Ficção: Uma história provavelmente real

Leia a seguinte história abaixo:

Você acorda em sua cama confortável, com o ar condicionado deixando o quarto bem fresquinho. Vai para a sala e come um ótimo café da manhã, aquele bom copo de coca cola gelada e um chocolate, típica coisa que lhe dá uma energia pra começar o dia. Liga a TV para ver o que anda acontecendo no mundo, nada de diferente.

Sai para o trabalho, sem nenhuma preocupação, o mundo continua igual e adequado às suas necessidades. Ao chegar em casa depois daquele trânsito terrível e aquela preocupação chata de ver o combustível piscando na reserva você vai tomar um belo banho quente de maravilhosos trinta minutos, porque você gosta de relaxar e acha engraçado ver suas mãos ficarem enrugadas. Se veste e vai pra sala arrumar o seu jantar, um enorme prato de arroz com dois ovos e bacon, porque depois de um dia pesado nada melhor do que um jantar bem calórico para te deixar satisfeito. Ao dormir vai tomar um copo de água da geladeira, a garrafa está quase vazia mas deu pra encher meio copo, então está ótimo. Você guarda a garrafa vazia na geladeira e vai dormir.

Vida tranquila, você consegue imaginar o que pode vir a acontecer?

O dia raia de maneira linda, com você dormindo como um rei. Levanta para matar a sede e vai pegar um copo de água, fica bravo por não ter água gelada e pensa que alguém deveria ter posto água para gelar, mas não tem problema, pega o copo e vai em direção à torneira. Para sua surpresa, pouca água sai do cano, até que se resume a pequenos pingos e logo para. Você estranha aquilo, afinal, nunca tinha faltado água antes! Fica meio perdido, pois não sabe muito bem o que fazer. Vai até o registro na frente de sua casa e verifica que não está havendo fornecimento de água. Esbravejando e xingando você pega o telefone para ligar para a empresa de água, para exigir seus direitos como consumidor (apesar de atrasar algumas contas) e recebe a notícia de que um dos canos de abastecimento foi rompido devido a um deslizamento de terra e não há estimativa para o serviço voltar a funcionar.

Você fica abismado com a falta de competência da empresa, onde já se viu não poderem te dar algo pelo qual você está pagando! O nervosismo passa e a sede vai aumentando… até que chega no seu vizinho para pedir um pouco de água e descobre que ele está na mesma situação que você, tinha apenas uma garrafa de água pela metade, que já se acabou no café da manhã. Novamente indignado pelo seu vizinho não poder te dar água (porque é egoísta), você liga a TV para saber exatamente o que ocorreu. A notícia é de que realmente houve um deslizamento de terra e o cano de maior abastecimento foi quebrado, alguns caminhões pipa estão sendo direcionados para as áreas mais críticas, onde cada habitante terá direito a apenas dez litros de água. Você pensa: “DEZ LITROS? Como vou tomar banho? Como vou preparar meu almoço?”. Para concluir a situação terrível você descobre que o caminhão  pipa ficará em modo de distribuição em um posto que fica a quase 4km de distância da sua casa.

Indignado e sedento você liga o carro para ir até o local, abre a garagem e quando vira a esquina, a gasolina (que já estava na reserva) acaba e te deixa a pé. Após quase ter um colapso nervoso, você começa a caminhar com um balde em mãos (que está ressecado e parece que vai quebrar) em pleno sol de 11 horas da manhã. O posto não parece chegar de forma alguma e você que está acostumado a ir comprar pão na esquina de carro, começa a ficar sem ar, e com sentimentos de náusea. Até chegar ao caminhão você têm de fazer quatro paradas, percebe que aqueles fast-foods e as gordurinhas que eles trouxeram fizeram grande diferença no seu condicionamento.

Ao chegar ao caminhão percebe que as pessoas estão realmente descontentes com a situação de falta de água e muitos se encontram no mesmo estado que você. Quando você se dá conta, uma das pessoas pareceu tentar furar a fila e isso gera certo tumulto, um empurra-empurra começa e você se vê em meio a uma briga por água! Um dos policiais civis que estavam por perto dá um tiro pro alto com o intuito de parar com a confusão, porém o motorista do caminhão se assusta e prefere fugir do local e voltar depois, quando estiver mais calmo, deixando você, tonto, sedento, com o balde nas mãos.

As pessoas ficam desesperadas e assim como você tentam correr atrás do caminhão, sabendo que isso seria em vão. Você para, sentindo seu corpo inteiro pulsar, sua pele vermelha e suor em todo o seu corpo, começa a sentir dores no peito, uma tontura estranha e quando percebe, está no chão, com a visão ficando cada vez mais escura… ao fundo você ouve “Ajudem! Ele está tendo um infarto! Alguém chame…” Escuridão.

O quão distante você está do protagonista desta história? Quais ações você poderia tomar para evitar estar na mesma situação? Ao ver os erros que ele cometeu, você pode dizer que nunca fez ou fará o mesmo?

Veremos quem tem a ousadia de se posicionar nos comentários abaixo.

Até.