ESTOQUE DE MEDICAMENTOS

Existem muitas pessoas que recomendam a criação de um estoque de medicações e inclusive existem kits para emergência sendo vendidos com medicamentos inclusos. Vamos pensar um pouco sobre isso nesse artigo!

É indicado fazer um estoque de medicações para épocas de crise? A resposta mais correta para essa questão seria: Não. Calma, não feche a aba ainda, eu disse que apenas não é indicado, porém se mesmo assim quiser fazer o armazenamento a escolha é sua. Entretanto existe motivos bem claros para isso e eles serão explicados logo abaixo.

PRAZO DE VALIDADE

Isso é fato, medicações tem data de vencimento, então não adianta criar um estoque de remédios a longo prazo porque com o tempo eles irão perder seu princípio ativo e poderão não funcionar de forma adequada. Todavia acredita-se que mesmo após pouco tempo do prazo de validade o princípio ativo ainda será eficiente. Apesar de não ser recomendado, pois não se sabe por quanto tempo isso será válido.

AUTOMEDICAÇÃO

Não é aconselhável se automedicar, cada remédio tem a sua finalidade própria e ela deve seguir a recomendação medica. O uso inadequado de medicamentos pode acabar prejudicando quando na verdade deveria ter um resultado benéfico no seu organismo.

ARMAZENAMENTO ADEQUADO

Isso varia para cada medicamento. Alguns precisam estar em um ambiente mais frio, de temperatura controlada, outros não podem ser expostos a luz e existe até medições na qual para o armazenamento de forma correta é necessário a purificação do ar. Demandando assim muitos recursos para tal.

CENÁRIOS EXTREMOS

Agora você leitor deve estar se perguntando se o correto é mesmo ficar a mercê e realmente não estocar nada. Se em um caso extremo não existem algumas medicações que são realmente imprescindíveis ter consigo?

Diferente da resposta inicial desse artigo, sim, você deve ter alguns. Irei dar algumas sugestões, mas sem especificar qual medicamento. Lembre-se: Deve-se tomar, especialmente em casos extremos, apenas os medicamentos que já se é acostumado.

  • Antisséptico: Sofrer cortes é muito comum em cenários de crises, o que faz esse medicamento ser essencial, especialmente se tiver integrantes da família já doentes ou idosos no qual a imunidade é mais baixa e infecções podem surgir. Existem maneiras de improvisar o uso desse medicamento, como lavar com água e sabão, utilizar alguma solução como álcool, porém nenhuma dessas outras formas substitui a utilização do antisséptico de maneira eficaz.
  • Antitérmico: A partir de 40,0°C existe o risco de o cérebro entrar em colapso e ocasionar uma crise convulsiva. Da mesma forma que a recomendação anterior, é possível por exemplo colocar a pessoa embaixo do chuveiro com água gelada para diminuir a temperatura, entretanto o efeito é momentâneo.
  • Antialérgico: Por motivos muito simples, há diversas formas, tanto em líquido quanto em comprimidos. Há bastante disponibilidade desse tipo de medicamento, afinal é muito fácil de ser encontrado em qualquer farmácia e o preço é baixo.
  • Antibiótico de largo espectro: Justamente por não ser próprio para os sintomas sentidos, pode ser que não funcione com eficiência, mas pode ao menos aliviar a situação.

CONCLUSÃO

O assunto é bem delicado, medicamentos devem ser usados com muito critério. Os pontos citados aqui são de muita importância, o perigo da automedicação e o respeito aos prazos de validade.  

Escrito com contribuição de Christian Sgarbi.

6 Comentários

  • Eu sou médico e minha esposa também. Temos uma grande vantagem nesse quesito. Temos nossa própria farmácia básica em casa! A Orientação que eu daria aos leigos é discutir o tema abertamente com seus clínicos assistentes. Qual o problema? Marque consulta e diga ao médico que veio para obter orientações personalizadas para se ter uma farmácia básica em casa! Um médico de família geralmente irá personalizar o kit para cada família. Lembrando que o controle da validade é do usuário. As dicas de armazenagem podem ser obtidas na bula ou com o farmacêutico.

  • O problema é quem precisa de medicamentos de uso contínuo. Se for ficar, sei lá, 6 meses ‘entocada’, a pessoa vai precisar ter seu pequeno carregamento. Medicamentos como insulina, psicofármacos diversos, que são essenciais a doentes crônicos, vão fazer muita falta mesmo. Não é nada interessante alguém se preparar para sobreviver a uma situação adversa e ser traído pela própria doença e vir a sucumbir por uma crise.

  • Welthon Cunha Cunha

    Faltou analgésicos, medicamentos para diárréia ( que pode matar), antiinflamatórios e, claro, medicamentos para doênças congênitas que a pessoa ou membros da família tenha (como diabetes). Medicamentos naturais são interessantes, mas sinceramente nada substitui um bom medicamento alopático de ação imediata… Isto sem falar nos medicamentos e itens para primeiros socorros.

  • Um analérgico eficaz e natural para ter em casa seria uma vasinho de Camomila ou ter ela desidratada. Não é o mais potentes remédio fitoterápico. Mas da pra ter em casa e ou armazenar com um menor risco de perder a validade.

  • a minha resposa seria um talvez, talvez porque e bastante subjectivo a preparacao farmacologica.
    vejo no brasil e bem diferente do que na europa por exemplo, e acredito que nos EUA sera diferente, ja que o e em israel, por exemplo.
    se ha um doente oncologico, cronico, entao e sensato se manter um stock de farmacos de psologia regular de pelo menos o dobro do habitual, ou seja, se tenho uma caixa para 1 mes, e sensao ter outra caixa por precaucao. mais que isso so mesmo se a validade o permitir, mas normalmente nao, entao EU, pessoalmente nao guardo mais do que o remedio que tomo no momento e um extra, e sabendo de antemao que medicamento aqui onde vivo em portugal e caro, entao faco render esse stock, rodando os medicamentos. acabou a embalagem corrente, vou usar a destinada para sock e repor outra com validade renovada.
    mas este metodo so resulta se de faco nao haver desleixo no registo da entrada, saida e validade dos farmacos, entao sim, tudo registadinho acaba por ser mandatorio e evita desperdico tanto do farmaco em si que fica inutilizavel, como o dinheiro que estourou para nada.
    em portugal sei que nao ha esta disciplina no stock de remedios, pois foi em israel que aprendi, e basicamente tem funcionado bem desde ha uns 5 anos para ca.
    meus filhos e a familia no geral gastamos muito ibuprofeno, e um farmaco que esgota rapidamente no circuito farmaceutico, ja houve altura no pronto socorro eles nao terem, mas calma! eu tenho e posso buscar! mulher prevenida vale por 2!
    outra forma seriam as planas medicinais, que podemos plantar ate num apartamento, colher, tratar e armazenar, funciona bem, mas e preciso um profundo conhecimento do que se esta a fazer, remedio natural na dose errada e veneno como qualquer outro, entao formacao, e crucial para o sucesso deste metodo.

  • Alex Argona

    Nesta questão, eu particularmente acho que um SOBREVIVENCIALISTA inteligente tem a OBRIGAÇÃO de ESTUDAR MUITO sobre plantas medicinais, pois em qualquer cenário de crise, tanto de curto ou longo prazo, quem dominar esse conhecimento, estará numa situação bem mais confortável. Por exemplo, os indígenas viveram séculos sem depender de medicamentos químicos, outra vantagem de se dominar esse conhecimento, é que plantas medicinais você encontra em qualquer lugar, e ainda não temos o problema do prazo de validade, além da liberdade e segurança adquirida ao não ficar dependente do sistema de saúde que em cenários de crises são um dos primeiros a serem impactados.

Deixe uma resposta para otiagom Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s