Sobrevivencialismo rural: Milho

Este texto vem para mostrar para quem não está familiarizado com a vida rural como é trabalhoso e ao mesmo tempo prazeroso viver no campo, e para isso vamos falar especificamente do milho.

Escrevi este texto com a ideia de mostrar todo o processo do cultivo de milho aqui onde moro, no interior do Ceará. Isso inclui preparação da terra até o debulhar dos grãos! Devo lembrar que talvez essas coisas sejam feitas de forma diferente aí na sua região, o que será descrito aqui é particular da realidade que vivo. Vamos lá!

Arado ou Broca

169537-10658718.jpg

O arado principalmente feito a trator é usado em locais planos e sem árvores, como pastos. É um processo bastante simples, onde o trator puxará os discos de arado, que tem como função cortar e revirar a terra.

Mas e antes dessa tecnologia? Você brocava seu roçado (ou milharal), que nada mais é do que você derrubar todas as árvores que tem no seu terreno (ao bom e velho estilo lenhador) e depois disso ateava fogo em tudo, isolando seu terreno para que o fogo não se alastrasse.

Plantio

stand_uniform.jpg

Tirando as máquinas altamente sofisticadas de produção industrial, o plantio é geralmente é feito de forma manual. Vai alguém na frente com a enxada cavando as fileira onde serão depositadas as sementes, depois o indivíduo que vem atrás, geralmente com uma vasilha em mãos plantando e cobrindo as covas de terra (aqui em casa plantamos 3 grãos por cova).

plantadeira-600x600
Matraca ou plantadeira manual

Existe também o plantio com o uso de uma ferramenta chamada matraca, essa por sua vez faz o trabalho dos dois indivíduos, reduzindo o número de trabalhadores. Ela cava, planta e entope, além de ser possível definir quantos grãos serão plantados por cova.

Capina

cropped-colchc3a3o-e1401755916199

Depois que o plantio é concluído você somente vai esperar o milharal crescer. Contudo, de acordo com a chuva cai no sertão, você pode ter problema com as plantas daninhas, aquele mato entre as fileiras de milho. Estas plantas vão competir com o milho pelos nutrientes presentes no solo, por isso deve ser capinado. A capina do milharal ocorre entre uma e duas vezes, até porque depois que o milho ultrapassa a altura do mato não tem mais problema. 

Fazendo esta manutenção corretamente, agora que vem o resultado do seu trabalho: é hora da colheita.

Colheita

colheita-safrinha-2012-029

Agora vem a parte gratificante, quando todo seu suor vai valer a pena. A colheita do milho é bem simples, cada planta gera uma espiga que vai crescendo gradativamente. 

Lentamente o milharal ficará verde que é como todos conhecemos com aquelas comidas típicas e tudo mais… Com o passar do tempo o milharal vai secar e será a hora de colher tudo! Isso pode ser feito com máquinas ou de forma manual. 

Debulha

como-debulhar-milho-1.jpg

Chegamos a última etapa! Depois que todo o milho estiver colhido e agrupado em uma única pilha é hora da debulha. Existem duas maneiras de fazer isso: A maneira rústica e tradicional que é manualmente, espiga por espiga, e a que usa máquinas.

Claro que em uma plantação grande a debulha manual não tem a menor condições de ser escolhida, principalmente com os meios mais tecnológicos que temos hoje. Esta segunda maneira mais tecnológica e eficiente é geralmente usada por 100% dos agricultores da da minha região. Essa máquina separa os grãos do sabugo e da palha, fazendo com que os grãos caiam para um lado e o restante é triturado e sai do outro lado da máquina.

A renda do milho é estimada que a cada 1 litro plantado você colha 1 alqueire(160 litros). Juntando boas sementes com uma boa terra e com a colaboração da chuva na época e na quantidade correta a renda aumenta pra 1,5 alqueire pra cada 1 litro plantado! E pra pagar o dono da debulhadora caso ela não for sua, ele recebe em milho.

Geralmente essa é a conta, a cada 1 alqueire debulhado você paga a ele 1 medida(10 litros), depois é só armazenar em algum local vedado e sem umidade.

Conclusão

Esse é todo o processo envolvido por trás do milho, e você leitor, já conhecia esse processo, ou conhece um método diferente? Compartilhe nos comentários!

Texto escrito por Welthon Tavares.