Considere a situação onde você está focando seu orçamento de preparação para conseguir desenvolver habilidades e equipamentos para purificar água. No momento que você aprender a coletar água de múltiplos recursos (lagos, rios, subterrânea e etc) e como purificá-la, você pode facilmente fazer um ou dois planos com muitos “galhos” alternativos. Existe um jeito fácil de formatar seus planos com o máximo de flexibilidade e sem perder de vista os seus objetivos.

Comece dizendo “E” e então complete com as alternativas abaixo:

  • Então… (o que fazer a seguir)
  • Outra possibilidade é… (Quais as alternativas ao plano principal)
  • Continue pensando em continuações e alternativas para cada pedaço do seu plano.

Você talvez precise ter vários “E’s” para cobrir cada cenário que você pode encontrar. Para obter água potável, você de aumentar seus questionamentos de “E’s” em ambientes como desertos, cidades, montanhas, perto do oceano e até mesmo situações específicas como tornados e ataques nucleares.

Pessoas que se adaptam facilmente às mudanças mais abruptas são as que tem maior chance de sobreviver ao diversos tipos de crise. Pratique sua habilidade, seja confiante, planeje com segurança e sempre tente melhorar sua condição e saúde mental, emocional, física e espiritual. Quanto mais preparado você estiver, mais fácil será tomar decisões que vão aumentar suas chances de manter você e seus entes queridos em segurança.

Comentários do Selco: 

A autora levanta diversos pontos importantes neste artigo. A adaptabilidade é formulada quando você precisa agir (ou não agir) em poucos segundos baseado no seu estado mental, que você criou a partir dos processos mentais internos e também da sua capacidade de perceber o mundo ao seu redor e suas habilidades.

É fácil (e correto) dizer que você precisa se adaptar ao mundo novo ao seu redor. Se você não tem água corrente você não pode tomar banhos convencionais, mas terá de manter-se funcional e vivo.

Se você não tem sua comida favorita, terá de se adaptar para comer outra coisa e assim em diante. Mas deixe-me contar uma experiência que eu vivenciei no meu tempo de guerra:

No caos quando a crise e grupos armados começaram a aterrorizar as pessoas, nos dias logo antes de todos perceberem que não havia mais lei, eu estava tentando achar alguma coisa útil em um mercado em ruínas. No meu caminho de volta, cerca de 20 metros do mercado, 5 ou 6 caras estavam batendo em um cara no meio da rua. No momento em que eles me viram, eu vi eles também. Eu não podia voltar, o único caminho era passar exatamente onde eles estavam. Eles estavam muito bêbados e o cara no chão estava coberto em sangue.

Quando eu estava próximo a eles dois olharam para mim e ficaram me encarando como se perguntassem “O que Mer%a você está olhando?”. Talvez um segundo depois disso eu gritei “é, que se ferre esse otário, bata nele com vontade”. Todos eles colocaram um sorriso na cara e gritaram “É isso mesmo, wooohooo” e coisas do tipo.

Naquele momento eu simplesmente fiz uma conexão com eles, me coloquei como aliado.

Aquilo durou por um curto momento, mas eu só precisava disso. Passei por eles e estava seguro. Mais tarde eu pensei muito sobre esse cenário e concluí que eu não ‘criei’ esse plano, as palavras simplesmente saíram da minha boca, por puro instinto. Se eu não tivesse feito isso o cara ia acabar me enfrentando e eu ia apanhar também.

Não é um dos momentos mais corajosos da minha vida, mas aqui estamos falando de experiências reais de vida, não histórias felizes.

O ponto aqui é simples:

Algumas vezes você será forçado a se adaptar e agir rapidamente, muitas vezes de uma maneira que você não quer, e você não ficará orgulhoso depois. Mas aqui estamos falando de se adaptar, não de fazer o que você gosta. Em uma crise de grandes proporções você terá que se adaptar a coisas muito feias.

Sobre a autora:

Carmela Tyrell é uma preparado experiente que adora passar tempo trabalhando no seu jardim e explorando novas formas de gerar eletricidade e água para sua família. Ela sente-se orgulhosa de trabalhar duro para se tornar independente e continuar sua transição para uma vida mais sustentável. Conhece muito sobre remédios com ervas e mais. Hoje ela possui um blog chamado Survivor’s Fortress.

Texto adaptado e traduzido do blog SHTF School.

 

Anúncios

11 Comentários

  • Muito interessante o site. Sugiro corrigir alguns erros de concordancia nominal e conjugar o verbo “requerer” na 3a pessoa com “requer “, forma correta, pra aumentar ainda mais o nivel do texto.

  • Você não conhecerá exatamente quais são até ser provado em uma situação real.

  • Interessante. Li todo artigo, mas o que realmente lembro é a história de vida contada pelo Selco. Nada como a prática, a teoria é só teoria mesmo…

  • Um ótimo texto!

  • VOCE E MUITO LEGAO IAXO MUITO LEGAU

  • Saindo um pouco do tema, mas nem tanto, no caso de algum ” problema” nuclear, digamos que vc tenha sobrevivido á explosão, por estar longe o suficiente, os poços artesianos seriam uma fonte segura e água? Sempre tive essa dúvida.

    • A localidade onde vc apresenta risco de acidentes nucleares? Tem usinas nucleares na sua região? Existe em sua região algum alvo em potencial no caso de uma guerra nuclear ou ataque terrorista?

  • Bem, na natureza, costuma-se dizer que “não são os mais fortes, mas sim os mais adaptáveis que sobrevivem”.
    Um leão ou elefante não conseguem viver em qlqr região do planeta, mas os ratos praticamente infestam qlqr lugar, sejam áreas urbanas, rurais ou matas!
    Considero a adaptabilidade a capacidade de amenizarmos os danos ante a saída de nossa zona de conforto! E não precisa ser um cenário de crise absoluta, mas até de problemas bem triviais a qualquer um de nós: desemprego, divórcio, perda de imóvel ou mesmo alguma enfermidade. Algumas passam por uma situação dessas e ficam destruídas para o resto da vida, só lamentando o que perderam… outras fazem dessas crises pessoais verdadeiros “renascimentos” e descobrem uma força de superação que nem elas conheciam!

  • Oi,

    Acabei de ver aqui episódio S07E01 de Walking Dead bastante psicopata o tal do Negan, matou alguns personagens principais da série de forma bastante sádica.

    #pergunte_ao_lobo
    Os psicólogos estudam como ajudar pessoas que foram mutiladas em guerras por exemplo?

    Valeu.

  • Muito bom

  • “Uma pessoa altamente adaptável não teme seus prontos fracos, ela os aceita, supera e trabalha para contorná-los quando necessário.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s