As diferentes formas de como um bunker pode te matar

Quando as pessoas pensam em preparadores paranoicos rapidamente lhes vem à mente a imagem de bunkers subterrâneos, cheio de suprimentos e trancados com escotilhas pesadas contra explosões. Mas poucos de nós temos ou queremos bunkers. O motivo? Bom, não é algo que você pode construir economizando dinheiro.

Se você pode pagar para profissionais construírem seu abrigo, claro, acho que pode ser útil. Esses podem estar na faixa de 40 mil a 1 milhão de dólares, no entanto. Por essas e outras algumas pessoas tentam cortar custos e fazer seus próprios abrigos, mas essa é uma péssima… PÉSSIMA ideia.

Sem experiência, seu bunker será apenas uma armadilha mortal, e vamos mostrar aqui todas as razões do porque. A próxima vez que você ouvir alguém falando que quer construir um bunker, envie este artigo para eles.

1. Acúmulo de gás

Muitos gases prejudiciais são mais pesados que o ar e vão se acumular no seu bunker a não ser que você tome precauções.

Mesmo que o gás em questão não possa te matar, ele irá “empurrar” o oxigênio para fora até que você não tenha mais nada para respirar… E isso vai te matar. Além disso os cenários para os quais as pessoas mais se preparam podem envolver liberação de gases, como guerras, revoltas civis e outros.

Imagine que gás lacrimogêneo entre no seu bunker… Você tem como tirá-lo de lá? Isso pode acontecer se seu abrigo usar ar da superfície, e isso significa que você precisa de filtros bem eficientes. Talvez você considere que isso não seja uma possibilidade na sua região, mas um simples vazamento de gás propano, uma fossa séptica que está soltando gases ou até mesmo os gases do solo (provenientes da decomposição de matérias orgânicas) podem asfixiar você.

2. Acúmulo de água

Não se trata apenas de deixar a chuva longe do seu bunker, para que ele fique protegido contra impactos na superfície (bombas, por exemplo) você precisa deixá-lo o mais profundo possível, mas você tem uma limitação bem clara nesse ponto: o lençol freático.

Se o seu abrigo for construído abaixo da linha do lençol freático, inevitavelmente inundará. Concreto e aço irão apodrecer mais rapidamente pelo contato direto com a água, e para evitar que isso aconteça você precisaria gastar uma quantidade enorme de dinheiro durante a construção.

Se você realmente quer um bunker protegido contra bombardeios e mora em um local com um lençol freático muito raso, vale considerar construir o bunker no nível do solo e então jogar um morro de terra nele. Você vai precisar de bastante terra, mas é uma solução mais viável.

3. Impactos

Falando em sustentar impactos, um bunker não vai sobreviver ao maior deles. Grandes terremotos com certeza vão danificá-lo. Talvez este não seja o foco de suas preparações, mas se você mora em uma zona propensa a tremores isso é algo que precisa estar no seu planejamento.

Se você possui um bunker no raio de explosão de uma bomba nuclear, ele não vai aguentar. E como você provavelmente não terá praticamente nenhum aviso com antecedência nesse tipo de ataque talvez você esteja bem longe do seu abrigo quando isso acontecer.

4. Desmoronamentos

Você precisa ter em sua equipe um engenheiro bem competente, preferencialmente um que tenha experiência com construções subterrâneas para que seu abrigo seja bem feito. Caso negativo, ele vai desmoronar.

Usar antigos túneis de mineração ou enterrar um container no solo (duas estratégias que algumas pessoas já estão tentando) são formas bem boas de ser esmagado e morrer.

Os containers são um caso onde há bastante confusão. Veja, estas caixas são feitas para suportar pressões em apenas 4 pontos, suas colunas verticais. Suas paredes e tetos são feitos de um metal fino, apenas para proteger dos elementos. Isso significa que se você enterrar um container, a qualquer momento suas paredes ou teto podem ceder e pronto, adeus.

5. Aço

Existe outro problema em usar aço, e é o fato de eles enferrujarem quando colocados embaixo da terra. Você precisará de aço bem grosso (algo bem mais resistente do que um container), ou você pode evitar o problema usando um material diferente.

Lembre-se: O seu abrigo pode estar seguro nos primeiros meses, mas será que estará estruturalmente resistente depois de 5 anos? São essas perguntas que farão seu orçamento de construção subir até as alturas.

6. Fogo

Sempre haverá risco de incêndio no seu bunker. Seu sistema elétrico pode entrar em curto e materiais podem dar combustível para as chamas. Mesmo que você tenha um extintor (ao menos eu espero) no seu abrigo, até mesmo um pequeno foco de fogo pode representar um risco altíssimo para os níveis de oxigênio dentro do bunker. O fogo usa oxigênio, e você precisa ter certeza de que seu sistema de ventilação é capaz de repor essa perda rapidamente.

7. Qualidade do ar

Falando em sistemas de ventilação, a fonte de ar do seu bunker é absolutamente essencial. Lembre-se que você consegue sobreviver no máximo 3 minutos sem ar, e muitas outras coisas além do fogo podem interferir no seu suprimento de oxigênio.

Primeiro, você precisará de dois sistemas de ventilação, pois caso um quebre e não seja possível repará-lo, você precisa de um reserva. Segundo, você precisa proteger a entrada de ar de pássaros, destroços e do tempo do lado de fora.

Então, você também precisa filtrar o ar. Radiação, pessoas infectadas por doenças passando próximo da região ou poeira de prédios desmoronados podem acabar com a sua proteção rapidamente.

8. Controle de umidade

Dependendo do seu ambiente, o controle da umidade pode ser um grande componente do seu sistema de filtragem de ar. Se você não controlar a umidade, você terá problemas com mofo.

Tudo bem, esse não é um cenário de morte imediata ou risco de vida, mas viver no meio do mofo com certeza pode deixar tudo desconfortável. Além disso, a longa exposição a alguns tipos de mofos podem causar problemas respiratórios.

9. Fuga e acessos

Se houver um incêndio, enchente ou outro problema no seu abrigo, você precisará de um jeito de sair. O problema é que a maioria dos bunkers que as pessoas projetam tem apenas uma única saída! Se ela for bloqueada, você morre.

Além disso, você também tem que pensar em como sair do bunker se você estiver ferido. Vamos imaginar que não há riscos no momento e você está levando estoques para o seu abrigo. Você tropeça e cai de mal jeito, quebrando a perna.

Como você vai sair? Mais que isso, como você vai conseguir chamar por ajuda? Ambientes subterrâneos dificilmente terão sinal de celular. E mesmo que você consiga, os paramédicos dificilmente vão conseguir passar você em uma maca por uma escada tubular.

Enfim, este é só um exemplo, mas que mostra uma realidade importante. Se você estiver no seu bunker e se machucar durante uma crise, boa sorte tentando lidar com seus ferimentos até conseguir sair de dentro dele sozinho.

10. Flutuação

Pode parecer loucura, mas o seu bunker pode começar a “flutuar” no solo. Se ele não for pesado o suficiente, a pressão do solo, quando molhado, pode “empurrar” o bunker inteiro para cima.

Ele irá emergir como Venus saindo mar, alertando a todos de sua presença e criando um sério problema para você. Se for um cenário de crise, isso pode acabar com sua vida. Por essas e outras que bunkers leves (geralmente para lidar com tornados) são projetados com saiotes ao seu redor para mantê-los firmes no local.

11. Radiação

A proteção contra a radiação é um pouco mais complicada do que a maioria dos entusiastas de bunkers acham. Sim, você pode usar concreto para se proteger, mas é necessário também entender como isso funciona. Veja, concreto não reflete radiação, ele “absorve” ela. Isso faz com que a força estrutural das paredes possa degradar muito mais rapidamente, comprometendo a vida útil do abrigo.

Para que o seu tempo de vida seja prolongado em casos extremos seria necessário criar paredes duplas bem grossas de concreto para que somente a camada externa fosse danificada por possíveis emissões de radiação. Além disso, lembre-se que elas precisam estar não só em cima como dos lados e até mesmo embaixo do abrigo.

12. Gerenciamento dos rejeitos

Claro, sempre há aquela questão pouco trazida para a discussão que é: onde eu deveria colocar o meu lixo? Se lidar com isso em situações normais já é difícil, imagine debaixo da terra. Você até poderia criar um sistema de compostagem subterrâneo, mas isso seria bastante desafiador por conta da necessidade de espaço.

Então talvez você pense em uma fossa, mas o que acontece quando ela ficar cheia? E mais, você terá também outros tipos de lixo como plástico e afins, exigindo que você tenha algum tipo de depósito para esses materiais.

Sem um sistema muito bem pensado e estruturado você será forçado a levar seu lixo para fora do abrigo. Isso, é claro, é muito arriscado pois chamará atenção para você e seus recursos. Além disso, sem um ambiente higiênico você poderia facilmente morrer de infecções ou intoxicações.

13. Vulnerabilidade a invasores

Você sempre estará vulnerável a agressores em uma crise muito feia, mas existem riscos especiais quando se está em um bunker. Se você usou construtores profissionais para ajudar você a construir seu abrigo, que é o recomendado, eles com certeza sabem onde seu abrigo está.

Se você construiu um abrigo grande o suficiente e não o escondeu o suficiente, seus vizinhos vão saber onde ele está também. E aqueles que possuem alguma suspeita de que há um bunker na região poderão, sem dificuldade, detectar seu abrigo com um simples detector de metais.

Qualquer pessoa pode decidir criar um grupo e atacar você, até mesmo quando você não estiver em uma situação de crise social. Elas estarão muito motivadas e organizadas pois sabem que você tem muitos equipamentos e recursos. Falando especialmente de quem construiu o bunker, lembre-se que contratos de sigilo e confidencialidade não servem de nada se a situação ficar feia o suficiente.

14. Estresse psicológico

Quando planejando aspectos da nossa sobrevivência geralmente esquecemos de pensar no nosso conforto. Uma situação profundamente desconfortável irá colocar em risco sua saúde mental e logo, sua vida. Algumas pessoas simplesmente adoecem em espaços pequenos, outros tem dificuldades de dividir espaços apertados com outras pessoas.

Você não terá muito espaço para se exercitar, e não terá acesso a tanta diversão como está acostumado. Mais que isso, você não poderá ver o céu.

Esse último é um grande ponto. A luz solar mantém nossos sistemas circadianos funcionando e, sem ela, você começará a sair do seu ritmo habitual de sono e funcionamento. Isso vai bagunçar com a sua contagem de dias, o que é absolutamente importante se você está esperando a radiação se dissipar, por exemplo. Por essas e outras razões você precisa de algo para manter a contagem do tempo. Um temporizador que liga as luzes quando está de dia e apaga quando está de noite poderá ajudar.

Como o desconforto psicológico pode ser um risco para sua segurança? Você não precisa pensar demais em situações depressivas ou a perda de sanidade. Você pode, por exemplo, ao ficar desconfortável e ansioso, se convencer que uma caminhada rápida fora do abrigo é o que você precisa para ficar melhor.

Não somente isso, mas você pode tentar compensar pelo seu desconforto comendo mais comida do que o necessário, ou tendo comportamentos que podem incomodar as outras pessoas que estão com você. Isso levaria ao conflito e é claro, esta é uma via perigosa quando se está preso em uma caixa debaixo da terra.

Pensamentos finais

Bunkers podem sim serem feitos de maneira adequada, mas como qualquer aspecto do mundo de preparação, seja realista e não crie fantasias estúpidas. Essa não é uma lista completa, é claro. Você precisará consultar especialistas! E lembre-se: Se o orçamento está barato, algo não está sendo feito.

Você tem um bunker? Conhece alguém que tentou construir um sozinho? Conte nos comentários!

Texto traduzido e adaptado do blog Backdoor Survival.

14 Comentários

  • Erick Tamberg

    A história nos mostra que os bunkers são ineficazes.

    Hitler se viu acuado dentro de seu bunker e se suicidou.

    Mussolini, Saddam Hussein e Muammar Kadaffi abandonaram suas cidades quando tudo estava perdido e foram capturados a centenas de quilômetros deles, sem nenhuma chance de usarem seus bunkers.

    Winston Churchill tinha um, mas raramente o usava. Pensava que, se estivesse no lugar mais aberto e óbvio, seria o último lugar onde os nazistas tentariam atacá-lo.

    Desconheço qualquer caso de um chefe de Estado que tenha sobrevivido a um bombardeio graças a um bunker, saído da toca e voltado a governar. Se não funcionou para quem tinha recursos públicos à disposição, por que funcionaria para nós?

  • Eduardo Klinger

    E se ao invés de um bunker, simplesmente fosse construído um porão como as casas estadunidenses? Um porão com uma saída de emergência e um acesso discreto, talvez dentro da própria casa já fosse o bastante

  • Excelente texto. E o problema do controle térmico do abrigo? Sabemos que quanto mais profundo ele for, mais quente será. E no verão então, pode fazer o abrigo virar uma estufa. Um dos fatores a que somos vulneráveis é à amplitude térmica do ambiente, que pode nos gerar hipotermia ou hipertermia.
    Além disso, há a problemática do controle de pragas, mas estes dois pontos não tiram em nada o mérito do excelente texto. Parabéns.

  • Roberto Fávero

    Do jeito que foi explicado é mais seguro dormir em um ninho de cascavéis.

  • Fabiano Oliveira

    Vão me desculpar pela ignorância mas, essa parte da “flutuação” aí não dá pra acreditar não. No meu ver, para haver essa “flutuação” a terra teria que estar bem diluída, e não só encharcada, para que esse fenômeno ocorra. Esse bunker deveria estar dentro das paredes de uma barragem de rejeitos de uma mineradora no momento em que ela se rompesse.

  • O texto em si, é a relação completa de todos os “pecados” de projetar e construir um Bunker. Li todos os apocalípticos comentários, uns bem humorados e até sarcásticos. Mas trocando em miúdos… Os Bunkers são projetados para alongar e preservar a vida de GENTE, você sabe… PESSOAS. Portando a construção de um Bunker não é simples e muito menos barata e devem ser feitos por PROFISSIONAIS. A maioria da população mundial, será frita literalmente, caso sejam acionados os Red Buttons, poucos são os que ficarão de pé na superfície ou enterrados como tatus, em Bunkers, como em dizem alguns comentários. Existem Bunkers de 5 até com 200 metros de profundidade. Alguns mais importantes são: Cheyenne Mountain — Vivos xPoint — Vivos Europa One — The Oppidum, alguns com 77 mil metros quadrados. Os preços variam entre 25 mil a 4 milhões de dólares. A proposta dos Bunkers são a preservação da vida, e isso não dispensa as dificuldades e pontos negativos do projeto. Portanto, eu sou a favor da preservação da vida. O que você faria se pudesse ir para um Bunker na hora do churrasco?

  • Há o fator social da guerra e da crise. A meu ver, quase tudo que encontro é voltado para a sobrevivência solo, ou familiar, onde um grupo, já de conhecidos, fica recluso, e esconde os próprios recursos…Entretanto, existe a fenomenologia social de uma guerra, isso poucos percebem. Na segunda guerra mundial, alguns brasileiros dividiram seus pratos de comida na Itália e isso sim, mudou a cabeça das pessoas, pq até então, na pequena Itália era tido como um feito um tanto inédito, grandioso e absoutamente surpreendente.

    Até que ponto vale a pena se esconder???Um abrigo estratégico é muito util sim, porém será apenas mais uma ferramenta, dentro de um cenário de caos.
    Há de se lembrar, quando estiver sozinho em seu Bunker, que na superfície haverá grupos “dominando a terra”, espalhando caos, ou buscando uma nova ordem, divulgando idéias, angariando pessoas e recursos. Até que ponto compensa estar solo e desinformado??? Até que ponto vale virar, literalmente, um jeca tatu, enterrado e desinformado???..rs
    Em fenomenologia social, pessoas que pensamn iguais, tendem a se agrupar, então, antes de pensar em construir um bunker é melhor aprender a se comunicar melhor com as pessoas, trabalhar a empatia real, ou seja “olho a olho”, em “carne e osso”. Afinal em cenários de caos, não haverá facebook, instagram, whatsapp e muito menos curtidas. Vc se verá obrigado a decifrar o que outras pessoas querem e sentem, simplesmente ao olhar para elas. Já pensou nisso???
    Eu já vi casos de pessoas se livrarem de assaltos, por mera empatia social. Considere que ao seu redor existem pessoas, que têm sentimentos, histórias, e muitas vezes algo a acrescentar, ou, algo que vc pode ajudar a trabalhar. Seja lá como for, ninguém cruzará seu caminho à toa, coincidências não existem, é algo a refletir.

  • Excelente texto Júlio. O tema bunker subterrâneo sempre causa polêmica no meio sobrevivencialista brasileiro. Em um vídeo no meu canal ( https://www.youtube.com/watch?v=5my-hrUbrw8&t=49s ) abordei este tema mostrando que existem muitas mais desvantagens que vantagens em se ter um bunker no Brasil, e fui criticado e até ofendido pelos ‘defensores de bunkers”. Você Júlio, como psicologo pode explicar porque tantos sobrevivencialista brasileiros (principalmente os iniciantes e curiosos) têm esta verdadeira ‘FEBRE DE TATU”?? Vão gostar de ficar enterrado assim…kkkkk . O pior é que a maioria quase absoluta dos defensores de bunkers subterrâneos sequer entraram num, suas convicções são baseadas em filmes americanos e fantasias… talvez alguma fantasia de sair de dentro da terra depois de uma crise e repovoar o mundo, sei lá..kkkkkkkkk. a verdade é que a maioria que defende bunkers subterrâneos sequer estudaram o assunto…

  • Muito interessante. Texto muito bem escrito e pensado, Júlio. Gosto de quando tem matéria aqui no site. Que pena que a maioria dos seguidores do youtube não vão ler. É um tapa na cara dos “walking deaders”.
    Nada vai assegurar sua vida com 100% de eficácia numa crise. O que te salva é um bom preparo junto com capacidade de adaptação. Um bunker é apenas preparo.

  • Cristian Andrich

    Estamos projetando um abrigo/residência com alguns formatos que vc citou. Principalmente o de enterrar parte da construção depois de construída e devidamente impermeabilizada. Muito bacana o texto, a bom tempo tentarei mostrar o projeto a vocês. (Somos um grupo de arquitetos)

  • Top o texto, ja tinha em mente várias das ideias sobre, porem ainda não sabia sobre a flutuação do bunker, de resto a maioria eu ja conhecia.

    • Erik Cristofer

      Quase todas essas coisas que você falou eu já estava por dentro tô pesquisando sobre bunkers já faz uns 3 anos e até coletando plantas de bunkers…. Mas eu sinceramente por tudo que pesquisei jamais tinha ouvido falar essa parte da flutuação e principalmente se tratando do Brasil onde o clima é úmido e tem chuvas frequentes…. Realmente não levar isso em conta botaria tudo a perder… Muitooooo bom parabéns e sobre as entradas de ar principalmente para quem quer fazer algo que proteja de gás um exemplo é pesquisar sobre o bunker de Hitler projetado pelo arquiteto dele onde criou entradas de ar baixa e alta porque gases tóxicos normalmente são mais pesados do que o ar (ao menos os usados naquela época) criar algo como um misto de filtros e essa parte do peso dos gases ajuda até a evitar a saturar os filtros já que vale lembrar…. No fim do mundo não vai dar para sair e comprar filtros de ar para substituir. Outra coisa que não vi no texto é a parte sobre a saída do ar, mesmo que o cara projetou o bunker perfeito ninguem na região sabe sobre isso…. Entrada e saída de ar na superfície são visíveis se quer algo descente e dure provavelmente a saída de ar será grande e se não tiver entrada e saída de ar extra e bem escondido…. Alguém tapou as entradas esperou todo mundo morrer tem um bunker disponível perfeito para saquear. Resumindo tem 3 entradas de ar saindo do chão no meio do mato ou em um terreno na cidade… É óbvio que tem algo lá kkkkkkk não precisa nem conhecer muito

  • Marcos Vinicius Lopes de ari

    Achei muito interessante esse tema, bacana, pois nos deixa com outros opiniões sobre ter ou não um bunkero

  • Carlos Rodrigues

    Muito bom Julio! Algo que teoricamente salvaria sua vida, pode te matar se mal projetado ou não observados os tópicos acima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s