SHTF School: A onda de refugiados que corre para a Europa

Há uma grande crise na região por conta dos imigrantes chegando da Síria, Afeganistão, Líbia… E os jornais e fóruns estão cheios de manchetes e tópicos sobre como os políticos deveriam abordar o problema. Pessoas normais geralmente não tem noção da realidade e toda a discussão é apontada para “as pessoas devem ajudar os imigrantes ou vê-los como uma ameaça potencial”.

O problema é muito mais profundo que este e, novamente, como todos os problemas reais a maioria das pessoas acaba ficando presa em discussões vazias.

Sim ou não para os imigrantes

Não há nada mais primitivo do que um homem faminto? Existe, um homem faminto com uma criança. Ele não liga para leis, ONU, políticas de diplomacia ou algo do tipo. Ele tem tarefas simples: Alimentar sua criança, se alimentar e ter segurança. Ele vai obedecer as regras? Não, na maioria dos casos ele não vai. Quem iria morrer de fome simplesmente por não “ser apropriado” causar problemas para os vizinhos?

Agora considere o fato de que os imigrantes estão chegando em números como 70 mil… 120 mil… em países onde a população total é de alguns milhões.

Os países por aqui já possuem problemas para trazer segurança, trabalho e comida para seus próprios cidadãos. Toda a infraestrutura social já vêm danificada há muitas décadas, e não é preciso muito para derrubá-la.

Agora para deixar algumas coisas em claro aqui, eu passei muito tempo faminto e procurando por abrigo, então tudo dentro de mim diz que um homem normal deve ajudar o outro que está em necessidades, que está fugindo da guerra e tentando proteger suas crianças.

É sobre o que é certo e errado, o que é ser um ser humano.

Mas o real problema não é querer ajudar ou não, é ser “afogado” pela quantidade enorme de pessoas que são diferentes e podem não se encaixar na sociedade.

O problema é que não há controle sobre quem é um refugiado e quem está procurando uma oportunidade para viver de graça. Nenhuma sociedade consegue lidar com números tão grandes, não importa o quão forte e organizada ela for. Este é um problema no sistema que não pode ser arrumado facilmente.

Nós deveríamos ajudar estas pessoas que estão famintas, assustadas e com crianças, claro. Nós não podemos fazer mais nada, é o certo a se fazer. Irão eles, ou alguns deles, trazer o caos? Eu acho que sim, acho que alguns refugiados poderão usar este caos para chegar em lugares onde podem causar estrago. Algo muito grande está se desenrolando por aqui, e ainda não vimos o último capítulo.

Grandes sociedades são feitos por pessoas que fugiram de seus países originais e foram para novos locais, se misturaram e formaram novas sociedades e até mesmo nações, juntando as diferenças para criar algo novo e unido.

Mas o problema possível é ter muitas pessoas não querendo “se misturar” em uma nova sociedade. Algumas pessoas tem uma cultura tão diferente que vêem a liberdade como um convite para mudar o mundo ao seu redor, porém se alguém quiser mudar o mundo deles… É um problema.

Ajuda de fora?

Grandes palavras foram ditas pelos líderes, todos dizendo que os imigrantes devem ser ajudados. Mas no final, é sempre o mesmo grande jogo entre política e dinheiro… E as pessoas normais não tem chance de escolher nada.

Os países mais ricos da Europa vão mandar dinheiro para os países mais pobres para “ajudar”. A maioria desses esforços vêm para tentar manter estes imigrantes longe deles.

E claro que esta ajuda e dinheiro serão usados mais uma vez nos países pobres para fortificar as posições de políticos locais e futuros senhores da guerra, para ganharem mais poder e criar um estado de caos e gratificação nestes locais.

Mais uma vez o homem simples é pego no grande jogo de poder que a maioria das pessoas não consegue entender.

O que nós podemos aprender com os imigrantes?

Muito.

Eles percorreram longas distâncias sem quase nada, alguns sofreram violências, apanharam, foram roubados, presos e até mesmo torturados. Eles não tem nada a não ser suas vidas e a vontade de sobreviver.

Nenhuma cerca poderá detê-los e nenhuma polícia conseguirá controlá-los. Eles comerão o que acharem, dormiram onde podem. Entre eles estão professores, bombeiros, donas de casa… E todos estão sobrevivendo.

Quando você consegue perceber não o desespero mas a determinação, vontade e esperança destas pessoas, você os entende melhor. Eles deixaram seus países com o que podiam para encontrar um lugar melhor para eles, casas e apartamentos não são mais importantes quando você está lutando por sua vida.

Se você está viajando longas distâncias com apenas uma mochila, você com certeza tem algumas habilidades de sobrevivência.

Conclusão, sem conclusão

Para resumir isso, eu acho que falar sobre os problemas com os refugiados é falar sobre a mudança climática. Está acontecendo e as pessoas precisam lidar com ela. Nenhuma “grande muralha” vai parar isso e a Africa, perto da Europa, está lotada de pessoas que não tem o suficiente para viver vidas normais.

Eu entendo o sentimento ruim de ter pessoas novas em seu país e saber que eles provavelmente viverão sob suas custas, mas nós sabemos que isso não vai pará-los. A Europa está mudando e ninguém pode impedir.

Texto traduzido e adaptado do blog SHTF School