Post do Leitor: Leis de guerra na selva – CIGS

Pode parecer estranho, mas as leis aplicadas no combate podem se enquadrar perfeitamente para a “vida normal” – com suas devidas adaptações. Mais que isso, podem ajudar você a ficar mais preparado. Você já ouviu falar nas “Leis de Guerra na Selva”? Estas são ditados criados por nada menos que o CIGS, Centro de Instrução de Guerra na Selva. Para quem nunca ouviu falar, é a unidade de renome mundial no treinamento de combatentes em cenários de guerra.

Hoje vou citá-las e comentar sobre cada uma, para que você também possa me ajudar nos comentários com pensamentos de como adaptá-las para a vida sobrevivencialista.

1 – Tenha a iniciativa, pois não receberá ordens para todas as situações. Tenha em vista o objetivo final;

A lição aqui é simples, você deve correr atrás das coisas e não ficar sentado esperando por reforços ou que alguém faça para você. Querendo ou não suas necessidades são de seu próprio interesse.

Em uma situação de sobrevivência você terá de correr atrás de recursos, um local para se esconder e principalmente, conquistar a sua sobrevivência. Você se surpreenderia com o número de pessoas que morrem aguardando serem resgatadas ou que simplesmente entram em negação e não fazem absolutamente nada para sair do cenário de risco em que está.

2 – Procure a surpresa por todos os modos;

Em uma situação de combate ou sobrevivência, você deve estar sempre atento a vários aspectos. Você deve estar atento a outros inimigos (outras pessoas, animais…) que tentarão sabotá-lo, roubar recursos e até muitas vezes tirar sua vida.

Se você tiver de reagir à uma situação de ameaça, faça isso de maneira completamente inesperada e aproveite-se da surpresa causada no inimigo para garantir sua saída segura do cenário.

3 – Mantenha seu corpo, armamento e equipamento em boas condições;

O que seria manter em boas condições? Quer dizer que você tem que tomar banho, e não ficar sujo? Claro que não. Em situações de combate e sobrevivência você deve atentar-se a cortes, machucados, dilacerações – bem como nutrição, sono e condicionamento físico.

Quando falamos de armamento todos sabem que é altamente recomendável fazer a manutenção do equipamento que você tem de tempos em tempos. Isso não se aplica só a armas como também sua mochila, cantil, abrigo e dentre outros!

Deixar suas coisas limpas e organizadas em todos os momentos é importantíssimo, afinal, você não quer se deparar com equipamentos quebrados ou danificados em uma situação de necessidade.

*Dica extra: Cuide de seus pés, se não você fica na mão.

4 – Aprenda a suportar o desconforto e as fadigas sem queixar-se e seja moderado em suas necessidades;

Não importa o cenário, se for uma situação de risco, haverá desconforto. Fato é que ninguém se acostuma com desconforto, mas pode aprender a suportá-lo. Quanto menos você ligar para dores musculares, bolhas, fome e frio, melhor para você.

Além disso, modere suas necessidades. Você nem sempre você terá uma boa refeição, então aprenda a poupar em uma para sobrar para outra, beba pouca água para sobrar para depois. Se hoje você fica irritado quando está com fome, ficará muito pior em caso de emergência onde a ansiedade e a pressão é maior – aprenda a dominar suas emoções.

5 – Pense e aja como caçador, não como caça;

O problema não é sentir medo, e sim deixá-lo conduzir você. Desenvolva um olhar mais aguçado e focado em como lidar com as ameaças de maneira efetiva. Pense o que os possíveis inimigos farão para te surpreender, pense em como pegá-los de maneira desprevenida. Pense sempre um passo a frente.

6 – Combata sempre com inteligência e seja o mais ardiloso;

Na arte do combate você deve sempre estar um passo a frente de seu inimigo. Seja este inimigo um criminoso ou uma situação de risco, você precisa criar planos e estratégias para manter-se seguro. Sempre antes de tomar atitude faça uma rota de ação bem organizada e que tenha sentido estratégico, nunca se coloque em uma situação sem saber o que fará para sair dela.

Conclusão

Você pode se questionar: Mas espera, isso não é algo focado em combates na selva? qual a aplicabilidade disso em uma situação de sobrevivência ou no dia a dia?

Com algumas adaptações – como as que eu já pontuei – cada uma destas leis pode ser levada para diversas situações de nossa vida. Treine sua mente, treine seu corpo. É como no Xadrez, esteja sempre pensando não no passo de agora, e sem nos futuros com inteligência. E não esqueçam. Esteja sempre preparado!

Devicari, autor do texto e leitor do Portal Sobrevivencialismo.

Anúncios

11 Comentários

  • Adriano selva

    Muito bom,como ex combatente de selva,aprendi n prática as leis de guerra na selva.r hoje as adaptei para minha vida Civil,sempre a lembro em meu dia a dia.selva!!!

  • O Curso do CIGS é um dos mais excelentes mundialmente falando, aliás atrevo-me a dizer que COMANDOS é a palavra chave daquela escola. Força e Honra!

  • É bom ser organizado com todos os seus equipamentos, principalmente quando você necessita imediatamente deles.sempre agir independentemente de ordens é sem dúvida o melhor a se fazer em crises para não ficar dependendo só da ajuda alheia.

  • Murilo Almeida

    Muito bom… Um dos passos mais importantes que um sobrevivencialista pode dar é trabalhar sua psique e seu comportamento a fim de minimizar os vieis… Se você não acredita ainda nisso, vou dar um exemplo: o que diferencia os atletas de alto desempenho não é nem o treino nem os equipamentos, mas sim o seu psicológico… Creio ser muito mais importante ter uma mente preparada do que ter “zilhoes” de equipamentos…

    Prepare a sua mente…

    • William Soares

      Adaptar, superar e improvisar. Esse deve ser o mantra do sobrevivencialista. Uma situação de crise, pode acontecer a qualquer hora, num momento que você não esteja com edc ou bob, ou que isso tenha sido tirado de você. Só sobra o que tem na mente. Se a preparação for somente em equipamentos, só resta deitar e chorar.

  • Parabéns Devicari pelo texto.

  • “Pode parecer estranho, mas as leis aplicadas no combate podem se enquadrar perfeitamente para a “vida normal” – com suas devidas adaptações. ”
    Pois é, Sun Tzu vende bem hoje em dia. Mas esse tipo de conduta não combina comigo, sempre opto pela cooperação na medida do possível.

  • Belo artigo e ótimas informações para adaptar no dia a dia, muita tecnologia foi e é desenvolvida para guerra e posteriormente utilizada no dia a dia do homem comum, porque não aplicarmos as regras de leis de guerra e combate no nosso cotidiano, a internet mesmo nasceu na guerra.

  • Sobre o item (2), a pior sabotagem que pode existir na vida é a do lobo em pele de cordeiro, pois do inimigo já se espera que ele vai te sabotar e querer te matar, mas e quando a sabotagem é do seu próprio aliado? Quando um “amigo” nosso enfia a faca nas nossas costas é a coisa mais dolorosa e mortal que pode existir pois não estamos esperando, fala isso por experiência própria.

    • João Louven

      O sobrevivencialismo é muito complexo e pode ser perturbador pensar como as coisas podem sair do controle de um minuto pro outro, mesmo fazendo tudo certo.

      • Sim, verdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s