3 erros ao armazenar farinha!

Você gosta de alimentos que contém farinha como ingrediente? Pães, bolos, pizzas e etc? Todas essas guloseimas necessitam de farinha para serem preparadas! Além de ser a escolha de alimentação de muitos, saibam que alimentos a base de farinha são ótimas opções para preparadores. O pão e receitas semelhantes possuem uma boa quantidade de carboidratos, o que lhe dará energia para realizar as tarefas pesadas. O mais interessante é que essas receitas precisam de pouquíssimos recursos além da própria farinha.

Já fizemos um vídeo sobre a preparação de pão de caçador, clique aqui!

Sendo esse ingrediente um coringa no seu estoque, vamos tratar de como armazenar farinha a longo prazo de forma eficiente. Existe várias formas de se fazer isso e cabe a você escolher a que mais se adapta a sua realidade. Este artigo irá apresentar três erros comuns ao armazenar farinha a longo prazo.

UMIDADE

Você se lembra daquelas antigas lições de química durante o ensino médio em que era dito que a água era chamada de solvente universal? Pois é, isso é essencial para o processo de armazenamento. Além disso, como todos sabemos, a água é absolutamente necessária para a vida. Portanto se a farinha é exposta à umidade, formas de vida irão começar a se desenvolver, entre elas estão, mofo, bolor, bactérias e organismos fúngicos. A farinha tem uma grande área de superfície, consequentemente é muito fácil a umidade ficar presa nela e com isso acaba levando à deterioração da mesma.

CALOR

O calor pode fazer com que a farinha estrague de duas formas:

  • Temperaturas mais altas causam a quebra de óleos e outros compostos na farinha.
  • Muitas espécies de bactérias, fungos e bolores crescem melhor em faixas de temperatura ambiente. Enquanto existir na farinha água e calor suficiente, tenha certeza de que esses organismos arruinarão o produto.

OXIGÊNIO

Quando um átomo de oxigênio entra em contato com outro tipo de átomo ou molécula, ele pode levar os elétrons para longe do outro elemento. Ferrugem, coloração marrom nas maçãs e farinha estragada são exemplos de oxidação! No caso da farinha, o oxigênio permite que o fermento, o mofo e as bactérias cresçam. Como toda a farinha contém pelo menos alguma levedura nativa ou selvagem, a presença de oxigênio sempre fará com que a farinha fique rançosa. Talvez ainda pior, se houver oxigênio disponível, os insetos também podem viver na farinha.

Se você ficar atento a esses três erros com certeza o seu estoque de farinha irá permanecer em ótimas condições por um bom tempo.

Você armazena farinha? Utiliza qual método? Nos conte nos comentários.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s