Fortificando sua casa contra ataques

Muitos sobrevivencialistas têm fantasias irreais sobre como a vida será depois de uma grande crise. Eles se imaginam entocados em suas casas por meses ou anos, fazendo turnos de guarda durante 24 horas por dia. Imaginam que possuirão uma fortaleza impenetrável e que não importa o quanto tentem invadi-lo, ele sairá vitorioso. Infelizmente, o fato é que isso provavelmente não irá acontecer…

Já que não possuímos uma propensão grande para desastres naturais, o cenário mais provável para o Brasil será um colapso econômico seguido de muitos meses de revoltas até que a ordem seja restaurada.

As pessoas vão gastar tempo trabalhando por alguns trocados ou procurando por suprimentos nos arredores. Além da falta de comida e água potável, a maior ameaça à sobrevivência serão os ladrões, estupradores e assassinos. O crime será dominante, então é melhor que você comece a pensar sobre a segurança de sua casa. Aqui estão algumas sugestões:

Encontre um lugar seguro para viver: Evite casas com janelas grandes e portas deslizantes de vidro, elas são muito fáceis para serem atravessadas. Também se lembre que apartamentos de segundo e terceiro andar são muito menos atraentes para invasores, pois esses querem ter uma saída rápida em caso de perigo (pular da janela não será uma boa opção).

Reforce suas portas: A grande maioria dos criminosos não tem idéia de como abrir portas, eles simplesmente chutam elas. Se você possuir uma porta robusta que não pode ser quebrada com chutes tão facilmente, eles vão simplesmente ir para a próxima casa. E não se esqueça da porta dos fundos e da garagem (se você as possuir em casa).

Compre luzes com sensores de movimento: Especialmente o tipo que possui baterias, pois geralmente as invasões ocorrerão quando não houver eletricidade (em uma grande crise podemos ter certeza de que haverá faltas de luz ou um blackout completo). Criminosos não gostam de serem vistos, se uma luz brilhante os atingir eles provavelmente vão fugir.

Compre um alarme: Um bem barulhento. E novamente, tenha certeza de que ele vai funcionar quando a rede de luz cair. Se você não possui muito dinheiro, pelo menos compre aqueles sensores de porta (aqueles de lojas que quando você entra, ele toca). Você pode comprar um desses por menos de trinta reais.

Reforce suas janelas: Como eu disse antes, janelas são muito fáceis de serem quebradas. Recomendo que você coloque grade em todas as janelas. Se existem barras nas janelas, nove de dez vezes os criminosos irão para outra casa mais fácil de ser arrombada.

Instale uma cerca de segurança: A cerca precisa passar por todo o perímetro da sua propriedade e ser alta o bastante para evitar que os invasores consigam pular por cima. Se você tiver o orçamento para isso instale cercas elétricas (lembre-se, que funcionem à bateria também), porém tenha em mente que esta defesa tem como função apenas deter temporariamente o invasor, pois se ele estiver determinado, irá encontrar um jeito de superá-la.

Compre um cofre de distração: Você deve possuir dois depósitos de suprimentos/preciosidades em sua casa. O primeiro deverá ser de distração, fácil de ser achado e cheio com algum dinheiro, jóias baratas e documentos que parecem importantes. O segundo deverá estar muito bem escondido, que é onde os seus reais pertences valiosos estarão.

E o conselho mais importante…

Pense como um criminoso: Se um criminoso olhasse para a sua casa, ele veria brinquedos, ferramentas ou outras coisas no quintal? Existem ali muitos arbustos para se esconder? Ele veria equipamentos caros pela janela? Não deixe coisas fora de casa, livre-se dos arbustos e arranje algumas boas e grossas cortinas. Quando você estiver pronto, olhe para sua casa e compare-a com a de seus vizinhos. Ela parece mais segura que a deles? Se não, sua casa poderá ser o primeiro alvo.

A grande maioria das pessoas ignora o assunto “segurança” e quando as situações ocorrem (roubos, seqüestros, estupros e outros) ficam se perguntando por que foram vítimas de tais eventos. Não seja um elemento passivo.

Fonte: Off Grid Survival 

Até.

Anúncios

6 Comentários

  • Lembrando que atualmente temos quase 60.000 homicídios por ano, muitos deles ocorridos em invasões domicílio (latrocínio), creio que já vivemos um momento de crise. O estado é ineficaz em nos garantir segurança pública, além de ser fato notório a ousadia cada vez maior dos criminosos.

  • Pingback: Proteção residencial: O pensamento criminoso e as defesas eficazes contra ele |

  • Pingback: Relembrando alguns posts |

  • Gustavo Garcia

    As ideias apresentadas no post são boas; porém, abordam (intencionalmente, deixando para um próximo post, ou não) , apenas, as regras de isolamento do indivíduo, não comentando sobre as regras de socialização, ou seja, dicas de segurança para o momento em que, necessariamente, o indivíduo deverá interagir com outro(s). Fato é que a criminalidade conhece a dificuldade existente na superação dos obstáculos incluídos nas moradias (ofendículos, grades, blindagens, etc.); assim, passaram a utilizar outra técnica para invadir um imóvel, qual seja, abordar o morador durante a entrada ou saída da “fortaleza”. E, tal modo de praticar o delito também poderá ocorrer em situações de crise. Daí, a colocação de “passa delivery” ser fundamental para que o indivíduo não seja abordado enquanto recebe mercadorias. Também, a colocação de um segundo portão no imóvel, criando uma espécie de jaula, ser essencial para que o ato de abordagem não sirva de meio para invadir o local. Voltando para as regras de isolamento, uma dica é criar um “quarto do pânico”. Lembre-se que a segurança, fisicamente considerada, sempre é feita por perímetros, de fora para dentro, e que a segurança de uma área maior é sempre mais difícil de ser realizada que de uma área menor. Então, o simples ato de colocar uma porta maçica, com tranca, em um quarto (e não uma porta oca) já ajudará a aumentar a segurança. Abraços.

    • Concordo em pleno com você Gustavo. A grande maioria de invasões e roubos ocorrem quando o morador é abordado ao sair/entrar em sua residência, porém nesse post preferi abordar as questões estruturais ligadas à casa, que apesar de não eliminarem a possibilidade de uma invasão, tendem a retardar ou desencorajar os atacantes. Agradeço o seu comentário rico em conteúdo e logo postarei sobre os aspectos nele citados.

      Abraços.

  • Ótimo post Julio, esse tipo de situação, não mesmo numa crise, mas estamos sujeitos a isso todos os dias, segurança acima de tudo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s