Como se “desligar da rede” com pouco dinheiro

Este texto retirei de um blog feito por um casal que hoje vive o sonho de não depender da rede para nada. Aqui eles falam um pouco acerca do que você pode fazer para perseguir o seu sonho de sustentabilidade e auto suficiência.

Como se desligar da rede com pouco dinheiro… esse é o Santo Graal, não é? Eu vejo muitas pessoas postando mensagens aqui e em outros sites, todos dizendo a mesma coisa, que querem ser independentes, que querem ter um pedaço de terra, um pequeno lugar para viver para se desligar da sociedade mas elas não tem dinheiro para fazer isso. Elas muitas vezes querem se agrupar com outras pessoas na esperança de juntar recursos ou simplesmente pular no vagão de alguém.

Eu estou aqui para lhe dizer que é possível fazer isso sem andar por meios ilegais e sem precisar se juntar com outras pessoas para começar esta empreitada.  Eu tenho certeza de que o que falarei não é o único caminho, mas foi como fizemos e funcionou para gente. Você talvez tenha de tomar um rumo diferente, mas um rumo você deve tomar se realmente quer fazer isso.

Primeiro, lhe tomará certo dinheiro pois nada é feito de graça. Claro, você terá de ganhar esse dinheiro trabalhando e não há outra forma de fazer isso, a não ser que tenha um parente que vai lhe deixar uma bolada de dinheiro ou uma propriedade… Se você tem isso acontecendo na sua vida você pode pular a parte financeira, seu sortudo.

Se você não tem dinheiro em mãos (como a grande maioria), então você terá de economizar, contar, guardar cada centavo que você absolutamente não precisa gastar durante a vida. É impressionante quanto dinheiro as pessoas jogam fora a cada pagamento, a cada dia… Mas vamos lá:

  • Você talvez terá de trabalhar em mais de um local;
  • Você terá de viver o mais barato que puder e isso significa não pagar por nada que não seja absolutamente necessário para viver;
  • Não vai poder sair para jantar fora;
  • Terá de comer em casa e escolhendo as comidas mais baratas;
  • Comprar um carro usado (se realmente precisar de um carro);
  • Comprar roupas em lojas populares;

Todo dinheiro que você deixar de gastar agora, será um passo para atingir seu futuro. Coloque esse dinheiro todo em algum lugar e NÃO toque nele. Quando mais dinheiro guardar, mais rápido poderá viver a vida dos seus sonhos.

Em seguida você precisará de uma propriedade, uma que esteja no seu nome, limpa e documentada. Agora voltemos a questão do dinheiro:

  • Procure por propriedades baratas;
  • Esteja absolutamente certo que a propriedade que você tem interesse acomodará suas necessidades;
  • Cheque e cheque novamente se você poderá viver como quer neste local;
  • Cheque seus potenciais vizinhos, não é legal ter vizinhos chatos ou barulhentos;
  • Cheque por restrições, quando mais você NÃO PUDER fazer na propriedade, menos independente você poderá ser.

A maior dica é que você procure por propriedades “com problemas”, a propriedade que eu comprei era mais barata pois o acesso a ela era mais difícil e há um riacho que corre na frente da propriedade na época de chuva, sendo que ele é fundo o suficiente para a maioria dos veículos não passar. Nosso vizinho tem uma ponte, nós não… Somente isso fez com que a propriedade fosse menos desejável para a maioria das pessoas, mas não para nós.

Agora, enquanto estiver fazendo tudo isso você terá de pensar em suas habilidades. O quão habilidoso você é? Você sabe construir? Sabe arrumar coisas? Quanto mais você puder fazer, mais barato a vida diária será, ponto final. Se você não é habilidoso então precisará dar um jeito de desenvolver isso, faça o que puder para aprender um pouco sobre a maioria das habilidades gerais que um “homem tradicional antigo” deveria saber… Sim homens, estamos falando com vocês. Senhoritas, vocês não são exceção à regra, se quiser fazer isso, terá de aprender várias habilidades também como cozinhar sem tecnologia, enlatar, primeiros socorros, manutenção básica e o máximo de atividades físicas que você puder fazer. Quanto mais você puder fazer sozinho sem precisar pagar alguém para realizar o serviço, melhor você estará. Estas habilidades também podem lhe tornar economicamente valioso em tempo de crise, onde você poderá trocar alguns serviços por dinheiro ou por recursos que você precisa.

Isso tomará algum tempo? Claro que tomará, mas quanto mais cedo você começar, mais cedo você viverá seu sonho! Apenas pense se você tivesse começado esta jornada a cinco, dez anos atrás… Onde você estaria agora? Nunca é tarde para começar, mas um começo tem de existir se você realmente quer isso.

Não espere que alguém faça isso por você, eu não recomendo que vocês entrem em um grupo. Sinceramente, existem muitos problemas com grupos e se este quebra ou tem problemas legais no futuro, onde isso te deixa? Na minha opinião, a melhor coisa a se fazer é possuir sua própria terra, limpa e documentada. Isso significa comprar algo barato onde você terá liberdade para construir seu próprio lugar ou até mesmo colocar um trailer baratinho até poder construir algo mais permanente (isso lhe deixará isento de MUITAS taxas).
Se você não tem crianças ainda, não as tenha enquanto você não estiver bem fixado em seu próprio local e terra. Não há nada de errado em ter crianças, porém elas custam dinheiro e um monte de tempo… Se você realmente quer viver de forma independente fora da rede então precisará focar NISSO primeiro, só então depois formar a família. Se você já tem crianças e elas ainda vivem em casa, você terá um trabalho mais duro e provavelmente demorará mais tempo para alcançar o que quer, mas não desista dos seus sonhos.

Eu nunca disse que seria fácil, a maioria do tempo nada vem de forma fácil, mas se você realmente, REALMENTE quer fazer isso, pare de esperar por outros e tome controle da sua vida, estabeleça as metas e não desista.

Traduzido e adaptado do blog Off-Grid.

Anúncios

42 Comentários

  • Valeu! Mas eu fiquei muito curioso. Acho que essas experiências representam a transição de um mundo consumista e materialistas para um mundo mais sustentável, orgânico e prazeroso no sentido satisfazer as necessidades instintivas do ser humano é logicamente o colocar num ambiente mais natural e saudável. Daí eu gostaria de saber mais pois eu acho que daria um ótimo livro para inspirar outras pessoas que sentem o mesmo e buscam a mudança. Mas se você puder partilhe mais com a gente sobre a sua história. Abraço

  • Olá Amigos,
    Por gentileza gostaria de indicações sobre alguns sites (além deste lógico) ou literaturas sobre o tema pois pretendo me preparar para em breve também abandonar esta vida caótica urbana e me mudar para o “mato”.
    Obrigado.

  • Estou querendo criar uma ecovila…..alguém topa?
    Compramos um terreno e mãos a obra.

  • Eu me mudei pro campo seis anos atrás, não é fácil, a cidade nos traz conforto e vivemos numa zona de conforto!
    Mas como dou muita importância ao sobrevivencialismo, achei melhor abrir mão desses confortos (fast food, disk comida, shopping entre outros), e ter realmente qualidade de vida..
    Ainda bem que a mulher concorda com isso!!
    No sítio já crio galinhas caipiras e seus ovos, horta farta, água de nascente, mel, uma grande variedade de árvores frutíferas e crescendo o número delas…
    Feijão, mandioca, milho, amendoim, banana e muito mais, e digo, se quiser é possível pois tenho pouca 2 hectares e com planejamento da certo.
    O que falta ainda é energia, pois qualquer sistema fora do convencional é caro e exige mais manutenção.
    Quanto menos depender do “sistema” melhor, mas não é fácil e nem barato!
    Mas pra ter tudo isso e continuar mantendo dessa forma, segurança é fundamental, como disseram acima, quando a b….. feder, muitos virão pro campo fugindo, os que conseguirem né, então é preciso ter muita “segurança”!!

    Convido os colegas e explico que, mudar pro interior não é um bicho de sete cabeças como muitos acham, questão de adaptação, e de qualquer forma, quando acontecer algum caos social, seja ele local, nacional ou mundial não teremos que nós adaptar?? Que comecemos logo então!!
    Abraço!!

  • Eu já perdi a esperança neste sistema capitalista… quanta hipocrisia, falsidade, enganação…… O cidadão comum é um escravo moderno, um robô que é usado pelo sistema e depois descartado. Perdemos, em média, 1/3 da nossa vida trabalhando e recebendo o mínimo possível, no final da vida pagam uma aposentadoria mínima, um verdadeiro ‘pé na bunda’ do trabalhador… Eu e minha esposa adquirimos a cerca de 1 ano uma propriedade rural ( 15 hectares) no sudeste de Goiás, nós mudamos para a cidade próxima ( 30 mil habitantes) e estamos construindo uma infraestrutura mínima para viver off grid…. mas, digo para todos não é fácil !!! Tudo muito caro, difícil, sistemas ( como de geração de energia) off grid são poucos e extremamente caros, não existe mão-de-obra qualificada… mas, estamos lutando e num futuro (esperamos próximo) abrir para curso, vivências, etc, ligados ao sobrevivencialismo e a permacultura!!!

  • Pingback: É possível viver fora da rede? - Jardim do Mundo | Jardim do Mundo

  • Jonas Silva

    Viver off grid não significa abandonar tecnologia, por que se não sugiro começar a andar pelado (tecnologia de produção de roupas), não ter abrigo (construção de casas) e não usar facas e utensílios… Da mesma forma, se for possível desenvolver fontes de energia fora da rede, como a solar ou eólica, isso é bem vindo. Sobrevivencialismo não se trata de abandonar a tecnologia e tampouco de abandonar o conforto (talvez o excesso)…

  • O grande problema, de todas essas idéias é a grande questão da Segurança… Pensamos muito em ser auto suficientes, mas temos que lembrar que num cenario de crise todos vao fugir e procurar um local auto suficiente como o nosso. Aí vem o grande X da questão… Como defender as nossas propriedades? Como evitar que sejam invadidas e dominadas? Já que no Brasil o uso de armas é proibido…

    • Meu amigo os problemas de segurança existe em todo o Brasil, como voce acha que os moradores de sitios( distantes das cidades locais sem telefone e sem sinal de celular) se defende de ladrões e bandidos, não é com estilingue meu caro.

  • Yoseph Macabi

    Olá a todos.
    É possível sim viver fora da rede, mas não é fácil. Ter carro, por exemplo é pagar impostos, taxas, seguro e ter problemas (manutenção, furtos, etc…). Tenha uma carroça ou charrete, bicicleta também é legal. Ou um cavalo, jumento, burro, mula, etc… Não se paga taxas, impostos nem precisa de carteira de motorista (renovada a cada cinco anos). Não ter renda declarada, pois num sítio você faz parte da AGRICULTURA FAMILIAR ou de subsistência, portanto fora da gula do governo. Se você não votar ou não tiver título eleitoral ninguém vai te matar por isso, apenas você sofre algumas restriçoes do governo (a grande Besta do Apocalipse), por isso tenha seu título e vote ou pague uma multa de vez em quando. Viva uma vida simples, natural, vegetariana, frugívora, crudívora, ou semelhante, para ter saúde e não precisar ir em hospitais e médicos ou dentista, farmácia, etc… Telefone, eletricidade e outras coisas vai desaparecer, então comece já a não precisar disso. Água pode ser de poço ou de mina. Bomba pra puxar água pode ser manual (você mesmo constrói) ou eólica, ou carneiro hidráulico, ou roda d’água, enfim pode ser até no balde, não precisa de energia. Iluminação você descobre que não é difícil iluminar com os recursos do meio ambiente e ninguém morre se ficar no escuro. Eu estou experimentando e me preparando no mato, no Mato Grosso. Até agora tem dado certo.
    Abraços

    • Luciano Santos

      Caro Yoseph, muito bom seu comentário. Concordo com 90% do que você escreveu. A única coisa que não concordei é “ter uma vida vegetariana, frugívora, crudívora, ou semelhante, para ter saúde”. Não tenho nada contra quem é vegetariano, cada um é come o que quiser. Mas não podemos negar que em um ambiente rural (ou natural) os animais são grandes aliados do homem, principalmente na alimentação (é, infelizmente temos que comê-los). Galinhas fornecem ovos , carne e esterco para adubar a horta. Uma vaca também, fornece leite, que pode ser transformado em queijos com bom tempo de armazenamento fora da geladeira. Porcos também fornecem carne, e os dejetos deles podem ser usados para construir um biodigestor, que produz gás, que serve de combustível para um gerador elétrico. Algumas vitaminas que são indispensáveis para o ser humano só existem em alimentos de origem animal, como a vitamina B12, por exemplo. O próprio código genético humano foi se adaptando por milhares de anos, nos transformando em seres onívoros. Na minha opinião, quando pensamos em saúde, não podemos dispensar os nutrientes importantes de origem animal. Não precisamos nos empanturrar de carne para ter uma boa nutrição. Apenas ela precisa estar presente na dieta, em quantidade moderada. O mesmo para ovos, leite, peixe, etc. Uma dieta variada e balanceada é o ideal para ter boa saúde. Um abraço.

      • Yoseph Makabi

        Oi Luciano.
        Não vamos discutir essa questão de alimentação. Mas, por lógica, o crudivorismo é o ideal para o sobrevivencialismo porque dispensa o fogo, a cozinha e seus apetrechos. Mas concordo que alguns nutrientes, bem poucos felizmente, são encontrados nas carnes… Um peixe, um frango e, em caso de crise, uma caça ou outro bicho qualquer, não vai nos matar antes da hora… Mas eu sou crudívoro e puxo a brasa para a minha sardinha (gostou do trocadilho?),,, Um grande abraço.

    • Marcelo Petry

      Não é bem assim, a parte de que não vai precisar de hospital, médico, dentista… Isso pode ser para pessoas jovens. Trabalho com sáude preventiva e sei que mesmo os que levam uma vida saudável, (veganos, crudívoros, etc). desenvolvem doenças com o passar dos anos. Infelizmente só ter um vida saudável não é o suficiente.

      • Roberto Moreno

        Concordo com o colega quanto a questão saúde e deixo a observação que em tempos antigos as pessoas recorriam aos médicos e na falta destes a benzedeiras, pessoas conhecedoras de remédios da floresta, velhos índios ou aqueles remédios de conhecimento popular da época dos tataravós,mas hoje em dia não podemos abrir mão da figura do médico. No caso de uma crise instalada no país e não tendo médicos então vale tudo que possa ajudar, A Figura do dentista e oftalmo não pode ser negligenciada. Se uma crise se instalar no país e sua saúde estiver em dia, você tem chance de passar pelo período sem maiores dissabores, se por exemplo você não estiver enxergando e se instalar uma crise você estará encrencado. precisamos ser inteligentes e utilizar os recursos da melhor forma.

    • Yoseph caso veja essa mensagem faça contato por favor:

      hcitalian@gmail.com ou pelo facebook.

  • Olá, recém essa semana comecei a prestar atençao sobre o sobrevivencialismo e tenho achado interessante todas as hipóteses que podem desencadear uma desestruturação social, seja mundial, nacional ou local (guerras, insurreições, epidemias, enchentes, etc) e nenhuma delas é fora de cogitação, pois aconteceram inúmeras vezes na história humana e ainda hoje acontece ( vide Síria). Porém, mais interessante é o exercício mental em busca de prevenções a cada caso!
    Sempre imaginei viver afastado da sociedade, desenvolvendo uma nova cultura, um novo meio de relacionamento humano. Viveria na hipótese acima se fosse em comunidade, com pessoas que compartilhem os mesmos interesses, mas não sozinho. Como moro no litoral, optaria por propriedades com acesso ao mar, rio, arroios navegáveis, pois além de poder pescar, ainda se tem uma opção de transporte barato através de barcos para levar e trazer produtos (afinal, não vamos poder produzir tudo que consumimos). Em caso de uma convulsão social ou guerra, é um meio de fuga mais eficiente que as estradas.

  • Carlos Hermógenes

    Acho importante ressaltar que é tecnicamente impossível se desligar da rede, mesmo com tudo isso. Sempre teremos que pagar um imposto, votar (mesmo que seja nulo), renovar um documento e tantas outras obrigações para nos manter na lei e garantir nossos direitos. Achar um lugar para produzir seu próprio alimento, conseguir sua própria água e se tornar o mais auto-sustentável possível é o mais próximo que podemos fazer para nos afastar da rede. Mesmo assim, ainda é importante ter a companhia de outro ser humano, pois como “O ser humano é um ser social” podemos desenvolver sérios problemas se ficarmos sozinhos e isolados por muito tempo.

    • Olá Carlos!
      Concordo com você, somos “sociáveis”, mas quanto mais eu puder ficar longe de certos “sociáveis” melhor, prefiro a companhia de alguns animais a outros animais..😄
      Infelizmente temos que renovar carteira de motorista, pagar impostos anuais..😞
      Mas o que eu puder ficar menos dependente da “rede”, melhor!
      Já dei dois passos que não minha opinião são grandes, não pago aluguel e água, mas ainda compro arroz, açúcar, sal, abasteço o carro..
      De pouco em pouco vou minimizar a dependência,
      Abraço!

      • Jonas S Silva

        Comanf, o fato de vc responder já é contraditório. Se vc dispensa socialização, por que respondeu? por que dar sua resposta? Somos sociáveis e vivemos em grupo, se é ruim ficar por perto, é pior se isolar. Pelo menos família e amigos temos que ter, não ter isso é sinal de problemas.

  • essa e a diferença do sobrevivencialismo enquanto a maioria das pessoas
    desejam um lugar de luxo nos preferimos viver de forma sustentavel e alto suficiente.

  • carlossilvapb

    Olá a todos!

    As grandes cidades, mesmo em dias normais, já estão se tornando insustentáveis. Fatores como trânsito caótico, poluição atmosférica e sonora, preços mais altos de alimento e moradia, distâncias muito grandes entre casa e trabalho e outros resultam em má qualidade de vida. Se uma crise acontece então, será muito difícil, mesmo para os mais preparados, sair incólumes. Sem falar que, se uma grande cidade fica, por exemplo, sem energia, logo ela se tornará inabitável. Sem água, sem distribuição de alimentos, as pessoas morrerão de fome e sede, sem falar nas doenças, pois a coleta de lixo e o saneamento básico também pararão. Eu e minha família saímos de uma metrópole e viemos para uma cidade do interior. Ganhamos bem menos, mas, o menos acaba sendo mais, porque o custo de vida é bem menor. Mas, mesmo assim, ainda é um local que pode se tornar complicado em tempos de crise. Então, juntamos a família toda e compramos algumas terras, a cerca de 8km da cidade. E por uma bagatela. Lá, estamos tomando algumas medidas que nos permitirão ter uma subsistência aceitável sem depender de recursos externos. Eu creio que, se você é sobrevivencialista, vai perceber que as cidades são o pior lugar para se estar em caso de crise.
    Se você não puder, de maneira alguma, deixar a cidade, procure ter um refúgio, nem que seja a casa de algum parente ou amigo mais chegado, que fique não muito perto das maiores cidades, e certifique-se que você vai poder chegar lá. Motocicletas, especialmente as menores, entre 150 e 300cc, podem permitir uma fuga rápida em cenários de dificuldades no trânsito. Mas, o ideal mesmo é NÃO viver em metrópoles. Estejam preparados, leiam as notícias, tanto nacionais quanto internacionais. Fiquem de olho. Suas observações podem fazer com que você anteveja uma situação potencialmente perigosa antes dos outros, e tomar providências que podem ser a diferença entre sobreviver ou morrer.
    Pode ser que a crise definitiva aconteça amanhã, ou ano que vem, ou daqui a 10 anos, mas certamente vai acontecer.

    • Olá Carlos,

      Parabéns pela sua iniciativa. Apesar de ser uma verdade dolorida, também não vejo sobrevivência maior que três meses em ambiente de metrópole. Claro que preparar-se é melhor que nada, mas o preparador urbano deve pensar que terá de abandonar o local o quanto antes.

      Diria que a fórmula mais importante é aliar a preparação com a comunicação e obtenção de informações. Saber de uma crise antes de pelo menos 80% da população pode ser a diferença entre vida e morte.

      Abraço.

    • Olá Carlos!
      Também moro a 7 km da cidade, mudei de uma grande metrópole para uma menor e depois vim para o interior! Melhor coisa que fiz!
      Concordo com você, mais qualidade de vida não tem preço!
      Fiz uma proposta para dois amigos, nas férias, em vez de viajar por aí, procurar uma cidade bem menor, com a logística adequada, hospital decente, escolas razoáveis, acesso a grandes centros caso precise, entre outras coisas. Um topou e conseguiu se mudar dois meses depois, o outro ficou na zona de conforto…
      Sempre falo, cada um escolhe como quer viver…!
      Abraço!

      • Amigo, se puder faça contato: hcitalian@gmail.com

  • Parabéns pelo post

  • Ola….Peço desculpa por usar esse meio pra tentar sanar minha duvida,mas gostaria de saber se você pode me indicar um bom curso de sobrevivencia no estado de são paulo?
    deixo meu e-mail,para resposta… c-sanches1917@hotmail.com
    *Sobre o post,devo diser que realmente é um sonho viver fora da rede!!

    • vc vive próximo à capital?

      • Olá amigo… tudo bem? Se puder me add no skype abaudalexandre – vamos trocar ideia sobre esse assunto?

  • Olá, já comecei a um ano atrás, hoje não pago aluguel e água, tenho uma nascente de água no pedaço onde comprei!
    Planto feijão, mandioca, milho, vagem, amendoim, abóbora, cana de açúcar, verduras, morango, laranja, abacate, framboesa, caqui e banana, crio galinhas caipiras e tenho ovos também! Acabei de fazer um tanque para peixes, tudo para consumo e o excedente será vendido! As abelhas estão a caminho, mês que vem!
    Já comecei e não quero parar mais, uma coisa puxa a outra!!
    Falta energia solar que ainda é cara!
    Tudo isso num terreno a 7 km da cidade!
    Acredito que o passo mais importante de qualquer jornada é o PRIMEIRO!!
    Desejo que todos camaradas aqui consigam dar esse passo!
    Abraço a todos!!

    • Parabéns cara, você já conseguiu fazer o que muita gente apenas sonha. Tenho um terreno de 420m² na cidade e quero construir uma casa auto suficiente em água (cisterna), alimentos (peixes e estufa de alimentos), energia elétrica (placa de captação solar).

      Inclusive andei pesquisando sobre painéis solares e fui informado que agora a microgeração de energia possibilita que o excedente seja vendida em forma de créditos para as concessionárias e recuperada posteriormente.

      Julio, fica a dica para um futuro post!

      • Bom saber que não estou sozinho nessa!! Vamos lá gente!
        Se alguém souber alguma matéria sobre placas solares, pode postar o link!!
        Valeu!!

      • Ismael, é verdade que em alguns lugares é possível “vender” o excedente para as concessionárias, mas pelo que estive lendo sobre o assunto você ainda fica dependente do fornecimento delas. Em outras palavras, se o fornecimento de energia pela concessionária cessar, por qualquer motivo que seja, você ficará sem energia elétrica. Isso porque a energia captada pelas placas vai fazer o relógio girar “para trás” (quando você produz mais energia do que consome) ou fazer o relógio girar mais devagar (quando o consumo é maior que a produção de energia). A diferença entre a energia produzida pelas placas e o seu consumo vai fazer com que você fique isento de pagar sua conta de luz ou fazer com que a conta fique mais barata. O que vc não conseguir produzir a concessionária vai ceder, é o chamado sistema “GRID-TIE” ou “sistemas conectados”.
        Lado outro, existem os sistemas “OFF-GRID” ou Sistemas Isolados. Caso em que a energia eólica/solar captada é armazenada em baterias estacionárias e dali fornecerão energia para sua residência por x dias, a depender do consumo estimado e quantidade/capacidade das baterias. De tanto procurar achei um sistema Híbrido que atua tanto com a energia fornecida pela concessionária, quanto com baterias estacionárias, armazenando a energia eólica/solar captada por x dias, unindo os dois sistemas. Todavia, imagino que o preço seja ainda mais proibitivo para a maioria das pessoas, levando em conta que ainda é uma tecnologia cara mesmo nos sistemas mais simples.
        No seu caso, cujo terreno fica na cidade, é difícil fugir das concessionárias e o sistema “grid-tie” geralmente é o mais indicado (também pelo custo), mas não dá para se “desligar da rede” usando esse sistema..

      • Exatamente Leonardo.
        No sistema GRID-TIE se ocorrer uma parada para manutenção na rede você fica sem eletricidade, visto que a mesma precisa ser desligada para que os técnicos da concessionária possam fazer os reparos com segurança.
        O sistema completo GRID-TIE para geração de até 324KW/mês custa pouco mais de R$ 13.000,00 ainda é um investimento alto mas o lado bom é que você pode começar gerando menos energia e com o passar do tempo acrescentando mais placas para aumentar a geração.

    • Henrique,

      Meus parabéns, realmente você está onde muitos gostariam. Espero que as coisas continuem melhorando por aí e se um dia tirar o fio da tomada de uma vez por todas, nos avise que gostaríamos de saber mais sobre sua experiência.

      Abraço.

    • Henrique voce vende excedentes de alimentos tb?Como faz pra ganhar um pouco de dinheiro?

      • Nós fazemos (trabalhamos) feira aos sábados e vendemos o que produzimos por lá. Galinhas caipira, patos, ganso, galinhola e ovos.

  • Renato Monteiro

    Sinceramente é um texto totalmente dispensável pela proposta do título, falou-se o óbvio, pelo menos para quem já tem essa ideia de desligar-se…

    • Renato,

      Devo discordar de ti pois há uma certa questão que merecia ser exposta. Muitos acham que para sair da rede precisarão investir muito dinheiro e acabam desistindo do sonho simplesmente por julgá-lo inalcançável. A ideia desta tradução é mostrar que persistência e determinação, bem como planejamento e sagacidade podem transformar a ideia em realidade.

      Mas, respeito sua opinião.

      Abraço.

  • post muito oportuno….digo isso pq a situaçao em âmbito mundial esta ruim e infelizmente vai piorar muito, muito e muito mais, nao quero ser pessimista mesmo pq detesto coisas negativas mas é fato é verdade e a crise ja ta batendo a nossas portas e so acompanhar os jornais e se quiser ficar mais interado é so pesquisar na web mas enfim essa questao de ter um lugar uma terra, um lugar para sobreviver diante dessa crise em escala mundial (ja começou no EUA) que esta vindo por ai e super interessante para quem quer sobreviver. Sou iniciante no assunto mas tenho começado a fazer pesquisas para sobreviver e sem sombra de duvidas o assunto é muito mais complexo do que eu imaginava. Imagine o seguinte vc nasce cresce atinge a fase adulta arruma uma mulher tem um filho com ela (meu caso) vive dentro de um sistema um ritmo de vida praticamente a vida inteira e derrepente vc tem que aprender a como viver ou melhor sobreviver de uma forma totalmente diferente a que esta acostumado que por sinal a sua vida inteirinha, tem que aprender habilidades e estar preparado a fazer praticamente tudo. Não sei se alguem aki do blog ja esta preprado nesse nivel e ate gostaria de saber de alguem daki ou dos administradores do blog se existe um passo a passo de como começar a se preparar tipo algum tipo de manual porque o assunto em relaçao a sobrevivencialismo é muito complexo é uma enchurrada de informaçoes q confesso estou meio perdido ate fica uma ideia de canalizar as informaçoes sao muitos os topicos e pra pessoas q como eu esta iniciando no assunto nao tenha tanta dificuldade, sao tantos pontos que cara a minha impressao é que eu teria q ter pesquisado sobre assunto e começado a me preparar a uns no minimo 15 anos atras to me sentindo no fundo da fila rs mas é verdade se alguem puder ajudar agradeço a ja ia esquecendo minuntos antes de ler esse post vi um outro de outro site http://ciclovivo.com.br/noticia/crise_na_grecia_estimula_criacao_de_comunidades_sustentaveis, que uma outra ideia contraria a desse post mas que achei super interessante agora nao sei qual das duas é a melhor agradeço e parabens

    • Pois é Daniel,

      Aos poucos as coisas estão saindo dos trilhos mas de forma tão sutil que alguns confundem os sinais como desenvolvimento e prosperidade. Faz tempo que quero fazer um post introdutório, explicando passos… Mas quando conseguir solto no blog.

      Força. Até.

    • Moacir Shepper

      Eu tenho 30 anos, sou casado e moro em apartamento alugado… devemos ser parecidos. Mas eu encaro de forma diferente. Com 15 anos eu queria namorar, jogar videogame e jogar bola. Eu provavelmente não daria atenção para esse assunto. Desde o ano passado eu pesquiso sobre questões sobrevivencialistas e no mês passado (agosto 2015) montei meu primeiro kit de primeiros socorros com tesoura, esparadrapo, anticéptico,ataduras e luvas usadas em laboratório. Comecei tarde? Pode sem, mas hoje usei e fiz um curativo no dedo de minha esposa! É bom está preparado! Hoje comprei duas varas de pescar de bambu, chumbada e anzóis. Estou montando meu Kit fogo que abrange isca para iniciar o fogo, isqueiro, fósforos e velas. Quando faltou energia o que mais tinha em casa era velas e eu ainda tinha duas lanternas! Comprei umas sementes de cebolinha, coentro e couve. Vou planta-las em jarros na minha varando. Moro em apartamento pequenino, mesmo assim vou conseguir economizar em temperos, em carne, vou pescar para consumo próprio (moro em cidade grande mas é próximo da praia). Além disso passarei mais tempo com minha esposa na pescaria, ela adorou! Ela não não curtiu muito bem no começo, mas ter velas em abundancia numa falta de energia à noite ajudou, ter dois garrafões de água da torneira cheios quando faltou água também ajudou. Enfim, posso ter demorado para iniciar, mas com a idade que tenho, sei priorizar o que é melhor. Se eu tivesse 18 anos provavelmente eu gastaria um baita dinheiro em uma FACA DE RAMBO e não gastaria uns R$ 20,00 em um kit de primeiros socorros. Meu amigo, começa a se preparar do jeito que você tiver. Acumule conhecimentos e ponha em prática assim que possível. Tarde para aprender é quando a merda tá na porta! Como não aconteceu ainda aprende de agora!

  • douglas rodrigo klein

    É uma boa dica que deve ser analisada nunca saberemos o futuro planejamento e prevenção é a melhor escolha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s