SHTF School: Equipamento de porte diário – Conceitos primários (EDC)

Nós rotineiramente carregamos alguns itens conosco, seja por necessidade ou hábito. Até mesmo em uma jornada curta para fora de casa já dispara aquela checagem instintiva de nossos bolsos e mochilas: Eu estou com o meu celular? Chaves? Carteira?

Nós sobrevivencialistas temos alguns outros itens que acabamos por adicionar em nossos bolsos e mochilas, todos eles seguindo uma lógica e funcionalidade – Estes são os itens de porte diário, ou EDC.

O conceito está longe de ser novo e não deve ser intimidador, apesar de encontrarmos algumas pessoas obstinadas em complicar o assunto e defender itens e orientações específicas.

Uma tendência generalizada dentro da área de preparação é a obsessão e confiança desmedida em “listas”. Eu tenho a impressão de que para a maioria das pessoas é mais simples recorrer a uma lista pronta com o que elas devem comprar, é mais fácil, requere menos esforço e dá uma rápida “sensação de paz”.

Com isso em mente, por que eu deveria me preocupar com essas “listas”? O meu problema é esse: Se estamos olhando para os conceitos fundadores do EDC, nós percebemos que seguir uma lista não nos dá a proteção e segurança que precisamos, na verdade, em algumas circunstâncias, pode nos por em mais risco dependendo do que e como nós carregamos os equipamentos de escolha.

O objetivo deste artigo é passar pelos conceitos mais basais e simples para entender a função destes itens de porte diário.

Existem três categorias chaves para se considerar:

  1. Porte – Onde e como você carrega;
  2. Quais itens você carrega;
  3. Quais são suas demandas e expectativas para os equipamentos;

Vamos expandir eles agora: 

1) Porte

Qualquer coisa que nós decidirmos carregar precisa ser portada de uma maneira que não restrinja o nosso movimento, esteja presa de maneira firme mas ao mesmo tempo possa ser acessada quando necessária (este ponto é importante principalmente para itens de defesa).

A maioria dos militares divide os equipamentos individuais em escalas. O conceito é simples, existem três níveis:

Nível 1 – Itens carregados com você durante TODO o tempo. No meio militar estes seriam os carregados em bolsos, fixados no seu cinto ou semelhantes. Este nível pode ser traduzido facilmente para os padrões civis, os nossos itens desta escala seriam: chaves, celular, carteira, itens de defesa pessoal e etc.

Nível 2 – Estes são os itens que estão sempre ao alcance do seu braço, mas podem ser removidos do seu corpo. Em termos militares seriam suas armas e seus equipamentos de combate (coletes e semelhantes). Aqui entram os coletes modulares táticos feitos para carregar as provisões necessárias para uma batalha.

Este nível também pode ser traduzido para os civis com a exceção de que em vez de usarmos coletes, usamos mochilas, bolsas e semelhantes.

Nível 3 – Aqui entram os itens necessários para operações estendidas (mais de doze horas), mas talvez carregados em mochilas de ataque. Normalmente esta mochila maior vai conter alguns suprimentos extras (munições e baterias), comida, saco de dormir, equipamentos de campo e semelhantes.

Para aqueles que levam em consideração uma preparação mais abrangente, o nível três é o equivalente à mochila de fuga, ou BoB. A intenção aqui é carregar os itens essenciais para sustentar uma pessoa por um período de até 72 horas. Esta mochila é normalmente colocada em um veículo ou deixada em casa/trabalho, em vez de carregada constantemente.

Existe muita coisa escrita dizendo quais são os itens que constituem a “melhor” mochila de fuga, mas geralmente, na minha opinião, há MUITOS equipamentos aconselhados para se carregar neste nível, e é aí que o perigo ‘da lista’ começa a aparecer. Nós vamos falar sobre carga em excesso na próxima sessão.

Nível 4 – Estes são os itens maiores e de montagem de base, que podem ser mantidos no porta malas, armários ou equivalentes.

Em termos de EDC, o nível 4 serão itens que você manterá guardado em casa para substituir ou repor equipamentos dos níveis anteriores.

2) Quais itens você carrega

Lembre-se que estamos abordando o nível conceitual aqui, então o que deve se considerar quando falamos da escolha de itens? Eu acredito que existam 4 considerações essenciais:

a) Individual – Quem é você, o que você faz, qual o seu biotipo, qual seu condicionamento físico, você tem condições ou doenças permanentes, você está carregando para suprir suas necessidades ou também de sua família? Responder a todas estas perguntas irá influenciar as suas escolhas de itens de maneira significante.

b) Competências – Quais suas habilidades, qual o seu nível de treinamento (especialmente em termos defensivos), qual sua experiência em lidar com situações inesperadas? O ditado “quando mais você sabe, menos você carrega” é muitas vezes verdade. Quanto maior seu treinamento, habilidade e nível de experiência, menor é a probabilidade de você ter que carregar itens que ‘substituem’ conhecimento.

c) Preocupações – Este é um dos pontos mais críticos e mais subestimados. Quais são suas reais preocupações em termos de segurança pessoal? Ou melhor, para que você está se preparando? Se você não consegue especificar o seu objetivo será incrivelmente difícil de identificar suas necessidades de equipamentos. Da mesma forma, saber exatamente quais são os seus objetivos com um EDC fará a escolha dos itens ficar bem mais simples.

d) Ambiente – Como é o ambiente físico à sua volta (quente, frio, urbano, rural), quais são as ameaças ou perigos potenciais no seu ambiente? Novamente, ter uma análise clara e uma identificação simples de quais perigos você quer evitar/superar vão influenciar nos equipamentos escolhidos.

3) Quais são suas demandas e expectativas para os equipamentos

A parte final dos nossos conceitos fundamentais é entender quais as demandas que você terá para o seu equipamento. Eu identifiquei cinco considerações neste ponto. Antes de começar já gostaria de clarificar, é muito raro encontrar um item que cumpre estas 5 considerações.

Pense como se tivesse “marcando pontos”, um item que consegue atingir 4 pontos irá ter maior chance de entrar no seu EDC do que outro que tenha atingido apenas 2 pontos.

a) Cumpre uma função essencial – É muito fácil ficar lotado de itens supérfluos e demasiadamente especializados. Na primeira estância, EDC é carregar pequenos itens que fazem uma GRANDE diferença. Investigue cada peça de equipamento e tenha certeza de que você está carregando cada um porque são itens essenciais.

b) Dificuldade de replicar no seu ambiente – Procure por itens que não poderão ser substituídos facilmente no ambiente. Por exemplo, não faz sentido carregar um cantil no seu EDC sendo que em ambiente urbano é fácil de encontrar garrafas e outros substitutos para este item.

c) Multifuncional – Alguns itens claramente possuem mais de um uso (Ex.: canivetes suíços), entretanto, com certo pensamento criativo nós podemos criar múltiplos usos até para os itens mais banais que carregamos. Este é um ótimo exercício mental e também uma boa forma de analisar seus equipamentos e ver se não está carregando coisas demais.

d) Legalidade – Devido a chance constante de ser parado e revistado por um policial, não é interessante carregar nada que esteja fora da lei. Não conhecer a lei também é um problema, então se informe. Entenda também que existem várias, várias alternativas legais para os itens que podem ter sido banidos. Isso nos leva ao ponto “Competências” que falamos anteriormente.

e) Discrição – Eu sou um grande credor da teoria do ‘homem cinzento’. Você pode andar por aí preparado para uma ação apocalíptica iminente, apenas não demonstre isso. Se misturar com o seu ambiente é algo que você deve perseguir e conseguir fazer. Sua seleção de itens no EDC podem te ajudar ou dificultar este processo.

Com um entendimento claro e prática destes conceitos fundamentais será mais fácil carregar itens que estejam mais adequados para a situação de cada um, em vez de carregar itens genéricos de uma lista formatada. Isso não nos deixa apenas mais preparados, mas também mais informados e confiantes nos equipamentos que carregamos.

Depois de tudo isso dito, a nota final é que você deve entender que o EDC precisa ser fluído e dinâmico, sendo fácil de remanejar, trocar, modificar, adicionar ou remover itens de acordo com as necessidades e circunstâncias.

Este artigo lhe dá mais clareza nos pontos que você precisa melhorar em seus equipamentos de porte diário? Se sim, comente o quê, como e de que forma você vai mudar!

Traduzido e adaptado do blog SHTF School.