SHTF School: Mantenha o povo alimentado e entretido

Nota do tradutor: Para aqueles que não conhecem, o blog SHTF School relata as experiências e pensamentos de um sobrevivente da guerra balcânica, que passou um ano morando em uma cidade sitiada onde não haviam leis, comida ou qualquer recurso. Peço também que percebam o quanto o texto abaixo se enquadra no cenário atual de nosso país e por favor, compartilhem este texto em suas redes sociais e afins para que possamos alertar mais pessoas sobre o que poderá nos abater em breve.

As pessoas que estão no movimento de preparação e sobrevivência no mundo e na internet estão fazendo diversas coisas para se preparar para possíveis crises.

Numerosos blogs e fóruns estão por aí, todos tentando descobrir quando a @!#@ vai bater no ventilador e como o cenário será. Meu tempo de guerra era o pior cenário possível e imagino que poucas pessoas enfrentarão algo tão ruim mesmo quando há completo colapso da lei (ao menos você não terá atiradores de elite e bombardeios se seu governo se comportar).

A pergunta de um milhão de dólares é: “Como o colapso vai se parecer e quando começará?”

Diferente do que muitos pensam, crises não começam do dia para a noite a não ser que haja algum erro grotesco do governo ou se a natureza conseguir se vingar da gente. Eu acredito que o governo e as corporações somente desligam as luzes de forma devagar. Entregam lanternas para as pessoas verem em uma pequena área ao seu redor mas não ver o cenário inteiro.

Quando você coloca pessoas vagarosamente na miséria elas acham que é normal, humanos se acostumam com tudo ao redor deles se eles tiverem tempo para isso. Tiram o ar para respirar e deixam somente o suficiente para lhe manter vivo.

O que eu quero dizer é que a crise já começou, nos acertou em silêncio e vagarosamente está desabando a nossa volta. A maioria das pessoas só vai perceber isso quando tudo explodir na cara delas. Pense nas seguintes questões:

  • Qual o estado da sua infra estrutura local?
  • E os crimes na sua área?
  • Custos de gasolina, comida e outras utilidades?
  • Quantos de vocês têm trabalhos decentes e se não têm, quais as chances de conseguir um?
  • E que tal seu plano de saúde?
  • Existem mais pessoas dependentes do governo hoje em dia?
  • Tudo isso perguntado está ficando melhor ou pior com o passar dos anos?

Eu vi um cara, uns meses atrás. Ele era alcoólatra e sem teto. A higiene e o modo de vida dele estava claramente em um baixo nível.

Depois de certo tempo eu vi que seu pé começou a ficar gangrenado. Eu o ajudei algumas vezes. Ele morreu mais tarde. Ele não teve tratamento médico adequado, ele não tinha segurança social, não tinha dinheiro, nem amigos. Ele morreu na rua. Até depois de morrer ele ficou ali na rua durante certo tempo antes de alguém perceber que ele estava morto e não dormindo.

Agora você pode dizer que estas coisas acontecem em todo lugar, e você está certo, acontece ao redor do mundo inteiro.

Mas eu lembro de um tempo onde este mesmo cara receberia atendimento médico e seria levado para alguma instituição do governo que pagaria por suas contas médicas, comida e todo o resto. Isso não acontece mais. Pessoas normais se IMPORTARIAM com esse cara mas agora elas pararam pois o ar fica cada vez mais rarefeito para todo mundo. É hora de focar em si mesmo.

Como esse colapso lento se parece?

Os lugares onde você vive ficam menores, você trabalha mais e ganha menos. Você come comida de baixa qualidade e tem menos tempo para outras coisas. Você espera menos e menos das coisas ao seu redor. A qualidade das coisas ficam cada vez piores. Você não pode esperar ter um trabalho seguro ou coisa do tipo. Você se acostuma a viver preocupado.

Por sorte existe entretenimento como séries de TV, videogames e a internet para entrar no mundo da fantasia. Isso ajuda a escapar do mundo real que fica cada vez pior. Você trabalha, vive em uma porcaria de lugar, come comida ruim e escapa para um lugar que te entretém e deixa você esquecer da realidade.

Por se sentir ruim você entra mais e mais na “zona de conforto” e essa zona continua ficando cada vez menor. Tudo isso te deixa um sentimento de impotência, mas não te preocupa. Existem grandes organizações e seu governo para te fazer sentir parte de alguma coisa, algo maior e mais forte, você somente precisa pagar para ser parte disso.

Vagarosamente as forças no poder fazem o homem normal ficar fraco. Tão fraco que a revolução se torna um ideia muito distante. A vida foi sugada das pessoas normais antes mesmo delas perceberem o que aconteceu.

A crise já começou,  a @!#!”# já atingiu o ventilador para muitos mas eles não sabem e talvez nunca saberão.

Acorde, saia e vá cheirar o mundo real, eu aposto que se você cheirá-lo, você vai poder ver se têm olhado para o caminho certo.

Meu tempo em guerra, minha crise foi tão horrível… Mas foi também uma experiência real. Guerras estão acontecendo ao redor do mundo, economias estão caindo, novas forças estão surgindo… E você pode dizer que já aconteceu antes e irá acontecer novamente. Você com certeza estará certo.

Não pense guerras são a única forma de lutar pela sobrevivência. As forças no poder são espertas e não precisam estuprar ninguém à força se podem drogá-los e mandá-los fazer o que eles quiserem.

Isso é simples senso comum.

A questão é por quanto tempo eles podem deixar as massas drogadas antes de que elas acordem e percebam o abuso?

Isso é o que eu vejo acontecendo no futuro. As forças no poder mantém as pessoas drogadas, alimentadas e no mundo da fantasia (entretidos) e eles não percebem o que está acontecendo até que um dia eles acordam.

Isso pode não acontecer durante nosso tempo de vida e se acontecer as massas estarão fracas demais para fazer alguma coisa. Somente se algo dá errado, os poderes cometem um erro ou a natureza ataca, aí sim nós teremos total caos de um dia para o outro.

Caso contrário nós teremos uma descida vagarosa até o ponto de completa anarquia.

Se você tem pensado em se mudar para a área rural faça isso hoje, não amanhã. Se você tem pensado em formar um grupo de preparadores na sua área, faça hoje e não amanhã.

Traduzido e adaptado do blog SHTF School.