SHTF School: Controle de armas? Não, obrigado

survival weapon gun control

Falar sobre armas na comunidade de sobrevivencialistas é algo super comum e lógico devido a importância desse tema, mas fora da comunidade existem discussões sobre se realmente vale a pena ter (ou usar) armas e, quando você começa a defender o seu direito de ter armas e se defender, você geralmente é visto como alguém que gosta de violência ou é uma pessoa má.

Eu lembro do momento onde eu tive minha revelação pessoal sobre armas e sobre ter armas, na verdade vou lembrar desse momento até eu morrer.

Eu estava em uma rua e no final dela, cerca de meio quilômetro de mim, haviam três caras em uniformes verde oliva que estavam batendo em outros dois caras. Então, um dos caras de verde levantou seu rifle e atirou no cara que eles estavam batendo.

Eles continuaram a chutar o outro cara, então dois de uniforme pegaram o cara espancado pelas mãos para deixá-lo parado e o outro atirou na cabeça dele.

A distância era um pouco longa, mas eu tenho quase certeza de que atiraram na cabeça dele pois eu vi ela explodindo, com pedaços voando na parede atrás, e acho que os dois caras que seguraram ele pelas mãos fizeram isso para facilitar o tiro.

Eu fiquei parado vendo aquilo até meus reflexos começarem a bombear, então eu entrei em pânico e comecei a correr. Os caras me viram e atiraram algumas vezes contra mim, mas eu continuei a correr.

Eu lembro que enquanto eu estava correndo eu olhava freneticamente ao meu redor procurando por algo que funcionasse como defesa se eles me pegassem, qualquer coisa… pedaço de pau, pedra, qualquer coisa. Todo o tipo de destroço estava ao meu redor, mas eu simplesmente continuei correndo com um pensamento ecoando na minha cabeça:

M#%!a, se eles me pegarem, a única coisa que posso fazer é puxar meu cinto das calças e tentar bater neles com ele… Po#$a!

Eu continuei correndo por cerca de dez minutos pelo meio de prédios destruídos, eu até trombei com um cara que de repente apareceu na minha frente, mas ele provavelmente estava tão assustado quanto eu.

Eu sobrevivi a aquilo. Aqueles três caras provavelmente não me seguiram, mas a adrenalina estava forte em meu sangue e eu simplesmente corri até chegar em casa e estar mais ou menos seguro. Lá, na minha casa, o único pensamento que eu ouvia de forma clara na minha cabeça era “Eu preciso de uma arma“.

Eu vi mais violência depois disso, mas aquele evento de alguma forma me mostrou que armas são boas, armas são necessárias, armas salvam vidas e tiram vidas, só depende dos que estão usando elas.

Eu tinha uma certa opinião sobre armas antes daquilo como a maioria das pessoas têm. Opiniões do tipo “armas matam pessoas”, “violência é ruim”. Pensava também que haviam caras bons com armas como a polícia e os caras ruins como os criminosos, e sabia que havia uma espécie equilíbrio nessa relação. Entre esses dois tipos haviam as pessoas que confiavam nesse controle e equilíbrio.

Sim, algumas pessoas normais também tinham armas, mas eles ainda tinham fé no equilíbrio e as armas para esses caras não eram mais que um hobby ou algum tipo de necessidade interna de se sentir mais forte tendo uma arma por perto.

Mas depois daquele evento, tudo mudou. Dali para frente as palavras como lei, polícia, criminosos, sistema e todo o resto desapareceram para mim. Depois desse evento, mesmo que pareça estúpido, eu me apaixonei por armas. Nos meses seguintes as armas eram uma das ferramentas mais importantes para minha sobrevivência. Se tornou muito natural para mim lidar com armas e tê-las perto o tempo todo. O tempo todo mesmo.

Talvez agora você possa estar pensando que durante a guerra é natural você ter uma arma, que não é nada demais e que as guerras acontecem somente onde há selvageria, que você mora em um lugar onde o sistema funciona e que existem os caras bons e caras ruins. Você pode pensar que basta obedecer ao sistema e ele irá te proteger, que você não precisa de uma arma se você confiar no sistema.

Eu concordava com isso, era assim que eu pensava antes desse evento. Talvez os dois caras que foram mortos também pensavam assim. Isso foi logo no começo, alguns dias depois a guerra atingiu nossa cidade e eu aprendi a minha lição.

A morte é feia, matar é errado, mas é uma coisa muito natural para pessoas que estão batalhando por recursos e sobrevivência. Eu acho que o problema das pessoas que são contra armas é que eles não querem aceitar o fato do que pode acontecer quando eles estiverem correndo e só tiverem um cinto para lutar contra pessoas ruins.

Quais são as suas visões sobre possuir uma arma e sobre o controle que há sobre elas?

Adaptado e traduzido do blog SHTF School.