VALE A PENA INVESTIR EM BITCOIN?

Você não pode negar, as criptomoedas, e principalmente o bitcoin ganharam nesses últimos anos uma enorme exponencialidade. Existem os pontos de vista extremos, como em todas as áreas que está presente o ser humano… Alguns acham que é algo incrível e excepcional, já outros recusam com veemência e não irão de forma alguma investir nisso.

Então vamos analisar os dois lados dessa discussão e tentarmos responder a pergunta que te trouxe aqui: “Vale a pena investir em bitcoin?” Para que talvez você possa cogitar a possibilidade de fazer uso desse tipo de criptomoeda nas suas preparações, vamos lhe apresentar alguns tópicos.

O QUE É O BITCOIN?

É um sistema de transferência de valores descentralizado profundamente baseado em criptografia e teoria dos jogos. A carteira oficial do Bitcoin que pode ser baixada no site bitcoin.org contém o sistema para geração de chaves privadas e públicas (carteiras). Uma vez baixada e instalada ela vai baixar uma cópia da blockchain para o hd local e criar um arquivo chamado wallet.dat que contém os dados importantes que garantem o acesso a sua parte da blockchain. Uma vez de posse dessa carteira (ou de outra qualquer, a premissa é uma chave criptográfica registrada na rede do bitcoin) é possível receber fundos ou enviar (se houver saldo).

Enviando o seu endereço de carteira a um nó da rede é possível receber fundos de qualquer lugar do globo, para isso é necessário que as aplicações instaladas nas máquinas possam se comunicar e atualizar as transações realizadas.

PORQUE O BITCOIN FOI CRIADO?

O Bitcoin não é apenas mais um “ativo” do sistema financeiro. Ele é o próprio sistema financeiro em si. Atualizado, deflacionário e descentralizado, sem controle estatal. Abaixo está algumas das motivações da criação do Bitcoin, traduzida de um post no Reddit.

  1. As pessoas costumavam usar ouro e prata como moeda de troca, mas era  difícil de transportar e difícil de dividir;
  2. Os bancos começaram a emitir mais papel-moeda do que eles tinham em ouro nos cofres. Criaram a chamada “reserva fracionada”, que nada mais é do que uma máquina de criar dinheiro do nada. Desde então, bancos colapsam por causa de saques em massa;
  3. Em 1971, o então presidente dos EUA, RIchard Nixon acabou com o padrão ouro, ou seja, não haveria mais limite para a emissão de papel moeda pois não precisaria mais se basear na quantidade de ouro disponível nos cofres. Bastava ligar a impressora para termos dinheiro infinito, sem lastro, sem valor;
  4. A partir daí, todo dinheiro foi criado como crédito. Quando alguém fazia um empréstimo, o dinheiro era criado e emprestado. Bancos criavam dinheiro do nada, emprestavam e esperavam retornar para eles manterem suas reservas em dia. Mas essas reservas consistiam do mesmo dinheiro criado do nada como crédito. E essas reservas eram menores que os empréstimos feitos;
  5. A falta de uma moeda estável e livre é a raiz do problema. Somos forçados via governo/bancos a usar o papel-inflacionado como moeda oficial e legal porque não temos muitas alternativas. Ouro e prata, como antigamente, continuam com os mesmos problemas para carregar, usar, trocar, dividir, etc.

Então o que nós precisávamos era de um sistema eletrônico ponto-a-ponto de dinheiro. Este é o Bitcoin, publicado por Satoshi Nakamoto, em 2009. Foi uma resposta a tudo que aconteceu e está acontecendo agora, como foi descrito acima. Por isso que ele escreveu no primeiro bloco da história, ou bloco gênesis, com a mensagem ” Chanceler à beira de um segundo resgate aos bancos “. O Bitcoin foi projetado para ser uma alternativa disruptiva ao nosso sistema financeiro atual.

VANTAGENS

  • Pseudo-anonimato: Como as carteiras de Bitcoin são hashs criptográficos alfanuméricos é muito difícil vincular o endereço a uma identidade do mundo real, essa dificuldade desaparece totalmente uma vez que a compra é realizada numa exchange centralizada.
  • Liberdade: O Bitcoin não tem horário comercial, não respeita feriados, não pode ser bloqueado ou limitado por governos ou instituições arbitrárias. Os feriados bancários da crise da Grécia ou os congelamentos de poupança realizados pelo governo Collor são impraticáveis com o uso de criptomoedas descentralizadas. 
  • Sem cobranças: É impossível a qualquer instituição fiscalizadora cobrar impostos ou taxas sobre transações, é possível taxar a rede como um todo aumentando os custos de mineração, mas ainda assim os custos seriam menores que a taxação governamental atualmente praticada.
  • Baixas taxas de transação: Pelo mesmo motivo citado, os custos de transação são mantidos muito baixos. Isso pode ser uma grande vantagem para os viajantes converter o Bitcoin em outra moeda.
  • Resiliência: É o único sistema computacional que apresenta 100% de disponibilidade desde que foi lançado, nenhum outro sistema (bancário, financeiro ou governamental) alcançou tal resiliência até o momento. Uma ressalva interessante, enquanto alguém tiver uma cópia da blockchain o sistema é recuperável, em caso de uma guerra nuclear se apenas um hd sobreviver intacto a rede pode continuar rodando.

DESVANTAGENS

  • Fragilidade: Em cenários de crise extrema, onde as infraestruturas de rede elétrica e comunicações estão indisponíveis pode ser difícil realizar transações. Existem iniciativas para a realização de transações via radioamadores e transmissão de transações unicamente via áudio, mas é um contratempo que não é sentido por quem possui alguns punhados de krugerrands ou similares.
  • Roubos/Segurança: Uma chave privada é como a chave de um cofre mantido em nuvem, justamente por ser descentralizada a perda dessa chave impossibilita ao usuário de realizar débitos em sua conta. Em caso de ocorrência não há a um terceiro para recorrer, não existe como recuperar o acesso a uma carteira perdida da mesma forma que não há como resgatar os valores transferidos indevidamente por ações de crackers.
  • Instabilidade: O preço do Bitcoin é a média do preço global determinado por todos os elementos participantes da rede, apesar da tendência de longo prazo ser de valorização (excetuando pela ocorrência de cisnes negros negativos), no médio e curto prazo a tendência de volatilidade não é superada por nenhum ativo financeiro.

BITCOIN É IRRASTREÁVEL

Isso não passa de um grande mito. Papel moeda, lingotes de ouro, diamantes e todas as moedas físicas permitem muito mais anonimato que as criptomoedas. Instituições como o FBI, a NSA e até órgãos brasileiros não teriam dificuldade em rastrear transações em Bitcoins, inclusive o caso do “pavão misterioso”, no Brasil evidenciou a rastreabilidade do Bitcoin de forma categórica. Então se você busca o completo anonimato não é no investimento em Bitcoins que você irá conseguir.

COMO INVESTIR EM BITCOIN?

Se depois da leitura desse artigo você está decidido a investir em cripto moedas, especialmente no bitcoin, esse é o tópico que era o mais aguardado, mas também será o mais decepcionante. Não é possível ensinar alguém a investir em algo de risco como o bitcoin com alguns parágrafos de um texto, isso seria perigoso para você e irresponsável da minha parte.

O investimento mais seguro (e barato) a ser feito seria em conhecimento do tema, livros e publicações do assunto,  canais do youtube também são grandes recomendações.

Apesar de ser um investimento virtual, a melhor recomendação é estudar de forma mais ampla sobre as variadas formas de investimento, e assim aplicar os conceitos aprendidos nos investimentos em bitcoin.

A literatura recomendada é:

  • Opções, futuros e outros derivativos,do autor John C. Hull.
  • Bitcoin, a moeda na era digital, do autor Fernando Ulrich

Pode se também seguir alguns canais de conteúdo sério e relevante:

Conclusão

“Grandes poderes vem com grandes responsabilidades.” Se arriscar em uma aventura sem conhecer os riscos a que está exposto é, no mínimo, uma irresponsabilidade. Estamos vivendo uma era de disrupção, o Bitcoin é a invenção que tem tudo para revolucionar a história assim como a imprensa, a máquina a vapor e a internet. Ninguém, entretanto, pode prever certamente qual será o futuro daqui a alguns anos (embora muitos arrisquem a própria reputação tentando). Uma criptomoeda de segunda ou terceira geração (existem milhares) pode relegar o avó Bitcoin a senescência em meia década, talvez não seja uma boa ideia contar com uma carteira de Bitcoin para aposentadoria pessoal.

Artigo escrito com contribuição de Igor Szigethy.