Nossa entrevista no Domingo Espetacular – Comentários

Neste domingo (04/03/18) tivemos a oportunidade de demonstrar alguns conceitos do sobrevivencialismo em TV aberta no programa Domingo Espetacular… Mas será que valeu a pena? Vamos conversar sobre isso hoje.

Antes de qualquer coisa, se você não viu a entrevista dificilmente vai entender o que conversaremos aqui. Para isso não acontecer, clique aqui para visualizar a reportagem completa.

Dito isso, agora podemos começar.

Um foco diferente… Finalmente!

Se você acompanha nosso trabalho há alguns anos você já conhece nosso histórico com a grande mídia. Em 2012, por exemplo, o SBT Repórter conseguiu inserir o Sobrevivencialismo no meio de pessoas com planos conspiratórios que beiravam um seriado de comédia, onde mesmo com um discurso permeado de bom senso ficou difícil parecer são (diga-me com quem andas que direi quem és, não é isso? rs).

Achei o programa no Youtube caso você não tenha visto, contudo a qualidade está bastante baixa:

Se você não havia visto essa reportagem, provavelmente está com um sorriso amargo na cara, não é? Então, eu também. A história de fim de mundo persistiu por longo período nas mídias e sempre que comentávamos sobre preparação contra desastres e autossuficiência surgia algum comentário depreciativo ou daqueles que quer me convencer a colocar o chapéu de alumínio na cabeça (não preciso nem falar de zumbis aqui).

Mas, por sorte, o tempo passa e as pessoas esquecem. Esta reportagem que demos para o Domingo Espetacular conseguiu, apesar de puxar o gancho apocalíptico, manter a essência da conversa, que é bastante simples: O Brasil não anda bem e é importante estar preparado para situações de emergência.

Isso foi muito bem clarificado também por conta do discurso do Márcio “Batata”, do portal Guia do Sobrevivente. Como sobrevivencialista focado em homesteading ele teve a oportunidade de mostrar que com ações simples podemos criar recursos em nossa própria casa, reduzindo nossa dependência do sistema (Parabéns Batata!).

Visto que o foco dele era esse a produtora nos pediu para abordar uma ótica diferente, então ficamos responsáveis por mostrar o que deveria ser feito caso você tenha de deixar sua casa em uma situação inesperada de emergência. Infelizmente muito do que falei foi cortado por questões de tempo, mas acredito que ainda assim mostramos que é possível sobreviver em ambientes remotos e selvagens.

Por fim, uma mensagem que mostrou que talvez esta visão de vida não seja tão estranha e louca.

A comparação com o Clodovil

clodovilhernandes_link

Quando vi a entrevista achei que comparar os sobrevivencialistas com Clodovil pode parecer muito infeliz, mas depois de pensar bastante sobre isso pude observar alguns pontos que talvez sejam positivos.

A “massa” – e não digo isso de forma perjorativa – não se espelha em desconhecidos. O brasileiro que tem como principal fonte de informação a TV aberta não vai ficar cativado por um guri de cavanhaque que apareceu por 10 minutos em uma reportagem… Mas talvez se houver algum famoso que ele já conhece que faz a “mesma coisa” o negócio pode ficar mais interessante.

Ao mostrar que pessoas famosas (ou ex-famosas no caso do falecido Clodovil) também estão preocupadas em se preparar para emergências – mesmo de forma duvidosa – a matéria pode ter gerado interesse em pessoas que não viam sentido nenhum na prática.

“Se o famoso faz, eu acho que tenho que fazer também”. Eu sei, motivo esdrúxulo, mas se serve para salvar vidas… Eu posso viver com isso.

O comentário da Psicóloga

psicologoa entrevista.png

Curiosamente fui apresentado como empresário na reportagem, mesmo tendo dito que minha formação é a psicologia, mas isso não vem ao caso. Só digo isso pois achei curioso chamarem uma psicóloga para comentar sobre uma prática que ela provavelmente não tem muito conhecimento. Como você já sabe, quando falamos sobre algo que não conhecemos vamos, com certeza, falar burradas.

Em defesa da profissional eu acredito que ela foi convidada para a entrevista, recebeu a pauta por cima e fez seu comentário baseando-se nas informações que possuía. O Sobrevivencialismo não é algo simples de entender, então por isso dou um desconto para ela… MAS…

O comentário da profissional mostra o quanto estamos doutrinados a pensar em coletivismo. Sim, somos seres sociais, sim, precisamos de uma sociedade e relações entre grupos para continuar prosperando… Mas qual é o problema de adotar ações individuais para garantir a minha segurança? Não é difícil perceber como o discurso sempre tende a valorizar o social e não o indivíduo.

Eu não sou sociólogo e não entendo bulhufas das teorias da área, mas até onde entendo, quanto mais autossuficientes são os indivíduos de uma sociedade, mais propensa ao crescimento ela fica, não é? Essa é a lógica da medicina preventiva… Então porque não estender isso para o resto?

Se o João tem 3 meses de comida, planta, tem meios de defesa, planos de emergência e mora em um bairro onde o José, a Maria, a Mathilde e o Valdevino também fazem o mesmo, não seria este um bairro mais forte a diversos fatores que vão de desastres naturais até violência urbana?

Uma conclusão simples

Sem título

Apesar dos diversos “poréns”, toda exposição dessa forma de pensar é válida. Se entre os milhões de telespectadores UM se interessou e foi atrás do conteúdo verdadeiro, o esforço valeu a pena.

Temos muitos outros desafios como estes pela frente, então gostaria de saber a sua opinião e se estou equivocado na minha visão. Estar na frente da câmera me imbui de muita responsabilidade e preciso sempre de feedbacks para saber se não estou saindo dos trilhos da lógica.

Até.

 

Anúncios

21 Comentários

  • Júlio o seu trabalho e imprescindível para nos amantes só sobrevivencialismo e suas doutrinas.
    Estou começando minha preparações e fasso uma mescla de a auto suficiência e preparação para uma pocivel nescecidade de fuga rápida.
    Então o seu canal e o do amigo batata são minhas maiores referencia asim como alguns outro como Nilo e cavallini.
    Realmente a senhora q foi chamada para comentar a entrevista nao sabia do que ela estava falando, a impreçao q tive e que ela achou q o sobrevivencialismo estava tentando resolver a crise ( acabar com ela ) quando a meu ver estamos quê dando passar por ela sem ficarmos sem recursos e nao acabar com ela para a sociedade se ver livre .
    Bom resumindo nao sei se concorda com minha visao mais acho o trabalho de vcs muito importante é quanto mais pessoas verem isso menos pessoas vai sofrer quando as coisas apertarem de vez

  • Sabe o quê mais me atraiu desde que descobri o sobrevivencialismo e todo esse universo? É que não podemos depender dos outros e nem do sistema.
    Quando a coisa realmente aperta pra valer, é que enxergamos que tudo depende de nós mesmos para sobreviver e sair daquela situação da melhor maneira possível.

    Infelizmente no Brasil não temos essa cultura de se preparar. O povo está acostumado a acreditar que o sistema vai sempre lhe salvar, mas na realidade não passamos de estatísticas.

    O Brasil foi doutrinado a achar que o coletivo está acima do indivíduo, então não pode aparecer uma coisinha fora disso que lá vem alguém pra te reforçar que o coletivo deve estar acima do que você pensa e todo aquela blá, blá, blá.
    Pergunta para a psicóloga ou qualquer pessoa que defenda essa argumento coletivista, se abririam as portas da sua casa pra qualquer pessoa entrar?

    No mais, parabéns a equipe do Sobrevivencialismo e o Guia do Sobrevivente por compartilharem tantos conhecimentos ao alcance de todos!

  • Sobrevivencialismo eu apoio esta ideia.
    Muito boa esta reportagem do Domingo Espetacular que mostrou para nós o que é Sobrevivencialismo, muitas pessoas não fazem ideia do que realmente é
    E é sempre bom entender este assunto
    Sempre acompanho o trabalho do Julio Lobo pelo o seu canal do YouTube
    Parabéns continue assim, mas do que um canal é também responsabilidade social

  • Vi a reportagem duas vezes e suas ponderações aqui neste artigo estão ótimas equipe sobrevivencialismo. Quanto a opinião da psicóloga, não achei que ela denegriu ou diminuiu as atividades sobrevivencialistas. Ela na verdade reforçou o que vc disse na entrevista e sempre diz aqui no canal: Sobrevivencialismo se pratica em grupo! E também o Batata que enfoca a sobrevivência familiar. Creio que ela se referiu a fantasia do Lobo Solitário que vive anos na selva sem depender de ninguém. O que como vc diz sempre… Impossível realizar. Abraço. Ótimo material

  • Acho que a psicóloga não convenceu ninguém com seu papê furadê. Você e o Batata tiveram um destaque muito maior e argumentos mais convincentes.

  • Julio, voce esta deixando os tubos de sobrevivencia em algum lugar que todos podem ir? Se sim, como localiza-los? Grato a resposta

  • Júlio, você poderia explicar que termo foi esse que você uso para designar o batata, esse tal de HOMESTEADING. parabéns pelo seu esforço por todos esses anos em ajudar pessoas.

    • Olá Samuel, ainda estou em busca de uma tradução para o termo. Homesteading é basicamente “ficar em casa”, mas em inglês isso sugere uma abordagem onde o indivíduo tenta produzir tudo em casa, desde alimentos até garantir sua própria defesa. Se souber algum termo desse tipo me avise, rs.

      Abração!

  • Fiquei muito bem impressionado com a reportagem, achei que foram bastante corretos na abordagem do sobrevivencialismo, apesar da psicologa querer puxar um pouco pra esquerda. Também acho que fizeram bem em mencionar o Clodovil, pois distancia os sobrevivencialistas daquele monte de malucos que esperam um evento apocaliptico. Meus parabéns!

  • Ola Julio e companheiros do Sobrevivencialismo. Como a maioria falou foi valido pela divulgação em massa. Pois em alguns minutos é muito difícil explicar algo tao complexo como o sobrevivencialismo. Porem com certeza chama atenção de quem assiste, e quem teve a curiosidade e o interesse vai buscar mais conteúdo a respeito. Fica a dica de trazer nas próximas investidas na mídia aberta uma aproximação do sobrevivencialismo com o cotidiano das pessoas urbanas.Quem sabe um dia vocês aparece no Globo reporte: “Sobrevivencialistas? O que são? O que comem? Ondem vivem? Hoje no Globo Reporter” Brincadeiras a parte foi muito bom ver você e o batata na TV aberta.

  • Salve julio! Deixando de lado o tempero sensacionalista barato que a mídia brasileira insiste em jogar sobre o material que exibem… Acho que vc e o batata aproveitaram bem a oportunidade e cumpriram a missão de difundir a essência sobrevivencialista! Medalha de honra ao mérito para vocês!

  • Alexandre Cavalcante

    Show! Por mais que seja vago, superficial, é um começo de reconhecimento, uma apresentação que pode despertar interesse em algumas pessoas, sem aquele pré julgamento que é um bando de loucos esperando o Apocalipse… O melhor de tudo o trabalho de vocês virou referência para a matéria!

  • Demóstenes Pessoa Mamede da Costa

    Olá Júlio Lobo! Parabéns pelas informações claras na reportagem, em uma rápida visão do Sobrevivencialismo. O Batata também foi bem didático ao se expressar. Acho que a reportagem foi bem superficial, mas importante pra mostrar a visão de um Sobrevivencialista, seja ele Preparador ou não. Alguns tem uma visão errônea do tema, ao taxarmos de “loucos”, como achava no início a esposa do Batata. Minha mulher pensava assim também e hoje já mudou seu conceito. A crítica da reportagem vai para a Douta Psicóloga, que tem um conceito errado para beneficiar a coletividade. Ora, se o próprio Estado (poder público) não cumpre com seu dever de segurança, educação, saúde e infraestrutura para todos, não desenvolvendo políticas públicas, não cabe a nós, Sobrevivencialistas, sermos responsáveis pela coletividade. Devemos sim ser coletivos pra nossa família, nosso grupo e pessoas que pensam igual a nós. Valeu demais seu desempenho Júlio. Abraço

  • No mínimo, eu acho, haverá pessoas que sentirão curiosidade de ver o seu trabalho e o do batata e tendo a visão correta do assunto irão se aprofundar no tema mesmo com o que foi mostrado de forma incorreta pela reportagem. Parabéns Julio continue com o seu bom trabalho.

  • Parabéns! Se a mídia te procurou, é pq considera vc competente no assunto!
    Qto às distorções e pareceres de profissionais sem entendimento sobre o tema, só resta imaginarmos o que a mídia faz com a nossa política. Sim, boa parte de nosso caos é graças a cobertura duvidosa ou “operação abafa”, qdo não vem ao interesse midiático. Empresas produzem mídia e, empresas precisam ter lucro e essas, sobretudo, conseguir contratos de comercias, logo não podem “desapontar” seus grandes anunciantes. Sem falar que boa parte da imprensa está na mão de políticos diretamente.
    Como disse Churchill: “Não existe opinião pública, mas opinião publicada”.

  • Alex Argona

    Parabéns Júlio! É isso mesmo, temos de continuar a divulgar esse modo de vida que pode salvar vidas! Veja o meu vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=jcCZpxMsFpU&t=1288s

  • andrehtgti2

    Fora isso que o LukViking falou, a mídia edita todas entrevistas e frequentemente pegam só os pedaços da entrevista que os entrevistados falam sobre a ótica que a emissora/midia defente, e as partes que defendem o lado contrário a da midia eles removem da materia, por isso sim como o Julio falou é muita responsabilidade em estar na frente da camera de uma reportagem em vista que a reportagem, o editor, a emissora tem o poder de distorcer completamente a visão do entrevistado se o entrevistado não tomar cuidado com o que fala.

  • Matheus H. Grandelli

    Muito bom Julio, queria parabeniza-lo pelo ótimo trabalho divulgando esse modo de vida, pois é muito importante que nos Brasileiros fiquemos ciente de que a qualquer momento tudo pode dar errado e necessitaremos das nossas habilidades para sobreviver ao meio ambiente hostil, e se for parar pra pensar, tudo ao nosso redor e hostil, como você já fez um vídeo uma vez, devemos ficar atentos a tudo e ter um sistema de alerta. Verde, despreocupado mas sempre atento, laranja, Atento e de olho em tudo por motivos de suspeita de algo, e por ai vai, eu sempre instruo minha namorada e as pessoas mais importante pra mim, que ter uma habilidade por mais que simples, pode te ajudar de muitas maneiras, sempre passo os seus vídeos para ela ver, e acompanho falando meus pontos de vista e tudo mais, te admiro muito e msm n o conhecendo, o considero amigo e aliado, pelo modo de vida que levas.

    Meu nome é Matheus Grandelli nome de guerra “Matesy” e procuro seguir carreira militar e me adaptar a essa vida que acho muito sensacional, se por algum dilema do destino nos encontrarmos e eu já estiver formado, gostaria de poder conversar mais sobre minhas ideias e filosofias!! Continue sendo esse cara que tu és Julio, desejo-te muito sucesso, tanto a ti como a todos os membros SOBREVIVENCIALISTAS!! Um grande abraço.

    Por dentro de cada pessoa, todos tem um instinto sobrevivencialista por natureza!!!

  • Muito Bom!
    Assisti ontem na TV!
    Que bom vocês estarem conseguindo divulgar tanto conhecimento útil para mais pessoas!
    Acompanho e assisto a todos os videos de vocês e Sobrecasts

  • Incrível como a TV, a mídia em si distorce tudo. Se você é um especialista em uma área, vou dar o exemplo da minha área, sou adestrador de cães, se eu der entrevista para um canal falando que o Pitbull por exemplo, não é um cão agressivo por natureza, quem os torna assim são as pessoas, com certeza este canal vai procurar uma pessoal que não entende, não convive, mas tem uma formação em uma área que as vezes não condiz, falando o contrário, e vai anular completamente aquilo que eu falei.
    Então a mídia fala aquilo que ela quer, mesmo sem entender, pesquisa pouco e joga aquilo mastigado para as pessoas engolir. Não me surpreendo que o mesmo tenha acontecido com a matéria do sobrevivencialismo, cujo estava ancioso para ver.
    Não mais, só tenho a minha admiração e os parabéns a dar a toda equipe do sobrevivencialismo, continuem assim, pensando e ensinando fora da caixa.

    • Verdade, especialista para a mídia é quem concorda com ela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s