[18+] SHTF School: Três coisas que você precisa saber sobre matar

Existem algumas coisas que precisam ser entendidas se você for forçado a matar alguém ou se alguém está tentando te matar. A maioria das pessoas não sabem delas mas é importantíssimo entendê-las.

Nota do tradutor: Para aqueles que não conhecem, o Selco é um sobrevivente da guerra que ocorreu na Sérvia em 1990. Ele passou um ano em uma cidade completamente sitiada onde as pessoas faziam de tudo para conseguir recursos e sobreviver à violência enorme dos militares e dos criminosos. 

Peço atenção aqui – Não posso recomendar que pessoas sensíveis ou menores de 18 anos leiam este texto. O conteúdo é bastante pesado e se você não quer entender a crua realidade que o Selco viveu ou é muito sensível, não passe deste ponto. Se você for um sobrevivencialista e que entende que em momentos de crise temos de fazer o que for necessário, continue. Eu avisei.

Como eu já disse muitas vezes antes, a maioria das pessoas nunca enfrentou violência real antes. E eu me refiro a matar ou lutar pela vida. Isso é ótimo, afinal, vivemos em uma sociedade onde essas coisas não são necessárias.

Por outro lado, pelo olhar da sobrevivência, se você não passou por episódios de violência séria antes você não tem experiência o suficiente e não saberá o que esperar quando uma crise acontecer. Este texto é para tentar auxiliá-lo a ter uma melhor noção.

Matar uma pessoa é fácil ou difícil?

Adivinha? As duas coisas.

Antes de tudo, esqueça sobre as cenas de filme onde as pessoas estão voando dez metros para trás quando você atira nelas com sua pistola. Tem muito exagero ali.

Quando você atira em um homem em uma curta distância algumas coisas podem acontecer.

Em alguns casos ele pode apenas cair (como se desligasse) e pronto, é isso. Ele se foi. E o mais interessante que posso dizer da minha experiência é o som da queda de um corpo. É algo como um grande saco cheio de alguma coisa molhada com pedaços duros. É basicamente o que o nosso corpo é.

É um som especial e se você ouvir ele vai lembrar pelo resto da sua vida.

Vamos dizer que um tiro bem posicionado, distância certa, quantidade de disparos, seu treinamento e calma fazem isso acontecer.

Em outros casos você pode se encontrar em uma situação onde o agressor está vindo para cima de você rapidamente, você continua atirando nele, a distância é bem curta e nada acontece… Ele ainda está chegando, você atira, atira, grita ou apenas pensa que está gritando, algo alto continua explodindo seu ouvido e você não sabe nem se sua arma está disparando, algo talvez esteja errada com ela, o cara está chegando mais perto, ele tem uma faca enorme… “Que !#$% está acontecendo? Eu vou morrer? Deus? Mãe?”

E de repente, ele cai.

Aquele cara foi difícil de matar? Sim, mais tarde você descobriu que atirou nele seis ou sete vezes mas não nos lugares certos. O cara era grande e a adrenalina fez ele esquecer da dor.

Os dois exemplos são experiências reais. Existem muitos fatores que podem entrar em jogo nisso.

Então para responder a pergunta deste tópico eu sugiro uma fórmula simples. Se você for forçado a matar alguém, considere o fato de que uma série de fatores precisa estar de acordo para você conseguir isso, mas se está em uma situação onde alguém está tentando te matar, aja como se você fosse muito fácil de morrer.

Há um longo, longo tempo atrás, quando eu era um iniciante em algumas coisas e não sabia nada sobre violência (e estava claro que eu teria de enfrentá-la), um cara velho me deu um conselho, ele tinha uma pistola e um carregador extra.

Ele disse: “Ok, quando ele estiver vindo para você, você descarrega nele” Eu perguntei: “e o que eu faço depois?” Ele disse: “então você recarrega e esvazia o outro carregador nele também”. Eu perguntei: “Os dois carregadores?” Ele disse: “Os primeiros dois disparos devem fazer o trabalho, mas você precisa se garantir”.

Matar é um trabalho sujo.

Razões para a violência

Tópico gigante. Mas vamos falar sobre o básico, sem entrar muito fundo em filosofia. Muita violência será “compreensível” de certa forma, em uma crise. Luta pela comida, água, terra e etc. Você como sobrevivencialista deve estar preparado para isso, faz sentido esperar que isso vá acontecer.

Mas muitas pessoas tem problemas em aceitar a violência que acontecem sem nenhuma razão real.

De fato, como eu mencionei antes, muitas pessoas estão apenas esperando para uma crise acontecer para se tornarem violentas. Assassinar, estuprar, torturar, sequestrar…

Você pode chamá-los de pessoas doentes, o que eles são com certeza. Mas mais importante é entender que hoje eles são os caras que bebem cerveja no barzinho da cidade ou o cara que é seu amigo próximo e vai na sua casa algumas vezes.Ou talvez até o seu tranquilo e pacífico vizinho.

Quando uma crise acontece, todo tipo de lixo rasteja para fora do buraco. Aceitar violência em geral é algo difícil, mas dar um sentido ou razão para ela deixa isso mais fácil. Ainda assim, você não pode esperar que este seja o caso.

Prepare sua mente para isso.

Aceitando a violência

Você talvez tenha a sorte de viver tranquilamente depois de ver, experimentar ou cometer violência. Talvez você tenha sido construído para isso. Talvez você seja um daqueles que as pessoas chamam de “Homem forte”, duro do lado de dentro e do lado de fora, mas… Talvez não seja.

Eu lembro de cada homem que morreu na minha frente ou perto de mim. Eu lembro dos sons, cheiros e imagens.

Eu esqueci nomes, anos, datas e lugares. Mas eu lembro do momento quando a vida deixa os olhos de um homem morrendo. Ou o último suspiro de várias pessoas. Ou o simples cheiro de fezes quando um homem morre.

Algumas vezes eu achei ter sentido uma sensação estranha, alguns segundos depois do último suspiro de um homem, algo como se eu conseguisse sentir a alma dele deixando o corpo. Ou talvez apenas senti a minha adrenalina subir, ou estivesse perdendo minha sanidade por um momento… Quem saberá?

Com o tempo você aprende a lidar com essas coisas, ver as pessoas morrerem, seja aqueles que você ama ou pessoas que morreram pela sua mão.

Há um mito urbano que um oficial do exército perguntou algo como “Capitão, nós matamos grande parte daqueles garotos jovens e só sobraram algumas crianças que nem sabem o que estão fazendo, o que faremos com elas?”

O oficial disse: “Faremos o que nós fazemos, é o nosso meio de vida”.

É a morte. Você não tem outra alternativa a não ser aprender a lidar com ela.

Traduzido e adaptado do blog SHTF School.