Quanta comida pode-se produzir em espaço urbano?

Uma das grandes questões que giram em torno do sonho da autossuficiência é como produzir comida em espaços confinados. Infelizmente como nem todo mundo pode morar em um sítio ou ter um terreno grande, a maioria de nós tem de se virar em espaços bastante apertados no meio da selva de pedra.

Isso geralmente causa desânimo e as pessoas simplesmente desistem da ideia de que podem produzir algum alimento em casa, acham que é completamente inviável e preferem continuar indo ao mercado. Hoje, vou mostrar alguns contra argumentos.

Fato é que estamos acostumados com o modelo de produção rural, onde temos extensas zonas de terra para cultivar e espaço sobrando para quaisquer que sejam as culturas que vamos plantar. Isso nos dá a sensação de impotência ao olhar para um mísero quintal urbano, onde mal temos espaço para pendurar as roupas.

Lhes convido a ter uma ótica diferente, mais compacta, mais eficiente… Diria até mesmo que “mais japonesa”. Os japoneses vêm produzindo alimentos em suas casas durante toda a história, a maioria morando em cubículos do tamanho da sala da sua casa. A questão é pensar em eficiência e utilizar as técnicas modernas que estão disponíveis a qualquer um para conseguir resultados animadores.

Como vocês sabem, estou fazendo um teste em pequena escala da horta hidropônica, onde criei quatro dutos que me dão produção de até trinta e dois pés de alface. Vejam só como elas já estão atualmente:

1379879_645564598811808_1118029117_n
Pés com cerca de vinte dias após germinação

Estão crescendo cada dia mais e provando para mim que é possível sim produzir alguma comida em casa. Claro que ninguém sobrevive comendo só alface, mas o ponto não é esse. O ponto é provar que é possível!

Eu tenho mais outras duas paredes em casa que podem me render espaço para mais cerca de duzentos pés! Se eu manter a produção constante com certeza a salada de casa estaria garantida… Provavelmente até a de outros familiares meus. Devo lembrar que a hidroponia é quase que livre de mão de obra, tudo o que eu preciso fazer é trocar a água de duas em duas semanas.

Enfim, algo que aprendi é que antes de pensarmos em produzir toneladas de comida, temos que começar devagar, criando um canteirinho, aprendendo a cultivar e a lidar com pragas. Não adianta ir com sede ao pote pois ou você erra e desiste, ou o objetivo parece tão impossível que você nem começa.

Plantar não é só um conhecimento chave para sobrevivência e também não é apenas uma necessidade… É também um hobby e uma arte. Cada vez você vai ficando melhor em plantar pés bonitos e saudáveis.

Se você acha que esse é o máximo a ser alcançado, você se engana miseravelmente. Vou postar aqui um pequeno vídeo que achei na internet que me deixou inspirado. Apesar de estar em inglês, se você não souber a língua vá vendo as imagens do quintal da família e continue lendo este post que explicarei melhor:

Esta família acima consegue produzir 2.800kg de comida anualmente em um espaço de 360m²! Para facilitar, imagine que eles consigam produzir quase TRÊS TONELADAS anualmente em um terreno de 12 metros X 30 metros.  E tudo isso a quinze minutos do centro da cidade de Los Angeles!

A família da entrevista cultiva:

  • Mais de quatrocentas espécies de plantas, totalizando anualmente 1.950kg de vegetais;
  • 410kg em ovos de galinha;
  • 450kg em ovos de pato;
  • 12kg de mel;
  • Diversas outras frutas que são restritas a uma ou duas estações do ano.

Isso é feito sem o uso de químicos destrutivos e caros associados à indústria alimentícia. Destes quatro mil metros quadrados eles tiram cerca de 90% da comida diária e a família ainda tem uma renda de 20.000 dólares por ano (depois de terem comido o que precisam para se alimentar).

Esta renda extra vêm da venda dos excedentes da comida que são negociados com restaurantes da região. Fato interessante é que pela comida ser natural e livre de agrotóxicos o valor dela é muito maior.

Claro que a família inteira trabalha em função de manter esta produção toda funcionando, este é o trabalho e a vida deles. Independente de você ter ou não tempo integral para se dedicar a esta produção, o ponto que quero provar é que É POSSÍVEL.

Esqueça o cenário ideal onde você compra sua terra e fica feliz para o resto da vida, se ficar esperando todos pré requisitos acontecerem, nunca sairá do ponto de partida. Se você acha importante saber produzir sua própria comida e alimentar sua família com alimentos naturais que você cultivou, basta se organizar e sujar as mãos. Eu estou no caminho, e você?

Até.