15 Mitos mais comuns sobre sobrevivência

Se há uma área que é cheia de mitos que por alguma razão continuam sendo propagados, é a de sobrevivência. Hora ou outra nos deparamos com algumas dicas que, quando testadas na prática, não fazem sentido algum.  Hoje vamos abordar algumas delas:

  1. Se um predador se aproximar, se finja de morto – Isso até pode funcionar se for uma fêmea defendendo seus filhos, porém em quaisquer outras circunstâncias o animal iria lhe atacar do mesmo jeito. A sua melhor aposta é tentar parecer maior e intimidador. Abra seu casaco, seus braços e comece a gritar. Talvez, o animal fuja. Ponto importante: Grandes predadores consideram olhar nos olhos como um ato de desafio, evite isso;
  2. Se você for mordido por uma cobra, sugue o veneno – Este é um mito que já está caindo por terra, mas ainda existe. A última coisa que você quer ao ser mordido por uma cobra é tentar sugar o veneno e contaminar também a sua boca com ele. Além disso, você não conseguiria sugá-lo rapidamente para evitar que se espalhasse. A melhor coisa que você pode fazer é procurar a auxílio médico, limpar a ferida e tentar manter o batimento cardíaco o mais baixo possível. Você pode ver mais sobre isso neste vídeo que fizemos.
  3. Se você for empalado por uma faca ou outro objeto, retire-o – Este é o outro mito que vem direto de Hollywood. Você vê os  “heróis” fazendo isso nos filmes, mas é uma má ideia. Puxar o objeto só vai lhe fazer sangrar mais. É melhor manter o objeto estável e levá-lo a um profissional da saúde para retirá-lo. Para aprender a fazer o curativo você pode ver este vídeo aqui.
  4. Use um torniquete se estiver sangrando – Torniquetes são muito perigosos pois podem danificar o sistema circulatório, matar tecido e tornar uma amputação necessária. Um torniquete só pode ser considerado como opção quando a pessoa estiver em risco de morrer rapidamente por sangramento excessivo;
  5. Se houver um terremoto, fique no umbral da porta – Isso antes era uma grande verdade, porém nas construções modernas o umbral é colocado depois que a estrutura principal está feita, tornando-o em um dos lugares mais fracos. Em vez disso, vá para baixo de uma mesa;
  6. Depois de fugir da cidade você pode viver da terra – Aqueles que assistem seriados de sobrevivência podem acabar confundindo esse ponto pois podem achar que tendo uma fonte de água fresca por perto eles poderão viver por tempo indefinido na mata. Por mais que isso seja possível, a maioria das pessoas não tem noção do quão difícil isso seria. Você teria de caçar basicamente o dia todo e algumas vezes durante a noite apenas para encontrar comida suficiente para durar pelo próximo dia. A maioria dos humanos vagarosamente morreria de fome. Apenas um grupo médio de fazendeiros e caçadores experientes conseguiriam a façanha;
  7. As plantas são uma boa fonte de comida em uma situação de sobrevivência – Se você quer sobreviver, melhor evitar as plantas. Apesar de haverem muitas plantas comestíveis por aí você não quer sair apostando a não ser que já conheça muito bem a flora da região ou conheça e já tenha aplicado o teste para ver quais espécies ao seu redor são comestíveis. Você estará mais seguro focando em mamíferos, peixes, pássaros e afins;
  8. Se estiver perdido na floresta, procure pelo líquen nas árvores visto que só crescem no Norte – Eu lembro de ter aprendido isso na TV e até mesmo no escotismo, mas não é verdade. Enquanto o líquen realmente cresce melhor no lado Norte das árvores ele também pode crescer em qualquer outro lado que receba sombra ou esteja próximo á agua. Seguir este mito pode te mandar na direção contrária e te deixar ainda mais perdido;
  9. Se estiver muito frio, vá para terreno mais alto – A ideia aqui é que o calor sobe e o frio geralmente abaixa sobre vales e áreas mais baixas, logo, você deveria ir para terreno mais alto onde pode haver uma temperatura muito mais quente. Enquanto isso é tecnicamente verdade, não leva em consideração de que áreas mais altas possuem vento gelado e o seu calor será levado com maior rapidez por ele. Se estiver frio, mantenha-se em local baixo;
  10. Bebidas alcoólicas ajudam a esquentar – Este é um dos mitos mais comuns. Surgiu pois o álcool expande seus vasos sanguíneos e bombeia mais sangue perto de sua pele, fazendo você se sentir mais quente. O problema é que o calor irá irradiar mais rapidamente para fora do seu corpo e você acabará com mais frio do que antes de tomar a bebida;
  11. Se você está no deserto, você pode pegar água de um Cacto – Este é um mito muito comum. Eu não sei de onde veio, mas é bastante inexato. O interior de um cacto é grosso e duro e você provavelmente só conseguirá algumas gotas de água dele. Além disso, a água será bem amarga e pode te deixar doente;
  12. As pessoas na cidade vão morrer se acontecer uma grande crise – Não necessariamente. Muitas pessoas imaginam que quando uma crise ocorrer os cidadãos vão morrer de fome ou se matarem. Claro, as pessoas na cidade estarão em muito maior risco de guerra civil ou terrorismo, porém preparadores que se juntarem para defender sua área conseguirão suportar até a ordem ser restaurada. Na área rural o risco pode até ser maior, visto que os moradores ficam mais isolados e podem ser alvos mais fáceis;
  13. As armas são o mais importante – Enquanto ter armas é algo muito importante, elas não vão lhe ajudar se você estiver morrendo de sede ou precisando de ajuda médica. Dados mostram que você tem maior probabilidade de morrer por doenças ou acidentes do que por criminosos. Então primeiramente estoque um mínimo de comida, água e medicamentos antes de comprar uma arma;
  14. Depois da crise será cada um por si – Quando os desastres como o furacão Katrina acontecem a mídia foca mais nos saqueadores e vândalos, afinal, dá mais Ibope. Os filmes também têm uma abordagem semelhante mostrando “doidos solitários” atirando em qualquer um que se aproxime de seu abrigo. Na realidade os “doidos” e lobos representam uma porção muito menor da população. A maioria dos humanos procurarão naturalmente se agrupar e depender um dos outros. Muitos inclusive vão trabalhar em conjunto para sobreviver. Claro que você não pode contar com o melhor cenário, mas haverão pessoas assim.
  15. Uma guerra Nuclear mataria todos no planeta – Certamente 99% da população estaria vulnerável, mas ainda haveriam sobreviventes aqui e ali. Muitos cientistas acreditam que um inverno nuclear não seria tão feio ou longo como era imaginado. As pessoas que estão se preparando para um holocausto nuclear provavelmente repopulariam a Terra.

Aí estão quinze mitos que conseguimos juntar. Se você conhece outros ou pode provar que algum acima é verdadeiro, nos avise nos comentários.

Até.

Traduzido e complementado do site Urban Survival.

Anúncios

22 Comentários

  • E na época quando ele postou esse vídeo no YT (do tubo de sobrevivência em rotas planejadas), me lembro bem que muita gente tirou um barato.

  • Olá, parabéns pelo site! Eu comecei a me preocupar e estocar alimentos recentemente e seriamente depois da especulação de uma estrela anã estar se aproximando da Terra, claro que isso nunca veremos no jornal nacional, porém uma pesquisa profunda você encontra coisas bem interessantes em imagens e videos, mas realmente estou preocupado. A sobrevivência seria subterrânea. Li em um site:”O planeta X, uma Estrela Anã Marrom está vindo, e a Noruega começou com o armazenamento de alimentos e de sementes na área de Svalbard e no norte ártico e ao redor de toda Noruega com a ajuda dos E.U.A. e da União Européia. Conservarão somente aquelas pessoas que são da elite no poder e aqueles que podem ser úteis na criação de uma nova civilização: doutores, cientistas, médicos, e assim por diante.”

  • yogueimortal

    Referente ao mito nº 1: A melhor arma contra uma fera selvagem, além de uma arma de fogo, talvez seja uma lança. De modo que se você está na selva com possibilidade haver feras e não possui uma arma de fogo, improvise uma lança.

  • No ponto 14 tudo vai depender da fome que as pessoas estiverem sentindo, imagine só uma cidade com centenas de milhares de esfomeados, aí eu acredito que seja cada um por si, vão ficar em bandos apenas para atacar grupos menores.

    Mesmo que tenhamos um bom estoque de comida e nossa casa tenha passado desapercebida por saqueadores, um dia a comida acabará, e se por infortúnio ainda estiver reinando o caos nas ruas, eu particularmente, não levaria nem uma mochila nas costas, pois seria alvo de todos os famintos que ainda estivessem pela cidade. Levaria só uma faca, fósforos, um pouco de comida e recipiente de água que coubesse no bolso. Exploraria a cidade, caso me sentisse seguro, aí sim levaria comigo o que pudesse.

    Outro pensamento é em relação ao carro: Em caso de caos como eu citei acima, guarde o quanto puder de gasolina em casa e deixe seu carro com a chave na ignição do lado de fora. Você não vai querer um bando de malucos tentando arrombar sua casa porque sabem que você possui um carro. Depois, quando puder deixar sua casa, o que não vai faltar é carro, combustível é que vai ser complicado.

    A questão de possuir arma de fogo tem suas vantagens e desvantagens, contra um bando de desesperados você não terá chance alguma, contra duas ou três pessoas vai levar vantagem. Pode também se unir a outras pessoas que possuem armas, aí sim estará mais seguro.

  • Yogue Imortal

    O mito mais comum talvez seja o de que: “Eu vou sobreviver”

    Eu não assisto TV, portanto, vocês poderíam me dizer se este tipo de notícia é divulgada pela globo?

  • Ótimas dicas. Só alguns pontos: no item 5, “Se houver um terremoto, fique no umbral da porta”, uma outra dica é do lado do sofá. Se uma parede ou o teto cai, achata uma mesa, mas o sofá vai ficar comprimido até um certo ponto, deixando um espaço próximo livre do achatamento.
    No item 8, “Se estiver perdido na floresta, procure pelo líquen nas árvores visto que só crescem no Norte”, isso acontece no hemisfério norte. Se o líquen cresce na sombra, aqui no hemisfério sul a sombra é mais do lado sul e não norte, onde o sol pega mais. No mais, as dicas são ótimas. Continue com o belo trabalho que vem fazendo.

  • Estes e muitos outros mitos aliados com a falta de experiência podem te matar ou agravar ainda mais sua situação.
    O mais correto é buscar informações confiáveis e aliar a prática, isso é ser sobrevivencialista.

  • sobrevivencialismo o nome ja diz tudo , ja bushcraf e uma moda para vender equipamentos

    • Welthon Cunha

      Concordo totalmente… é um festival de facas, pederneiras, barracas, cordas, etc, etc…. Aqui no campo, na roça, o pessoal se vira muito bem no dia-a-dia sem estas tranqueiras todas…Isto sem contar os ‘cursos de sobrevivencialismo’ que parecem um acampamento de escoteiros.

      • no campo se passar de facao tramontina , ja e viadagem e nos aqui da cidade , sei nao mais sei la….

      • Nem o sobrevivencialismo nem o bushcrat tem culpa se algumas pessoas não tem a capacidade de entender a essência de cada uma destas práticas que por sinal são distintas uma da outra cada qual tendo suas particularidades e características.

        Não curto esse modismo que vc chama de “festival” concordo que não é preciso muito e nem ter os equipamentos top dos top para poder aproveitar o ambiente natural, embora muitas coisas auxiliem bastante e em uso demostram ser fundamentais, como por exemplo lanternas de qualidade em que vc possa confiar, um calçado que realmente proteja os pés e seja adequado para o terreno, roupas que lhe forneçam proteção e conforto além de serem duráveis ao ambiente, equipamentos que possam lhe trazer um pouco de conforto além de serem versáteis e funcionais, como bem sabemos isso tem seu preço, mas paga o preço quem puder e quiser.

        Não disponho de muitos equipamentos, porem os que tenho são peças de confiança e pelos olhares de admiração da galera da zona rual das localidades onde vou os itens tão mais que aprovados e acho que eles também gostariam de ter similares.

        Mas é aquela coisa, se o que vc tem lhe serve bem é isso que conta, isso e o que é importante!

      • yogueimortal

        Sobrevivencialismo ou bushcraft, ambos são feitos por pessoas. Faça o melhor que você pode (e isso vai além) com a sua vida e isso basta. Não interessa se tem um nome se tem outro… Se é bom então é bom…

        Se tem um facão que é bom, então ele é bom! E pronto acabou pt. saudações.
        Se tem uma barraca que é ruim é ruim e pronto.
        Se saber fazem um abrigo unicamente com os recursos da floresta é bom, então é bom e pronto. Simples e prático e ponto.

        Discutir se modinha tal e tal… que facão tal é viadagem… é tolice. Faça o melhor que você pode e continue se aperfeiçoando.

    • Seu comentário sobre o que realmente é o bushcraft é muito superficial e destona um certo preconceito.

      Será mesmo que vc sabe realmente o que é sobrevivencialismo?

      • sou da cidade e meus equipamentos sao de primeira tipo victorinox , mora , kabar , e etc, o contexto da resposta e dentro da dependencia desses equipamentos que alguns demostram, e tanto que parece que nos estamos dentro de um shopping , sobre os conceitos eu nao me apego a eles mais entendo sobrevivencialismo como completo e abrangente , se meu comentario passou preconceito me desculpem , notem que eu defendi o facao tramontina e nao o tenho, pelo contrario so tenho de marcas chamadas de top, mais talvez eu tenha errado mesmo ja que julguei os outros por mim , eu me viro com tramontina ou kabar.

      • yogueimortal

        Victorinox, Kabar, Tramontina… kkkk!

    • Outra coisa… Vc acha que não tem um monte de comerciante por aí, (vide países como E.U.A. onde o movimento é mais forte.) aproveitando essa onda da galera que quer se preparar para vender equipamentos para sobrevivencialismo???

    • Não discordo totalmente do seu ponto de vista, as empresas usam estratégias de marketing para vender seus produtos, porém bushcraft eh uma técnica de extrema importância para qualquer sobrevivencialista, soma muito e aumenta bastante as chances de se manter vivo, seja na cidade, campo ou floresta.
      Quanto aos equipamentos mal existe milagre, coisa boa custa caro mesmo, não tem jeito, roupa, calçado, faca, acessórios, quanto mais durável e confortável melhor, oi na crise vc vai na loja comprar outro quando o seu estragar

      • Eu concordo que a gente se vira com uma faca da tramontina, mas quanto tempo o fio dela vai durar, vc sempre vai ter uma lima na mão?
        E a sua caixinha de fósforos, ou o seu isqueiro, quantas semanas vai durar? depois disso a pederneira não seria útil?
        Eu tb vim da roça, e sei que lá não existem essas coisas de marca, mas quando não existir mais o comércio para te suprir vc vai entender o valor de um equipamento confiável.
        Bom, antes de falar que eh somente modismo ponham seus equipamentos a prova, mas de verdade, depois avaliem o valor. Agora se for para comprar pra deixar pendurado na parede, a história eh outra.

  • Murilo Almeida

    Vários estudiosos são categóricos em afirmar que, se não houvesse a industrialização, mais da metade da população mundial morreria de fome, ou seja, se você fugir da cidade, durante uma crise, abrindo mão de tudo pra viver numa mata, pode até conseguir viver da terra, porem isso é muito difícil…

    • eu nao vou longe nao , quando a companhia de energia diz que vai desligar tal bairro para fazer manutencao da rede , ja comeca o desespero

  • Welthon Cunha

    BOM… gostei particularmente do 6, este é um mito muito comum entre os sobrevivencialistas aqui no Brasil… têm muita gente que acha que numa crise basta pegar sua barraca, ira para o mato e pronto, vão estar preparados … Particularmente acho que aqui se confunde muito Buschcraft com sobrevivencialismo, a maioria dos cursos aqui no Brasil ensinam apenas técnicas de bushcraft e não sobrevivencialismo … uma coisa é você pegar sua barraca, sua tralha de camping, ir para o mato passar um final de semana se achando o David Crocket, aprendendo a fazer inúmeros nós, 200 maneiras diferentes de fazer fogo ou como preparar 50 tipos de armadilhas para animais ( em lugares onde o máximo que você encontra é um calango, kkk). Sobreviver no mato, do mato é totalmente diferente de passar uma semana lá… Têm muita gente fazendo buschcraft achando que isto é sobrevivencialismo, complementa, mas o sobrevivencialismo é muito mais que isto, envolve toda uma filosofia de ação, estratégia, planejamento, conhecimentos específicos de várias áreas, preparação psicológica, treino com armas, etc, etc. Tenho um sítio e digo, na prática, que sobreviver do mato pura e simplesmente, com nossas florestas praticamente destruídas, animais extintos, rios contaminados, é muito difícil… Além disto numa crise os agricultores, produtores rurais não vão deixar as pessoas entrarem em suas terras, e ir acampar em parques e reservas públicas não é uma alternativa muito viável, pois ficam isoladas, distantes dos grandes centros e com certeza os agricultores da região vão estar vigiando tudo !!!! Não pense que você urbanoide vai entrar no mato e ninguém vai ver… em minha região todo mundo é desconfiado com estranhos, quase todos os agricultores têm armas, conhecem a região como a palma de suas mãos, podem andar por ela à noite tranquilamente e aí um grupinho de amigos que fazem buschcraft acham que vão chegar e dominar tudo, se instalar numa boa, durante uma crise ???? Kkkkkkkkkkkkkkkkkk, vão ser postos pra correr na hora, chorando e gritando a mamãe !!! Numa crise as comunidades rurais que normalmente já são unidas ( os vizinhos no campo tendem a se ajudar) vão se fechar e se fortalecer ainda mais… Portanto, Júlio Lobo, você está certo, é um grande MITO está ideia de numa crise você pegar sua mochila, sua faca de sobrevivência e ir para o mato viver da natureza, pura ilusão !!!!

  • Paulo Américo de Andrade

    Julio, ótimas dicas. Lembrei-me de assistir um video seu ensinando a fazer tubo de sobrevivência. Ontem entendi a utilidade. Veja, do portal extremos, parte da matéria duma exploradora chamada Sarah Marquis: É claro, se você não morrer – bem, então a experiência de uma viagem extrema é fantástica. Depois de nadar através de um rio infestado de crocodilos, Marquis escreveu que, a cada vez que ela se encontrava no meio do mato, “minha felicidade aumentava dez vezes”. Talvez uma das expressões mais puras de felicidade é do explorador norueguês Aleksander Gamme no 86º dia de sua expedição de 2270 km desde a Bahia de Hercules até o Polo Sul, em 2012. Desesperadamente faminto e paralisado de pavor, ele deu de encontro com as provisões que ele havia enterrado na neve alguns meses antes. Ele tirou fósforos, vaselina e pomada de zinco de sua mala congelada. Então, ele começa a gritar: “YEAAAAA! AAAAHHH! HAHA! YEAA! WHOOOWHOOO!”. Seu júbilo ao ver um pacote duplo de salgadinho de queijo deve ter sido maior do que qualquer um de nós irá sentir durante toda nossa vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s