SHTF School: Por onde começar?

Não há um “tempo ruim” para começar a se preparar (a não ser que a crise já tenha começado), mas me parece que agora é o tempo perfeito para se tornar um preparador e sobrevivencialista. Eu tenho visto que muitas pessoas, por várias razões, estão começando a se interessar na área de preparação.

Muitas vezes eu recebo perguntas do tipo “O que você sugere para um homem/mulher que quer começar a se preparar?”, então está na hora de discutir sobre os pontos que um preparador novato precisa entender para começar do jeito certo.

Por que?

Nós todos sabemos o por que, para alguns é para sobreviver a um colapso financeiro, para outros é para resistir a governos mal intencionados e até mesmo para resistir a um evento climático agressivo.

Eu gosto de pensar que você está se tornando um sobrevivencialista porque você quer ter controle da sua vida e de suas ações. Lembre-se, você não quer estar com medo – quer estar consciente.

Você não quer ficar dependente do “sistema” porque você sabe que este tal sistema é uma coisa complicada e que pode ser quebrada facilmente e por uma enormidade de razões diferentes.

Você está se tornando um preparador poque agora você vê e entende o quão frágil tudo isso é.

Conhecimento/habilidades

Arme-se com conhecimentos e habilidades. Vá em cada pilar da sobrevivência e comece pelo básico. Eu pessoalmente gosto da abordagem onde você tenta cobrir todos os pontos básicos mas escolhe uma área para se tornar especialista.

Isso significa que você precisa ter conhecimentos que vão desde água (encontrar, purificar e armazenar) a comunicações, mas também escolher uma área que você gosta mais e se aprofundar.

Não existe nenhum homem que saiba de tudo, e se tornar muito bom em uma área específica lhe dá a possibilidade de trocar seu serviço por recursos em uma situação de crise.

Não vá no “estilo Hollywood” e ficar trabalhando demais em apenas um único ponto, esquecendo de todo o resto pois você acredita que eles não são “importantes o suficiente”.

Por exemplo, no meu tempo a perfeição era encontrar um abrigo urbano para passar a noite, até porque a melhor coisa era encontrar um abrigo em ruínas e conseguir se abrigar nele até amanhecer e se manter seguro enquanto isso.

Nós tínhamos de encontrar o perfeito equilíbrio entre um prédio que estivesse quebrado o suficiente (que parecesse perigoso) mas bom o suficiente para você ficar dentro (que não desabasse com você dormindo dentro dele). Um prédio que lhe desse pontos bons para instalar armadilhas sem muito esforço, que permitisse que acendêssemos uma fogueira (que não pudesse ser vista de fora) e que também tivesse uma saída de emergência.

Ainda havia toda a estratégia de instalar uma armadilha visível que desse um sinal de que haveriam outras armadilhas escondidas no local, desencorajando invasores.

Era um jogo.

O que eu quero dizer é que a categoria “abrigo” não se trata apenas de ter um saco de dormir ou colocar madeiras nas suas janelas.

A categoria “água”, por exemplo, inclui conhecimento sobre fontes alternativas de água nos seus arredores, ou simplesmente o quão grande é o tanque do aquecedor de água do seu vizinho (talvez ele poderá ser abandonado…).

Quantos de vocês vão realmente tentar coletar umidade da grama e quanto tempo você vai precisar para isso? Quanta água você acha que vai conseguir?

Então para repassar aqui, nós temos 7 pilares da Preparação. Lembre-se que eles não possuem ordem de importância e você deve definir qual irá abordar primeiro dependendo da situação a sua volta:

  1. Fogo
  2. Água
  3. Abrigo
  4. Comida
  5. Sinalização/Comunicação
  6. Itens médicos/Higiene
  7. Defesa

Seu sistema

A coisa mais básica é entender onde e como você vai sobreviver quando uma crise acontecer e para que tipo de cenário está se preparando.

Esta é a fundação que vai estruturar todo o resto. Você vai “abraçar” este motivo e cenário e começar a construir seus pilares da preparação.

Siglas como BOL, BOB e EDC são apenas isso – siglas. Você precisa montar um sistema que funcione para VOCÊ. Você pode ter um abrigo secundário perfeito a 200km da sua casa, mas isso pode significar um mês de viagem andando a pé durante uma região em crise. Neste um mês eu garanto que você será forçado a usar todos seus conhecimentos nos sete pilares da sobrevivência.

Tudo pode acontecer! De um calçado que machuca, falta de meias até gangues de psicopatas…Mas pode ter certeza que problemas surgirão. Não acabe morto por subestimar o conhecimento básico, simplesmente por considerar que será fácil dirigir os 200km até o seu abrigo quando uma crise acontecer.

Lembre-se que o seu plano bem preparado não te exime da responsabilidade de aprender a dirigir um carro roubado ou purificar água suja durante o caminho até a segurança.

Suas decisões e planos

Você pode já ter uma decisão feita de deixar sua casa que fica em um centro urbano, perto de um shopping e próxima a um bairro perigoso… Além de você ter um abrigo secundário perfeito. Mas sabe de uma coisa? Talvez você não tenha a chance de chegar até lá, talvez no meio da noite você vai acordar e perceber que aquela oportunidade já se foi e você terá de ficar onde está.

E só neste momento você vai se tocar que não calculou esta possibilidade, todos seus planos contavam com você chegando no seu abrigo secundário. Então, aí está você, sem planos e tudo o que você possui são suas habilidades e conhecimentos.

A quantidade de conhecimentos e habilidades que você irá possuir depende somente de você.

Me dá arrepios quando leio uma quantidade enorme de preparadores tomando o seu deslocamento até seu abrigo como algo garantido. NADA é garantido e você não tem como saber, a maioria das vezes você precisará se adaptar.

Talvez uma bomba exploda na sua região e você se verá no seu escritório, de terno, com uma caneta na mão e isso é tudo o que você poderá usar para construir seu plano de sobrevivência.

Eu digo novamente… Me dá arrepios quando leio pessoas organizando todas suas preparações em apenas um único lugar e dizendo que vão defender este ponto com todas suas forças. Seja flexível – se adapte.

Conhecimentos e habilidades são coisas que você sempre terá com você, planos vão mudar o tempo todo com certeza.

Pensando fora da caixa

Aqui na região existe um golpe que acontece com frequência. Você está dirigindo e de repente vê um casal parados próximos do que parece um carro quebrado, com algumas crianças na traseira.

O homem está acenando para você, você pergunta o que está acontecendo (está de dia, tem uma mulher e crianças ali, nada suspeito). O homem diz que não é da região, que o carro quebrou e ele precisa de dinheiro para o guincho, mas ele não tem nada com ele e a sua casa é distante e etc…

Ele pede por dinheiro e em troca ele lhe dará o anel de ouro dele pois as crianças estão com fome e sua esposa está chorando. Ele te oferece um anel que vale 600 dólares por 100 dólares em dinheiro, e também lhe dará um cartão com o telefone dele para que você possa ligar para ele e poder devolver o anel para que ele também devolva seu dinheiro.

A mão dele está com um anel brilhando, os carros estão buzinando ao seu redor, as crianças estão chorando e o cara dizendo “por favor, por favor”. Você diz sim (algumas vezes por que sente pena e outras porque quer sair lucrando), o homem te dá o anel, você sente que é pesado, vê o selo marcando os quilates do outro e pronto.

Você acaba de perder 100 dólares.

O telefone é falso, algumas horas depois você descobre que o anel é feito de algum metal pesado e com um selo falso estampado nele. Você se pergunta como é que pôde ser tão burro para cair em um golpe desses…. E a resposta é simples: Você estava cego pela ganância ou pelo sentimento de pensa e queria sair o mais rápido possível do ambiente.

É assim que acontece em uma crise, você pode fazer muitas coisas, sobreviver a um monte de situações estranhas ou simplesmente ser assassinado ou roubado. As influências do ambiente serão gigantescas.

Confusão, falta de informação, informações falsas, incertezas, bombardeio de boatos… Sua adaptação deverá ser constante. De forma simples, você precisará manter-se focado e aprender a ser flexível.

E sim, mais uma coisa, esta história do anel pode ser usada a seu favor quando uma crise acontecer. Eu tenho anéis de ouro falso guardados aqui como parte das minhas preparações. Você pode se encontrar um ponto onde precisa dar o seu “anel de casamento” para conseguir sair de uma situação.

Conclusão

O que eu quero dizer é simples… Foque em construir habilidades e conhecimentos, desenvolva uma mente flexível e sim, compre alguns equipamentos e recursos mas não os transforme no foco principal da sua preparação…

Mesmo para você que se considera “bem preparado” é sempre importante dar uma passo atrás e ver para que tipo de eventos sua preparação se aplica. O quanto você sabe e o quanto você treina com seu equipamento?

Eu já disse antes que algumas estratégias muito vistas na internet me causam grandes preocupações. Então, tenha certeza de que você está se preparando para a realidade de situações ruins, NÃO as fantasias hollywoodianas.

Se você é um preparador novato diga “alô” nos comentários abaixo, e se for um sobrevivencialista experiente compartilhe suas melhores dicas conosco para ajudar quem está iniciando!

Preparação não é uma competição, então vamos ajudar todos que conseguirmos enquanto podemos.

Texto adaptado e traduzido do blog SHTF School

Anúncios

15 Comentários

  • Alô!!! Há algum tempo não acompanho o site, mas nao deixei o pensamento esfriar. Obrigado ao Júlio Lobo por manter a chama acesa através desse canal. Talvez tenhamos que nos preparar para os efeitos dessa possível guerra Coréia do N X EUA. Grande abraço a todos.

  • JERONIMO DA SILVA

    Alô

  • alô, mas valeu julio e estou me preparando.

  • Rogério Sampaio Bandeira

    Alô. Muito boa as matérias, pena que são poucas e nem todas confiáveis. Creio que nunca estaremos prontos o suficiente, até porque não sabemos o que está por vir.
    Mas acho​ que um banquer no pátio e com reserva realimenta e àgua seria um começo. Abraço
    Rogério Sampaio- RS

  • RockShooter

    dksan014,
    Numa SHTF ou TEOTWAWKI, Aconteceriam coisas do tipo, “confiem no governo e fiquem em suas casas”, “tudo voltará rapidamente ao normal”, “a polícia garantirá a sua segurança”. O tempo perdido fazendo o que o governo manda, colocará você e seus familiares em possível risco de vida e fugir nesse momento pode ser ainda mais perigoso.
    Os civis “desavisados” que confiarem que as autoridades irão lhes dar comida, água e abrigo, irão passar fome, sede e frio… e provavelmente morrerão de fome e/ou doenças, além da violência entre os próprios cidadãos… Pesquise o que aconteceu em Nova Orleans após o furacão Katrina, quem fugiu da cidade só perdeu a casa, quem ficou e estava preparado para o pior teve que combater contra várias gangues que surgiram, quem procurou ajuda do governo passou fome, sede, frio, violencia de todo tipo.
    O conceito sobrevivencialista é ficar fora do sistema e não confiar nele, portanto, não é recomendável depender ou se associar a qualquer autarquia, mesmo o Exército poderia estar cumprindo ordens no sentido de sufocar a população. Mesmo que as leis proibam essa prática, alguma autoridade poderia dar essa ordem.
    O sobrevivencialista deve depender de seus conhecimentos, suas preparações (abrigo, água, comida) e de seus equipamentos para lhe tirar da SHTF que surgir.

    • Doloroso ouvir isso, mas é uma verdade quase que absoluta. Valeu, ainda preciso melhorar muita coisa

  • Alô! Conheci a pouco tempo o sobrivencialismo. Oque me surpreende é que grande parte da ideia que abrange o tema vai de encontro a aquela independência em muitos os canais da vida que no fundo procuramos.
    Abraços.

    • Correção* “Alô! Conheci a pouco tempo o sobrivencialismo. Oque me surpreende é que grande parte da ideia que abrange o tema vai de encontro a aquela independência QUE BUSCAMOS em muitos CAMPOS da vida.
      Abraços.”

  • Ótimo Júlio. Excelente. Grato mano mais uma vez.

  • Não temos nada além de abnegados como defesa civil, escotismo, radioamadores e algumas outras instituições. Nada.

    • Wow… bom, então tá na hora de nós – sobrevivencialistas – fazermos algo

  • Alô! E mais uma vez, obrigado pela luz que – novamente – vocês jogam no meu caminho. Eu só me iniciei nesse mundo da preparação graças a vocês e, desde lá, iniciei no parkour, arquearia e trekking.

    Uma grande duvida que sempre tive foi “como conseguir informações realmente confiáveis durante uma crise?”. Eu imagino que algo como “um canal de rádio amador usado em caso de emergência pelo governo”. Como proceder?

    • Olá. Não, no Brasil não temos um canal de rádio usado em prioridade pelo Governo. Ele pode formar rede de rádio e TV, mas radiocomunicação só com auxílio de radioamadores voluntários. Radioamadorismo exige licença que é obtida através de provas. Já para a faixa do cidadão (PX) basta a licença, que custa alguns reais. Usando o PX você consegue acesso a mais gente (no geral caminhoneiros) mas possui algumas limitações técnicas, como conseguir contatos apenas muito perto ou muito longe, dadas as características da propagação.

      • Opa, valeu :
        Mas é foda confiar que ainda teremos energia pra usar televisão e rádios (já que os a pilha são pouco comuns).
        Desde o momento que escrevi esse comentário até agora, eu estive repensando meus planos e desenvolvendo novos, até que me surgiu a brilhante dúvida “o que os civis devem fazer em caso de guerra?” Existem abrigos? Como seria feita a evacuação? No meu caso, que pretendo servir, como me juntar ao exército?

  • Alô

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s