Sobrevivencialismo e cidadania

Com essa onda de protestos irrompendo no Brasil, este é um tema que não deve ser ignorado. Como um sobrevivencialista se posiciona em relação a todo esse movimento?

Eu acho que a resposta é óbvia… ele está à frente dele. Ser um sobrevivencialista é muito mais do que fechar-se em casa e ficar cuidando dos seus estoques e equipamentos, é muito mais do que ficar postando frases revoltadas nas redes virtuais e com certeza é muito mais do que torcer para o país entrar em colapso e você se tornar o “rei do mundo”.

Ser sobrevivencialista é ser um indivíduo com pensamento crítico e politicante, é estar antenado com tudo o que acontece e fazer o possível para construir um mundo em que você e seus filhos sintam orgulho de viver…. Quem se esconde na toca (no bunker) é rato, não homem. Claro, se o risco é iminente e sua segurança (e de seus entes queridos) não pode mais ser garantida, recue para seu abrigo e espere a tempestade passar… mas depois, volte para a chuva.

O pior que podemos nos tornar é como aqueles típicos sobrevivencialistas americanos que se importam tanto com seu mundinho interno de preparações que esquecem que se o mundo em volta despencar, inevitavelmente ele cairá junto em algum momento.

Em relação aos protestos em andamento, há bastante discussão sobre possíveis partidos/organizações e afins que estejam por trás de tudo isso para lucrarem de alguma forma, condenando todos que estão nas passeatas como meros instrumentos de manipulação.

Antes de decidir seu posicionamento dentro disso tudo, pense e avalie. Seja um bom observador e analise os vários lados da história, decidindo então o que você acha que vale o esforço de luta. Segue meu vídeo rápido falando sobre o tema:

Cada qual faz o que quer de sua vida, mas saiba que ser sobrevivencialista é ser líder e defensor de direitos.  Espero que tenha me posicionado de forma clara. E vocês, o que acham?

Anúncios

20 comentários

  • Welthon Cunha

    Como você bem disse Júlio… é preciso pensar, refletir e não ficar somente na inércia… Mas, te pergunto, no que deu aquela onda de manifestações pelo país ? O que mudou ? NADA !!! os preços de tudo subiram, os donos do poder continuam no mesmo lugar, e o BBB está aí nas redes sociais…Temos que protestar sim, temos que tentar mudar este país sim, mas de forma consciente, planejada e não apenas ‘seguindo uma multidão como ovelha’, protestar para protestar, para quê ? Falta de planejamento, perda de energia e tempo, ou seja, totalmente contrário aos princípios do sobrevivencialismo… Não adianta mudar o partido A pelo B ou pelo C, se o SISTEMA continua o mesmo… Temos que mudar o SISTEMA, a peça deste teatro chamado BRASIL e não mudar apenas os atores, os políticos…

  • “SIM, mas que as pessoas não vão mais ficar só esperando o governo dar tudo na mãozinha”
    Engraçado Spartan, mas o que mais tem nesse movimento é nenem chorão querendo passe-livre, andar de graça de onibus!

    • Concordo, mas temos de ter em vista que ainda assim é um avanço, levando em conta a nossa cultura de tudovaificarbemdeixaavidamelevar. Já aprenderam a reclamar, agora falta aprender o motivo justo da reclamação!Kkkkkkkk!

      • Continuo discordando do seu raciocínio. O que muito estudante tá querendo, incluindo os da classe média, é andar de ônibus de graça. O passe livre só é possível de duas formas: 1) aqueles que continuarem pagando, ou seja, não-estudantes e não-idosos, irão pagar tarifas maiores; 2) o Estado vai subsidiar, com os nossos impostos, os estudantes folgados que querem tarifa-zero.

      • nao existe almoço gratis.

  • Para quem acha que não estamos a merce de um golpe militar, veja o documento http://www.caer.org.br/portal/images/mensagens_capa/mensagem%20clubes%20militares/mensagem_clubes_militares.jpg

  • Visão meio “Polly” dos fatos :
    http://mansueto.wordpress.com/2013/06/21/sobre-os-protestos-no-brasil/

    Visão que eleva as manifestações ao status de “causa nobre”:
    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2013/06/21/protestos-no-brasil-tem-semelhancas-com-outros-ao-redor-do-mundo.htm
    Visão mais politizada:
    http://romanceirodainconfidencia.blogspot.com.br/2013/06/os-protestos-e-falencia-moral-do-brasil.html
    Visão sobrevivencialista:
    http://sobrevivencia.50webs.com/textos.htm#País sem futuro

    Minha visão: AINDA não estamos numa guerra civil ou revolta popular, mesmo com os atos de vandalismo, depredação do patrimônio público, roubos e uso excessivo da força pela polícia( segundo dizem…). Não pelo menos se compararmos com os protestos de Londres, em 2011: em 4 dias, cerca de 3.100 pessoas haviam sido presas, das quais mais de 1.000 foram processadas.4 As detenções, acusações e processos judiciais continuaram, com os tribunais trabalhando horas extras.
    Cinco pessoas morreram e pelo menos 202 pessoas ficaram feridas( destas, 182 eram policiais) como um resultado direto de atos violentos relacionados. Um valor estimado de £200.000.000 (589 milhões de reais) de danos materiais foram incorridos, e a atividade econômica local foi significativamente comprometida.
    Vejam bem eu disse LONDRES. Tudo bem que outras localidades pequenas foram afetadas, mas o movimento concentrava-se na capital.
    No nosso caso, todas as grandes capitais estão envolvidas. Calcula-se o número de participantes em 2 milhões. Não foram divulgados ainda os gastos com danos materiais, mas creio que passam longe dos gastos ingleses.
    O que quero deixar claro aqui é que o apartidarismo, ou antipartidarismo, como querem alguns, as críticas contra a manipulação da mídia e a capacidade incrível de mobilização são sim, do ponto de vista SOBREVIVENCIALISTA, altamente benéficas, uma vez que mostra que as ovelhas podem ser carneiros montanheses (EÉéee, aqueles chifrudos e robustos!!!KKK), mostra também alguns lobos e chacais rondando, que é pra todo mundo ficar ligado de que não é só paz e amor, que a coisa pode evoluir SIM, mas que as pessoas não vão mais ficar só esperando o governo dar tudo na mãozinha, que tem que reclamar, e alto, quando se está insatisfeito. Portanto, caros colegas, não se assustem com o barulho dos fiéis, mas mantenham um olho no padre, e outro na missa, sacaram? Abraços a todos!

  • Não é possível que os ditos sobrevivencialistas do blog não tenham visto a onda de destruição que estas manifestações trouxeram? Olhem quantos saque, roubos e depredações aconteceram! Procurem na internet um vídeo em que um policial gordinho quase morreu linchado! Este blog foi mais realista com as manifestações que aconteceram na Inglaterra. Vide: https://sobrevivencialismo.com/2011/08/12/caos-em-londres-um-lembrete/ Porque serem tão maria-vai-com-os-outros agora? Não é possível que vocês não enxerguem agora (como enxergaram antes) que massas descontroladas podem ser um perigo imenso!

    • Olá Rodrigo,

      Fato que tais acontecimentos ocorreram, mas não chegaram a atingir patrimônios particulares de forma direta. Compreendo plenamente seu ponto de vista, mas a desta vez queríamos abordar um tema bastante esquecido e que nos incomodava muito.

      Digo que nos incomodava pois víamos muitos individualistas que esperam o “apocalipse” para que possam reinar na terra, deixando as mudanças políticas de lado como se não fizessem parte delas.

      Ainda assim, com certeza devemos nos atentar a tais fatos, não há nada pior que uma população motivada ao vandalismo. Ao menos estes atos ainda estão sendo feitos pela minoria.

      Obrigado pela exposição de uma crítica construtiva!

      Abraços.

      • “Fato que tais acontecimentos ocorreram, mas não chegaram a atingir patrimônios particulares de forma direta”
        Cara, na boa, você não anda vendo o noticiário, ou está filtrando o que você quer ver. Em quase todas as capitais com manifestações houve saques a lojas das mais diversas, principalmente em São Paulo e em Porto Alegre e no Rio de Janeiro. Carros particulares estacionados nas ruas foram queimados. Aqui em Goiânia, onde moro, depredaram a TV Serra Dourada, retransmissora do SBT. Procure na internet. E se você for fuçar vai achar mais coisas que eu não citei.

    • Rodrigo,

      Creio que me expressei mal. Quando me referi a patrimonios privados, quis dizer ataques diretos a residencias e saque destas.

      Como sobrevivencialistas, a principal ação agora é a de análise de risco. Talvez tenha subestimado a intensidade das ações depredatórias pois não moro em nenhuma das cidades com eventos violentos, logo, na minha realidade atual, não considero o cenário uma ameaça direta ao meu patrimonio ou a segurança da minha família.

      Creio que se houverem tais ações, teremos sim que manter postura defensiva enquanto os protestos ocorrerem. Imagino que aqueles que estão nas áreas afetadas tenham de verificar o nível de ameaça que o cenário apresenta e decidir quais ações são as mais prudentes a serem tomadas.

      Ainda assim, todo texto deve ter um foco, e o foco que quisemos abordar neste foi sobre a ação de cidadão esperada por um sobrevivencialista. Escrever este texto não exclui o ponto de vista que você está trazendo.

      Abraços.

      • Ok. Assunto encerrado. Mas você bem que poderia fazer um novo post com estas ressalvas que eu apontei. Para informar melhor aos sobrevivenciaistas que lêem este blog.

  • Esse movimento é reflexo das ironias políticas do Brasil. Um movimento de esquerda, que inicia uma manifestação pela gratuidade do transporte público, acaba criando a maior manifestação popular em 20 anos, que foi apropriada pela extrema direita e pelos veículos de comunicação (Globo, Veja, Folha), e usado para desestabilizar o governo. Governo esse, que desde 2002 tem como principal objetivo o fortalecimento da classe média, inclusive fazendo dela o alicerce de sua politica econômica. Sob o PT, a classe média cresceu e ficou mais forte, com poder aquisitivo mais alto e qualidade de vida idem. Agora, essa classe média que eles fomentaram volta-se contra o governo que os alimentou.

    O que fica claro desses “protestos” é que de fato, não se trata de 0,20 centavos. Era uma luta pela alma do brasileiro, e o povo perdeu.
    A direita reacionária pegou o vislumbramento de um povo acostumado a ser o cordeiro conduzido e o usou como massa de manobra. Mas esses cordeiros estão na classe média. São aquelas pessoas que não lembram em quem votaram nas ultimas eleições, e fazem coro pedindo o fim da corrupção, mas continuam com o seu “jeitinho brasileiro” de querer vantagens sobre tudo e todos.

    Enquanto “você”, esta la na manifestação com seu cartaz e sua camera postando foto no instagran ou qualquer merda do tipo, os soldados do neoliberalismo estão puxando as cordinhas que faz seu queixo erguer e baixar, e sua lingua falar coisas que você não entende.
    Em suma, foi o golpe de oportunidade mais bem dado da história do país.

    • Olá Eduardo,

      Concordo contigo nesse ponto. Pode-se ver que o movimento perdeu seu foco e pareciam mais desfiles do que protestos. Porém, além de todo a reflexão política e possíveis manobras por trás dos panos, devemos reconhecer que para quem antes se divertia apenas com novela e futebol, isso já foi um avanço.

      Hoje as pessoas ao menos estão começando a pensar sobre política, coisa que antes não faziam. Pode ser de forma mal informada e deturpada, mas já é um começo.

      No final das contas, nunca sabemos qual o andar da carruagem… então apostamos naquilo que achamos correto. Eu achei correto sair às ruas e apoiar este movimento de despertar do povo, então o fiz.

      Abração.

  • serio alguem espera que uma cidade ou o mundo acabe pra ficar recostruindo tudo isso e um maluco pissicopata nao um sobrevivencialista quem comcorda?

    • Olá Ruan,

      Infelizmente vemos muito disso por aí. Existem pessoas que simplesmente estão loucos para uma crise nos atingir e ele ser “o melhor dos melhores” com suas preparações e técnicas.

      Obviamente isso é tudo muito fantasioso, mas geralmente indivíduos assim estão com a vida toda F$#%@ e gostariam de um atalho para um recomeço com vantagens…rs.

      Abraços.

  • Concordo plenamente com você e o parabenizo por sua lucidez e atitude positiva.
    Minha geração que vivenciou os anos de chumbo, e por isso precisou travar uma batalha duríssima contra a repressão, as prisões de amigos e até o “desaparecimento” de alguns, assiste maravilhada a essa explosão, essa onda movida pela “ira santa” no combate às mazelas que assolam nossa nação.
    Meus filhos saíram às ruas nesses dias e me orgulho muito, porque pela primeira vez eu os vejo falar em política e direitos civis.
    O que me angustia é ver que partidos políticos já estão querendo pegar carona nessas manifestações, com suas bandeiras tentando tremular em meio à multidão, e com propagandas oportunistas na tv. Felizmente o povo está acordado e saberá repudiar esse vil comportamento, a exemplo das bandeiras partidárias que foram derrubadas sumariamente durante as manifestações, principalmente ontem à noite.
    No mais é continuar com as cobranças, não perder o foco e nem permitir que os oportunistas de plantão enfraqueçam a força do movimento.

  • Julio falou bonito, vc e o Batata são as referências no meio sobrivencialista parabéns

  • Julio, parabéns pela sua postura e também pelo texto/vídeo.
    Pertenço a uma geração privilegiada, que viu e viveu grandes momentos históricos no Brasil.
    Vivi no golpe militar da ditadura, que durou “séculos”, a repressão provocada pela mesma, o AI 5, a hiper inflação de 80% ao mês, ao movimento pelas Diretas já.
    Pertenço à geração que fez grandes mudanças sociais, o movimento hippie, da revolução sexual, o feminista, etc e etc.
    Na música Chico Buarque e Geraldo Vandré em plena ditadura passavam mensagens de mudanças e inconformismo em suas letras musicais.
    Depois em plena Democracia vi um Brasil calado diante de praticamente tudo.
    Impostos abusivos, crise na educação e saúde, corrupção, aumento de preços, gastos com a Copa, etc. não são coisas atuais, são históricas… vem de longa data acompanhando o povo brasileiro calado (exceto o último que é mais atual).
    Agora uma explosão de reivindicações e manifestações populares se alastrando cada vez mais pelo Brasil a fora.
    Ontem na cobertura da Rede Globo sobre as manifestações pelo Brasil a fora, cada intervalo comercial era praticamente ocupado por propaganda política do PPS.
    Acho que vale a pena refletir muito sobre os bastidores: a quem está interessando tanto tal movimento? De quem será o lucro: do povo ou de outra “entidade”?
    Aos mais jovens sugiro uma pesquisa sobre o Golpe Militar de 1964.
    Não quero parecer com este texto que sou contrária às reivindicações populares que são legítimas, pertinentes e até tardias.
    Só estou preocupada com os bastidores do movimento, tipo assim: “gato escaldado com medo de água fria”
    Acho que muito a pena observar, refletir, analisar e principalmente participar livre de manipulações.
    Abraços.

    • Fala Teresa!

      Concordo com todas suas palavras. Como disse para o colega em um comentário mais recente, nunca vamos saber qual o real andar da carruagem, então o jeito é fazermos aquilo que achamos correto e construtivo.

      O importante é não nos isentarmos de decisões políticas como se fôssemos “melhores” de alguma forma, fato que venho observado em alguns indivíduos.

      O movimento têm lá suas fraquezas e possíveis segundas intenções, mas no final, é um acordar para o pensamento político… fraco, mas tudo começa devagarzinho.

      Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s