O MAIOR OBSTÁCULO PARA A REAL LIBERDADE É A CRENÇA DE QUE JÁ A TEMOS

Se você vive em uma das chamadas democracias livres do mundo ocidental, o pior erro que você pode cometer é acreditar no hype. Acreditar que você é um indivíduo livre em uma nação que respeita e protege sua liberdade e individualidade.

Sempre que abordo esse assunto, sempre recebo uma enxurrada de objeções do tipo: “Bem, prefiro viver onde moro do que sob um regime autoritário como no Irã ou na China! Você nunca teria permissão para criticar seus governantes da maneira que faz se morasse em um desses lugares!”.

E eu sempre quero perguntar a eles, o que você acha que o levou a fazer essa objeção? Por que você está caindo em cima de si mesmo para defender seu país e as pessoas que governam sobre você, enquanto condena países estrangeiros que seu próprio governo não gosta? Será que é assim que você foi treinado para se comportar desde jovem?

Porque, em última análise, é isso que mantém as estruturas de poder unidas nas nações alinhadas com os EUA no norte global: a doutrinação. A mesma coisa usada para programar extremistas religiosos e membros de cultos. A única diferença é que, em vez das escrituras e dos líderes religiosos, o meio de doutrinação é a escola, a grande mídia e a manipulação de algoritmos.

Sem doutrinação em massa em narrativas de poder sobre nação, governo e mundo, as estruturas de poder que nos governam entrariam em colapso imediatamente. As pessoas deixariam de se comportar voluntariamente de maneira a beneficiar essas estruturas de poder, parariam de reconhecer seu governo como uma autoridade legítima, parariam de fingir que as eleições são procedimentos reais para determinar as ações de seu governo, parariam de acreditar que estão recebendo informações verdadeiras da mídia de doutrinação em massa e usariam o poder de seus números para se organizar de maneira que beneficie a maioria em vez de uma elite de poucos.

Isso é o que alguém está defendendo quando alguém se opõe a ser informado de que não vive em uma sociedade livre. A própria objeção deles é o produto da realidade que eles estão negando.

Na realidade, não somos verdadeiramente mais livres sob nossos governantes do que as pessoas sob os governos que nossos governantes odeiam. Claro que as pessoas podem postar críticas de seus representantes eleitos online, mas essas críticas serão descartadas e ignoradas por todos que importam, elas estão sendo direcionadas a figuras políticas sem poder real e vêm de mentes que foram profundamente doutrinadas no poder, servindo visões de mundo. Seus governantes não se importam se você é um democrata que odeia os republicanos ou um republicano que odeia os democratas, desde que você esteja conectado a um dos túneis de realidade autorizados.

Como disse Noam Chomsky, “a propaganda é para uma democracia o que a clava é para um estado totalitário”. Em um estado totalitário, as pessoas são abusadas fisicamente em conformidade e obediência. Em uma “democracia”, as pessoas são abusadas psicologicamente em conformidade e obediência. De certa forma, alguém que vive sob o totalitarismo declarado é mais livre do que um ocidental que foi doutrinado pela mais poderosa máquina de propaganda já inventada, porque pelo menos eles têm o que pensam. Pelo menos eles sabem quem são seus perseguidores.

Claro que é mais agradável viver em uma sociedade onde você pode dizer o que quiser e viver da maneira que tiver capacidade financeira para viver. Seria ainda mais agradável viver em um tubo de ensaio com seu cérebro conectado a um mundo virtual onde todos os seus desejos são satisfeitos – mas não seria liberdade. Seria a prisão disfarçada de liberdade.

Eu encontro tipos libertários que dizem que não vivem em uma sociedade livre porque são forçados a pagar impostos e pagar um salário mínimo a seus funcionários e ter seus negócios regulados por agências federais e etc. Entretanto o verdadeiro motivo pelo qual eles não vivem em uma sociedade livre é muito, muito mais difundido do que isso. Eles não vivem em uma sociedade livre porque as pessoas não podem nem pensar livremente.

É difícil até imaginar como nossas vidas mentais seriam mais livres se não estivéssemos sendo continuamente conduzidos a confins artificiais para pensar sobre o mundo. Por pensarmos em quais são nossos reais problemas. Sobre quais soluções para esses problemas são possíveis. Sobre o tipo de mundo que poderíamos ter se realmente colocássemos nossas mentes nisso. Sobre o vasto espectro de opinião política que existe fora da pequena largura de banda autorizada da janela mainstream.

Na verdade, é patético como as mentes restritas e confinadas estão dentro da visão de mundo dominante doutrinada. Você já se maravilhou com a forma como algumas das pessoas mais inteligentes que você conhece podem comprar os artigos de propaganda mais óbvios? Isso porque a inteligência por si só não é suficiente para proteger alguém da doutrinação. Sair da matrix narrativa requer sabedoria e uma boa dose de sorte. Mas pense em quanto poder cerebral seria liberado se as mentes inteligentes não estivessem sendo encurraladas nos confins apertados das perspectivas oficiais. Quanto mais nossa espécie poderia alcançar caso as mentes brilhantes tivessem liberdade real e não apenas a ilusão dela?

É por isso que a maioria do que é mainstream é estúpido, de filmes a programas de TV, de política a especialistas. Não é porque as pessoas são estúpidas, é porque vivemos em uma civilização altamente controlada que só eleva as besteiras que servem ao poder. Besteira que vem de mentes restritas e limitadas e facilita a constrição e limitação das mentes.

Nós, que vivemos nas chamadas democracias livres e liberais, gostamos de contar a nós mesmos um conto de fadas que vivemos em uma sociedade que respeita e prioriza a individualidade, mas a verdade é exatamente o oposto: nossa sociedade faz de tudo para esmagar a verdadeira individualidade existência e nos conduzir através de sistemas de processamento de fabricação de conformidade. O que é apresentado como “individualismo” significa cada vez mais ter a liberdade de expressar sua singularidade, tendo infinitas marcas e variedades de produtos para escolher enquanto pensa os mesmos pensamentos que todos os outros sobre seu governo, seus sistemas econômicos, sua nação e seu mundo.

O individualismo real encorajaria a individualidade radical e a divergência das ortodoxias. As chamadas democracias liberais do mundo ocidental fazem exatamente o oposto, martelando-nos em perspectivas autorizadas de servir ao poder e nos conduzindo para as principais câmaras de eco partidárias onde podemos discutir sobre como o império deveria existir em vez de se deveria ou não existir. A individualidade real é eliminada e substituída por próteses de consumo irracional e pensamento partidário.

Nosso projeto, então, como prisioneiros em uma sociedade profundamente não-livre, é ajudar a despertar o maior número possível de pessoas para a realidade de quão não-livres realmente somos. Ser vozes sussurrando na matrix, acenando para os sonhadores em direção ao mundo real de todas as maneiras que pudermos. Envolver nossa criatividade e encontrar mais e mais maneiras de levar as pessoas a questionar se tudo o que ouviram sobre seu mundo é realmente verdade.

Se conseguirmos isso, podemos conseguir qualquer coisa, porque teremos derrubado a maior e mais forte barreira para a criação de um mundo saudável. As estruturas de poder que nos governam não são configuradas para lidar com uma massa crítica de pessoas despertando de seus sistemas de controle psicológico e dizendo “não” em uma só voz, se conseguirmos chegar a esse ponto, a parte difícil acabou. A partir daí, com nossas mentes verdadeiramente livres e os limites imaginários indo aonde os sonhos vão, podemos fazer algo realmente lindo juntos.

Texto traduzido e adaptado do site: SHTFplan.

2 Comentários

  • Entendo o que o texto quer dizer, até concordo. Entretanto, o texto me pareceu um pouco contraditório – minha interpretação.
    Claro que a propaganda é um problema, mas de certa forma uma sociedade precisa de um ”caminho padrão”. Contudo a individualidade e poder de escolha são importantes. Porem são coisas que entram em conflito. O famoso caminho do meio, ensinado por Buda, precisa ser alcançado em tudo.
    E por fim, pareço a pessoa que o texto critica. 😂

  • Sobre Noam Chomsky, “a propaganda é para uma democracia o que a clava é para um estado totalitário”, importante ler quem é Chomsky e seu papel no autoritarismo que vivemos hoje…
    Questão de lógica, se a propaganda (*) é o porrete da Democracia, então não existe democracia.
    Ou seja: após definir o que se entende como propaganda, pode-se chegar a conclusão que sociedades mudas em que indivíduos, empresas. instituições e governos que não se manifestem, é o caminho para a democracia.
    Concluindo. Democracias com livre manifestação não é democracia 🙂 KKKKKKK

    * 1. divulgação de uma ideia, crença, religião. “a p. oficial do regime”
    2. Ação de exaltar as qualidades para um grande número de pessoas. “fazer p. de um candidato”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s