É preciso temer uma tempestade solar?

De tempos em tempos o assunto “tempestade solar” sempre aparece, algumas informações são muito boas, outras nem tanto. Mas o que é verdade e o que é mito quando falamos de tempestade solar? É necessário se preocupar, se preparar para um evento como esse?

O que uma tempestade solar, ou EMC(Ejeção de Massa Coronal) pode fazer? Será ela capaz de incendiar as cidades juntamente com as pessoas, como no filme presságio(2009) com Nicolas Cage? Não meus amigos, nos aqui na Terra não sofreríamos nenhum dano direto, mas dependendo da intensidade dela, os equipamentos elétricos/eletrônicos poderiam ser afetados e assim, de certa forma, nos atingir indiretamente.

Isso seria complicado!

Ela poderia inutilizar satélites, consequentemente os GPS’s parariam de funcionar, o que levariam navios e aviões a ficar sem rumo! Também pode danificar os sistemas elétricos gerando “apagões”…. Adeus eletricidade! Sem eletricidade, sem aquecimento elétrico, ar condicionado, internet, televisão, telefones, abastecimento de água nas cidades – visto que muitas regiões dependem de bombeamento –, alimentos perecíveis estragariam, do mesmo modo alguns medicamentos e vacinas, não daria pra tirar dinheiros dos bancos, entre uma infinidade de outros efeitos colaterais…

Faça você um exercício mental e imagine um mundo sem energia, por vários dias, meses, ou até anos… Seria bem difícil, já que o mundo de hoje é quase que totalmente dependente de eletricidade. Nos já passamos por algumas tempestades solares, sabia? Vou enumerá-las abaixo em ordem cronológica a titulo de curiosidade e informação:

  • Setembro de 1859 – O Evento Carrington – A primeira e maior tempestade geomagnética já registrada. Sistemas de telégrafo na América do Norte e Europa entraram em pane, telegrafistas tomaram choques e auroras boreais foram relatadas em todo o mundo. Não houve grandes danos eu prejuízos enormes porque naquela época o sistema elétrico ainda engatinhava com pouquíssimas linhas e uso muito raro;
  • Em 1921 – Tempestade menos grave relatada, apenas interrupções em transmissões de rádio;
  • Em 1960 – Ocorreu outra tempestade, também leve e que só causou interrupções em transmissões de rádio por pouco tempo;
  • Março de 1989 – Essa danificou uma hidrelétrica e boa parte de Quebec (no Canadá) ficou sem energia, em Nova Jersey transformadores derreteram devido a intensidade da tempestade;
  • Dezembro de 2005 – Outra explosão solar abalou sistemas de navegação por 10 minutos, desorientando nesse período aviões e navios;
  • Julho de 2012 – Um tempestade solar “nível Carrington” foi observada e, por duas semanas de diferença não atingiu a terra em cheio. Se essa tempestade tivesse nos acertado, provavelmente você não estaria lendo esse texto, aqui no portal, já que demorariam alguns anos para colocar pra funcionar os sistemas elétricos novamente.

Segundo Cássio Barbosa em seu texto “Os 156 anos de Carrington” os cientistas estimam uma chance de 12% de uma tempestade solar nos atingir nos próximos 10 anos. Essa estatística pode não ser sólida nem confiável, mas não quer dizer que a chance de ocorrer novamente seja zero. Assim seria interessante existir um plano de contingência para um evento como esse.

E eu? Hora de responder a pergunta do título. O que penso de tudo isso? Eu acredito fortemente que é muito mais provável ser assaltado ou sofrer algum desastre natural regional, mas de qualquer modo é sempre bom estar preparado com itens básicos, afinal uma tempestade solar pode não ocorrer mas crises pessoais e financeiras sempre estarão por aí nos rondando… Então, como sempre diz o Julio Lobo, estejam preparados!

Se quiserem ver o vídeo mais descontraído que fiz sobre este assunto, aí vai:

Anúncios

9 comentários

  • Acredito que um contêiner com a carcaça aterrada por aquelas hastes de aterramento sirva como uma grande gaiola de Faraday… O que acham?

  • Bom demais o texto, esclareceu muita coisa!!!

    Sei que a possibilidade é pequena porem temo este evento, no Brasil nem o governos em as companhias elétricas devem estra preparados para tal e quando o povão descobrir que a eletricidade não volta tão sedo, vai ser o caos…

    Espero estrar preparado se caso acontecer.

    • Com certeza Léo… a possibilidade é pequena… mas existe… e de qualquer modo… é sempre bom estar preparado! Obrigado pelo comentário!

  • Ricardo Lourenço

    Olá,
    Veja sobre gaiola de Faraday.
    Pesquise também sobre P.E.M. (Pulso Eletro Magnético), os meios para tentar enfrenta-los.
    As explosões solares são monitoradas, mas depois de detectada teremos de alguns minutos a algumas horas até o impacto, que dependendo da intensidade de campo e tempo de exposição sérios danos ao equipamentos. Radioamadores e outros profissionais são sempre alertados sobre esta possibilidade.
    Para quem tem algum conhecimento em elétrica e eletrônica é possível tentar isolar o equipamento (sempre desligado) dentro de embalagens metálicas devidamente aterradas, mesmo com a Faraday bags. (Lembram-se do sujeito na TV com uma roupa metálica, tipo escafandro, recebendo intensas descargas? O princípio é o mesmo, só que com campos magnéticos que induzem correntes elétricas em circuitos eletrônicos e metais). Talvez o mais díficil seja obter espaço e invólucros para um notebook, tablet, celular, HD externo, um rádio receptor de emerg~encia com AM-FM e ondas, um painel solar, rádios transceptores e alguns componentes eletrônicos para um veículo (lembram-se de Guerra dos Mundos, A Super Máquina, e de um episódio de Caçadores de Mitos, entre outros filmes quando um P.E.M. pará um veículo?).Acredite, mas uma carro antigo original, tipo fusca a platinado, terá mais chances de não ser tão atingido como um carro mais novo.
    Os equipamentos que “sobreviverem” serão valiosos.
    Com eles (rádios receptores e transceptores) você poderá saber o que se passa no resto do mundo.
    Em todo caso é bom manter baterias 12V, um alternador para carrega-las e um gerador a gasolina/diesel em casa.
    De qualquer forma cuidado com o que mantém em casa para evitar o assédio de terceiros.
    Mas pesquisem e procurem entender bem sobre o assunto.

    • Beleza Ricardo… boas considerações… obrigado por comentar!

  • O mundo com certeza não ia acabar, mas o caos ia reinar por um tempo, meses, talvez alguns anos. Talvez vivêssemos o cenário da série Revolução, que também se passa num mundo sem eletricidade.

    • Ok, vicinius… obrigado pelo seu comentário!

  • Comprei este mês e já os estou utilizando sacos faraday. São raros no Brasil, é preciso importar.

    Os utilizo apenas para os equipamentos da bob, não é muita coisa, apenas lanterna, rádio, visão noturna. Já tá tudo dentro deles, de mais de um inclusive. Ainda não tenho o carregador solar, é só isto e um dosimetro geiger o que falta daquilo que pretendo ter que dependa de energia. Calma, é aos poucos que se vai longe, próximo ano, próximo ano.

    Vai dar certo? Sei lá! No dia que o sol peidar eu te falo, se alguma coisa ainda funcionar.

    A outra medida que tomo é exatamente está, depender o menos possível de energia elétrica. Optei por um relógio oriente automático exatamente por isto. Muita gente compra os suunto que “é o melhor para sobrevivência “. Não acho. O meu não precisa de energia e não há EMP que lhe faça mal. Menos uma preocupação.

    Recomendo a compra dos faraday bags.

    • Beleza Vilhena… boas considerações as suas…obrigado por comentar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s