SHTF School: Quebrando mitos sobre ataques com facas [18+]

Antes de mais nada devo dizer que este artigo é baseado na minha experiência, vendo e lidando com ataques e feridas de facas durante a crise e também em meu trabalho na área médica. Não há nada de científico aqui, este texto será sobre o que eu vi, fiz e vivenciei.

Em muitos momentos nós encontramos assuntos que são vistos de formas diferentes dependendo de cada pessoa e isso é muito bom, mas quando falamos de mortes e ferimentos de faca, no final uma ferida é uma ferida e sangue é sangue.

Atenção, este texto foi escrito por um sobrevivente de guerra que enfrentou situações extremas onde não haviam leis ou autoridades para ajudá-lo. Estamos traduzindo este texto para que você compreenda a realidade cruel por trás do combate com facas e para que possa ficar mais atento e prevenido em seu cotidiano. O texto pode ser forte para alguns leitores.

A faca

Existe algo primitivo (podemos dizer até mítico?) em uma faca e eu acho que isso vem do fato de que foi o instrumento de morte usado por muitos séculos e, para ser honesto, para mim é o tipo de luta mais assustador – ser forçado a lutar com uma faca.

Ter uma faca na sua mão e “empurrar” ela no corpo de alguém é um pensamento assustador e é muito pessoal, em muitos níveis diferentes.

Como sempre, graças à indústria do cinema, as pessoas acham, que lutas de facas acontecem com dois caras fazendo movimentos chiques. Na realidade trata-se de quem enfiou a faca no outro primeiro (antes que o outro tenha conseguido puxar sua faca também).

Luta com facas e bom senso

Eu sei que existem especialistas em facas por aí, mas eu nunca passei por algum treinamento específico então não sei qual o impacto deles. O que eu sei é que se você for forçado a lutar com uma faca contra alguém durante uma crise e tiver uma pistola com você, puxe a arma e atire no cara… Esqueça sobre “honra” e “filmes”.

A luta de facas (em igualdade) significa que você (com certeza) irá se machucar ou pelo menos ganhar alguns cortes do seu oponente. Lembre-se que até um pequeno corte pode te matar em uma crise.

Aceitando a possibilidade de que as pessoas na internet me chamem de idiota, eu preciso dizer que escolher a sua faca APENAS como uma arma é um ENORME gasto inútil de recursos.

Uma boa faca significa uma boa ferramenta de trabalho e uma arma.

Aceite também que existem muitas outras ferramentas e armas disponíveis por aí, como um machado por exemplo, em termo de usos múltiplos. A faca é apenas mais uma parte de um todo muito maior.

O que eu estou tentando dizer é: não fique romantizando demais um tipo específico de faca quando se trata de furar e cortar (em brigas), a maioria delas vai fazer esse trabalho – com exceção de uma bem barata e porcaria.

Quando se trata de ferramentas, você tem sempre que tentar pegar as que são de maior qualidade e possuem vários propósitos.

Em um período da crise que vivi, a maioria das lutas de faca que eu vi foram feitas com simples facas de cozinha, e eu te garanto que elas fizeram um excelente e sangrento trabalho.

O ponto aqui é ter a intenção e sim, ter os “colhões” para isso. O tipo e estilo de faca é muito menos importante que estes dois primeiros…

O que você sempre precisa ter é bom senso e adaptabilidade. Por exemplo, se você se encontrar em uma situação onde a faca é a sua única arma, talvez faça sentido transformar ela em uma lança para ter maior distância e força. Você não pode simplesmente assumir que só existe “um jeito”.

Facas, sangramentos e estatísticas

Existem números e informações de anos de pesquisas sobre sangramento e mortes relacionados à ferimentos de faca e realmente é um assunto que vale a pena ser pesquisado, assim você saberá o que esperar.

Por outro lado, existem experiências reais e exceções para tudo e você precisa entender isso também.

Você pode ter visto em algum filme a cena de um cara andando silenciosamente por trás de outro cara, tampar a boca dele e enfiar uma faca pelas costas na região dos rins e então o “inimigo” cair em dois segundos… Boa sorte com isso.

Esfaquear alguém é um trabalho bastante “barulhento” e existem diversas variáveis como: Você acertou o lugar certo? Você furou ou cortou? O quão longa e afiada é a faca? Etc.

Além de tudo isso você precisa entender que precisará aplicar muita força independente do método que utilizar, não é nem um pouco parecido com os filmes. As pessoas vão lutar por suas vidas – literalmente.

Dependendo da situação você poderia acertar o lugar certo (a artéria carótida por exemplo) mas o cara ainda teria tempo suficiente para te estrangular. Eu vi isso acontecer. Sim, ele vai morrer rapidamente por conta do sangramento enorme – mas o ponto é que ele ainda poderá te matar antes de isso acontecer.

Você tem sim a opção de se aproximar silenciosamente e matar o cara, mas pense… Você vai usar a sua faca chique para cortar a artéria dele? Talvez faça mais sentido (e melhore suas chances de sucesso) usar uma pedra grande e esmagar o crânio dele com uma porrada forte do que ter a chance de errar seu movimento com a faca e ter de enfrentar um inimigo alerta.

Se você não tem nenhum treinamento excelente sobre como usar uma faca corretamente, não é fácil de conseguir uma neutralização rápida e efetiva.

Além disso, para matar alguém existe uma demanda enorme de “trabalho” com a sua faca. Por exemplo, uma simples estocada ou até mesmo múltiplas perfurações no abdome poderão matar um homem, mas não rapidamente. Você terá que perfurar e mover a faca dentro do indivíduo, cavar, torcer e cortar… Um trabalho sujo, mas é assim que as coisas funcionam.

Se você realmente tiver que matar alguém com uma faca e tiver a chance de perfurá-lo tenha em mente que você terá que fazer isso várias vezes. Apenas um único golpe raramente funciona a não ser que você saiba o que está fazendo.

A verdade triste no final é que, durante esta briga de facas, quando você tiver a chance de perfurar o oponente ele terá as mesmas chances de fazer o mesmo contigo, então as probabilidades de que você irá se machucar são altíssimas.

Tenha certa de que você não está “super simplificando” suas opções e treinamentos. Vejo muitos preparadores dizendo que carregam “x” coisa para se defender e até mesmo matar agressores, mas você precisa entender que existem diversas opções. Treine com suas ferramentas e com a compreensão da realidade, não da fantasia.

Imagino que alguns dos leitores devem ter experiências e lições sobre este assunto para compartilhar, por favor, envolvam-se na discussão deixando um comentário abaixo.

Texto traduzido e adaptado do blog SHTF School.