Mochila adaptada de perfil baixo

Ogio Backpack principal 2

Sabemos que para o verdadeiro sobrevivencialista o que mais importa é ser “Low Profile” ou em tradução para o português, perfil baixo. Afinal, não queremos chamar atenção para os verdadeiros recursos que temos, não é?

Abordando este tema, observe as duas fotos abaixo e pense: Qual das duas chama mais atenção?

Captura de Tela 2015-07-05 às 8.08.48 PM modernindustry-linkbackpack

É claro que ambas estão exageradas em suas propostas. Afinal, se eu saio com uma mochila camuflada daquele tamanho todo, com vários bolsos do sistema M.O.L.L.E. e tão chamativa, com certeza meu perfil baixo e meu status de “Gray man” (Temos um texto explicando este termo aqui), já era não é?

Já a outra mochila é tão simplista e pequena que não se conseguiria armazenar quase nada.

Analisando tais fatores quando estava em busca de uma mochila para mim – e queria um misto dos dois mundos – pensei:

“Cara, se as pessoas customizam tantas coisas que nem são úteis, por qual motivo eu não customizaria ou modificaria um equipamento que pode salvar a minha vida? “

Quando falamos em customizar algum equipamento ou gear, deve-se levar em conta alguns fatores:

  • Qualidade da customização (tais como: Costuras, implementos etc);
  • Qualidade da mão de obra que fará a customização (Não, não vale pedir aquela sua tia quase cega para costurar para você);
  • Qual será o objetivo das modificações, para que se destinam e em qual cenário o equipamento será usado.

Em meu caso eu buscava uma mochila na qual eu pudesse implementar dois conceitos principais: Uma Go Home Bag (Vídeo de uma que mostramos aqui) e uma E.D.C. bag. Aí você pensa: “O que? Que @#!%$ é esta DIEGO? GO o que?

Ops!

Vamos lá. Hoje no meio tático de sobrevivência existem algumas nomenclaturas usadas para definirem as mochilas e equipamentos presentes nas mesmas. Cada qual com sua finalidade. São as principais:

  • E.D.C. Bag: O kit comporta todo o equipamento que você carrega e julga necessário para seu dia a dia.
  • Get home Bag/Go home: O kit prevê o necessário para que você chegue até sua casa com suprimentos para até 12 horas.
  • Bug out Bag/ B.O.B.: É um kit portátil que normalmente contém os itens que você precisa para sobreviver durante 72 horas quando efetuar uma evacuação em situação de crise.
  • Snap bag: Um conceito que vêm crescendo como um kit mais simples do que de uma bug out bag.

Explicado os conceitos principais, vamos à minha mochila modificada. Aí começou o dilema:

“ E agora cara? Qual eu compro para fazer este projeto?”

Na verdade foi uma busca incessante… Hoje no meio “Tático” existem muitas opções de mochilas com diversas camuflagens, tecnologias e embustes possíveis. Não me entenda mal, mas ter algo no seu equipamento que chama muita atenção pode custar sua vida.

Encontrei na marca OGIO uma mochila utilizada por alguns motociclistas devido à proteção que ela pode oferecer. Uma mochila média com aproximadamente 25 litros, confeccionada com uma casca externa de poliuretano (Uma variação de polímero) onde o acesso interno se dá pelo zíper que fica na parte traseira.

Além do material, que me chamou muita atenção, achei o acabamento muito bom e resistente! Mesmo quando molhada, a água não penetrou no interior e também possui fita para peito e cintura. O PRINCIPAL: não chama atenção, mantendo meu perfil baixo.

Para tecer um comparativo apresento as características do produto original primeiro:

Mochila OGIO Mach 1

  • Capacidade: 24 litros
  • Porta Notebook
  • Porta camelbak
  • Fita para cintura
  • Fita para peito
  • Dois bolsos utilitários em malha fina
  • Porta documentos
  • Porta objetos

Ponto negativo principal: Baixa capacidade para uso em caso de emergência, ou seja, não tem como anexar nada na mochila para aumentar seu volume (24 litros é muito pouco!).

Aqui entram minhas modificações. Como disse lá em cima, customizar os itens pode ser a saída para ter um equipamento feito sob medida para você e ainda fortificar os pontos fracos que o modelo original apresenta.

Dito isso, criei uma solução barata e prática: Adicionei fitas de super-velcro na parte traseira.

Isso praticamente aumentou a capacidade da minha mochila em quase 15 litros. Fiz diversos testes em situação de montanha e subidas longas com ela. Já anexei barraca, corda, saco de dormir e até mesmo uma blusa como vocês podem ver nas fotos abaixo. Nenhum equipamento chegou a ceder e mesmo com o peso não se movimentaram e nem houve qualquer desconforto.

Ogio Backpack back texto

Pelo fato de eu preferir não ter o sistema M.O.L.L.E. (Leia sobre, aqui) porque acho que tantos bolsos anexados nos tiram do perfil baixo, eu criei um sistema interno para a mochila que ocupa pouco espaço. Costurei o super-velcro na parte inferior aos bolsos onde eu posso anexar e destacar meus bolsos utilitários rapidamente.

O grande problema que vejo no sistema M.O.L.L.E. é que leva-se um certo tempo para destacar algum bolso caso você precise dele rapidamente. O sistema velcro interno manteve a mochila discreta e ao mesmo tempo pude anexar os bolsos que precisava. Meu kit de ferramentas, fogo e o kit médico.

Para mim, foi uma das principais mudanças, pois como sou escalador, um kit médico preso à mochila por sistema M.O.L.L.E. não é legal, pois como eu falei, é demorado para destacar. E convenhamos, ficar a uma altura de mais de 50 metros tentando destacar um kit médico com uma só mão em uma emergência, não PARECE muito seguro não é?

Ogio Backpack zoom pouch 2 texto

Outras pequenas modificações :

Adicionei uma fita horizontal em cordura na alça da mochila para que eu possa ter acesso à algum equipamento que eu precise rapidamente (Multi-tool, faca ,etc).

Ogio Backpack velcro texto

Coloquei uma Luz de emergência e resgate V-LITE, que possui diversas funções desde iluminar, destacar-me como guia em uma trilha com minha mochila nas costas, destacar-me em meio neblina enquanto piloto uma moto ou até mesmo servir como uma luz de alerta no modo strobo, caso um pneu fure em uma estrada escura. Enfim, o céu é o limite caras!

Ogio Backpack principal 2 texto

Mais fotos do equipamento:

Ogio Backpack knife Ogio Backpack pouches zoom Ogio Backpack back supervelcro 2 Ogio Backpack complete Ogio Backpack inside

Sei que foi uma postagem extensa, mas o que eu quero evidenciar é: Com pouca grana e MUITA criatividade, pode-se tirar muito mais proveito do seu equipamento/gear. Defina quais os pontos principais você quer mudar, qual o objetivo e em que será utilizado.

Respondendo estas perguntas… PRONTO! Nasce um novo equipamento. MUITO mais preparado, MUITO mais eficaz e o MELHOR, feito para você. Gostou das modificações? Me conta nos comentários!

Eu sou o Diego Silva… BE READY!