SHTF School: Etiqueta em áreas desconhecidas (Como não criar brigas)

Hoje eu compartilho um sumário de pontos chaves que aprendi durante minhas viagens de coisas que podemos (ou não) fazer quando estamos em uma região nova e não sabemos quais as “normas” sociais do local.

Lembre-se, nestes dias de crescente “multiculturalismo” é perfeitamente possível arranjar encrenca quebrando regras culturais quando viajando para um país estrangeiro.

Nós podemos separar estas ações em duas grandes categorias. Decidir um curso de ação ou mostrar um comportamento pode sempre ser analisado por elas:

  1. Nenhum mal será feito caso eu faça… (coloque seu comportamento aqui)
  2. Nada de bom acontecerá se eu fizer…(coloque seu comportamento aqui)

Pode não parecer claro agora, mas veja como isso se encaixa bem na lista dos dez principais pontos para considerarmos nestas situações:

1. Seja observador

Quebrar regras em outras culturas podem atrair desde incômodos até penas severas. Devido a este potencial de receber punições do que nós podemos considerar como ações normais, a arte da observação tem que estar presente desde o momento em que você chega no local. Avalie seus arredores e compare-se com as pessoas a sua volta para verificar de que forma você pode se integrar melhor ao ambiente. Nenhum mal será feito caso eu apenas observe.

2. Mantenha coberto

Isso se aplica para homens também, mas é importante principalmente para mulheres. Nenhum mal será feito se você cobrir o máximo que puder de seu corpo em uma área desconhecida. Se você realmente for para uma região de cultura diferente, use mangas longas, calças e tenha em mãos algo para cobrir sua cabeça caso perceba que as mulheres/homens do local tenham este costume. Contudo, evite coberturas que tenham fundo cultural (turbantes, lenços ou semelhantes), mantenha seu estilo o mais neutro e não específico possível.

3. Evite comentários

Vamos ser sinceros, provavelmente está claro para os habitantes locais que você é um forasteiro. Tentar não se destacar pode ajudar, mas um comentário qualquer (especialmente negativo ou depreciativo) pode colocar você no radar dessas pessoas de maneira muito negativa. Não importa o quão estranha/feia/nojenta seja a situação que está acontecendo, mantenha-se calado. Nada de bom acontecerá se você ressaltar o quão diferente estas pessoas são de você.

4. Converse apenas com pessoas do mesmo sexo

Não tente começar a conversar, de nenhuma maneira, com membros do sexo oposto. Simples assim. Você pode ficar ofendido ou indignado com este conselho, mas aceite-o. Se você não segui-lo poderá enfrentar situações que nunca imaginou que poderiam acontecer.

Para leitores que compreendem inglês, clique aqui para ler uma notícia que comprova o ponto dito acima.

Isso não se trata apenas de você. Se for introduzido a uma mulher, não ofereça sua mão, espere que ela conduzirá as formalidades. Em várias culturas segurar a mão de uma mulher pode ser visto como insulto e até mesmo fazer com que ela seja punida por tocar em um homem com quem não é casada.

5. Mantenha-se distante de locais religiosos

Na falta de um guia profissional ou óbvia aceitação de turistas, as chances de você quebrar alguma regra MUITO importante nestes locais é altíssima, então não vale o risco.

6. Mantenha-se sóbrio

Considerando que você precisa de suas habilidades cognitivas e de observação devidamente afiadas, nada de bom acontecerá se você perder a sobriedade. Só porque os habitantes locais podem fazer não quer dizer que você possa fazer o mesmo. Nunca fique bêbado em locais perigosos, mas mais importante ainda, nunca altere seu estado mental a não ser que esteja em um local devidamente seguro.

7. Não ceda a nenhuma solicitação

Não de esmolas, não alimente os pobres. Por experiência própria, nunca pare para conversar com as crianças que estão fechando a estrada na frente (é uma isca que você não quer pegar). Não fale com prostitutas mesmo que esteja apenas “pedindo por direções”, evite vendedores ambulantes, taxistas… Enfim, você entendeu.

Se você precisa de ajuda, pergunte para alguém que ocupa um papel público – podem ser até mesmo atendentes, donos de lojas e semelhantes. NÃO PARE estranhos na rua e pergunte por direções, não fique parado em locais públicos parecendo estar perdido. Se você sem querer foi parar no lugar errado, apenas faça a volta e retorne ao local de onde veio.

8. Sem fotos

Se o local onde você está não parece turístico, não seja turista. Nada de bom acontecerá se você ficar tirando fotos em locais que não conhece.

9. Não demonstre riqueza

Se é brilhante e possivelmente caro, esconda. Vista-se da forma mais simples possível, você não quer virar um alvo.

10. Seja educado

Não estou dizendo entusiasmado, carismático, fascinado, interessado ou qualquer outra forma que você considera ser “educado”. Estamos aqui falando de educação simples e genuína. Você é o forasteiro, você é quem está sendo avaliado, tudo o que acontecer de errado poderá ser interpretado como SUA culpa, então não faça nada errado e tente ser sincero e respeitoso em todas suas ações até entender o que está acontecendo a sua volta.

Estas dez medidas simples podem ajudar você a “comprar tempo” para entender quais as melhores ações para executar na área desconhecida em que você está. Entrar em encrenca em uma área desconhecida é a pior coisa que pode acontecer, ainda mais se várias pessoas se voltarem contra você.

Você tem alguma “regra” que segue quando está em áreas desconhecidas? Por favor comente abaixo e compartilhe suas experiências.

Traduzido e adaptado do blog SHTF School.

Anúncios

15 comentários

  • Júlio, tenho uma pergunta #persistencia :3 ( atacando pelo site agora rsrsrs)
    Já passei por uma situação, onde eu estava acampando num local digamos que isolado, e durante uma caminha de reconhecimento ( área de Mata Atlântica.. aquele mato desgraçado onde a gente enrosca em tudo ), percebi um movimentação, fiquei parado, e como conheço um pouco do local, consegui me esgueirar até próxima de onde vinha o som, e para minha surpresa eram 3 homens também andando, não percebi armas longas, apenas facões, conversavam coisas do dia a dia, ( o que me levou a concluir que não estavam caçando a única coisa que me veio a mente foi que talvez eles estivessem indo retirar palmito jussara, aquele que é proibido e esta em extinção)), esperei eles passarem, vi que estavam indo em direção contrária ao meu “acampamento”, como eles fizeram praticamente um trilha por onde passavam, consegui chegar até o local por onde entraram na mata ( cerca de 2 KM , local onde deixaram o carro ), Voltei até o acampamento juntei minhas coisa e “vazei”, agora tenho receio de voltar a acampar por lá e acordar com “visitas”. Minha pergunta é o seguinte: o que fazer numa situação dessas? Fiz o certo? Você conhece alguma maneira de se precaver durante a noite? evitar que alguém chegue sem ser notado? ( nesse meio tempo aguardando a resposta você fez o vídeo do alarme com fogos de artifício ! Vlw ) ou o negócio é nunca ir sozinho ( o que pra mim significa não ir mais, já que não conheço NINGUÉM que goste de ir pro mato pra fazer algo que não seja beber… ) ficaria feliz em ter uma visão diferente da minha, visto que nunca tenho uma seunda opinião sobre minha conduta Sobrevivencialista.
    PS: esse local de acampamento serve quase que abrigo de emergência, tenho alguns tubos enterrados pela região, tenho uma pequena plantação de ihame num banhado próximo, algumas plantas medicinais plantadas pela região, apesar de ter “dó” de abandonar a região, não pensar duas vezes caso fosse necessário.

  • Olá muito bom a matéria, vivo a 16 anos no Japão e vejo nos cenários apresentados algo que se enquadra a minha realidade, deixa explicar:
    Não importa quanto tempo você viva em uma vizinhança estrangeira, qualquer situação que acontece nos arredores você será sempre o primeiro suspeito, veja só.
    Um conhecido peruano vive a mais de 20 anos numa cidadezinha próximo daqui, um dia assaltaram uma loja de conveniência que fica 5 quarteirões de onde ele mora e a polícia local, foi a sua porta perguntar por onde ele estava nos dias consequentes ao assalto, ele ficou constrangido mas respondeu corretamente onde estava e o que estava fazendo, após alguns dias depois que pegaram os ladrões locais, ele foi na delegacia com sua esposa japonesa exigir desculpas com ameaça de processar a polícia local por discriminação, eté agora está esperando a desculpa kkkkk, realidade de quem vive fora do ninho !

    • Qual região Romulo?

  • João Paulo Gouvêa

    Essa técnica do ovo no para-brisa funciona, realmente???
    Sempre ouvi, mas nunca vi.

  • José Roberto

    Ditado popular, simples e fácil de seguir: Caldo de galinha, observação, respeito e prudência, não fazem mal a ninguém. (acrescentei)

  • Pode parecer meio óbvio mas muitos não fazem nem isso:
    Primeiro estudar o lugar que vc pretende ir, isso inclui a rota, escalas e pontos que pretende visitar (além da cultura e costumes locais é claro).
    Em segundo lugar vc pode levantar o histórico de incidentes desses lugares e observar sua situação atual.

    • Boa!

    • eu ia comentar algo assim também, estudar a cultura do local previamente, mas mesmo conhecendo parcialmente a cultura local, podemos nos equivocar e acabar fazendo no minimo uma gafe.

  • Muito bom!

    Já tinha visto a versão original em Inglês!

    Que papo é esse das Iscas com crianças Júlio você sabe como funciona?

    Até

    • Isso acontece em vários lugares, inclusive aqui. Vou dar um exemplo diferente.
      Voce está parado no semáforo, vê algumas crianças mais à frente e de repente uma delas se aproxima com um ovo na mão.
      Quando ela atirar isso no seu para-brisa voce vai quase que por instinto acionar o limpador, não faça isso. Dirija para o lado oposto e não pare por alguns km.
      O objetivo é que vc encoste na próxima esquina para limpar a meleca no vidro, (quando voce aciona o limpador de para-brisa fica impossibilitado de continuar) então os vagabundos chegam e te levam tudo.

      • Entendido! Obrigado!

    • Fala Miguel!

      É exatamente isso que o Henry falou. Crianças geralmente geram comoção de adultos, logo são usadas como iscas para atrair vítimas “bondosas”. Podem ser crianças se fingindo machucadas, com fome, procurando pelos pais… A linha entre ajudar e se colocar em maior risco é bem tênue. Acredito que o melhor a se fazer é evitar este tipo de situações quando em locais desconhecidos ou no máximo chamar algum habitante local para lidar com a situação e rapidamente se afastar.

      Abraços!

      • Obrigado!

  • carlossilvapb

    Imagino que este guia foi criado para pessoas que vão se aventurar em países mais pobres, e cuja religiosidade é algo extremamente presente no cotidiano. Porém, não custa ser cuidadoso e discreto em locais que você não conhece, mesmo dentro de seu próprio país. Muito bom!

    • Concordo com vc Carlos.
      O texto fala muito sobre questões religiosas e em outros países e a princípio parece ter foco apenas em turistas, mas não. Quando vc viaja pra outra cidade, principalmente quando é em outro estado, vc se depara com muitas das situações citadas no texto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s