Quando a independência se tornou ilegal?

A alguns anos, comecei realmente a notar uma tendência crescente. No início, era uma notícia aqui ou ali, geralmente falando de algum lugar distante. As notícias eram perturbadoras, é claro, pessoas sendo forçadas a fazer isso ou aquilo por violar alguma regra contra o que eles podiam fazer em suas terras.

Então, eu ouvi a história de uma senhora no Canadá que teve suas ovelhas abatidas pelas autoridades. Elas tiveram que ser mortas para serem testadas para doenças. Deixe-me repetir: os animais tiveram que ser mortos para fazer o teste de doenças. Nenhum deles estava infectado, mas todo o rebanho foi morto. Seu rebanho inteiro, eliminado. Compensação? Zero. Na verdade, ela tem milhares em honorários advocatícios para pagar, além de todas as suas despesas normais de vida. Recuperar um rebanho de ovelhas da mesma raça está fora de questão neste momento (anos depois).

Eu cresci no Alasca. Você ainda pode comprar terras aqui que não fazem parte de nenhum município e isso significa que você realmente possui a terra. Sem impostos, sem restrições (além das regulamentações estaduais de segurança e saneamento) e ninguém para lhe dizer “Você não pode fazer isso em sua propriedade!” Crescendo, pensei que todos os lugares eram assim. Esse era o meu normal. Imagine o meu horror, saber que as pessoas podiam tirar suas terras por não pagarem impostos ou porque o município decidiu que queria construir uma nova estrada bem onde fica sua casa. Você não tem direitos, nenhuma autoridade. Você é responsável, mas não tem autoridade contra entidades governamentais (locais ou não).

Agora estou vendo pessoas que estão sendo expulsas de suas casas por motivos esdrúxulos. Eu li sobre pessoas que têm sua própria rede elétrica com água, esgoto e eletricidade sendo forçadas a se conectar à rede. Vejo pessoas que estão sendo informadas de que devem remover um lago de sua propriedade por causa de uma nova lei (não importa que o lago já existisse há mais de 100 anos, com peixes e animais selvagens dependendo dele). Ah, e eles tiveram que pagar pela remoção também.

É como se houvesse uma guerra total contra viver de forma independente da rede. É quase como se você fosse um criminoso porque não precisa do que o governo oferece. Você não precisa da energia da companhia elétrica, você tem a sua própria, e você é um criminoso por isso. Recentemente, aqui na minha ilha natal, a concessionária local decidiu que todos devem pagar as taxas de água, mesmo que não haja ninguém morando no domicílio. O que isso significa é que se você tem uma casa de férias ou um duplex e ninguém mora lá ou usa a água, você ainda tem que pagar. E há pouco que se possa fazer a respeito desse roubo “legal”.

“Se não estamos sendo ensinados a cultivar nossa própria comida, como cuidar de nós mesmos e de nossas famílias e como viver sem a necessidade de grandes governos, bancos ou corporações – como nossos ancestrais fizeram – então não estamos sendo educados; estamos sendo doutrinados a ser dependentes e subservientes ao sistema.”

~ Gavin Nascimento.

Claro, além de tudo isso, há a exigência de licenciamento para tudo, desde casamento até caça, pesca e uso dos parques nacionais reservados para nosso uso. E embora tenhamos “o direito de portar armas e nos defender daqueles que nos fariam mal”, temos que conseguir efetivamente permissão e passar por obstáculos do governo para fazê-lo. As leis ficam cada vez mais rígidas para os cidadãos de bem, tornando mais difícil para nós exercermos o nosso direito enquanto os criminosos estão lá, contornando toda a burocracia e ainda obtendo quantas armas quiserem. A única coisa que vai impedir um bandido com uma arma é um mocinho com uma arma, e essa é uma verdade comprovada pelo tempo.

Há invasões em casas por cultivo de alimentos e criação de gado. Lembro-me de um artigo sobre um casal que comprou equipamento de cultivo para uma instalação hidropônica interna e foi invadido pela polícia. Acreditava-se que eles estavam cultivando maconha. As acusações nunca foram feitas porque nada foi encontrado. As folhas encontradas e testadas em seu lixo, em três ocasiões distintas, foram consideradas folhas de chá, não cannabis.

Houve um tempo neste país em que o mesmo governo não apenas encorajava a criação de galinhas e uma horta, como você era considerado patriota por isso! Oh, como os tempos mudaram. Agora, você tem que realizar proezas de paciência super-humana e habilidades para preencher papelada apenas para obter o rótulo orgânico para colocar nos alimentos que você pode vender de sua chácara ao público. O governo está perfeitamente bem com todos esses sprays químicos e pós colocados em nossa comida à medida que ela cresce, mas você tem que passar por coisas malucas para provar que não está usando nenhum. O sistema está completamente invertido.

O mundo está com tanta raiva agora, ou talvez eu apenas esteja mais ciente disso devido às redes sociais e às informações instantâneas. De muitas maneiras, as informações instantâneas diminuíram o valor do conhecimento. É tão fácil simplesmente pesquisar algo, que comprometer qualquer coisa na memória não é feito da mesma maneira.

Eu costumava memorizar dezenas de números de telefone quando era criança. Atualmente basta abrir o smartphone e tocar na imagem! O conhecimento não é mais obtido, portanto, seu valor diminuiu. Agora, isso não quer dizer que a internet e as mídias sociais não tenham tido influências positivas, aprendi diversas coisas por causa de vídeos e artigos online! Aprendi muito e não teria tido o sucesso que tive quando comecei se não fosse por isso.

O desejo de ficar longe das cidades, trabalhar a terra e se sustentar está sob ataque. Nem todo mundo pode simplesmente se mudar para o campo e viver a vida que realmente deseja. Atualmente sou um deles (estou trabalhando nisso!).

Conclusão

Esse relato apesar de ser uma tradução e conta acontecimentos de outros países, não ache que a corda também não está apertando em volta do nosso pescoço. Basta olhar em volta, se coisas assim ocorrem nos USA que ironicamente carrega a alcunha de “Terra da liberdade”, imagina o que pode acontecer aqui em nosso Brasil Tupiniquim. Veja só os acontecimentos do inicio desse mês.

Texto traduzido e adaptado do site: Homestead Dreamer.

16 Comentários

  • Existem duas coisas que devem estar sempre sob vigilância e terem os limites bem definidos: é a ação do Estado e a vontade e desejos dos indivíduos. Baseado nesta premissa, sou muito cético com um maniqueísmo do tipo “Estado mauzão x indíviduo sobrevivencialista do bem “. Viver em sociedade implica em saber limitar nossos desejos para que o bem comum possa acontecer. Este é o contrato social. Daí o conceito de cidadão. Logo, mesmo que um sobrevivencialista queira viver em uma comunidade/sociedade/cidade de sobrevivencialistas ele terá que se adequar a determinados normativos.

    Caso não queira viver em sociedade poderá se afastar o máximo possível dela, porém não poderá exigir o aproveitamento das benesses que a vida em grupo traz como por exemplo: melhor, maior e diferente produção de alimentos, construções, objetos em geral, remédios, vestuário, conhecimento etc.

    Ademais, não é todo o indivíduo que possui uma moral virtuosa, responsável e tendente à lei e a ordem. Basta lembrar de vizinhos que escutam som alto, que traficam drogas no apartamento ou na chácara ao lado da sua, de festas, dentro outros inúmeros exemplos. Este são pequenos momentos que um indivíduo passa a não pensar mais no bem comum, mas em subjugar outros indivíduos. Por isto, este tipo de individualismo exarcebado expresso no texto é equivocado no meu entender. Existem determinados normativos, justamente, para que possa dificultar a ação nefasta de indivíduos picaretas em geral ou mesmo para os indivíduos virtuosos que porventura sucumbam a certas tentações.

    PS.: A título de exemplo para a reflexão, imagine um indivíduo sobrevivencialista que venda alimentos orgânicos, porém suas instalações estão contaminadas e descobre-se posteriormente que não tinham nada de orgânicos. Afinal, não havia fiscalização ou monitoramento para atestar esta produção, somente a palavra do “sobrevivencialista agricultor do bem “.

    Temos o nosso apartamento ou chácara. Neste produzimos bens e serviços úteis à sociedade. Entretanto, o vizinho usa a chácara como laboratório de produção de drogas e o apartamento como prostíbulo. A sociedade/comunidade por meio do Estado não deveria prendè-lo e desalojá-lo? Ou porque a residência é dele, tudo é permitido (desde que não atrapalhe você com som alto)?

    Por fim, também gosto da filosofia sobrevivencialista, mas a velha e boa prudência, sempre nos alerta, a tomar cuidado com o que desejamos. Nossos sonhos podem se tornar pesadelos rapidamente. Discussões sobre os limites do Estados sempre existirão, mas querer a inexistência deste ou torná-lo enfraquecido pode gerar mais problemas que soluções. Basta lembrar da cracolândia, de regiões dominadas por narcotraficantes, colapsadas por guerras (os textos traduzidos do Selco são muito bons para vermos o que é um Estado colapsado por uma guerra). Além disto, volto a insistir, existem indivíduos sobrevivencialistas que não são nada do bem.

  • Quanto maior o Estado menor a Liberdade, o estado utiliza do aparato que tem e usa de todas as formas mais imorais para impor poder sobre as pessoas, infelizmente isso só tende a piorar.

  • Daniel Vent

    Contratualismo. Quando o homem decide viver em sociedade ele assina um contrato social. O contrato consiste em restrições impostas a fim de tornar possível a convivência (não matar, não roubar, etc).
    Não há sociedade sem contrato social. Não há sociedade que goze de liberdades plenas.

    • Contrato implica aceitação explícita, geralmente através de assinatura. Se não assinei, não existe.

      Te faça um favor, deixe seus delírios socialistas de lado. De nada vai adiantar você criar um objeto para atrelar responsabilidade sem que o mesmo exista.

      Liberdade em si própria já tem limites (diferente de libertinagem, que é provavelmente ao que você se refere).

      • Máxima vênia, mas o contratualismo não é socialismo. São duas filosofias políticas bem diferentes. Grosso modo, o socialismo passa por um governo centralizado. O contratualismo não necessariamente precisa de um governo centralizado. O contratualismo aqui mencionado não implica em assinatura como se fosse um contrato comercial firmado entre as partes. O contratualismo (com suas inúmeras formas) é baseado na própria natureza de convívio uns com os outros que implica em limitações na nossa liberdade individual. Nenhum indivíduo é uma ilha isolada ou um soberano que pode fazer tudo conforme os seus desejos e vontade, salvo se realmente se isolar completamente do convívio social. Deste modo, a própria liberdade corretamente entendida e vivida também é fruto de um aprendizado que temos ao nos relacionarmos uns com os outros. Ou seja, nossa aprimoramento moral passa pelo que aprendemos com nossas experiências individuas e coletivas em diversos lugares: família, igreja, escola, cursos, esportes, faculdade, fóruns de internet, grupos sobrevivencialistas etc. É a partir daí que vamos moldando a nossa noção de liberdade.

      • Daniel Vent

        olha amigo, não sei de onde você tirou esse delírio por socialismo, visto que em nenhum momento eu citei isso. Completando o que o @Adriano falou perfeitamente, o contratualismo passa longe de ser alguma teoria socialista, visto que ele nasce do liberalismo.
        Além disso, essa teoria do contratualismo aplicado a *liberdade* nasce com Stuart Mill, o chamado Utilitarismo, membro do parlamento Britânico no século XIX, leia sobre ele 🙂
        Em segundo plano, você disse que liberdade em si própria ja tem limites, foi justamente o que eu disse mas dito, por voce, com palavras leigas e com o mínimo de aprofundamento.
        Completando, amigo, para indicar algo para alguém faça o mínimo: leia os textos bases, ninguém falou sobre libertinagem, uma rápida procura no google você encontra sobre o que se trata. Até porque alguém falar que o contratualismo exige a assinatura de um contrato é no mínimo cômico/extremamente ignorante no assunto.
        Até poderia te ajudar a compreender mais sobre esse assunto, mas só se você te faça um favor: deixe esse delírio a procura de socialismo (onde não existe) de lado…

  • Infelizmente o ser humano é o único animal que mesmo tendo todos os recursos necessários para viver e sobreviver, se destrói e só próximo.

  • Lucas Guilherme de Souza Lehnen

    Basicamente qualquer governo age como quadrilha e uma comunidade desorganizada , desunida e fraca é um prato cheio para dependência e politicagem.

  • É importante lembrar quem empurra essas leis no mundo todo e quando começaram a ser implementadas. Políticos obedecem grandes corporações que bancam suas vidas fáceis e lobbistas. O neoliberalismo é isso. Totalidade para Monsanto-Bayer, Google, sua empresa de energia e água, bem privadas por sinal e nada para o cidadão comum.

  • Oton Oliveira

    Todo Estado é socialista de fato,sempre vamos estar presos a duas visões de mundo,Não importa se for liberal ou socialista o estado sobrevive aprisionado as pessoas de forma lenta e gradual em um sistema de dependência,criando dificuldades e vendendo facilidades.as vezes tentamos nos libertar e esbarramos com leis absurdas que muitos acham que o estado faz pra nos proteger,ledo engano.ma minha infacia todos criavam galinhas,porcos e outos bichos e a horta orgânica com esterco da carroça que entregava o pão,água poço,etc.o tal de politicamente correto e as luvinhas da Ana Maria nem existiam,’ninguém morreu’, isso era sobrevivencialismo,os vizinhos trocavam entre si os itens da produção caseira. hoje tentem criar alguma coisa no quintal ,em 2 dias até a vigilancia sanitária da NASA vai te visitar.

  • Bom dia meus caros, eu estou proprietário de um terreno de 3,4hectares em três Marias Mg
    E me sinto muito desmotivado a investir lá pelo fato de não possuirmos uma legislação segura .e eu sempre questionei o fato de que pra vc ter um sistema foto votaico em sua residência teria que estar atrelado a rede de distribuição do estado e continuar a pagar a taxa mínima de fornecimento .

    • Tem um sistema que estou pesquisando, pois vou colocar em minha cabana. São as placas, que carregam baterias e essas distribuem a energia aos cômodos. Ja pro chuveiro, colocarei sistema de serpentina.
      Vale muito a pena.

      • Sugiro que pesquise sobre o assunto, pois conversando com especialistas em energia solar pois queria instalar um sistema assim num lugar onde nao chega energia ele falou que as baterias atuais são bem complicadas, pois são caras, porém não são confiáveis, necessitam substituição sem previsão, podendo ser daqui 1 ano ou 3 anos, o que torna o sistema bem caro. Essa é a opinião dele. Não sei se procede, mas vale a pena pesquisar sobre o assunto. Ele disse que na China ja têm baterias boas mais confiáveis, mas que essa tecnologia ainda não é acessível para nós.

  • Thiago Nunes

    Viver uma vida simples já foi mais simples…….

  • Giovana Salgado

    Importantíssimo ressaltar essa questão, nos envolvemos no dia a dia e acaba passando despercebido… Temos que nos unir e fazer o que pudermos.

  • I wont comply

    Tambem venho percebendo a mesma coisa. Sou brasileiro, jah morei nos EUA e hoje moro na Alemanha. Quando eu era solteiro nao me ligava com essas coisas. Eu estava doutrinado por essa sociedade. Nao queria ter casa propria. Minha logica era pagar aluguel, pegar minhas reservas, que deveriam ser usadas para comprar uma casa, e investia em acoes do mercado financeiro, pior ainda, em mini indice e opcoes, mais arriscado ainda. Adorava comprar na Amazon, ficava ansioso se o produto nao chegasse em um dia. Eh isso que o sistema quer, que voce seja um zumbi, um escravo, um subserviente. Gracas a Deus eu acordei dessa ilusao e estou me livrando desse mal, aos poucos, com muita oracao e fe. Atualmente ainda temos o direito a nossa terra mais isso sera tirado um dia. Como o texto fala, aos poucos a sociedade vai mudando e vamos perdendo nossos direitos. Vai chegar o dia que perdermos ate o direito da terra. Eh por isso que ser sobrevivencialista eh importante, para se proteger e lutar contra esse mal, o maximo que pudermos. Otimo texto. Que ele sirva para iluminar a cabeca de muitos mais.

Deixe uma resposta para Daniel Vent Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s