Abrigo secundário comunitário: Conceito e apresentação – Parte 1

Certo tempo atrás pude mostrar à vocês a BoL (Bug out location ou Abrigo Secundário) de minha família. Conforme o GSE de meu estado começou a se solidificar, percebemos a viabilidade de um projeto diferente… Um abrigo secundário comunitário.

Região onde o abrigo estará
Paisagem na região do abrigo

Admito que será um grande desafio! Trabalhar em grupo é algo bastante complicado e, para dificultar um pouco mais, escolhemos um local distante, sem estradas ou trilhas e sem nenhuma infra estrutura prévia. Isso quer dizer que o local todo será “colonizado” a partir do ponto zero, objetivando tornar-se minimante sustentável em caso de necessidade de uso.

Já havia dado esta pequena prévia à vocês em um post anterior sobre o assunto (veja-o aqui). Vou colar aqui parte do que havia escrito lá:

“Após vários anos acampando em uma determinada fazenda, consegui a permissão para utilizar o topo de um dos morros do local (que não tem serventia nenhuma para o proprietário) para criar minha BoL “terciária”.

Não há estradas marcadas até lá, não há registros sobre o local e o dono sabe somente que faremos uma estrutura semi permanente para acampar com mais conforto. Já fiz a análise do terreno e ele propicia potencial para o estabelecimento de uma infraestrutura bastante sustentável.”

Pensamos bastante sobre o local e decidimos fazer esta construção em conjunto com os colegas do GSE para que pudéssemos ter maior amplitude de ação. Enfatizo que tudo o que escrevo aqui ainda está sendo amadurecido, mas o projeto já avançou consideravelmente em termos de planejamento.

Antes de continuar, mostro aqui o vídeo onde explico um pouco mais sobre o que é este abrigo e também apresento o local de forma mais detalhada à todos vocês:

Além de um possível abrigo futuro, este local será uma espécie de campo de testes. Nele vamos aprender a trabalhar melhor com o conceito de sustentabilidade e experimentar diversas técnicas e tecnologias que possam nos auxiliar na empreitada.

Entre as diversas ideias, temos algumas que já estão mais sólidas e que serão realizadas assim que possível. Estas são:

  • Delineamento de três perímetros de segurança utilizando recursos como cercas vivas e afins;
  • Estabelecimento de um pomar/jardim/horta sobrevivencialista (como dito em vídeo);
  • Investimento em elementos de produção de energia eólica ou solar (em processo de avaliação);
  • Construção de abrigo semi permanente utilizando técnicas sustentáveis como a earthbag, earthship ou semellhantes;
  • Controle e verificação da criação de peixes.

Estamos completamente abertos a sugestões do que podemos construir e experimentar neste local. Lembre-se também que infelizmente o dinheiro é fator limitador então temos de recorrer a alternativas de menor custo.

Espero que tenham gostado do projeto e aguardo ideias e opiniões de vocês, que com certeza vão ir nos ajudando a construir esse projeto.