Bug out Kit: Descrição aprofundada

Bug-out Kit é um assunto conhecido pelos americanos. Nascido no período da guerra fria, em meio ao medo de um apocalipse termonuclear palpável para ambas as sociedades, americana e soviética, ambos os governos instituiram nas escolas um sistema de educação baseado na autossuficiência, ao menos por 72 horas, em caso de desastre.

Na época, o governo baseava em 72 horas o tempo que as autoridades levariam para chegar com recursos sufucientes para socorrer uma região americana vitimada por um desastre. Era também muito conhecido os depósitos subterrâneos domésticos onde as familias poderiam dispor de um estoque de comida e abrigo caso a residência ou parte dela fosse destruída. Esse pensamento e educação foi esquecido nas decadas de 80 e 90 mas retornou com forca após o 11 de setembro, sendo que hoje a FEMA (Federal Emergency Management Agency) trata o assunto de desastres muito a sério e disponibiliza em seu site um grande número de informações sobre kits de sobrevivência em diversos cenários de desastre.

O fato é que o kit de 72hs ou Bug-out kit, trata-se de uma mochila contendo uma série de itens que você precisará caso deva abandonar sua casa e a área onde se encontra para procurar local mais propicio à sobrevivência por periodos curtos, médios e longos.

É importante frisar que esse kit deve ser compreensivo porém não haverá possibilidade de levar tudo, pois você nao conseguirá carregar por muito tempo uma carga acima de 30 kg.

Caso não tenha visto, já escrevemos um post mais introdutório sobre o assunto, clique aqui para vê-lo. 

Esse kit deve conter informações sobre suas posses  Tire foto de seus veículos, sua casa, itens de valor e documentos. É possível que você não tenha tempo de carregar todos os documentos de que precisa para provar suas posses, mas caso o desastre seja passageiro ou recuperável, você terá condições de conseguir provar suas posses para fins de seguro ou indenização posterior.

Leve também uma quantidade de dinheiro e se possível jóias  Sim, o ouro foi valioso durante muito tempo e o dinheiro atual funciona na base da confiança. Há uma confianca geral de que o dinheiro em papel tem valor financeiro, mas ela é baseada somente na fé pública. Hoje, em situação de normalidade, você vai ao supermercado e enche o seu veículo com alimentos e dá o que em troca de tantos produtos? Pedaços de papel cujo valor todos atribuem ao dinheiro. Porém em situação de exceção social, não haverá mais a confiança no dinheiro convencional, visto que ele em si desaparecerá por falta de impressão e de um sistema que apoie a confiança nele. Voltará a valer os velhos metais e o sistema de escambo.

Itens necessários são os medicamentos prescritos e de uso contínuo  Medicamentos serão tao valiosos como armas e alimentos, portanto não dispense os anti-bióticos e anti-inflamatórios.
Armas… Em nosso país isso é um problema sério, pois o governo desestimula a venda, posse e porte de armas de fogo e quando se trata deste tema, os problemas aparecem. Mas vale dizer que a legislação vigente ainda permite a posse livre (desde que satisfeitas as condições legais) de armas de fogo. Resta saber entretanto qual escolher. Bem, meu conselho recai sobre as armas de calibre .22LR. Porquê?
1. Porque sua munição é farta, pode-se adquirir cerca de 300 municoes por mês legalmente;
2. Porque muita munição não significa muito peso e volume em seu kit, não sobrecarregando a carga que terá que dividir com outros itens essenciais, além de ser letal até 200 metros.

A escolha da plataforma para disparar esse calibre recai, ao meu ver sobre armas longas. Minha preferência é o Rifle Ruger 10/22, considerado o melhor rifle em calibre .22 LR já construído. Você poderá encontrar mais informações em uma excelente matéria já postada aqui pelo autor DOCRDM (Clique aqui para vê-la).

Abrigo  Manta térmica e/ou saco de dormir assim como uma pequena tenda. É melhor do que uma barraca que acrescentará muito peso e volume ao seu kit.
Mapa de estradas e cidades de sua região  Isso poderá ser útil, mesmo quando você conhece sua região, pois em caso de desastre, se for um terremoto por exemplo haverá ampla mudança na topografia e os sinais rodoviários serão mais uteis do que as referências em solo que você costumava conhecer. Possuir uma bússola e conhecer técnicas de navegação é muito útil, afinal o conhecimento não ocupará lugar algum em seu kit.
Pederneira ou fósforos resistentes à umidade  O fogo sempre foi e sempre será fator de conforto e também útil na preparação de alimentos advindos da caça.

Comida… Bem, aqui irá variar a disposição de cada um. Existem as MRE’s ou Meal Ready to Eat, bem conhecidas do soldado americano e muito vendidas no mercado civil de lá. Aqui o EB está testando uma versão nacional do MRE, e ainda sabe-se pouco desse produto e se estará disponível ao mercado civil. Entretanto já vi bandidos levarem ração fria e ficarem semanas homiziados no interior de matas fechadas… e daí vem a pergunta: Que tipo de alimento constitui essa ração fria? Basicamente os velhos Miojos e toda sorte de macarrões pré-cozidos. Biscoitos e chocolates são bons para o moral e elevam o conforto em situações de pouca disponibilidade de recursos.

Sistema de purificação de água e panelas portáteis  Para fervura de água e preparo de alimentos. Há vários tabletes de purificação de água e filtros de alta performance extremamente portáteis.
Laternas e baterias extras  Recomendo o uso de lanternas de LED, que consomem pouca energia. Entretanto, saiba quanto tempo a sua lanterna dura com um jogo de pilhas. Tenha o número de jogos de bateria o suficiente para durar mais de 72h de escuridão. Isso dará o uso intensivo durante todas as noites no período de uma semana.
Silver Tape e para cord  O paracord  é a linha usada para ligar o paraquedista ao velame (o paraquedas propriamente dito) e pode ser útil em uma infinidade de tarefas, desde a caça à confecção de abrigos provisórios.
Manual contendo informações de primeiros socorros e procedimentos em vários casos de emergências médicas  Manuais de sobrevivência também deverão ser parte importante desse kit.
Um pequeno binóculo, apito e espelho de sinalização  O binóculo pode ser útil para observar um possível socorro, identificar terreno e até problemas ao longe, evitando se aproximar deles.
Facas… – As lâminas são as mais antigas armas inventadas pelo homem e ainda o são para os guerreiros modernos como última ratio. Em situações de desastre recomenda-se uma boa lâmina dobrável (folding) e uma de lâmina fixa.
Uma deve ser usada para fins de defesa e outra para finalidades de corte em geral. Adicione uma pequena pedra de afiar para manter suas lâminas afiadas.
Uma troca de roupas – Meias, roupa íntima, camiseta, jaqueta e se possível calçado. A higiene é importante na manutenção da saúde e do moral.

Os itens aqui discutidos são exemplificativos. Você poderá incluir tantos mais quanto quiser, mas lembre-se que um militar treina para caminhar 20 km carregando 30kg de equipamento. Seu kit deverá estar abaixo desse peso, para poder cobrir mais terreno mais rapidamente. O ideal é dividir o fardo entre as pessoas de sua equipe/família/amigos. Mas alguns dos itens devem estar presentes nos kit individuais de cada um.
O brasileiro em si tende a se sentir seguro adotando o pensamento de que desastres só ocorrem na “casa do vizinho”, e isso se prova desde nossa falta de previsão e provisões para tais possibilidades. Um exemplo disso é a nossa construção civil que não constrói nossos prédios tendo a possibilidade de resistir a cismos.

A pergunta que fica ao final desta matéria é a seguinte: Você possui  uma mochila com os itens mínimos necessários a sua sobrevivência, pronta para ser colocada no carro ou nas costas numa saída de emergência e as pressas de sua casa?

O mais importante é vc preparar sua mente. Uma mente, qualquer arma e qualquer circunstância.

Abraço a todos..

___________________________________________________

Uma pequena introdução sobre o autor deste post, que agora é autor do blog: 

Policial militar a 15 anos, sendo que a maior parte de sua carreira atuou na área de operações especiais. É especializado nas áreas de assalto, sniper, emprego de explosivos, CQB e táticas para confrontos armados em ambiente urbano e emprego de lâminas. Está lotado no 5o BPM na cidade de Londrina-Pr. É Diretor chefe da Sabre Tactical Sul, filial da Sabre Tactical USA.
É instrutor de tiro credenciado na Polícia Federal, além de ser instrutor credenciado pela Sabre Tactical Usa, Sig Sauer Academy e Heckler and Koch International Training Division Usa. 
Já treinou policiais militares, federais e civis além de unidades do EB e atualmente está treinando os novos policiais militares aprovados no ultimo concurso público para o ingresso na PMPR.

Anúncios

32 comentários

  • Pingback: Religiao Pura - Como se preparar para um desastre como o de Mariana?

  • Pingback: Como se preparar contra um desastre como o de Mariana? |

  • Só um detalhe que já li em vários posts aqui… E é bem como uma outra pessoa já comentou, numa situação de crise, shtf, a última coisa que teremos é um policial fiscalizando quem está armado… A arma é importante sim, principalmente no caos. E acho que todos deveriam ter uma em casa. Não é difícil conseguir registro para essas armas e, no caso de desastres, qualquer um poderia levá-la como proteçção.

  • Opa tudo certo ai pessoal?
    Julio vc disse: “O valor varia demais de acordo com cada item que você colocar na mochila. Estou trabalhando para fazer um vídeo explicativo logo logo!”
    este video ja foi feito? por que eu realmente gostaria de saber o preço total do kit que voce montou….
    Vlw cara, e bom dia pra voces

  • Muito bom o texto, eu estou montando 3 KS para finalidades diferentes dentro de uma mesma situação – FORA DE CONTROLE.
    Sou casado, sem filhos, temos 2 veículos, o da esposa que é de uso mais urbano, pra ela trabalhar, fazer compras etc…
    O meu, carro que uso para o trabalho, para ir a propriedade rural da família e pra viagens seja de trabalho ou lazer.
    No carro da esposa, temos um KSD que auxilia ela em caso de crise urbana, e permite que ela se desloque até mim, ou que consiga ficar em segurança por um dia até que eu, ou outra pessoa possa socorre-la onde estiver. Esse Kit tem: Barraca de emergência, medicamentos, alcool gel, papel higienico, curativos de tamanhos diversos, lanterna, pederneira, fosforos, vela, bloco de anotações, caneta, conjunto de costura, barras de cereais, um canivete de resgate, capa de chuva, um jogo de ferramentas multifuncionais, carregador de celular para acendedor do carro, cantil com água e uma reserva de R$ 50,00 para emergências(táxi, guincho, comida).
    Já no meu carro, tenho o mesmo kit do carro da esposa que fica atrás do banco, já no porta malas tem uma mochila com: machadinha com marreta, 20m de corda com capacidade de carga de 150kg, bussola, reservatório para 20litros de água, além da barraca de emergência, tenho mais 10 metros de lona plastica, 5m de arame, sacos de lixo de tamanhos variados, silvertape, durepox, jg de utensilios de cozinha para 2 pessoas, alguns enlatados e miojos, espiriteira, algool gel + algodão, 1 farolete, 1 facão de mato, pá com picareta dobravel, cabo de injeção para carros, um mapa rodoviário do estado de SP, agasalhos, capa de chuva e R$ 200,00 para emergências.
    Estou montando um mochila de fuga para 72 horas pra deixar em casa, e que complete os itens que já tenho no carro. Essa mochila terá itens que cubram a falta dos demais que ficam no carro também, caso no momento da fuga, não possa retirar o outro kit do veículo. Alguns familiares e amigos me tem como “louco” por ter todo esse equipamento e preparo pra uma crise que eles vêm como improvável de ocorrer. Mas toda vez que algo sai de controle, por mais simples que seja, e a pessoa não esteja preparada, ela pede a minha ajuda. Desde arrumar saco de lixo pra festa de aniversário do primo, até mesmo para reparar telhado em sábado a noite de algum amigo, pois não conseguiu achar material para isso, e sabe q sempre estou preparado. Sorte, ou proteção divina, não sei explicar, mas nunca precisei usar esses kits para emergências graves, ou situações de sobrevivência, mas é bom saber que estou preparado para qualquer adversidade. E uma forma de incentivar os amigos a terem seus KS, é não mais prestar socorro quando algo aconteça. Claro que primeiro eu analiso a gravidade do ocorrido e as consequências de eu negar ajuda. Se a situação não traz grandes riscos as pessoas, ou grandes perdas financeiras, eu invento uma desculpa qualquer pra não ajudar. Dessa forma eu mostro a pessoa o por que de se ter um KS sempre por perto.

  • Ok, mas gostaria de saber se há algum conselho ou dica para quem tem crianças….eu como mãe as vezes tenho dificuldades em sair de casa num dia normal com meu filho (ônibus lotado, ruas cheias, calor, etc…), quais os cuidados devo tomar com crianças? (meu filho tem 6 anos).

    • Olá Monica,

      O ideal é que seu filho tenha alguns itens que possam ajudá-lo a se localizar e entrar em contato contigo. Por exemplo:
      -Lanterna;
      -Apito de emergência (colocado no zíper da mochila para fácil acesso);
      -Lista plastificada de contatos importantes com nome, endereço e números de telefone;
      – Celular pré pago;
      – Um poncho ou capa de chuva;
      – Pequena garrafa de água

      Claro que isto deve ser pensado de forma que não vá sobrecarregar a mochila da criança e que ela também seja ensinada a usar estes itens de maneira adequada (o escotismo é ótimo para isso).

      Abraços!

  • Philipe Martins

    Peço ao pessoal do Blog para apagar esta postagem que ficou fora de ordem e usar somente a que postarei agora (organizada):

    Abaixo os itens da minha BoB

    > A mochila que usarei será uma TRILHAS E RUMOS CRAMPON TECH 48 (Volume Total: 48 litros)

    Dentro dela vai:
    ***Dentro da mochila (no fundo)
    20metros Corda Seda Trançada 8mm

    ***Corda K-2 (estática) enrolada do lado de fora da mochila com os mosquetões e fitas presos à ela:
    8 Mosquetões Alumínio
    30metros Corda K-2 Estática (para técnicas verticais)
    3 Fita em Anel (2 de 100cm e 1 de 150cm)
    10 Cordeletes Diversos (7mm)

    ***Dentro da mochila (no chapéu) [parte superior da mochila]
    1 Capa de Chuva ou Poncho
    1 Luva de Vaqueta ou Couro
    1 Chapéu de Selva ou Boné / Toca de la

    ***Dentro de um saco plástico bem vedado (dentro da mochila-meio)
    2 Camisa Malha
    3 Cuecas
    4 Meia Cano Longo
    1 Calças Taticas
    1 Gandola Tática

    ***No bolso externo da mochila
    1 óculos de segurança incolor /escuro
    1 Multi-Tool Leatherman Blast
    1 Talher Militar (Nautika Timber)
    1 Lanterna Tática + Baterias reservas
    1 Paracord 30 metros
    2 Bastão Luz Química

    1 Pá Militar Na bolsa da Pá (no fundo da mochila)

    ***Na Bolsa de Cantil acoplada à mochila (lado externo)
    1 Cantil G.I. + Caneco + 10 pastilhas Clor-In

    ***No Bolso Lateral externo da mochila
    1 Isqueiro + Pederneira + Fósforos
    3 Iscas para Fogo

    ***Dentro da mochila (parte superior)
    1 Rolo de Papel Higiênico
    5 Saco plástico Zip Loc

    ***KIT de Primeiros Socorros (Bolsa vermelha dentro da mochila) Parte Superior [para retirar com agilidade]
    4 Ataduras de Crepon 15cm
    6 Pares de Luvas de Procedimento
    1 Alcool Gel (pequeno – 50ml)
    1 Esparadrapo
    1 RCP Descartável ou Pocket Mask
    1 Cobertor de Emergência (aluminizado)
    1 Fralda de Algodão
    1 Tesoura Ponta Romba + Pinça No. 60
    1 Lanterna Clinica
    3 Preservativos Lubrificados
    3 Preservativos sem Lubrificação

    ***Parte interna inferior da mochila
    1 Lona 3,0mX3,0m
    4 Caixas Tetra-Pak “Soldadas”
    2 Garrafas de 1L (Mate Couro) c/ água

    ***Dentro da mochila na parte superior
    5 Mistura para suco (adoçada, faz 2Litros)
    3 Tempero Sazon
    1 Sal (+/- 100g)
    1 Adoçante (frasco pequeno)
    10 Barras de Proteina
    3 Macarrão / Refeição Instantanea

    ***Bolso externo lateral
    1 Lanterna de Cabeça
    1 Rolo de Silver Tape

    ***Arma de Fogo (em tempos de catástrofe a legislação não será aplicada, mas a sobrevivência SIM)
    1 Pistola .40 + Munição Reserva
    1 Rádio AM/FM eletrônico (ou PX)

    ***Ferramentas Mecânicas e Elétricas (reestabelecer energia e manutenir equipamentos mecânicos)
    1 Kit Elétrica (multímetro de bolso) + Chaves
    10metros Cabo Paral. 2.5mm
    1 Organizer com Parafusos e porcas.
    1 Chave Inglesa 6″
    1 Chave Fenda / Philips 2in1
    1 Óleo de Máquina (Singer)

    Vou tentar sair vestido assim:
    CALÇADO Bota Snake Armação Rocca
    CALÇA Calça Tática EOTAC 302 (a calça tatica mais leve que tenho)
    CAMISA Camisa de Malha Manga longa
    GANDOLA Gandola Tática EB ou Warfare
    CINTO Cinto CQB Black Hawk
    ACESSORIOS DE CINTO
    Coldre de Lanterna (com a lanterna Olight M-20S)
    Coldre de Pistola
    Faca Tática (Wotan 1 ou Ka-Bar)
    Canivete Tático (Ontario RAT 1)
    Capa de Cantil + Cantil G.I.
    Maxpedition M-2 com Kit SOS + Baterias

    Vou usar também uma bolsa de perna (Maxpedition Thermite) com itens de uso “rápido”, que estejam “à mão”…
    MOCHILA SECUNDÁRIA Maxpedition Thermite \/ersipack
    >Sav-A-Jake (cordelete c/ 2 mosquetões)
    >Atadura de Crepon (curativo oclusivo rápido)
    >Mini Caderneta
    >Canetas e Lapiseiras
    >Carteira com Doc e Dinheiro
    >Canivete Reserva (Victorinox Rescue Tool)
    >Lanterna Reserva (Quark Tactical 123)
    >Folha A2 (para desenhar mapas)
    >Apito
    >Camera Fotografica

    OBS.: usarei a mochila de 48 litros justamente para “sobrar” espaço, afim de obter suprimentos e materiais e ter espaço para leva-los sem ter de “deixar nada para trás” ou substituir.
    De preferência vou levar na parte debaixo da mochila (nas tiras de regulagem) uma mochila Nautika de 35 litros, completamente vazia e enrolada. Caso eu tenha necessidade de carregar algo para meu “abrigo ou refúgio” eu tenho esta bolsa que não ocupa espaço dentro da minha mochila principal.

    Já tenho parte do material. Falta a corda K-2 Estática (a de técnicas verticais).
    Muitos destes itens são de meu uso diário, por isso quero ver se compro os mesmos (mais uma vez) para deixar a Bug-Out-Bag sempre montada, para seu fim—SAIR RÁPIDO E PREPARADO.
    Para isso preciso de mais tempo e dinheiro. Mas logo logo finalizo. Vou fazer um vídeo explicando cada item e sua utilização.

    • Gostei muito das suas inforações e estou bastante curioso em ver o seu ideo explicando cada item. Qual o valor total em que ficara a sua mochila assim como todo o material?? Quando estara pronto o video??

      • Olá Patrick,

        O valor varia demais de acordo com cada item que você colocar na mochila. Estou trabalhando para fazer um vídeo explicativo logo logo!

        Abraços.

    • Pode me explicar para que servem os preservativos com e sem lubrificação em caso de catastrofe? obrigado

  • Philipe Martins

    Eu moro em uma região totalmente Urbana com grandes propriedades rurais nas redondezas (bem próximo, vou à pé ao sítio da família da minha mulher.. exemplo).
    Eu estou montando uma BoB baseada na sobrevivência urbana com pequena possibilidade de me refugiar na área rural.
    Nesta BoB urbana vou economizar espaço e massa dos itens de sobrevivencia na selva, mas, vou deixa-los em outra mochila.
    Em contra-partida vou levar ferramentas, cabos elétricos e pequenas peças com intuito de reestabelecer energia elétrica onde possível, obter máquinas e veículos. Como estarei na cidade não vou me importar em levar itens para confecção de abrigos. Na Sobrevivência Urbana acredito que nunca precisarei montar um. Vou aproveitar o espaço da mochila e deixa-lo “livre” para trazer as coisas ao meu refúgio (alimento, recursos etc).
    Vou levar nela também 30m de corda estática, 10 mosquetões e cordeletes. Eu domino Técnicas Verticais de rapel e ascenção e pretendo usar isso ao meu favor também em catástrofes.

    Logo que eu completar esta BoB (o que não falta muito) vou posta-la aqui.

    …continua.

  • Além dos item citados no texto, mantenho mais três na minha mochilha: um sabão em barra, uma escova de dentes e um cortador de cabelo de bolso.

  • Estava pensando sobre esse texto ontem, quando ia para o banco. Estava a pé e, como era um pagamento impreterível e já faltavam 20 minutos pras 4 da tarde, tive de correr. Foi uma corrida de 20 minutos, que me deixou prostrado num sofá do banco por mais alguns minutos. Se tivesse de correr uma hora estaria morto, carregando BOB e conhecimentos.
    A necessidade de manter o condicionamento físico é transparente para um militar, pois faz parte do trabalho. Mas para um civil acaba sendo negligenciada.
    Isso porque caminho um total de 2h todos os dias, como exercício, mas na hora da corrida fui surpreendido. Fazem uns cinco anos que não nado, nem quero pensar como estou enferrujado nesse ponto também.

    • Pois é Paulovjcastilho… O grande problema associado aos BoB ou BoKs se referem ‘a pessoa que em última análise é quem carregará o peso. Cursos de operações especiais exigem dos soldados uma carga de 25 a 30 kilos em um deslocamento de 20 Km a uma velocidade de caminhada de 6,5 km/h em média… É uma grande exigência.. Em caso de catástrofe, vamos supor, um terremoto (Ok, áqueles que virão me dizer que estamos longe do encontro das grandes placas tectonicas, logo longe dos epicentros sismicos, eu já sei disso, é apenas um exemplo), o terreno não será plano… Haverá escombros e toda a sorte de obstáculos que a própria natureza se encarregou de revirar e o deslocamento será lento e perigoso…
      O aspecto físico é de fundamental importância e por isso caminhadas e pedaladas são muito recomendados. Se possível, após um mês de início dos exercícios comece levando uma pequena mochila ou pode ser um CamelBack, já pra ir sentindo como é se deslocar carregando algum peso… O fato é que NUNCA estaremos preparados o suficiente… Mas devemos ao menos estar prontos para minimizar os duros efeitos de tal necessidade.
      Abraço…

  • Excelente post! Queria saber que livros vocês sugerem para serem os manuais de emergências? Porque há um monte deles e fico meio perdida sobre qual pegar…
    E outra coisa, onde se acham essas pederneiras e fósforos anti-umidade?

    • Olá Giseli,

      Cada um tem os seus preferidos, eu sinceramente gosto do SAS Survival Hand Book, porém ele é em inglês e isso dificulta para quem não conhece o idioma. Quanto aos nacionais, creio que nossos amigos podem lhe indicar no fórum do blog, basta acessar ali na barra superior e lá você vai encontrar muito conteúdo bacana!

      Abraços.

    • Olá Giseli! As pederneiras vc pode adquirir até pelo Ebay, comprando-as pela internet mesmo. São extremamente duráveis (os fósforos são bons mas acabam, rs) fornecendo um uso contínuo de alguns anos até.
      Um bom livro e muito atualizado é o guia de sobrevivencia dos SAS. Dos livros que já vi sobre o assunto é o mais compreensivo, pois aborda situações de sobrevivência em áreas urbanas, rurais, deserto, selva e neve, além de conter excelentes exemplos de Kits que dão uma idéia geral de como configurar o seu. Esse guia de sobrevivência está disponível também na Apple Store para o Iphone.

  • Otimo release muito util e de rande valia para todos.
    Eu pesquiso o tema a muito tempo e tambem ja publiquei sobre o tema em meu blog e no livro que estou escrevendo.
    Abraço a todos.
    http://armcivilassessoria.blogspot.com.br/

    Alexandre

    • Obrigado Alexandre.

  • Euler Brandao

    Aproveitando o assunto, que tipo de radio de comunicaçao recomendam? VHF UHF

    • Olá Euler. O uso de rádio recomendado é no VHF. Entretanto O sistema de comunicação dependerá do seu objetivo. Comunicação com a familia? Eles possuem HT na mesma frequencia? Há uma frequencia ou “faixa cidadão” disponivel para troca de informações em sua área, Estado ou em nosso Brasil? Perguntas que devem ser respondidas antes de se pensar em acrescentar mais peso ao kit. Mas comunicação é de suma importância e claro que não pode ser neglicenciada. Obrigado pelo post!

      • Euler Brandao

        Obrigado sabretactical
        Sempre tive radio PX mas ele tem algumas limitaçoes vou ver se pego um par de HT , inclusive achei um que funciona como repetidora

  • Olá Sabretactical ! bela lista!

    Se puder dar um pitaco, eu colocaria uma UPT (Urban Primary Tool) como facilitadora de fuga, acrescentaria uma CORDA de verdade e não só paracord (pelo mesmo motivo da UPT, tentem se pendurar num paracord sem luvas grossas) e alimentos liofilizados.

    Se mais de 3 pessoas sairem com BOBs, eu substituiria uma das 3 .22Lr por uma espingarda 20 ou > , substituiria o binóculo por lunetas e insriria uma lona de tecido/cobertor anti-umidade.

    Só opinião e não critica, a lista está otima!

    • O mais legal do kit é que as necessidades individuais devem ajudar na configuração dele. A configuração deve observar as necessidades táticas do terreno em que vc vive e/ou pode atravessar para chegar a um local seguro. Um aparelho ótico de pontaria (luneta) pode ser muito útil em matas não muito fechadas e ambientes urbanos e adjacências, mas pouco útil em matas fechadas e densas. Uma mira optrônica do tipo Red Dot ou similar por vezes melhora em muito o desempenho do calibre .22 LR e está mais real quanto a utilização prática do desempenho balístico do mesmo. Muito bem lembrado a utilização de uma arma de cano de alma lisa (espingarda) se houverem mais pessoas no grupo. Mas a beleza de tudo isso é a chuva de diferentes opiniões e pontos de vista que apenas acrescenta. Obrigado BAtata.

      • Concordo como red dot, em partes, desculpe… Passado o instante de SOBREVIVENCIA á crise, (possivel hostilidade) luneta assume um papel de ferramenta de subsistencia. O “agente” tiraria maior proveito da 22 em caça e na ofensiva contra a mobilidade do agressor, imaginando que o estado de alerta está em voga. A idéia da mochila é mobilidade, logo ele não vai te seguir com a virilha sangrando ou o joelho estourado… (Eu treino tiro de precisão…) puts quanta especulação…hehe… olha, mais 2 coisas: Colocar o EDC na mochila e em hipótese nenhuma se esquecer do kit pessoal de sobrevivencia, aquele basicão sempre junto ao corpo.
        Abraços!

      • Olá Batata. Então, como sniper e instrutor dessa matéria (desde 2002) além de treinar o tiro de precisão (não só com .22 LR, mas com 308 Win, 330 Lapua), eu entendo seu apelo pelo aparelho ótico (luneta). Mas devido ao baixo alcance em termos de precisão/letalidade, uma red dot ou similar fará o trabalho dentro do campo a que se destina o tiro (200M, no máximo). Sei que há munições de excelente precisão nesse calibre e que a letalidade pode ser alcançada com tais munições a distâncias maiores… Mas a escolha do aparelho de pontaria e de tudo o mais que deve ser levado deve tomar em consideração o fator PESO. Quanto mais pesado, mais lentamente vc se desloca, mais calorias vc gasta e logo precisa repor e se a alimentação for escassa deve-se pensar muito bem nesse fator. Já tive que caminhar Kilometros carregando fuzil… E quando este tem um aparelho ótico sobre ele, vc realmente sente a diferença ao longo do caminho. Apesar de uma carbina 22 ser leve, ela perde seu obbjetivo quando se incorpora itens que não farão dela algo que realmente possa ” tocar” um alvo com razoável grau de certerza quanto a precisão e letalidade. E como ferramenta de subsistência, sei de vários caçadores que utilizam o rifle .22 com red dots, justamente porque as distâncias de engajamento são de no máximo 50 metros e o baixo campo visual oferecido por uma luneta é superado pela extrema consciencia situacional de onde o alvo está, para onde está indo, etc, sendo possivel fazer um tiro preciso e com maior efeito. Se eu fosse escolher um aprelho ótico para um rifle .22 eu escolheria um zoom variável de 1x a 4x no máximo justamente para não perder campo visual para caça… Mas, pelo menos minha preferência recai sobre a red dot pelos motivos já discutidos…
        Mas como disse acima, a configuração do SEU kit deve ser algo pessoal no fim das contas. 😉

    • mais uma vez parabens pelo post!
      batata,vi no you tube sobe as UPT… onde consigo uma?

  • Denis Wolpert

    Seja bem-vindo, Sabretactical!

    • Obrigado pela acolhida Denis Wolpert!

  • Euler Brandao

    Excelente material
    Muito bem lembrado sobre os remedios de uso continuo
    quanto a mochila sempre uso uma de 90 litros
    Pode me explicar como comprar uma 22 sem ter problemas?(carabina)

    • Obrigado Euler. Para se adquirir uma arma de fogo, no caso uma carabina, é necessário fazer um requerimento à PF, juntar as certidões necessárias e protocolar o pedido junto ao DPF mais próximo. As informações completas sobre o assunto podem ser vistas no site do Departamento de Polícia Federal. Adquirir uma carabina é um bom passo pois sua munição é menos dispendiosa e pode-se adquirir 300 por mês.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s