Niva “Molotov”: Projeto de veículo de fuga (B.O.V) – Pt. 01

10392625_370653363116794_2068602691623146424_n

Em um cenário de crise (seja qual for) você tem duas escolhas: Se trancar em casa ou deixar a cidade. Caso a primeira opção não seja viável, você precisará de um transporte para te levar até o seu abrigo secundário, e é aí que o veículo de fuga se torna necessário.

Internacionalmente, um transporte capaz de te tirar de uma zona de risco é conhecido como B.O.V – Bug out Vehicle. Em tradução quase literal, seria algo como “veículo para cair fora”.

Este post surgiu pois recentemente tive a oportunidade de participar do primeiro teste do veículo de fuga de meu amigo, que também é sobrevivencialista e membro do GSE – 12/MS. O carro ficou demorados 7 meses na oficina e recentemente saiu, logo, não pude deixar de filmar a primeira lama que ele pegou.

Espero que você também goste do vídeo:

Devo lembrar que cada um tem suas necessidades e vive em locais diferentes, logo, o que pode ser um veículo perfeito para mim, pode ser completamente fora da realidade para você. A escolha do seu B.O.V é muito pessoal e baseada em uma análise profunda do seu planejamento.

Em breve pretendo abordar a temática sobre os veículos de fuga de maneira mais conceitual e explicativa, trazendo vários tópicos que merecem discussão aqui no blog.

Qual é o seu veículo de fuga ideal? Quais aprimoramentos devemos colocar no “Molotov” para ele ficar mais eficiente?

Até.

Anúncios

42 Comentários

  • Julio, tô querendo pegar um Niva. Ele tem lá suas manias, como não possuir pontos capazes de suportar reboque. Como você fez esses reforços no seu?

    • Fala senhor!

      O Niva é do meu colega! Ele levou o carro no mecânico, depenou ele inteiro e reforçou o chassis com placas de metal, contudo não sei lhe dizer exatamente qual milimetragem ou posicionamento que ele usou. Vou tentar perguntar para ele (ele anda bastante offline) e fazê-lo responder aqui.

      Abraços.

  • Pingback: Como se preparar contra um desastre como o de Mariana? |

  • neuton brum

    Que tal pensar em um compartimento para esconder e transportar armamento.

    • Murilo Almeida

      Cara, já vi isso em um carro de luxo blindado… O dono mandou instalar uma espécie de cofre no console central… Tinha acesso difícil (e com chave) tornando quase impossível sacar a arma rapidamente para reagir a algum meliante… Porem o objetivo dele era transportar “os equipamentos” com segurança de casa ao clube de tiro ou ao sitio, resguardando as crianças…

  • Salve pessoal. O companheiro poderia postar as especificações e valores dos serviços e peças? Grande abraço a todos.

    • Murilo Almeida

      Ha algum tempo atras eu respondi uma pergunta assim: “O que vocês recomendam como kit básico para sair de atoleiro ?”… A resposta é que depende muito do tipo e preparação da sua viatura… Mas, falando em preparação pra uma adversidade ( trilha braba ), eu costumo carregar :
      02 cintas de elevação tipo SLING de 08 a 10 metros por 10 a 20 toneladas ( servem pra desatolar outra viatura );
      02 manilhas de reboque ( servem como ligação ente o ponto de ancoragem do carro e a cinta pra desatolar outra viatura );
      01 transferidor de ar com mangueira de 03 a 04 metros ( serve para transferir o ar do estepe a algum pneu seco );
      01 calibrador de pneus;
      01 rádio VHF (frequencia de 144 a 148 MHz) ou radio PX e/ou TA;
      01 caixa de ferramentas diversas;
      01 lata de WD40 ( faz milagres );
      01 jogo de alguns “esganagatos” de plastico;
      01 rolo de silvertape;
      01 isqueiro ou fósforos;
      01 lanterna potente ou um socorro eletrico ( aquele que liga na bateria do veiculo );
      01 macaco tipo HILIFT;
      02 prancha de desatolar;
      01 corda 20 metros ( isso não serve pra puxar carros )
      01 compressor de ar;
      01 pá ( tramontina tem uma pá dobravel ) pra hora de cavar no atoleiro;
      01 guincho de no minimo10.000 lbs (o meu é de 16.000lbs);
      01 correntes para ancorar no eixo do carro ( para uso com o guincho )
      02 luvas ( para uso com o guincho );
      01 cinta de ancoragem de 03 metros por 10 toneladas ( para uso com o guincho );
      01 ancora ( para uso com o guincho );
      01 jogo de pneus agressivos ou no minimo do tipo MUD ( 50%50% )
      01 kit de suspensao ( serve pra elevar a viatura, fugindo do facão )
      01 isopor tipo cooler ( com agua e alimentos );

      ( nao tem fim esta lista )

      • Murilo Almeida

        O custo disto tudo varia muito e você poderá gastar uns 15 mil pra equipar a viatura… Alguns acessórios tipo quebramato, eu nao uso por achar muito agressivo, ou seja, chama muita atenção… Outros são indispensáveis tipo faróis de milha e guincho… De uma olhada nas lojas especializadas e compare os preços:
        Gama4x4 – http://www.gama4x4.com.br
        Ação 4×4 – http://www.acao4x4.com.br
        Mundo 4×4 – http://www.lojamundo4x4.com.br
        POWER OFF ROAD – loja.poweroffroad.com.br
        TRUCK 4X4 – /www.truck4x4.com.br
        ARKO 4X4 – /www.arko4x4.com.br
        SPORT 4×4 – http://www.lojasport4x4.com.br
        Armazem 4×4 – http://www.armazem4x4.com.br

  • Murilo Almeida

    Visitem o fórum http://www.4x4brasil.com.br e vejam tudo sobre 4×4… A minha escolha em se tratando de um 4×4 de fuga seria:

    1º TROLLER… Do modelo 2.8 do ano de fabricação variando de 2003 a 2005… É nacional, tipo Frankenstein com peça de VW Gol e FIAT Uno, logo com manutenção fácil e barata… É a diesel… Mas não é confortável… Gasta-se uns 15 mil pra equipa-lo com acessórios de trilha…

    2º ENGESA MARRUA… É o carro utilizado pelo ExB….
    3º LANDROVER DEFENDER… 110 ou 90…
    4º TOYOTA BANDEIRANTES…
    5º JEEP WYLLYS ou RURAL ou CAMPER…
    6º TOYOTA HILLUX SW4… MODELO ANTIGO…
    7º MIT L200 ou RANGER… MODELO NOVO…
    8º SUZUKI VITARA ou GM TRACKER ou TAC STARK…
    9º LADA NIVA ou SUZUKI SAMURAI…
    10º MAIINDRA

    • Mateus Rezende

      Na verdade é Agrale Marruá, não Engesa. http://www.agrale.com.br/pt/utilitarios-militar

      • Murilo Almeida

        Errei… Leia-se : 2º ENGESA ou MARRUA…

    • Mateus Rezende

      Murilo, não consegui mais comentar lá, mas mesmo assim valeu aí por explicar sobre os tipos de rádio, é vivendo e aprendendo né kkkkkk

  • O veiculo deve ser potente 4×4 sem duvidas, e que caiba no seu bolso, as modificações vão ser relizadas com o tempo e necessidades que vão aparecer de acordo com o treinamento na pratica e no uso constante para se preparar. Aguardo mais sobre o assunto Abraços.

    • Murilo Almeida

      João Roberto Gaiotto é o responsável pelo site Técnica 4×4 ( http://www.tecnica4x4.com.br ), onde ha 14 anos vem ensinando os segredos da condução off-road… Vale a pena…

      Outro curso de condução off-road é o da AÇÃO 4×4 que é uma loja que de venda de veículos, acessórios e equipamentos 4×4 ( http://www.acao4x4.com.br/loja/curso/curso-de-conducao-4×4 )…

      Outra forma de se inteirar sobre o assunto é ler o fórum http://www.4x4brasil.com.br/forum/tecnicas-de-conducao-e-navegacao-off-road/

  • Matheus Damo

    Galera um Gipe não é caro, porém uma camioneta ficaria na faixa de 40.000 usada… um gipao ficaria 12 mil bem top, Agora com transporte ou não você tem que estar preparado tanto como fisico e mental….

    valeu.

    • 40 K?! Que é isso, comprei uma S10 por 15 K.
      Se procurar acha Pampa e Chevy por 10 K.

  • Olá Júlio,
    Gostei do vídeo, pois já conhecia o carro, um amigo meu je teve um. As características que sempre me fizeram gostar deste carro é ser um 4×4 e ser a diesel. Em se falando de b.o.v., vi num dos episódios do preparados para o fim do History, um preparador que possuía um caminhão do exército que funcionava até com óleo queimado de motor, quando vc for falar mais sobre o assunto acho que vale a pena dar uma olhada neste veículo, aqui no Brasil ainda temos a toyota bandeirante, que seguindo os cenceitos b.o.v. é bem rústica agüentando muito tranco e também tem mecânica simples e ainda quem sabe se os antigos gurgel de fabricação brasileira. No meu caso tenho pensado em uma moto, pois moro em São Luís – MA e aqui é uma ilha, e o simples fato de tentar sair daqui no carnaval ou outra data comemorativa, torna a viajem um tormento, imagine num cenário de crise?
    Do mais é continuar acompanhando o blog e me preparando.
    Grande abraço e continue com os excelentes posts.

    • Murilo Almeida

      Uma moto é um excelente B.O.V, porem somente para 01 única pessoa com sua B.O.B… Principalmente se for do tipo “CROSS” podendo enfrentar vários tipos de trilhas… Ou seja, Uma moto de ENDURO é um excelente B.O.V pessoal…

      Se estiver com a família, vai cair inevitavelmente num 4×4…

      • Boa, é melhor ficar atento aos acontecimentos e tentar sair antes da coisa ficar feia, pois realmente uma moto não seria o ideal por conta da família e um 4×4 não da pra encaixar nos planos agora.

    • E cayo, vc é sobrevivencialista? Tbm sou de slz, e queria alguem pra me ajudar a me preparar, para um eventual crise…

      • Olá Daywison, não posso me considerar um sobrevivencialista ainda, pois comecei com esta filosofia a bem pouco tempo, mas se quiser trocar uma idéia estarei a disposição.

  • Olá amigos do blog

    Notei que não há qualquer artigo sobre a crise hídrica no Brasil. O caos social está se aproximando para os próximos meses, hoje mesmo o ONS mandou que as concessionárias de energia interrompessem o fornecimento de energia elétrica pois os geradores nas usinas não estão dando conta.

    É até trivial para um sobrevivencialista estocar água, mas aproxima-se o momento em que a mera falta d’água será o menor dos problemas, aproxima-se um cenário de caos social onde hospitais, escolas, empresas e o povão não terão energia elétrica ou água nas torneiras. Logo os leitores do blog terão de estrear seus BoB, BoL e BoV.

    Perdoem o tom apocalíptico, mas é um tema que me parece evidente.

    • Murilo Almeida

      Concordo com você…
      Estejamos todos preparados…

  • Para qualquer BOV é essencial um guincho tipo catraca manual ( o elétrico é caro e força muito a bateria).
    Mesmo para veículos antigos, não recomendo platinado, que se desgasta rápido e falha muito, principalmente em ambientes úmidos e alagados. Apesar de também não confiar em componentes eletrônicos, as ignições são mais confiáveis e facilmente substituíveis. Platinados são dificílimos de achar hoje em dia.
    Boa ideia é colocar um Kit bem feito de gás natural veicular (GNV), pois permite também a utilização de combustível líquido (álcool ou gasolina) com poucas regulagens. Na situação ideal, pode- se produzir o próprio biometano e o kit GNV permite seu uso, sem grandes modificações.
    Diesel é mais seguro, mas em situações de crise acho que será o primeiro combustível comercial a acabar e não é tão fácil fabricar o tal biodiesel.
    Teto solar também pode ser útil, pois permite um observador/ atirador com maior campo de visão. Deve, porém, ser muito bem instalado para não virar um transtorno sob chuva.
    Não vi no Molotov um engate traseiro, mas acredito que deva estar nos planos. Carretas ou reboques não são práticos em fuga, mas o engate reforça contra choques traseiros e agiliza o socorro de outro carro do comboio.
    Quando minha JEEP WILLIS 1965 estiver mais operacional, faço um vídeo pra Vocês. Aí no MT não deve ser difícil de achar coisa parecida. Problema é só um mecânico que “converse” com a velha senhora, mas na minha Equipe já tenho.
    Não sei se foi questão de gosto pessoal ou oportunidade, mas a grade e corta mato cromados são muito chamativos e podem denunciar a posição em ação de perfil baixo. O acabamento “ralado” está perfeito, pois dá a impressão de carro velho, abandonado, o que pode ajudar a não ser furtado ou cobiçado em situação de sobrevivência. Eu só deixaria as partes vermelhas um pouco mais amarronzadas.
    Painéis gradeados na área envidraçada também podem ajudar tanto na segurança contra pedradas como na aparência “agressiva”, que ajuda na hora de um “fight”.
    Espero ter colaborado e que o meu BOV esteja preparado a tempo !
    FORÇA e HONRA !
    CAVEIRA!!!

    • costa não entendo de mecanica , vou pesar suas ideias valeu.

    • Murilo Almeida

      Sobre guinchos…

      O melhor tipo de guincho , sem sombra de duvidas , é do tipo mecânico seguido por um elétrico… Porem nem todos os veículos se tem a possibilidade de ser instalado um guincho mecânico devido a necessidade de uma “peça” pra o mecanismo… Quiça lembro somente as LANDROVER e os JEEP WILLYS que tenham isso…

      O guincho elétrico já não esta tão caro e também não força muito a bateria, porem precisa de uma bateria compatível a carga exigida geralmente de 700 a 900mA… Ou seja, vai ter que trocar a bateria original por uma maior… É um investimento bem alto, sem retorno financeiro, mas que trás segurança…

      Um guincho do tipo catraca manual não é uma boa escolha… Alguém já manuseou um bicho destes ?… Seria minha ultima escolha e se o provável atoleiro que for enfrentar for bem pequeno mesmo pois demanda um esforço tremendo e perda de tempo absurda… Neste caso, investiria em PNEUS e BLOQUEIOS…

      Em QAP e QRV…

    • Murilo Almeida

      Falando de motorização e do tipo de combustível… Concordo com você… Diesel seria a escolha pois te dará uma boa autonomia aliado a confiabilidade do motor… Em situações de grande crise (por um período longo) acho que todos os combustíveis irão acabar rapidamente… O diesel principalmente…

      Não é tão fácil fabricar o tal biodiesel, mas é possível… .http://youtu.be/9_IGA1tO7GE

  • tenho um carro moderno e completo , que vai ficar para tras claro , ele e cheio de eletronica , vou comprar um fusca ja pensando em fuga , ja estou espalhando para os amigo que eu amo fusca , assim quando eu comprar eles vão achar que e por amor kkkkkkk, quero um da decada de 80 , eles tinha platinado e carburador e uma mecanica simples e que aceita gambiarra, quero um a alcool, pois se for possivel e necessario ficar com ele, o alcool tem como fazer de forma artesanal.

    • Murilo Almeida

      O objetivo é fugir… De imediato o seu carro moderno e completo atenderia provavelmente a fuga inicial… Não existe o carro ideal, muito menos o 4×4 ideal… Todos tem poucos prós e muitos contras… Não podemos chamar a atenção em demasia na hora da fuga, então um super hiper equipado pode ser “um tiro no pé”…

      A ideia de um fusca é boa principalmente pela mecânica fácil e tração traseira…

  • Pessoal, bom dia

    Não comentei nenhum post aqui e já faz tempo que leio o blog e aprecio muito as matérias a respeito de quem pensa mais a frente. (raridade aqui no Brasil).

    O assunto em pauta é polêmico e pessoal de cada um, conforme seleção do seu “refugio” versus N causas que podem se decorrer até se tomar a decisão de saída de sua residência.

    Resumindo uma opinião em particular que tenho pensado muito a respeito de ter um B.O.V, é o objetivo prático e focado deste veiculo que irá lhe tirar da zona de risco até seu “refugio”. Dps disso ele não será ou não deveria ser seu único método de locomoção. Principalmente pela descrição que o mesmo causa.
    Já li alguns posts, relacionado a escolher seu B.O.V e dependendo da situação e distancia, o combustível é sim um problema. Mais para carros a Diesel antigos funcionam bem com oleo de cozinha sujo ou não. basta uma regulagem “em alguns casos” e o bixo vai embora e te leva em qualquer lugar. Claro que 2 galões de gasolina no seu carro de 20 litros mais seu tanque CHEIO, lhe dão no minimo uma autonomia de 1000 km. Mais toquei neste ponto, SOMENTE pela opção a mais que o Diesel em e que pode funcionar num momento de desespero.

    Portanto penso que no seu “refugio” deveria ou deve ter uma forma alternativa e discreta de locomoção de curtas e médias distancias bem silencioso!!!!

    Neste ponto vale a imaginação de cada um, de bike a patinete de mula a cavalo de raça.

    Ah, dependendo do horário e trajeto da sua fuga, também pensei em adquirir equipamento de visão noturna para dirigir (não é caro hoje em dia).

    Não temos uma audição tão evoluída como o sonar dos morcegos portanto evitaria de que cidadãos do “bem” lhe vissem a distancia. Aumentando o elemento surpresa, o barulho geralmente confunde nossos sentidos e não temos noção de qto está ou não perto um objeto. Isso lhe da uma boa vantagem sem falar que vc pode visualizar um elemento do “bem” a distancia e evita-los, ex: barreira de pedágio para confiscar seus equipos! rs

    E tirem qualquer coisa que reflita luz no seu carro. Acho que ja entenderam o pq!

    Abs e quero ver a matéria sobre o B.O.V mais detalhada no futuro.

  • Acredito que todas as opiniões já postadas são validas, mas como toda máquina, um veículo auto motor necessita de combustível e cedo ou tarde ele terá de ser abandonado. Diante disso, penso que uma bicicleta mtb séria a melhor opção, pois com um pouco de treino e paciência é possível ir em qualquer lugar.

  • Meu projeto é tipo esse mas quero uma daquelas caminhonetes mais comuns tipo uma Triton ou Hilux… Claro que eu não tenho dinheiro para comprar uma porém penso em pegar de leilão uma batida.

    O melhor é que se eu aprender a consertar o carro me torno mais autônomo e isso é fundamental em uma situação de crise. Não precise de um mecânico, seja o mecânico.

    • No momento, o meu projeto de fuga ou evacuação é a pé mesmo e para isso prefiro 1000 vezes sapatilhas (umas especiais que eu tenho) do que praticamente qualquer bota.

      Em relação ao BOV, entendo que a robustez não seja o fator primário, sendo os fatores principais – em ordem – para uma situação genérica, seriam:

      Versatilidade de ambientes
      Mobilidade
      Facilidade de obtenção de combustíveis (álcool, diesel, gasogênio, capim ou carboidratos)
      Facilidade de conserto e obtenção de peças
      Robustez

      Na minha franca opinião, nenhum carro que contenha componentes eletrônicos serve em caso de crise ou colapso total da sociedade. De modo que um fusca, ou qualquer carro estilo 2ª G.M. ou anterior será mais apropriado do que uma Hilux ou Triton. A não ser, certamente, caso não haja outra opção ou a sua intenção seja utilizar o veículo apenas para a fuga e não ter expectativa de uso muito prolongado.

      Mas o carro é inacreditável!

  • Chama muita atenção. Ele parece que fez o carro pensando em intencionalmente dar a ele uma aparência de algo feito para atropelar zumbis ou então que acabou de atropelar vários zumbis. Só faltou atrelar motoserras nas laterais.

    Não penso tanto em ter algo assim, como já moro no interior o mato não está muito longe de mim, pretendo sair a pé. Minha preocupação é não chamar atenção enquanto estou indo para o mato, só isto, ser um homem carregando uma mochila de treking e uma case de violão e nada mais. Como aqui tem muito turistas e muito bicho grilo indo para áreas de rippes isto não chama muita atenção. Não preciso dizer que na case de violão eu não carrego violão nenhum.

    Na verdade ainda não decidi entre uma case de violão ou alguma coisa do tipo que transporte varas de pesca, algo assim. Onde possa esconder o equipamento mais importante de todos.

    Mas de qualquer forma o mato não está longe. Na prática do ponto em que estou chego nele em um quilômetro, mas é preciso também encontrar um bom ponto de entrada nele.

    Acho que talvez um quadriciclo fosse uma boa opção. Mas o preço, acho melhor investir o dinheiro em outras coisas. Além do que é preciso antes de tudo ter um carro comum e bom.

  • Incrível! Isso é que é preparação!

  • Mateus Rezende

    Talvez uma Toyota Bandeirante, parecida com esse niva mesmo, com pneus BF All Terrain ou outro tipo, quebra-mato com proteção para os faróis e cabo de aço. Já que pretendem montar um comboio, talvez um rádio px seja nescessário

    • Murilo Almeida

      Rádios PX não são tão bons pra uso em comboios pois trazem muita interferência… Rádios PX são ideais pra cobrir distancias maiores… Costumo usar em comboio os rádios do tipo VHF da faixa de onda dos 2 metros (frequencia de 144 a 148 MHz), ou seja, o serviço de radioamadorismo… Outra opção de rádio para uso se a comunicação for restrita ao comboio e para cobrir uma pequena distancia de no maximo 5km, use TALKABOUT…

      • Mateus Rezende

        Ah sim, não sabia disso sobre o px, então o talkbout nesse caso, é melhor.

      • Murilo Almeida

        Mateus Rezende, vou tentar explicar qual a diferença entre PX, radioamador e TALKABOUT…

        O PX é o serviço de RADIO CIDADAO… Tem BOM alcance, sendo muito usado por caminhoneiros…Por causa de muita interferência estática, não é muito bom para usar em comboios de carros… Em estrada, em campo aberto e sem muita interferência já falei com caminhoneiros à 150Km de distância… Exemplos de PX: Cobra 19 Ultra II

        O RADIOAMADORISMO (algumas pessoas chamam erradamente de PY) é muito bom pra uso em comboios, geralmente no carro ele tem um alcance menor que o PX… Normalmente varia de 35 a 75 Km, porem com pouca interferência estática… Existem casos em que você poderá acionar ou uma estação base (geralmente muito potentes) ou uma estação repetidora de sinal, e assim, você terá um alcance maior e de melhor qualidade…

        Tanto o PX quanto o radioamadorismo tem modelos HT (rádios de mão)… porem de alcance pequeno… Geralmente 7 a 10 km…

        O TALKABOUT (TA) é um rádio de mão destinado a curtas distancias… geralmente 3 a 5 km… leve e portátil, utiliza-se de pilhas ou baterias recarregáveis, sendo ótimo pra utilizar em trilhas a pé porem devido a curto alcance, nos nao usamos nos carros…

        Visite o site da ANATEL pra se informar… Lembro que o serviço de RÁDIO CIDADÃO bem como o RADIOAMADORISMO precisam de licença de operação, ou seja, nao é so comprar e sair usando… Ja o TA nao precisa disto…

  • Leonardo Fuchs

    Excelente opção!
    Estou pensando em adquirir algo parecido para ir ao quartel aqui de Dourados-MS em dia de chuva não é qualquer carro ou moto que aguenta o barro. kk

  • Sandro M. Domanski

    Fantástico Julho. Apesar de ter um bagageiro minúsculo e da má fama da marca, mas é uma excelente opção para esta finalidade.
    Gostei muito do vídeo e da dica de opção.

    • Murilo Almeida

      Niva LADA é um excelente 4×4… É um jipe russo compacto e rústico, pronto pra usar de verdade… O problema é a idade… Eles foram comercializados no Brasil de ano 1990 a 1995… A versões era a gasolina: 1,6l com carburador (por aqui nunca chegou a versões a diesel: 1,9)… É um jipe de tração integral com diferencial central, semelhante ao dos veículos Land Rover… PROBLEMA CERTAMENTE É FALTA DE PEÇA ( E GAMBIARRAS FEITAS )…

      Olha estes videos:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s