Proteção residencial: O pensamento criminoso e as defesas eficazes contra ele

Em um mundo cada vez mais violento e com assaltantes mais e mais ousados, a proteção residencial é um item que anda em alta. Hoje em dia ao andarmos nas ruas vemos casas que parecem castelos medievais com seus muros altíssimos e defesas praticamente intrespassáveis. Pensando nesse fenômeno, hoje falaremos sobre os aspectos comportamentais da invasão residencial e como corrigir algumas visões equivocadas que temos sobre o assunto.

1316032777_68927896_1-Fotos-de-Eletrica-Residencial-e-Seguranca-Eletronica-Cerca-eletrica-Alarmes

Geralmente quando pensamos em um bom sistema de proteção para nossa casa automaticamente pensamos em cercas elétricas, muros, cercas e afins. Tudo isso é com certeza muito eficiente (como relatamos em um post a quase três anos atrás), mas hoje vou lhes trazer uma perspectiva diferente, o olhar comportamental por trás de todos estes aspectos.

Começaremos pelo olhar do assaltante atual e quais são algumas formas deles pensarem para que vocês possam compreender o quão equivocadas as pessoas andam quando se trata de defesa da propriedade.Vamos dividir por tópicos para facilitar a reflexão e tornar o post mais organizado:

  • A perspectiva de valor: A regra é simples, quem muito protege, muito tem a defender. Isso basicamente quer dizer que quanto mais sua casa for visualmente protegida, mais valor deve haver dentro dela. Quando andamos em bairros de grande poder aquisitivo e vemos aqueles muros bem altos com cercas enormes e até guaritas nas esquinas o que pensamos? Exatamente, que lá dentro deve haver itens interessantes;
  • Não se trata do alvo mais fácil: Hoje o crime anda muito organizado. Já passamos o tempo onde o ladrão de residência era aquele que via uma janela aberta e aproveitava para pular. As quadrilhas são especializadas e vigiam por semanas seu alvo para descobrir suas vulnerabilidades. Não se trata de achar uma casa “fácil de entrar” e sim do custo/benefício. Se eles tiverem de invadirem uma fortaleza mas lá dentro conquistarem verdadeiros tesouros, a decisão está feita;
  • A conquista está na emboscada: Raros são os assaltantes que tentarão invadir sua casa enquanto você não está. Teriam de burlar suas defesas e ainda correrem o risco de serem pegos no meio do ato por algum residente chegando mais cedo. Hoje diria que 80% das invasões e roubos residenciais acontecem por meio de emboscada, ou seja, quando o portão da garagem se abre para o residente estacionar eles abordam a vítima e entram com ela para dentro, pegando toda a família como reféns;

Visto que os pensamentos mudaram e os assaltantes andam muito mais espertos e livres do que deveriam, trago agora para vocês alguns contra pontos para resolver os tópicos apresentados acima.

  • Pense como o criminoso: Lembre-se que todo bom cão pastor tem em seu DNA partes de lobo. Isso simplesmente quer dizer que você deve desenvolver um olhar diferente, teoricamente criminoso, sobre o tema. Quando chegar em sua casa hoje, peço que olhe para ela e pense como você assaltaria o local. Imagine o que teria de fazer para evitar ou render o “trouxa” que mora ali e por onde faria tais incursões, quais equipamentos precisaria e em que horário seria a melhor alternativa. Pensando assim você sem querer vai começar a perceber várias vulnerabilidades que o local tem. Apesar de ser um conselho bastante politicamente incorreto, se você não conseguir imaginar isso com sua casa pode fazer o mesmo exercício (teórico) com a casa do vizinho – será mais fácil de começar o treino;
  • Contexto e localidade: Reconhecer o padrão das casas da sua vizinhança é muito importante. Se você mora em uma residência onde ninguém tem cercas ou muros altos, com certeza ao instalar estes na sua casa você estará mostrando claramente que é o único ali na região que vale a pena ser assaltado. Observar quais são os artifícios que as casas vizinhas usam para se proteger e manter-se no mesmo padrão não deixa você “brilhando” como um baú de tesouro para possíveis assaltantes.
  • Menos é mais: Algumas vezes demonstrar que se têm menos é a melhor saída. Casas que ostentam riqueza com garagens expostas e grandes janelas mostrando seu interior só mostram o quão besta o proprietário é, afinal, só vão atrair invejosos e interessados em assaltá-lo. Viver com conforto e luxo é muito gostoso, mas lembre-se de não sair gritando o quanto você tem de dinheiro por aí.
  • Atenção: A boa e velha atenção sempre vai bem. Ao aproximar-se de sua casa voltando do trabalho fique atento a movimentações estranhas ou pessoas nas esquinas, observando o que está acontecendo. Se caso perceber algo que foge do comum, dê um tempo. Vá até o mercado, dê a volta na quadra… Até as coisas ficarem menos suspeitas.

Entendam que idealmente todas essas dicas não deveriam precisar ser usadas. O ideal é que vivêssemos sem a preocupação de nos tornarmos a vítima da vez, de aparecermos mortos e estirados no jornal sensacionalista do final de tarde, mas infelizmente essa é a realidade em que vivemos. Você tem duas opções claras que trago em um português muito informal e claro: Ou fica esperto, ou vai rodar.

Espero que essas dicas simples e valiosas possam ajudá-lo a ter um olhar diferente, menos “feudal” sobre a defesa residencial. Se você ainda acredita que pode levantar muros altos o suficiente, usar de cercas elétricas, câmeras e afins, lembre-se que não há nenhum castelo na história humana que não tenha sido invadido.

Até.

Anúncios

44 Comentários

  • Tudo bem, só que uma coisa é se defender de roubo (chegando em casa e ser abordado na entrada, ao abrir o portão da garagem, como citado); outra é defender-se de furto (quando a casa fica vazia) – nesse caso os meios de dificultar o acesso do ladrão podem sim fazê-lo desistir…. normalmente procurando outra casa, onde não haja tanta dificuldade. Não podemos nos esquecermos que, normalmente, todo ladrão é “vagabundo”, adora “moleza”, não gosta de muito esforço, justamente por isso que prefere furtar, roubar, do que trabalhar.

  • Trabalho na área de segurança pública, atendendo casos de crimes contra o patrimônio (roubos, assaltos e furtos em geral à residências, comércios e imóveis públicos. Não consigo imaginar de onde foram tiradas as informações de que 80% das invasões são feitas com o morador em casa. Que absurdo! No mínimo é justamente o oposto. Posso dizer seguramente que, em 7 anos trabalhando no ramo, pelo menos 95% ou mais dos casos que atendi, o furto ocorreu quando não há ninguém em casa.

  • Equipamento de alarme, cameras de segurança e cerca eletrica com otimos preços

  • Fabio Henrique

    O negócio hoje é que a polícia NÃO CONSEGUE mais fazer a própria segurança! Cada um terá que fazer a sua própria! Bolsonaro Presidente e vamos armar os cidadãos de bem tb! Obrigado!

    • acho que todo o ladrão odeia perder tempo, então qualquer tipo de proteção fará o vagabundo perder tempo, então, se eu pudesse no meu muro faria proteção com vidros bem cortantes, depois colocaria arame bem farpado, e mais outra camada de concertina, e após tudo isso, ainda colocaria cêrca elétrica, daquelas de 800 mil volts, ou valter, ou varte de potência, queria ver o pilantra feito churrasco grego…

  • pois é, contra ladrões armados não há muito o que se fazer, cercas , alarmes , cães ajudam se nao tem ninguém em casa, se eles te pegam na rua , Já era. Vc pode esconder uma arma ou celular no banheiro, que é onde normalmente os malas trancam os reféns. Fora isso, é pedir a Deus pra proteger a sua familia.

  • Pingback: Proteção Residencial: Tática de Defesa por Camadas | Blog Anti Nova Ordem Mundial

  • Pingback: Proteção residencial: Tática de defesa por camadas |

  • ótimo post julio, espero muito mais ainda sobre este tema, que julgo um wshtf que ja esta acontecendo, porem muita gente ainda não percebeu.
    não devemos nos deixar intimidar pelos “bandidos”, eles avançam quando recuamos.

  • Parabéns pelo texto, concordo com tudo que foi dito, e digo mais, hoje a bandidagem andam tão “esperta” que vc não sabe mais quem vai te abordar para lhe roubar, pode ser qualquer um, o mendigo, o executivo, o padre, o pastor, aquela senhora idosa, uma criança, etc… Basta abrir as páginas de cotidiano dos jornais que vemos os diferentes meios que usam para abordar.

    Eles sabem também que quando vemos algo suspeito, não paramos e vamos embora. Então quando ficam de tocaia, se escondem muito bem para que possam nos pegar desprevenidos.

    Temos que ser zelosos, tomar todas providências possíveis para evitar e quando não haver jeito, prefira que levem seus bens, não reagindo, bens materiais adquirimos novamente, a vida jamais.

    As únicas medidas de segurança que tomo a anos são duas, pratico artes marciais desde a adolescência e sou criador de cães, especialmente da raça pastor alemão.

    Um cão bem treinado é bem intimidador, aqui tenho um pastor que é um doce, porém dependendo o movimento que eu fizer, ele parte para cima, muda totalmente. Para mim é uma das melhores raças de cães que existe. Recomendo a todos que gosta de cães de grande porte, além de lhe dar segurança, vai ter um companheiro maravilhoso.

  • Olá, eu faço consultoria entre outras coisas, e ministro palestras em condomínios fechados, primeiro, poucas pessoas vão, segundo, ninguém quer saber de “fazer” segurança, todos querem soluções práticas, comodidade…zona de conforto..!
    Os chatos que mais reclamam são os que menos aparecem nas reuniões de condomínio..!!
    Por exemplo, em alguns prédios, não entram entregadores de pizza, remédio, água, entre outros. Os moradores descem e recebem a encomenda já deixada numa caixa redonda com duas entradas, uma de cada lado na portaria, (tipo em motel quando chega a conta), nem o entregador entra ou tem contato pessoal, nem o porteiro fica exposto. Claro que nem todos prédios pode se explicar esse método. Por isso a consultoria é sempre feita o local!
    Ficou estabelecido que, se alguém bater na porta de qualquer apartamento sem prévio telefonema pelo interfone identificando-se antes, não se abre a porta. Existem mais passos a serem tomados após, mas por motivos de segurança, não postarei!
    Se cuidem todos!!

    • Sabe, sobre o que você falou sobre condomínios, tenho um desabafo a fazer. Eu moro num condomínio com 3 torres, de certa maneira antigo, com um enorme pátio cercado, uma portaria difícil de invadir e câmeras em todos os andares. Porém, as câmeras dos andares não funcionam e tem como simplesmente entrar sem se identificar e os porteiros são desarmados. Já aconteceu de tentarem invadir meu apartamento algumas vezes, e nunca ninguém percebeu nada, viu nada nem se tocou de nada, a não ser meu cachorro[pequeno] e meu marido. A taxa de condomínio é alta, mas cadê a manutenção da segurança? Por que raios ninguém coloca câmeras novas ali mesmo sabendo de relatos de invasões? Sabendo da área de proteção ambiental de mata que tem atrás do condomínio onde muitos bandidos se escondem, eles não ajeitam o que deve ser ajeitado e a vida dos moradores está em risco por causa disso. Fiquei paranóica o suficiente pra começar a criar planos de fuga ou reação e tentar decorar onde ficam todos os objetos da casa que servem como arma, tipo jarros, estiletes, vassoura, o que for. Só sei que eu realmente queria ver tudo isso solucionado, mas não tenho muito o que fazer à respeito além de sobreviver.

    • Segundo o serviço de inteligência FBI, existem 03 coisas que mais chamam a atenção do criminoso: Quem você é,o que você sabe e o que você tem”. Eu acredito em uma preparação voltada para prender o criminoso, como já foi citado a situação de colocar um celular ou uma arma dentro do banheiro. O criminoso profissional fica estudando a “presa” por dias, semanas, meses, anos, enfim. Então uma hora ele vai conseguir pegar e é nessa mesma hora que precisamos ou reverter com possíveis práticas de segurança caso ao contrário você perdeu e terá que fazer o jogo do criminoso para que leve somente os seus bens isso ser for só o suficiente porque em muitos casos ele querem é a própria pessoa. O conhecimento é a melhor arma que a pessoa pode ter para não cair nessas armadilhas da vida, e dos seres humanos, depois do conhecimento vem a preparação com práticas, agora a melhor preparação de todas é fugir da aparência do mal em todos os sentidos, você estará evitando um monte de situação que possa a vir atrapalhar a sua vida e projetos. Lembre-se que praticamente em todos os casos a própria vítima se colocou em uma zona de perigo de crime, geralmente esse fato ocorre em latrocínio- roubo seguido de morte, dentro da própria casa, tendo em vista que a vítima foi quem levou o criminoso pra dentro de casa.

  • Julio, ótimo post! Coincidentemente ele veio no momento em que minha comunidade está sofrendo com a problemática dos assaltos. Ontem um mercado de um conhecido e uma farmácia, também de uma conhecida, foram roubados, e os meliantes agiram da maneira descrita.
    Aparentemente eles vinham observando a dias as vítimas, e usaram dessa estratégia mais sagaz para ter acesso aos estabelecimentos e casas dos mesmos. A segurança pública é fraquíssima na minha região, e a comunidade está assustada com o que vem ocorrendo (não sei se já mencionei aqui no blog, mas sou do interior de pernambuco, da zona rural mesmo).
    Acredito que vamos ter de recorrer (infelizmente) aos métodos antigos, onde a comunidade tem de se unir para “fazer uma limpa” nessa corja, caso as autoridades não tomem as medidas cabíveis.
    Como disse a minha mãe, os “antigos” da nossa região meio que profetizaram que “o povo ainda vai pedir pra morrer”. Ainda não chegamos nesse extremo, e eu espero que não ocorra, mas que a situação está complicada, isso não se pode negar!

    • Olá Caio,

      INfelizmente quando o sistema não consegue dar conta do recado, a população tem de recorrer a meios mais extremos… É sempre assim. Espero que as coisas fiquem melhores antes de caírem de vez para o fundo do poço.

      Abraços.

      • Bem, por enquanto as coisas voltaram a esfriar, o que foi bom, mas ainda estamos com a sensação (e praticamente certeza) de que em breve mais crimes vão voltar a acontecer.

  • Weber Cheli Batista

    Portões fechados são piores que portões abertos (experiência própria), com portões fechados os vagabundos põe as motos para dentro e o fecham bloqueando a visão dos vizinhos. Mesmo que seja somente uma abertura de enfeite, mas que dê para o vizinho olhar dentro da casa para observar movimentos ou veículos suspeitos.

  • Muito boa as dicas… mas posso afirmar que assaltantes não tem paciência para acompanhar rotina de uma possível vítima, eles já tem informações privilegiadas de contatos seus (“amigos”, conhecidos, etc…)

    • Um policial colega meu que trabalhava com escuta telefônica disse que certa vez ele acompanhou o “trabalho” de uma quadrilha dessas através do telefone. Realmente os caras não ficaram seguindo a vítima como num filme de espionagem. Mas eles mandaram um integrante menos importante da quadrilha fazer essa pesquisa. Eles pediram pra ele achar um modelo específico de carro que fosse o mais fácil possível para se roubar. Essa pesquisa levou alguns dias, o bandido encontrou o carro na rua e seguiu a vítima até em casa pra ver onde morava. Depois, com a placa do carro, conseguiu descobrir o nome da pessoa pela internet e deu uma olhada em redes sociais pra saber se a pessoa morava sozinha, etc. (se não achasse no facebook aposto que daria um jeito, perguntaria pra vizinhos, etc). O colega continuou ouvindo, mas enquanto não houve crime ninguém pôde ser preso. Então o plano era esperar pelo assalto, recuperar o carro e prender todo mundo. O problema foi que no dia do assalto o chefe da quadrilha fez um telefonema e mandou os caras levarem a mulher, matar e largar o corpo na estrada. Daí o jeito foi botar uma viatura ostensiva na frente da casa da vítima pra impedir o assalto, desse jeito ninguém foi preso (não naquele momento). E o pior é que a vítima nunca soube de nada. Ou seja, tinha uma quadrilha que sabia onde ela morava, que morava sozinha, era solteira, funcionária pública, não tinha armas e que ela tinha o carro que elas queriam. Era uma ovelha vivendo no país da maravilhas.
      (Escrevo isso para as pessoas de bem saberem como esses marginais atuam, mas peço que não reproduzam isso em outros lugares para a bandidagem continuar confiante de que não há lobos farejando. Não creio que um bandido vá ler blog de sobrevivência, eles só pensam no dinheiro que vão conseguir pra gastar no próximo fim de semana, não pensam a longo prazo.)

      • Olá leandro,

        Caramba, realmente complicado mesmo! Menos mal que a situação teve um bom desfecho. Obrigado pela complementação!

        Abraços.

  • Pesquisas já chegaram à conclusão de que os locais mais seguros nas cidades são aqueles com muitas janelas observando, na frente de um edifício residencial por exemplo. O ladrão tem medo de ser visto em ação por algum vizinho que possa chamar a polícia. Erguer um muro alto pra se esconder dos vizinhos e ter privacidade não ajuda nada na segurança.
    E se algum dia achar que alguém está te seguindo de no caminho de casa (de carro), passe direto e dê a volta na quadra. Se continuar seguindo só pare na frente de uma delegacia de polícia. É muito comum assaltarem gente que acabou de parar no portão de casa.
    E se vc mora perto da fronteira com o Paraguay e tem uma caminhonete à diesel, tenha atenção redobrada. (mais ainda se for uma Toyota Hylux). Eles costumam observar a vítima por vários dias, pesquisam na internet pra ver se a pessoa mora com algum policial ou tem porte de arma. Então rendem na porta de casa e mantém a vítima refém até o carro roubado passar na fronteira. Trabalho aqui na Ponte da Amizade, já aconteceu até de a vítima ser pega em São Paulo e mantida refém até o carro chegar aqui. Assim eles saem do país antes de o carro ser registrado como roubado.

    • Olá Leandro,

      Ótimas dicas! Eu moro relativamente longe da fronteira 400km e ainda assim temos problemas com roubos de carros para essa finalidade de sair do país.

      Abração.

  • Além de todas as boas observações dos outros comentaristas, acrescento que a vizinhança é a melhor ajuda em momentos de invasão a residência, com ou sem moradores sendo tomados como reféns.
    Quase todos os casos de captura ou fuga dos meliantes, sem sucesso no roubo ou furto, começaram com um vizinho ouvindo ruídos estranhos fora da rotina ou vendo a vítima sendo rendida.
    Manter uma rede de mútua vigilância, com todos conhecendo e prestando atenção às rotinas dos outros vizinhos não invade a privacidade de ninguém e cria uma segurança preventiva real.
    O bandido não ataca presas fortes- e ainda nos resta a força da união entre gente de bem.
    Aproveite a criação de tal rede para estudar o perfil de seus vizinhos (principalmente os filhos jovens), pois infelizmente pode haver maus elementos residindo próximos de você e, aí, se “o inimigo mora ao lado”, não haverá cerca, rede de proteção ou polícia que o proteja o suficiente.

    • Olá Major,

      Concordo plenamente com seu comentário, ainda mais vindo de alguém com experiência na área. Difícil é criar vínculos com vizinhos que hoje em dia fecham-se e nem ao menos cumprimentam. O grande desafio aqui é conseguir quebrar esta barreira inicial para aí então pensar em parceria e camaradagem, mas ainda assim, também concordo ser a melhor saída.

      Abraço.

  • Caco de vidro no muro é o melhor sistema de segurança que há. O bandido nem entra porque sabe que a casa é de pobre.

    • hahaha…boa

    • Fala Ismael!

      Pois é, dá a impressão de menor valor interno mas ainda assim tudo depende do contexto geral da residência. Ao olhar para sua casa você pensa “Uau, que casa legal” ou “Que casa desinteressante”? Acho que esse é o ponto principal de discussão.

      Abraço.

  • Felipe Moreira de Miranda

    Olá Julio, sou Gestor de Segurança Privada, trabalho na área de segurança há 21 anos e acabei de terminar um curso de segurança eletrônica pelo SENAI.
    Quero deixar aqui meus parabéns pelo seu trabalho, tudo que você escreveu na matéria condiz com a visão de segurança atual.

    • Olá Felipe,

      Valeu pelo apoio, fico feliz em saber que um profissional da área concorda com meus pontos.

      ABração!

  • Olá, excelente artigo, pois muitas pessoas não percebem que ficam vulneráveis pelas suas atitudes. Um exemplo: não sei se no Brasil já é comum, mas li uma reportagem que no exterior, muitas vítimas são escolhidas pelos meliantes através das redes sociais devido à exposição de seus bens (carro novo, eletrônicos, fotos da casa, etc).
    Porém, acredito que mais do que ladrões profissionais que escolhem alvos recompensadores, os ladrões “pé-de-chinelo” e oportunistas sejam a maioria, ainda mais havendo tantos viciados pelas ruas. Ou seja, o descuido com um janela aberta ou um botijão de gás visível da rua pode atrair a invasão de qualquer meliante que esteja passando.
    Por isso, métodos anti-furto ainda são eficientes, mesmo um simples alarme, mas é apenas mais um paliativo, como o .38 que mantemos a mão em casa. Táticas de auto-proteção são ainda mais eficientes, como observar se está sendo seguido quando chega em casa e negar aquele copo d’àgua que um estranho pede na porta de casa – já neguei muitas vezes e se isso vale algum bônus no Céu já me ferrei, se bem que agnósticos não vão pra lá mesmo.

    • ateus, vc quer dizer. kkkk

    • Olá Max,

      Já ouvi falar sobre essa situação de pesquisa nas redes sociais e houveram sim alguns casos aqui no Brasil. Fato é que se você quiser, pode descobrir basicamente TUDO sobre a vida de um indivíduo somente coletando informações de seus perfis sociais… Essa questão me amedronta bastante, tanto que fiz uma boa modificação no meu comportamento online para deixar de dar “brechas”.

      Abraços!

  • Ótimo material. Na minha casa tenho uma série de apetrechos, no entanto mesmo assim pensei em um cneário de SHTF no qual as turbas ocupam as ruas, os molotof’s vooam… os saques se tornam regra… neste cenário, de total insegurança até evacuarmos a casa estariamos em uma lacuna defensiva, dentre os ardis que elaborei e estou confeccionando estão 150 vergalhões de construção com 60 cm de altura aproximadamente afiados – bem pointuiagudos – para plantar no terreno. Pobre do cretino que tentar pular muros de 2m e 50cm de altura e cair em um terreno que mais vai parecer o lombo de um porco espeinho!
    É uma estratégia radical para um cenário “A la Argentina”.

    • Olá Rodrigo,

      Interessante você trazer essa discussão e ideias para o post, ótima forma de prevenção. O problema será depois lidar com o indivíduo sangrando no teu quintal… Não será tão fácil quanto pode parecer agora.

      Abraços!

  • Yoseph Makabi

    Olá rapaziada…
    Muito bom o artigo. No resumo o que mais importa é a PREVENÇÃO. Desenvolva uma mentalidade de SEGURANÇA e aprenda a se prevenir. O velho ditado diz que um homem prevenido vale por dois. Portanto a prevenção evita que vc seja pego de surpresa. Se vc estiver atento o vagabundo não vai te abordar e se tentar vc estará pronto para a reação.
    SELVA!!!

    • Olá Yoseph,

      Concordo em gênero e grau, obrigado pela complementação!

      Abraços.

  • CAMUFLAGEM É UMA LEI DE SOBREVIVÊNCIA!
    VALEU JULIO LOBO

    • Fala Hallan!

      Pois é amigo, nunca vi animal algum ostentar qualquer tipo de característica… Os que o fizeram viraram comida rapidinho.

      Abraços.

  • Ser e não parecer.
    Esse é um lema comum nas Forças Especiais, Táticas e outros que nos diz muito convenientemente que você é aquilo que aparenta ser: pareça ser rico e mesmo não sendo, será alvo de ataques.
    Muito diferente do velho ditado, nos nossos dias o crime compensa ou faz parecer que sim de uma forma muito mais sólida do que em décadas passadas e têm-se a impressão de que o verdadeiro crime é não dividir e não pagar impostos..
    Vemos todos os dias bandidos em todas as esferas sociais saírem-se ilesos e felizes de seus crimes e isso e isso só tem a potencializar a inclinação que tantos indivíduos tem para o crime.
    Volto a dizer: as duas camadas sociais mais temíveis são os que só tem a ganhar e os que não tem nada a perder.

    • Olá Carlos,

      Exatamente, muito obrigado pela complementação de conteúdo.

      Abraço.

  • carlossilvapb

    O nosso nível de estresse por conta da violência está quase tão grande quanto o de pessoas que vivem em países em guerra. Isso é lamentável. Mas, ao mesmo tempo, parece ser uma espécie de preparação para uma possível crise…

    • Carlos,

      Não diria que só nosso nível de estresse como também nossas estatísticas demonstram claramente que estamos com um volume maior de violência do que os países em guerra! O mais amedrontador é o fato de que isso só tende a piorar.

      Abraço.

  • Otimo texto, sempre pensei nessa ideia de menos é mais, como dizem quem desdenha quer comprar… quem tem muro alto, e inúmeros aparatos, tem o que proteger, embora a vida não tenha preço.

    Grande Abraço!

    • Fala Saulo,

      É bem por aí, obrigado pelo comentário!

      Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s