Alimentação canina – O Guia completo!

Esse tema é bem polêmico! Foi exatamente por isso que decidi escrever sobre ele pois o mito de que o cão pode comer qualquer coisa se prolifera e contamina aqueles que buscam dar o melhor para os seus animais. Já digo, você tem todo o direito de não concordar comigo e acreditar que a maneira que você pensa está certo, mas o seu ponto de vista não desqualifica essa matéria.

É verdade que o cão é um sobrevivente natural com alto poder de adaptação, ele se vira com o que tem e não se lamenta perante as dificuldades. Contudo é mito dizer que os cães podem viver bem se alimentando apenas com restos de comida, pior ainda é dizer que os cães sem raça definida são mais saudáveis e não precisam de uma boa nutrição. Uma alimentação não balanceada além de gerar diversas doenças e encurtar a vida útil do animal antecipando o seu descarte, diminui seu desempenho e produtividade nas tarefas do dia-a-dia e diminui também a taxa de fertilidade afetando a reposição do plantel (em uma crise muito longa repor o plantel pode ser uma alternativa interessante). Uma boa alimentação não pode ser baseada apenas em calorias, temos que levar em consideração vitaminas e minerais.

Aqui irei falar sobre alimentação cozida para os cães e uma das formas de preparar uma refeição balanceada com tudo o que seu cão precisa comer.

Ração

Visando a preparação para cenários de escassez você pode optar ou por estocar ração ou por alimentar o seu animal com comida cozida usando ingredientes da sua preparação.

Existem dois tipos de ração, as secas e as úmidas. O benefício de darmos apenas ração para os nossos cães é a praticidade e facilidade de dar uma alimentação completa e não ter que se preocupar com preparos e conservação, sem falar que diminui o consumo dos alimentos estocados para os humanos. Em crises de curtas duração podemos ter a opção de estocar as rações úmidas em forma de latas ou de saches plásticos. Existem latas com alimentos cozidos prontos e 100% natural, sendo um ótimo produto para se estocar.

Estou fazendo testes para estocar ração secas em garrafas PET hermeticamente fechado com a mesma técnica que guardamos os grãos, mas preciso que o tempo mostre o resultado, mas como a ração granulada é zero água acredito que uma embalagem protegida da luz e sem oxigênio pode ser uma maneira segura e conservar a ração.

Alimentação cozida

A alimentação cozida para cães é bem mais complicada, mas podem ser a única opção em crises longas ou permanentes. Os dois principais pontos negativos ao introduzimos a alimentação cozida é o empenho em cozinhar especificamente para os cães e a dificuldade do cão voltar a comer a ração depois disso.

Para elaborar uma alimentação cozida balanceada precisamos formar um cardápio para cada animal, respeitando o seu porte, raça e intensidade de atividade física. Essa dieta que irei elaborar como exemplo será baseada no Dexter Lobo, do nosso conhecido Júlio Lobo.

Nota: Animais com doenças crônicas ou idosos precisarão de uma prescrição do Veterinário do que podem ou não podem comer. Não abordarei alimentação para filhotes pois essa nutrição já começa na gestação e torna o assunto longo e fora do foco de uma crise de 3 meses.

Como saber o quanto o cão deve comer?

A fórmula de uma alimentação balanceada é a seguinte:

(Peso ideal) x (% do metabolismo) = Total de alimento em kg por dia

Peso ideal

Como existem diversos biótipos de cães, diversas raças, o tradicional índice de massa corporal (IMC) utilizado em humanos para avaliar sobrepeso não funciona aqui para os cães. Para eles vamos usar a tabela abaixo e avaliar com os seus critérios se o seu cão recebe a nota 4 ou 5 dessa escala que vai até 9.

guia9

Caso o seu cão na balança esteja com 10 kg e ele recebe a nota 4 podemos por na fórmula o valor numérico 10, caso ele esteja com 10 kg e a nota da escala de seja 8 temos que diminuir a quantidade de alimento e aumentar a atividade física até ele chegar na nota 4 ou 5, se a nota for 3 ai precisamos engorda-lo até chegar na nota 4 ou 5. Isso tem que ser de maneira gradativa.

Metabolismo

Essa parte da fórmula vamos avaliar a capacidade de converter o alimento em energia, assim aquele que tem um metabolismo mais acelerado acaba tendo que comer mais ração proporcionalmente ao seu tamanho. Quanto menor e mais novo maior é o metabolismo do animal.

Porte

  • Porte miniatura até 3kg: 7-10% do peso corpóreo.
  • Porte miniatura pesando entre 3 e 5kg: 5 a 6% do peso corpóreo.
  • Porte pequeno entre 5 e 10kg: 4 a 6% do peso corpóreo
  • Porte médio, entre 10 a 25kg: 4 a 5% do peso corpóreo.
  • Porte grande entre 25 a 35kg: 4 a 5% do peso corpóreo.
  • Porte gigante (de 42kg para cima): 3 a 4% do peso corpóreo

Esses valores correspondem também ao peso ideal. Se ele tem 10 kg, mas com escore de 9 na tabela de condição corporal em vez de usar na fórmula o 6% do porte pequeno utilize o meio termo, use o 5%.

Cães ativos, como Borders, Boxers, Bostons e Dobermanns ou muito musculosos, como os Buldogues Franceses podem começar recebendo 5%, com perspectiva de subir para 6%.

Definindo a quantidade de alimentação cozida para um cão

Vamos usar o Dexter (cão do Julio) como exemplo. Pesando 13 kg em seu peso ideal e sendo de porte médio a taxa do metabolismo seria de 4%, então vamos fazer a cálculo dessa forma:

(Peso ideal) x (% do metabolismo) = Total de alimento em kg por dia

  • (13) x (4%) = 0,52 kg
  • 0,52×1000= 520 g

De forma simples descobrimos que o Dexter precisa comer por dia 520g de comida por dia. Esse valor é dos alimentos hidratados. Caso pretenda desidratar alguns dos ingredientes o ideal é pesar e porcionar antes da desidratação se possível reidratar antes de oferecer.

A melhor maneira de atingir essa meta diária de alimentos é dividir o total em duas refeições, exceto para cães das raças Shih Tzu, Lhasa-Apso e Poodle que tem que comer 3 vezes ao dia, ficando assim 260 g por refeição.

Animais de porte grande e gigante não podem comer apenas uma vez ao dia e só podem fazer atividade de trabalho ou recreação duas horas após as refeições. Caso contrário, podem desenvolver uma síndrome emergencial chamada dilatação volvo gástrica, onde o único tratamento eficaz é uma cirurgia de emergência. Infelizmente a maioria dos animais dão entrada na clínica com o quadro clínico muito agravado com poucas chances de recuperação, levando o paciente a óbito.

Mas vamos voltar ao ponto. Como vimos, um animal adulto, saudável, no peso ideal com 13 kg, cada refeição tem que conter 260g e ela será composta por:

  • 35% de Carboidratos649f3d918b9cfa7f62e85e0f54720fd1-dog-food-pet-shop
  • 30% de Carnes desossadas
  • 5%   de Vísceras
  • 30% de Vegetais

Assim, cada refeição:

  • 91 g de Carboidratos
  • 78 g de Carnes desossadas
  • 13 g de Vísceras
  • 78 g de Vegetais

Recomendo que os horários das refeições sejam as 6 horas da manhã e as 18 horas da noite. Todo indivíduo depois que come fica sonolento, então ao comer as 18 horas ele estará mais ativo as 20 horas da noite e será um vigilante bem mais eficiente durante a noite. Nessa dieta temos que escolher um dia da semana para realizar um jejum alimentar de 24 horas como uma forma de desintoxicação do organismo, essa prática é muito importante e milenar.

Hora de conhecer os ingredientes que podem ser utilizados

Agora que sabemos o volume, a quantidade e a frequência da alimentação para cães temos que saber quais ingredientes podemos ou não dar para eles. Como estamos falando de preparações vou falar um pouco dos alimentos dentro desse contexto. Já aviso que os principais ingredientes que temos que evitar serão os temperos como as pimentas e as cebolas, inclusive a cebolinha verde.

Carboidratos

Carboidratos são fontes de energia por serem ricos em amido, fibras, minerais e vitaminas. Abaixo seguem todas as opções que podem integrar o cardápio.

Tubérculos (raízes)

  • Batata inglesa (comum) – é como o arroz, energia pura.
  • Mandioquinha  
  • Inhame
  • Batata-doce roxa e branca
  • Mandioca (macaxeira ou aipim) – boa fonte de potássio, cálcio e vitaminas do complexo B.

Grãos, cereais e leguminosas

  • Arroz branco – Faz as taxas de açúcar no sangue subirem, indico sempre para pacientes convalescentes, debilitados com quadros agudos de diarreia e vômitos porque não fermenta e tem alta digestibilidade.
  • Arroz integral ou parboilizado
  • Aveia em flocos (sempre cozida)
  • Quinoa
  • Lentilha
  • Feijões de qualquer variedade
  • Ervilha
  • Trigo e triguilho – alergênicos para alguns cães, não pode ser oferecido cru, podendo ser feito bolachas e petiscos.
  • Milho e seus derivados (polenta, maisena) – alergênicos para alguns cães, não pode ser oferecido cru.
  • Soja e seus derivados – alergênicos para alguns cães, não pode ser oferecido cru. Sua ingestão frequente pode interferir com a regulação hormonal.
  • Macarrão – trigo alergênicos para alguns cães, não pode ser oferecido cru.
  • Pão – em geral contém muito açúcar, sódio, aumento da glicose no sangue e da pressão arterial – além de aderir aos dentes.

 

Como preparar os alimentos

Os tubérculos são simples de preparar, lave bem as raízes e corte em cubos, cozinhe em panela de pressão ou asse no forno. Não recomendo oferecer batata inglesa com a casca, a casca concentra um alcalóide chamado solanina, que pode fazer mal à saúde. Algumas pessoas dão com a casca, mas a água da fervura tem que ser descartada, prefira jogar as cascas na sua composteira.

Grãos, cereais e leguminosas são melhor digeridos pelos cães e geram menos gases se forem deixados de molho antes de serem cozidos, como muitas pessoas fazem com o feijão.

Carne desossada

Praticamente todas as carnes podem ser dadas, temos que evitar embutidos temperados pois podem gerar gastrite e diarréia em animais de pequeno porte e não habituados com o alimento.

  • Frango: peito, coxa desossada, moela, coraçãozinho sem a gordura e sobrecoxa desossada;
  • Porco: lombo suíno, filé mignon suíno e coração sem gordura;
  • Boi: músculo, lagarto, patinho, coxão mole, bucho, coxão duro e coração sem gordura;
  • Ovos: de galinha, pata, codorna, peru (gema e clara);
  • Cabrito: qualquer corte magro;
  • Outras: Carne de rã; Carne de codorna; Carne de coelho; Filé de peixe e carnes de caça.

O ponto da carne de frango, bovina, porco e caças devem ser sempre ao ponto. Carnes bem passadas são difíceis de digerir e as vitaminas são destruídas quando bem passadas.

Podemos fazer assadas, grelhadas ou cozidas em panela com pouca água, mas não as frite usando óleo nem cozinhe na panela de pressão.

Se usar uma panela com água para cozinhar a carne, pode cozinhar os legumes junto, é uma forma de aproveitar as vitaminas e minerais da carne e trazer um sabor mais agradável para os vegetais.

Temos que evitar de lavar as carnes, mas em certas ocasiões somos obrigados.

Pode ser utilizado a carne desidratada, mas não utilizar as desidratações com sal, apenas as desidratações no calor e as defumadas sem tempero.

Peixes

Peixes tem alto índice proteico e sua absorção é em torno de 83%. Pescados pequenos de até um palmo podem ser oferecidos inteiros sem limpar. Os peixes maiores podem ter espinhos maiores e mais perigosos se ingeridos, e os ossos da coluna espinhal serão mais duros, nesses casos indico filetar. O ponto que mais indico é ao ponto, isso será o suficiente para destruir os parasitos. A barrigada indico utilizar para armadilhas, o consumo delas pelos cães ou pelos humanos podem gerar verminoses intestinais sérias.  

O preparo pode ser feito em panela com pouca água, assada, grelhada, selar na frigideira ou oferecer cru.

Cuidado!

Peixes predadores de grande porte, que têm vidas longas podem apresentam uma maior contaminação por metais pesados como chumbo, arsênico e mercúrio, além de outros poluentes. Em casos de necessidade e de sobrevivência ignoramos isso, mas, para o consumo diário desses tipos de pescados no dia-a-dia podem gerar um problema de saúde muito sério.

Frescos X enlatados

Sem dúvidas a preferência sempre será os peixes frescos. Peixe enlatado como a sardinha conservada em azeite de oliva utilize com moderação o óleo e o atum tipo conservado em água descarte o líquido, alto nível se sódio aumentará a necessidade de água.

Ovos

Nesse caso estamos falando de todo tipo de ovos, ovos de galinha, codorna, pata, perua etc. Rico em proteína e gordura é absorvido quase que a sua totalidade. Ovo é fonte do mineral selênio e fornece vitaminas do complexo B. Contém ainda enxofre, que favorece unhas e pêlos mais bonitos e fortes.

O melhor preparo para o ovo é cozinhar o na água e sal por pelo menos 5 minutos até a clara ficar dura e deixe a gema um pouco mole (ovo mollet). Esse preparo já é o suficiente para matar as Salmonella ssp.  

Vísceras

Ricas de vitaminas e minerais fundamentais para carnívoros como o seu cão. Utilizar um volume maior que 5% podem acarretar diarreias, e hipervitaminose. Indico não utilizar vísceras de peixes devido ao acumulo de metais pesados, e o único ponto desfavorável na utilização das alças intestinais, e as vísceras de caças sugiro picar em cubos pequenos, caso encontre alguma alteração suspeita descarte para o uso humano e animal, verminoses são muitos comuns. Em caso de sobrevivência opte a fornecer ao animal as vísceras que menos te agradem, mas segue uma lista dos indicados para se utilizar.

  • Fígado
  • Rim
  • Baço
  • Pulmão
  • Cérebro
  • Pâncreas

O estômago e o intestino nem recomendo utilizar devido a quantidade de água necessária para lavá-los de forma segura e, novamente, os riscos de verminoses.

A vísceras devem ser preparadas separadas das carnes para facilitar na hora de proporcionar. Preparadas ao ponto. Vísceras podem ser cozidas na panela com água, assadas, grelhadas ou desidratadas.

Vegetais

O consumo de matéria vegetal fornece fibras que auxiliam no trânsito intestinal. Como esse ingrediente é muito amplo e muito regional não conseguirei falar de todas as possibilidades, caso queira usar alguma coisa que não está citada abaixo, pergunte a um Médico Veterinário se pode ou não usar. As maiores restrições de todas é a Cebola e cebolinhas por ser tóxica para os caninos e todas as variedades de pimentas por causarem gastrites e vômitos.

Itens que podem ser oferecidos até diariamente:

  • Folhas: agrião, salsão, alface, acelga, rúcula, folhas de beterraba, folhas de cenoura, salsinha, salsa e manjericão.
  • Quiabo
  • Chuchu
  • Pepino
  • Palmito
  • Tomate inteiro
  • Talos de salsão
  • Cenoura
  • Abóbora de qualquer tipo
  • Beterraba
  • Berinjela
  • Brotos germinados de alfafa, trevo, feijão ou brócolis

Vegetais frescos x enlatados x desidratados

Frescos são sempre mais nutritivos, os legumes enlatados são perigosos devido ao excesso sódio e alguns levam conservantes que em grande quantidade pode ser um problema. Tenha critérios antes de assumir alguns riscos. Fica como melhor opção os desidratados, além de preservar os nutrientes tem um longo tempo de conservação sendo uma opção para eles melhor que os enlatados.

Lave bem os legumes e verduras caso ofereça com casca. Em cubos legumes, verduras e as folhas inteira podem ser cozidas em panela com água e feita na assadeira. O melhor ponto é estarem tenros. Muito cozidos leva a perda de nutrientes.

Ervas e especiarias

Temperos além de aromatizar tem diversas vitaminas até mesmo um valor medicinal.  Temos algumas opções seguras:

  • Salsinha
  • Alecrim
  • Estragão
  • Tomilho
  • Orégano
  • Dill / Endro
  • Manjericão
  • Sálvia
  • Hortelã
  • Canela
  • Açafrão-da-terra (cúrcuma)
  • Gengibre fresco ralado

Frutas

Eles adoram e elas podem complementar as porções dos vegetais e ser usadas como lanche ou petisco: maçã, pêra, pêssego, ameixa, manga, os cinco sem as suas respectivas sementes, polpa de abacate (não dar a casca), banana, melancia, melão, goiaba, morango, mamão, kiwi, laranja, mexerica, abacaxi, romã, acerola, pitanga, caqui, jabuticaba, romã, figo, damasco, framboesa, etc.

Somente duas frutas não podem ser fornecidas aos cães: as uvas (incluindo passas) e a carambola. Mesmo as frutas cítricas podem ser dadas com moderação. Lembrando, caso opte por frutas desidratadas porcionar antes de desidratar. Evitar usar apenas frutas na porção dos vegetais, as frutas podem ser usadas como petiscos entre as refeições, não recomendo ultrapassar 10 a 15% do total de alimento por dia.

Concluindo…

Adapte essas ideias as suas preparações, bom senso vai ser o juiz das suas escolhas. Caso tenha perguntas pertinentes pode faze-las nos comentários e se esse artigo te ajudou a abrir a mente e ampliou a sua visão sobrevivencialista deixe o seu comentário aqui também.

Texto escrito por Fagner de Moraes de Oliveira, formado em Medicina Veterinária pela PUCPR, Mestre pela PUCPR, Responsável Técnico da Clínica Veterinária Vet&Clin.

Anúncios

10 Comentários

  • Manoel Carlos

    O Júlio, ……DESCARTE? Nossos animais não são objetos.

    • Fagner de Oliveira

      “Uma alimentação não balanceada além de gerar diversas doenças e encurtar a vida útil do animal antecipando o seu descarte, diminui seu desempenho e produtividade nas tarefas do dia-a-dia e diminui também a taxa de fertilidade afetando a reposição do plantel ”
      O significado da palavra DESCARTE nesse frase é referente a retirada do animal de função principal. Desculpe-me se pareceu ofensivo, mas a utilização desse termo é como quando falamos de um plantel. Caso ache interessante eu escrever sobre relação homem-animal e porque temos tanto apego por eles deixe o sua opinião nos comentários.
      Obrigado.

      • Fagner de Oliveira

        *da sua função principal.

  • J. C. de Oliveira

    Excelente guia! Fiquei na dúvida do motivo pelo qual Shih Tzu, Lhasa Apso e Poodle precisam comer 3x por dia. Lembro que o Shih Tzu costuma vomitar se ficar com estômago vazio (demorar muito a comer). Tem relação com isso?

    • Fagner de Oliveira

      Exatamente isso. Esse animais, principalmente os Shih Tzu, produzem o suco gástrico continuamente, diferente dos outros animais que secretam esses ácidos quando se alimentam. Um jejum de 12 horas lá pode precipitar gastrite e verar vômitos.

  • Excelente post Sobrevivencialismo e Fagner!

  • André Pereira

    Existe algum benefício conhecido, quando se trata de nutrição, entre alimentos cozidos e rações?

    Tenho essa dúvida porque os cães que tínhamos onde eu cresci viveram em torno de 16 comendo fubá com restos cozidos de legumes e carnes, mesmo sem cuidados veterinários.
    Os últimos filhotes cresceram a base de ração, e morreram perto dos 10. Senpre achei que tenha alguma relação.

    • André Pereira

      …viveram em torno de 16 anos*

      • Fagner de Oliveira

        Tudo depende da qualidade dos produtos. Existem rações que são piores que fuba e resto de comida, mas tambem existem rações de nível Premium que são tão boas quanto a alimentação cozida. Tudo vai depender do seu tempo e quanto pode gastar com o seu cão. Consegui te ajudar?

      • André Pereira

        Ajudou sim! Obrigado pela resposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s