Defesa residencial: Preparando seu campo de batalha

Este texto lhe dará apenas algumas ideias para começar. Depois de entender os conceitos com certeza você poderá adaptar os princípios que trataremos aqui para a sua realidade. É importante dizer que aqui tratamos de ações a serem feitas nos piores cenários possíveis, então estas dicas podem parecer muito extremas para tempos normais.

O que é um multiplicador de força?

Um multiplicador de força ou de combate é algo que lhe permite lutar como se estivesse em um grupo maior. Visto que muitos preparadores estão sozinhos ou apenas com suas famílias, esta deve ser uma parte essencial do seu plano para defender sua casa ou abrigo secundário.

Existem muitos tipos de multiplicadores de força por aí, desde operações de impacto psicológico até melhores armas, táticas ou treinamento. Hoje falaremos sobre um ponto específico, a preparação do campo de batalha.

O que é um campo de batalha?

Um campo de batalha é exatamente o que parece ser: um lugar onde você luta. Se você tem um rancho ou um abrigo secundário, seu campo de batalha é qualquer área que você ou o inimigo pode controlar. Hoje não vamos falar apenas sobre o controle do campo, mas comentar sobre como prepará-lo para que você consiga lutar de maneira mais efetiva contra um grupo. Vamos falar sobre como você pode controlar este espaço que o seu inimigo pode tentar invadir.

Idealmente seria ótimo que você estivesse em uma área rural, assim você tem mais espaço para trabalhar. Se você mora na cidade ou até mesmo em um subúrbio esse trabalho é mais difícil, mas não impossível. Existem alguns conceitos que podem sim ser adaptados, basta pensar com calma.

Se você mora em uma área grande e com um grupo, a primeira dica é ter alguma espécie de mapa para ter controle do terreno à sua volta. Esta seria a melhor forma de pensar em o que fazer e também como explicar aos outros o que eles devem fazer. Enfim, vamos lá.

A defesa do Castelo

Por milhares de anos os homens fizeram grandes e robustas estruturas para defender seus pertences. Estes eventualmente se tornaram castelos e, convenhamos, eles são simples de entender. Possuem paredes grossas e não são facilmente invadidos. Você pode fazer o mesmo com o seu abrigo secundário.

A não ser que você queira deixar as coisas “bonitinhas”, uma das formas mais efetivas de proteger um prédio pequeno contra disparos – e deixá-lo mais camuflado – é cobri-lo com terra e pedras, até mesmo plantar sobre ele. Transforme-o em um abrigo semi subterrâneo. Isso também lhe protegerá de várias formas, inclusive contra pessoas que queiram incendiar a estrutura.

Se você não está disposto a fazer isso ou não pode por conta da situação, você pode usar barricadas improvisadas usando sacos de areia. Eles podem ser alinhados em pontos chaves na sua casa e podem ser providenciados de última hora. Claro, se você tem a chance de construir a sua casa do zero vale a pena pensar em colocar paredes um pouco mais grossas.

O problema com castelos é que se você está trancado dentro dele não apenas impedirá os outros de entrarem, mas também de você sair.

Se preparando para um cerco

Um dos melhores métodos de derrotar alguém que está dentro de um castelo é montar um cerco.

Vamos imaginar que você tenha um bom abrigo na mata. Essa é uma ideia comum entre os preparadores. Você tem um abrigo onde estoca comida, medicamentos, munição e vários outros itens. Você decide que, se em algum momento um grupo de criminosos tentar tomar o que você tem ou machucar sua família você abaixará os portões e ficará completamente seguro.

O que acontece se eles decidirem apenas acamparem do lado de fora para esperarem você sair?

Você pode até ter um ano de comida estocada para a família, água praticamente infinita, mas… Você conseguirá lidar com todo o seu lixo? Se você estiver ativamente lutando, terá munição para segurar?

A primeira ação que você precisa tomar antes de qualquer outro plano é montar suas coisas de maneira que consiga manter a sua estadia em casa de forma segura e saudável.

Túneis e cobertura

Assim como é importante saber defender sua localidade, também é ter um meio de fuga. Preferencialmente, vários meios. Por essas e outras que já escrevemos aqui falando sobre como os abrigos subterrâneos podem ser perigosos.

Obviamente, você precisa de uma saída em seu abrigo caso não possa permanecer mais dentro dele. Os invasores podem simplesmente incendiar o local e, se a única saída for pela porta da frente, você estará à mercê deles. A melhor maneira de escapar de um cerco é um por meio de um túnel.

Para ser efetivo, ele deverá ter pelo menos 50 metros de comprimento e ter sua saída em um local escondido, de preferência na encosta de um morro ou em vegetação densa. Essencialmente, você deve sair sem que eles saibam que você saiu.

Se você não pode ter um túnel, a próxima coisa que você pode ter é uma cobertura acima do chão. Ter arbustos ou uma espécie de trincheira perto de sua casa podem lhe ajudar. O problema é que aquilo que lhe proporciona cobertura também pode proporcionar aos invasores.

Controle o terreno alto

Se você pode sair de sua casa ou mandar alguém para fora, você pode levar a luta para o lado de fora. Taticamente o terreno melhor para se dominar em combate é o terreno alto, especialmente se você tem um meio de evadir dele caso seja sobrepujado. Contudo lembre-se, se você não pode estar lá, coloque algum obstáculo para que os invasores também não estejam. Plantar Cactus ou plantas espinhosas são ótimas para desencorajar que a posição seja tomada.

Limpe a área

Quando você luta contra alguém, você precisa enxergá-los. Você também precisa eles o mais longe possível do seu perímetro para reduzir a efetividade do ataque. Pode ser lindo ter árvores grandes a cinco metros da sua casa, mas é uma decisão tática ruim. Limpe seu quintal para ter a visão de possíveis invasores.

Lindo, mas taticamente desvantajoso

Controle o movimento inimigo

A não ser que o invasor já esteja na sua porta, eles vão montar posições de combate e tentar controlar a área. Se você já bloqueou o terreno alto e outras posições táticas boas e também limpou seu quintal, estas posições serão longe de sua casa, tirando parte da vantagem deles. Parabéns, você já começou a controlar o inimigo… Então por que não continuar?

Guie a escolha de posição

Se você for no seu pátio e pensar como um invasor, começará a ver onde ele poderá mover seus homens. Se você sabe onde ele poderá tomar cobertura, será mais fácil lutar contra eles. Lugares como esses podem ser preparados com câmeras de segurança, microfones ou até armadilhas.

Guie o movimento

Tactical tip: set up cameras where your enemy would take position

Dica tática: Coloque câmeras nos locais onde você não têm visão aberta

Se você conhece um pouco sobre caça saberá que um dos elementos chaves para montar uma armadilha de sucesso é saber direcionar o animal exatamente na direção dela.

Esse direcionamento pode ser apenas um caminho natural que guia gentilmente o animal para o abate ou até mesmo algo mais efetivo, como um caminho que eles devem seguir obrigatoriamente e passar por um determinado ponto onde a armadilha está esperando.

O mesmo acontece quando você prepara seu local de combate. Se você tem cercas vivas que o inimigo não pode cruzar você sabe que ele terá de seguir rente a elas até encontrar uma entrada. Se você tem apenas uma entrada na cerca, sabe exatamente onde ele vai colocar a cabeça. Fazendo isso de forma correta você poderá ter diversos funis fatais disponíveis para uso.

Se você está em uma situação de crise total ou numa área remota, pode também apelar para o arame farpado. Apenas lembre-se que este item deixa claro que você está defendendo alguma coisa. Cercas vivas são mais naturais e não avisarão aos invasores destreinados que isso é parte de uma estratégia de defesa.

Melhore sua inteligência

Instalar câmeras ao redor da sua propriedade lhe ajudará a descobrir quantos invasores são, o que eles têm e o que estão fazendo. Hoje as câmeras de vigilância estão bem baratas e podem ser facilmente instaladas na sua residência.

Ligue e peça ajuda

Se todo o resto falhar, a sua escolha é desistir ou pedir por ajuda. Mesmo se você não decidir que vai trabalhar com um grupo tenha certeza de que em algum momento da crise você precisará de apoio. Ainda assim, dificilmente a ajuda virá se você não tiver como avisá-los. Tenha algo como um rádio amador em sua casa com um bom gerador de energia para que você possa estabelecer algum sistema de comunicação entre sua família ou grupo.

Vá atrás de uma licença de radioamador e aprenda a usar o equipamento. Hoje temos rádios chineses baratos disponíveis e que você pode entregar para cada pessoa do seu grupo ou família.

Para seu abrigo secundário eu recomendo algo mais móvel para que você possa levar contigo quando estiver no processo de deslocamento. Contudo, se o rádio não funcionar arme algum sinal secundário como uma sirene ou algo semelhante. Apenas seja criativo e tenha um plano bem construído antes que você seja pego de surpresa.

Estas são apenas algumas ideias. Apenas lembre-se que a luta pode ser ganha ou perdida antes mesmo de começar. Criando alguns multiplicadores de força você pode colocar o jogo ao seu favor.

Você tem mais algumas ideias interessantes para proteger sua residência ou abrigo? Compartilhe nos comentários.

Este texto possui trechos traduzidos do blog Gray Wolf Survival.

Anúncios

18 Comentários

  • Quero parabenizar a todos pelo enterece por assuntos tão relevantes e contribuir com a minha opinião sobre sobrevivencialismo, onde movimentar e adaptar é a regra áurea para a sobrevivência e é exatamente ai que entra o ninjitsu, técnica de combate milenar que em minha singela opinião é a mais eficas de todas que se possa fazer menção. Obrigado e comentem sobre, se acharem conveniente.

  • Yoseph Makabi

    Se segurem porque o tranco vai ser forte.. A hora tá chegando….. Não confiem em tecnologias… Tenham armas… uma boa faca… um arco e flechas… facão… Planejem rotas de fugas… Aprendam a construir armadilhas… portão malaio, fossos, essas coisas… Aprendam a se camuflar… Repito: SE SEGUREM QUE O TRANCO VAI SER FORTE…
    SELVA!!!

    • Infelizmente, as coisas estão convergindo para esse caminho.

      O geito eh ir preparando o estomago pra tanta merda

      • Estudar um pouquinho é um bom jeito de começar!!!

  • Você já assistiu Os Sete Samurais, Julio? De Akira Kurosawa?

    Se não, então deveria, não apenas por ser o melhor filme já feitos em todos os tempos, mas por ser um excelente filme para quem é sobrevivencialista. Já que mostra a realidade de uma sociedade mais ou menos próxima do que encontraremos, neste caso, se tivermos sorte.

    Mas o que me leva a citar o filme é apenas uma única frase dita pelo comandante dos sete ronins (renegados) que protagonizam o filme.

    Ele diz: “Toda fortaleza perfeita deve ter um ponto fraco, que é por onde o inimigo entra para ser esmagado.”

    • Por falar em filme, o “”Guerra Mundial Z”, onde o personagem de Brad Pitt e família eram perseguidos por “zumbis” teve uma frase bem interessante. O personagem foi abrigado em um apartamento por outra família que se recusava a sair, argumentando terem víveres suficientes para um bom tempo. Ante a resistência do dono do apartamento, a frase do ator: “Mobilidade é vida.”
      Por isso, do meu ponto de vista, fazer da casa uma “fortaleza”, com estoque de recursos é uma estratégia um tanto temerária, pois:
      -Se for uma guerra civil, como nos relatos do Selco, quais nossas chances enfrentando grupos guerrilheiros?
      – Como abordado em post anterior, vai se tornar o ponto de convergência de todos os parentes, amigos, vizinhos e colegas (e ainda amigos destes todos) em busca de ajuda!
      – Em certas catástrofes como uma inundação,epidemias, terremoto, etc, o abrigo será inutilizado.
      Acho que um “quarto do pânico” é bom para situações pontuais, como evitar um assalto ou sequestro; estoque de recursos só para 2 ou 3 semanas – se a crise passar disso será o caos instalado e o ambiente se tornará hostil demais. Minha aposta é em meios de fuga.

      • Sim, também penso assim. Em primeiro lugar a fuga para algum lugar onde ninguém queira ou consiga ir e ficar. Usar o próprio ambiente hostil como fortaleza, de preferência preparando o ambiente para estar lá, se possível. Em segundo lugar a preparação da casa, estoque apenas para um mês em caso de SHTF. Mais do que isto, não vejo necessidade, o caos estará já instalado e neste caso creio que não vale a pena ficar em casa e ter tanto estoque de comida assim. E me lembro desta frase também, e concordo com ela.

        Mas é bom saber que há situações em que só mesmo um bunker, de preferência subterrâneo e com paredes com chumbo, é capaz de possibilitar a sobrevivência. E neste casos é realmente necessário estoque de recursos para meses ou anos.

  • O uso de um drone com câmera também pode ser útil.

    • Drones são barulhentos, ele chama muito mais a atenção do que fornece em monitoramento.
      É bem mais fácil alguém escutar e ver o seu drone do que você conseguir ver alguém.

    • Drones são úteis apenas se o inimigo já sabe da sua presença. Se ele sabe que você está ali escondido, entricheirado com armas, então um drone pode ser muito útil. Caso a questão seja passar desapercebido não, eles chamam mais atenção que um UFO. Informam da presença de alguém na área.

  • Matheus Hagemann

    òtimo Julio…

    se tiver uma mapa com a topografia da região melhor ainda!!

  • Algo bastante útil como multiplicador de força são os sensores de presença. Eles são relativamente baratos e podem ser espalhados por todo o terreno. Com a ajuda de um pouco de eletrônica é possível criar um mapa do local com luzes na localização de cada um dos sensores podendo saber a localização do inimigo.

  • Postagem relacionada ao tema:

    http://sobrevivencialismourbano.blogspot.com.br/2013/09/vivendo-atras-das-linhas-inimigas.html?m=0

    Att

  • uma casa de hiper adobe e um forte que não chama atenção se bem feito aguenta o tranco de quase qualquer coisa

  • Bom assunto. Este é um campo muito vasto, existem milhares de cenários, possibilidades, táticas, equipamentos….Lembrando que o cenário urbano é totalmente diferente do rural, o que pode ser um multiplicador de força no meio urbano pode ser um erro meio rural e vice-versa. Acho que você pode Júlio desmembrar este post em vários outros como: defesa em ambiente rural, defesa de casa, defesa de apartamento, defesa de acampamento no mato, etc.

    • Isso! Acompanho o site a pouco tempo e também venho me questionando nesse sentido… e se estou no cenário suburbano mas em apartamento? Tenho como me preparar e me defender?

    • Guilherme S.

      Concordo com o Welthon, eu por exemplo tenho um abrigo “secundário” numa área rural e um dos problemas mais graves que enfrento é que onde fica a construção é uma área muito baixa. seria excelente saber como “defender” as casa em que moro e também o abrigo.

      • Também tenho um BOL na zona rural Guilherme… e vejo que as técnicas de defesa têm que ser diferenciadas…tenho algumas ideias e experiências no assunto !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s