“Código do Lobo”: Minhas regras de conduta para a vida

Em uma sociedade cada vez mais avessa a palavras como “disciplina” e “autoridade” é muito fácil se perder por simplesmente não sabermos para que lado ir. Hoje o certo e o errado estão relativizados, os valores estão confusos e isso naturalmente pode deixar muitos em completa confusão.

E por mais que a tendência seja lutar por liberdade e direitos iguais, muitos parecem não compreender de fato pelo que lutam e os efeitos desses esforços mal direcionados estão causando mudanças preocupantes no tecido social.

Por essas e outras que muitos – assim como eu – estão formulando seus códigos de conduta, um conjunto de regras para que possamos nos manter no caminho do aperfeiçoamento e da bondade.

Decidi compartilhar as minhas visões aqui na tentativa de ajudá-lo a criar o seu próprio rumo. Espero que seja de bom uso.

Para acompanhar a dinâmica do vídeo recomendo que vejam o Código escrito aqui.

CÓDIGO DO LOBO

  • Em sua fala: Seja exato, seja claro e não dê rodeios desnecessários.
  • Nas suas relações: Seja confiável e honesto. Mantenha sua palavra. Contratos não mudam caráter, omissões destroem relações. Lidere pelo exemplo.
  • Em sua família: Dê atenção, não somente presença. Defenda sua família. Preze pela união, sempre.
  • Em seus conflitos: Respeite seus oponentes. Esteja preparado para fazer o que é certo mesmo que ninguém entenda e que lhe cause prejuízo. Peça desculpas quando perceber que errou.
  • Em seu trabalho: Dedique-se em tudo o que se propõe a fazer. Aprimore as suas técnicas constantemente, você nunca saberá de tudo. Desafie suas habilidades sempre que possível.
  • Consigo: Não finja. Não se engane. Confronte os fatos, até mesmo os que incomodam e faça isso de forma direta e sincera.
  • Em suas dificuldades: Saiba que você não é perfeito, e nunca será. Lute para minimizar suas falhas. Em seu último dia, tenha certeza de que você fez o que pode para ser um ser humano melhor.
  • Na sua morte: Não seja como aqueles que morrem com seus corações cheios de medo, chorando em desespero. Quando o tempo vier, aceite seu caminho, seu destino e sua mortalidade. Vá em paz. Vá para casa.

Enfim, sei que o Sobrevivencialismo é mais voltado para instruções práticas, mas talvez esse tipo de reflexão seja importante para ampliarmos a nossa atuação não só para nos prepararmos, mas também para nos tornarmos pessoas melhores.

Até.