A IMPORTÂNCIA DAS COMUNICAÇÕES PARA SOBREVIVENCIALISTAS

A maioria dos preparadores começa investindo seu dinheiro em armas, munição e comida, e eles estão certos. Porém notei que muitos preparadores parecem se concentrar nesses recursos e deixam de desenvolver um dos conjuntos de habilidades e equipamentos mais importantes e muito disponíveis: as comunicações.

Embora as pessoas tendam a acreditar que nenhum homem é uma ilha, parece que esquecemos esse princípio quando se trata de preparativos para desastres. Se você planeja apenas se agachar e esperar alguma coisa, você terá zero fluxo de informações, a menos que tenha algum tipo de plano de comunicação com o equipamento necessário para realizá-lo.

Isso não quer dizer que você precisa construir um extenso sistema de comunicação, mas você precisa levar a comunicação a sério.

A comunicação em uma crise é crítica

Tentar sobreviver após um desastre é como tentar atravessar uma ponte em uma noite nublada sem uma lanterna. Está escuro como breu e você não pode ver nada. Dê um passo errado, e pode haver consequências graves.

Você sabe que a consequência é morte certa se você cair, mas você ainda precisa atravessar a ponte e continua andando, esperando chegar do outro lado em relativa segurança.

É com esse paralelo que explico porque a comunicação é importante.

Uma das primeiras perguntas que uma vítima de um desastre tende a ter logo após é “onde está minha família?” Esta é a necessidade mais urgente das pessoas logo após uma situação extrema. As pessoas precisam saber que seus entes queridos estão seguros.

A ausência desse conhecimento é uma tortura mental. A comunicação em uma crise é vital.

Você já ouviu falar da Carga da Brigada Ligeira?

Enquanto os britânicos e os russos lutavam entre si, Lord Lucan foi informado de que precisava atacar uma posição de artilharia russa. O plano provavelmente teria saído sem problemas; no entanto, Lord Lucan não conseguia se comunicar efetivamente com seus superiores britânicos. Ele pensou que deveria mandar seus homens direto para os barris da artilharia.

E assim, foi o que eles fizeram. Todos os membros da Brigada Ligeira morreram como resultado. O plano não era atacar diretamente o corpo principal da artilharia russa; no entanto, era isso que Lucan pensava que deveria fazer. Lucan pagou por esse erro com sua vida e a vida de seus homens – tudo por falta de comunicação adequada.

É por isso que a comunicação é tão importante em uma crise. Você tem um plano para onde sua família se reunirá em caso de desastre? Você tem o equipamento de rádio necessário para se comunicar a distâncias significativas com outras pessoas em sua região? Você pode coletar informações de longa distância via rádio?

Estas são todas as questões que um Sobrevivencialista deve considerar.

Comunicações = Conhecimento

Se imagine em um cenário de guerra civil. Você e um pequeno grupo de outros estão fazendo o que podem para sobreviver, e isso significa evitar o contato com grandes grupos o máximo possível. Basta uma curva errada na rua e você pode facilmente se encontrar cara a cara com um pelotão de homens hostis com suas armas apontadas para você.

O que você precisa é de informação, e você precisa dela desesperadamente. Informação é poder. É o que permite saber onde é seguro ir, onde não é, quando ir e quando ficar.

Durante a Segunda Guerra Mundial, soldados australianos se encontraram atrás das linhas inimigas na ilha de Timor ocupada pelos japoneses. Se esses homens tivessem alguma chance de sobreviver à luta, eles precisavam saber onde os japoneses estavam, quando eles estariam lá, quais eram seus números e muito mais.

E então, o que eles fizeram? Eles construíram um rádio.

A informação importa. Dá-lhe a capacidade de tomar decisões sábias e seguras. Você tem os meios para coletar essas informações após um desastre?

Capacidade de ajudar os outros

Desastres são perigosos e podem acontecer de repente. As pessoas se machucam, bebês nascem, pessoas ficam sem remédios e comida e algumas dessas pessoas podem ser aquelas com quem você se importa profundamente. Você será capaz de obter o que eles precisam? E a sua comunidade em geral? Você será capaz de resgatar outras pessoas dentro de sua comunidade?

Durante o furacão Katrina, a maior parte dos estados da Costa do Golfo foram inundados. As pessoas ficaram presas em seus sótãos quando o aumento do nível da água as forçou a procurar abrigo no único lugar que puderam encontrar. Então a Marinha entrou em cena. Usando rádio amador, esses homens foram capazes de se posicionar e coordenar um plano de resgate coeso para seus compatriotas, amigos e vizinhos.

Seu conjunto de habilidades e equipamentos de comunicação lhes darão a capacidade de ajudar os outros após o desastre.

A capacidade de se comunicar com o resgate será necessária

Em algum momento, você provavelmente precisará de ajuda, especialmente após o desastre. Considere o caso de um homem do Oregon de 62 anos. Depois de sair em uma caminhada e cair, ele acabou ferido.

Mas ele tinha seu rádio amador. Ele foi capaz de usar um rádio amador de baixa voltagem para enviar um sinal de código Morse para obter ajuda. Essa mensagem foi captada por um homem de Bozeman, Montana, que foi capaz de usar as informações recebidas para enviar socorristas no caminho.

Uma das primeiras coisas a ficarem indisponíveis é a rede de telefonia. Após um desastre, seu rádio é sua conexão.

Capacidade de criar estratégias com os outros

A menos que você tenha algum meio de comunicação, você estará funcionando como uma “ilha” pós-desastre. Há segurança nos números, e isso é mais importante do que nunca quando você está vivendo em uma situação inerentemente perigosa.

Mas como você vai se conectar com os outros ao seu redor se você não tem algum sistema de comunicação?

Durante o genocídio ruandês do início dos anos 90, as mulheres tutsis eram o alvo favorito dos hutus. Estupro e assassinato eram desenfreados. Grande parte de Ruanda é composta por pequenas aldeias e cabanas escondidas na selva. Embora as pessoas vivessem em relativa proximidade umas das outras, elas ainda estavam separadas – e não havia telefones celulares.

Apesar disso, os tutsis desenvolveram um plano de comunicação. Se uma mulher fosse atacada no meio da noite pelos hutus, ela soltava um tipo muito peculiar de grito/gemido que havia sido decidido de antemão.

Qualquer um por perto que ouvisse o barulho também o repetia, gritando a plenos pulmões. Isso criou uma reação em cadeia de pessoas na área que seriam notificadas de um possível estupro, trazido em grande número, e avisariam a vítima que a ajuda estava a caminho.

Nenhum equipamento de rádio era necessário, mas o planejamento sim. Após o evento, você será capaz de criar estratégias com outras pessoas para manter suas famílias seguras? Você já pensou sobre isso?

Pessoalmente, acho que uma ótima alternativa para gritar seria uma pequena coleção de assobios. Você pode facilmente comprar alguns apitos de emergência, eles são uma preparação fácil de manter à mão.

No extremo oposto, pode ser igualmente valioso ter sistemas de comunicação silenciosos para uso quando/se for necessário.

A comunicação torna você valioso

A última razão pela qual você precisa priorizar a capacidade de utilizar as comunicações: você se torna valioso para aqueles ao seu redor. Ninguém quer ser mais uma boca vazia para alimentar. Digamos que você acabe ferido o desastre. Você ainda será capaz de contribuir para sua casa de alguma forma, ou ficará de cama? Se você tiver habilidades de comunicação, ainda poderá ser um benefício para sua família em tal situação.

Se você tem habilidades de comunicação, pode provar que tem valor. Se as torres de celular caírem – por qualquer motivo – você ainda se tornará um ativo muito valioso que alguém vai querer do seu lado.

Por quê? Porque as pessoas entendem inerentemente a importância de informações que salvam vidas após um desastre.

Comunicação é a chave

A comunicação adequada é importante o suficiente durante os tempos normais, mas após um desastre, se você não conseguir se comunicar com outras pessoas ao seu redor, as coisas poderão ficar pior do que já estavam.

Não caia na armadilha de pensar que toda a sua comunicação também precisa ser feita por meio de equipamentos de rádio. Existem meios de comunicação silenciosos também, e valeria a pena explorá-los. Simples feixes de luz funcionam, dependendo da situação, como uma forma de se comunicar.

Quais são seus pensamentos sobre? Você tem outros conselhos sobre como desenvolver um plano de comunicação para compartilhar? Existem outras razões pelas quais você pode pensar que os preparadores precisam desenvolver um plano e habilidades de comunicação? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!

Texto traduzido e adaptado do site: SHTF Blog.

3 Comentários

  • Ótimo conteúdo.
    Lembrando que o radioamadorismo têm muitas vertentes.
    Umas delas é o SOTA (Montanhas no ar) resumindo e o radiomador que sobe montanhas levando um equipamento compacto com objetivo de fechar o maior numero de contatos a longa distância.
    Treinamento na minha visão muito util em uma situação de emergência se você buscar abrigo no alto de uma montanha poder buscar ajuda atráves do radio.
    O site do SOTA Brasil: http://sotabrasil.com.br
    Rodrigo PU2RFK, 73

  • Mayckel Antunes

    Realmente, só daremos a importância devida, quando não tivermos mais as comunicações tradicionais.
    Posso contribuir com alguns outros exemplos de comunicação, certa vez visitei uma fazenda onde não tinha sinal de celular, a não ser na sede da fazenda por uma antena externa conectada no aparelho celular, eles desenvolveram um sistema onde tinha um sino pequeno (tipo os de igreja) e o tocavam para chamar alguém que estava na lavoura.
    Outro exemplo de comunicação é a visual através de sinalizadores, seja com fumaça colorida, os famosos “busca-pés” que sobem com um assovio alto, tipos de fogos de artifício (muito usados em favelas, infelizmente para o mal).
    E por último mas não menos importante, um simples radinho a pilha, sim esse mesmo, você não vai poder enviar nada por ele, mas vai obter muita informação pertinente á situação do evento, como: resgate sendo enviado, equipes de buscas, se vai continuar aquela situação climática ou vai melhorar e o melhor de tudo é que esse tipo de rádio é barato, pequeno, fácil de adquirir e transportar e consome pouca pilha.
    Espero ter contribuído com o assunto, abraços sobrevivencialistas!!!

    • GREGORIO Souza

      E qual modelo vcs que conhecem podem indicar, um com custo benefício bom, e de fácil operação para quem não tem conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s