Ficção: Uma história provavelmente real

Leia a seguinte história abaixo:

Você acorda em sua cama confortável, com o ar condicionado deixando o quarto bem fresquinho. Vai para a sala e come um ótimo café da manhã, aquele bom copo de coca cola gelada e um chocolate, típica coisa que lhe dá uma energia pra começar o dia. Liga a TV para ver o que anda acontecendo no mundo, nada de diferente.

Sai para o trabalho, sem nenhuma preocupação, o mundo continua igual e adequado às suas necessidades. Ao chegar em casa depois daquele trânsito terrível e aquela preocupação chata de ver o combustível piscando na reserva você vai tomar um belo banho quente de maravilhosos trinta minutos, porque você gosta de relaxar e acha engraçado ver suas mãos ficarem enrugadas. Se veste e vai pra sala arrumar o seu jantar, um enorme prato de arroz com dois ovos e bacon, porque depois de um dia pesado nada melhor do que um jantar bem calórico para te deixar satisfeito. Ao dormir vai tomar um copo de água da geladeira, a garrafa está quase vazia mas deu pra encher meio copo, então está ótimo. Você guarda a garrafa vazia na geladeira e vai dormir.

Vida tranquila, você consegue imaginar o que pode vir a acontecer?

O dia raia de maneira linda, com você dormindo como um rei. Levanta para matar a sede e vai pegar um copo de água, fica bravo por não ter água gelada e pensa que alguém deveria ter posto água para gelar, mas não tem problema, pega o copo e vai em direção à torneira. Para sua surpresa, pouca água sai do cano, até que se resume a pequenos pingos e logo para. Você estranha aquilo, afinal, nunca tinha faltado água antes! Fica meio perdido, pois não sabe muito bem o que fazer. Vai até o registro na frente de sua casa e verifica que não está havendo fornecimento de água. Esbravejando e xingando você pega o telefone para ligar para a empresa de água, para exigir seus direitos como consumidor (apesar de atrasar algumas contas) e recebe a notícia de que um dos canos de abastecimento foi rompido devido a um deslizamento de terra e não há estimativa para o serviço voltar a funcionar.

Você fica abismado com a falta de competência da empresa, onde já se viu não poderem te dar algo pelo qual você está pagando! O nervosismo passa e a sede vai aumentando… até que chega no seu vizinho para pedir um pouco de água e descobre que ele está na mesma situação que você, tinha apenas uma garrafa de água pela metade, que já se acabou no café da manhã. Novamente indignado pelo seu vizinho não poder te dar água (porque é egoísta), você liga a TV para saber exatamente o que ocorreu. A notícia é de que realmente houve um deslizamento de terra e o cano de maior abastecimento foi quebrado, alguns caminhões pipa estão sendo direcionados para as áreas mais críticas, onde cada habitante terá direito a apenas dez litros de água. Você pensa: “DEZ LITROS? Como vou tomar banho? Como vou preparar meu almoço?”. Para concluir a situação terrível você descobre que o caminhão  pipa ficará em modo de distribuição em um posto que fica a quase 4km de distância da sua casa.

Indignado e sedento você liga o carro para ir até o local, abre a garagem e quando vira a esquina, a gasolina (que já estava na reserva) acaba e te deixa a pé. Após quase ter um colapso nervoso, você começa a caminhar com um balde em mãos (que está ressecado e parece que vai quebrar) em pleno sol de 11 horas da manhã. O posto não parece chegar de forma alguma e você que está acostumado a ir comprar pão na esquina de carro, começa a ficar sem ar, e com sentimentos de náusea. Até chegar ao caminhão você têm de fazer quatro paradas, percebe que aqueles fast-foods e as gordurinhas que eles trouxeram fizeram grande diferença no seu condicionamento.

Ao chegar ao caminhão percebe que as pessoas estão realmente descontentes com a situação de falta de água e muitos se encontram no mesmo estado que você. Quando você se dá conta, uma das pessoas pareceu tentar furar a fila e isso gera certo tumulto, um empurra-empurra começa e você se vê em meio a uma briga por água! Um dos policiais civis que estavam por perto dá um tiro pro alto com o intuito de parar com a confusão, porém o motorista do caminhão se assusta e prefere fugir do local e voltar depois, quando estiver mais calmo, deixando você, tonto, sedento, com o balde nas mãos.

As pessoas ficam desesperadas e assim como você tentam correr atrás do caminhão, sabendo que isso seria em vão. Você para, sentindo seu corpo inteiro pulsar, sua pele vermelha e suor em todo o seu corpo, começa a sentir dores no peito, uma tontura estranha e quando percebe, está no chão, com a visão ficando cada vez mais escura… ao fundo você ouve “Ajudem! Ele está tendo um infarto! Alguém chame…” Escuridão.

O quão distante você está do protagonista desta história? Quais ações você poderia tomar para evitar estar na mesma situação? Ao ver os erros que ele cometeu, você pode dizer que nunca fez ou fará o mesmo?

Veremos quem tem a ousadia de se posicionar nos comentários abaixo.

Até.

Anúncios

11 Comentários

  • Pingback: Alguns posts que você pode não ter visto |

  • concordo com o olavo. Tenha um poço tb se possível, ( se morar em casa principalmente) e uma forma manual de bombear a agua ( bomba manual) caso nao tenha energia elétrica sua bomba nao vai servir de nada e com esse tipo de bomba vc consegue capturar agua do poço em baldes, etc ; As vezes as soluções p/ os problemas sao mt mais simples do que imaginamos, no falta de combustivel, uma simples bicicleta pode resolver o problema se vc precisa percorrer uma distancia considerável.

  • Gustavo Marcolin

    A estocagem de alimento, de água e até de remédio é essencial. Sinceramente não tenho muita coisa mas, sei que o pouco que tenho pode me manter por um curto período de tempo. Pretendo melhorar nesse ponto, pois moro com meus avós, os dois com quase 😯 anos, tenho que pensar por eles também.

    • Gustavo,

      Ficamos felizes ao menos de saber que você já está planejando ter mais suprimentos em casa! Vá com calma, comprando um item a mais por mês e quando perceber, terá um bom nível de suprimentos.

      Abraços.

  • Pingback: Ficção: Uma história provavelmente real! « G. E. Itapeva – 97º SP

  • Pois é, como já discutido em um post passado, a sobrevivência é feia. Concordo com todas as colocações suas Lourenço, realmente a capacidade de manter alimentos entrando em sua dispensa é imprescindível para o sucesso na sobrevivência. Eu também possuo uma carabina de chumbo (GAMO CFX .5,5m), penso em fazer um post acerca desse assunto, porém temo que este seja mal interpretado e acabe fazendo apologia a violência ou caça indevida.

    Apenas uma observação que gostaria de agregar: A mente aguçada não é parte do jogo, é o fator decisivo para a vitória dele.

    Abraços.

  • Correção: até os 25 anos mantinha os 80 kg…

  • Caras, até os 15 mantinha os malditos 80 kilos. Parecia um cotonete com pernas, já que tenho 1,90. Demorei pacas para conseguir engordar. Hoje meus 120Kg me garantem uma reserva estrategica para um eventual periodo de fome…hehe….ou seja, sem comer, vocês irão antes de mim….hehe

    Depois de naos escalando, praticando atletismo, fazendo caminhadas de 30 / 40 km com 15 kilos nas costas, uma hora voce cansa, com costas e joelhos estourados (acredite, vocês vão entender o que eu estou falando…hehe),e terão o Tandrilax como o amigo de todas as horas….

    Tal situação, devo reconhecer, é incomoda. Já venho me preparando espiritualmente para entrar em forma…já compreiu um agasalho, vejam que passo enorme…

    Mas também devo dizer que a experiência traz certa tranquilidade. Planejamento, experiência e sangue frio em combate e situações de sobrevivência podem contar.

    Enfim, não me vejo como o exemplo, mas se eu não fizer nada é uma possibilidade real das coisas darem muito errado, no aspecto físico.

    • Pois é Lourenço, concordo com você o fato de que uma vida de exercícios tem como lado negativo o desgaste de nossas articulações e ligamentos, mas creio que se a atividade for feita com parcimônia podemos reduzir estes danos.
      Realmente a experiência conta como fator fundamental, porém temos de lembrar que de nada vale uma mente aguçada em um corpo sem resistência. Dentro das teorias psicológicas observamos que a o corpo da pessoa demonstra o quão saudável ela está mentalmente, e vice versa.

      Parabéns pela iniciativa de ao menos pensar em fazer atividades físicas, este era o objetivo desse texto.

      Abraços, continue por aqui!

      • A mente aguçada é parte do jogo. Sobreviver é muito mais complexo do que parece. Temos que partir de uma premissa: é uma situação passageira, rápida, ou trata-se de uma situação que demandará na alteração da sociedade como conhecemos? Se falamos em uma hipotética e pouco provável ruptura em definitivo da ordem social, ai então as coisas tornam-se muito, muito mais complexas. E como isso se dará? Por altamente improváel, difícil dizer. Lembro-me da versão de 1921 do filme “Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse” em que a dissolução final da sociedade é representada por uma multidão dançando Boogie Hoogie…

        Seja como for, a ruptura do “Contrato Social” que mantém nossa sociedade implicaria na volta do “Homo Homini Lupus”, homem lobo do homem. Isso traria implicações. Em um primeiro momento, dependendo do grau do problema, teriamos que tentar sobreviver por conta própria, e por longo período. Sob este prisma, a capacidade de sobreviver está diretamente relacionada a capacidade de obter comida, seja como coletores, buscando em locais onde se possa encontrar comida, seja como caçadores ou pescadores.

        De toda forma, faz-se necessário desenvolver tais habilidades. pois isso penso que um kit de sobrevivencia mais completo deva contar com material de pesca e caça. Uma carabina de pressão simples e robusta, como uma BAM-01, e um bom estoque de chumbinhos pode proporcionar um bom fluxo de aves e pequenos animais. Temos ainda a questão do predadores de duas pernas que certamente surgirão. Lembrando que o que discutimos aqui é pra lá de hipotético, você pode se ver sob o risco de ataque por parte de desesperados que não se prepararam. E aí? Até onde você iria para preservar sua vida e a de sua família? Você tem a correta preparação mental e técnica para, se necessário, eliminar outro ser humano. E não é como nos video games. É terrível e detestável, sob todos os aspectos. Mas certas situações não deixam escolha. De fato, há mesmo uma encíclica papal, do Papa João Paulo II, que imputa o pecado da morte ao agressor, e não ao que se defendeu. E se essa situação chegar, você estará com a atitude mental correta para sobreviver, defendendo-se? Terá os meios?

        Penso que somos, porém, gregários por natureza. Com o tempo, a tendencia é formarmos comunidades, para defesa e auxílio mutuo. Sobreviventes isolados seriam alvo fácil, cedo ou tarde, para bandos errantes.

        Felizmente, isso fica apenas no campo das mais remotas conjecturas. Espero que tenhamos TV à cabo e geladeira cheia para sempre….afinal, como viver em um mundo terrível sem Coca Cola e filmes? Argh.

  • Olavo Borges

    Água: não conte com água da rua direto na torneira, tenha uma caixa d’água que supre suas necessidade de pelo menos três dias, Caixa para aproveitar a água da chuva, um estoque mínimo ( para três dias) de água potável em garrafas pet ou galões.
    Gasolina: Mantenha seu veículo abastecido, é mais prudente.
    Já estive em uma enchente e tive que sair para comprar água potável pagando muito mais caro.
    Como diz o um amigo mineiro: ‘o seguro morreu de velho e o previnido, ainda esta vivo”.
    Sds

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s