Como montar o melhor kit de sobrevivência?

Hoje lhes trago uma reflexão importante sobre como montar o melhor kit de sobrevivência possível dentro da sua realidade. Essa tarefa pode parecer simples para quem nunca efetivamente acampou, mas é uma ciência bastante complexa e repleta de tentativas e erros.

Imagine que se montar as malas para uma viagem de família já envolve todo um planejamento, uma mochila de sobrevivência que lhe levará à locais potencialmente perigosos e isolados com certeza precisará de uma atenção muito maior.

O problema é que a primeira ideia que as pessoas tem é “Vou pegar uma lista do que levar na internet e estarei pronto!”… E esse pensamento não só é errado como também perigoso. Para complementar a discussão, recomendo que vejam este vídeo que gravei e que resume grande parte dessa reflexão:

De forma bastante clara, é importante que a pessoa levante do sofá e vá para a prática. Mas antes disso, tenha calma! Existem alguns pontos importantes que você precisa saber:

  1. Entenda para onde você está indo: Se vai acampar em um local sem estrutura, estude a vegetação, conheça a região ao menos por mapas e saiba o mínimo necessário para que você possa ter mais clareza do que vai precisar levar nas costas;

  2. Defina o tempo de estadia: A quantidade e variedade de equipamentos está diretamente relacionada ao tempo que você pretende ficar no local. Se planejar dois dias, leve equipamentos para dois dias e meio, principalmente em relação à comida e água;

  3. Não confunda conhecimento com prática: Se você viu um vídeo na internet sobre como fazer fogo com pederneira, não pense que você já sabe fazer também. Não confie em nenhum conhecimento que você ainda não pôs em prática. Se você não fez com as próprias mãos, não dependa dessa “habilidade fantasia”;

  4. Melhor pecar por excesso do que por falta: Quando somos novatos é melhor levar peso a mais e não usar algumas coisas do que querer pular etapas e se encrencar feio em uma situação inesperada e que foge do seu conhecimento. Não é vergonha ser o “cara que leva a geladeira” na primeira vez que você acampa, isso é natural e tende a diminuir conforme a experiência aumenta;

  5. Respeite seus limites: Se não houver preparo físico e mental, os equipamentos não podem fazer nada por você. Esteja ciente de até onde você pode ir e quanto peso pode carregar. De nada adianta ter equipamentos caríssimos e esgotar-se fisica e mentalmente.

No final das contas, o melhor kit de sobrevivência que você pode ter é o seguinte: Bom senso, autoconhecimento e capacidade de adaptação.

A frase que deve marcar você é que não existe fórmula pronta, você deve testar e criar o seu próprio planejamento conforme vai adquirindo experiência com erros e acertos.

Espero que este texto ajude os novatos e também os mais experientes a repensarem alguns pontos que muitas vezes passam desapercebidos e podem trazer problemas indesejados.

Qual o seu ponto de vista sobre isso? Acredita que há uma fórmula geral ou realmente há inúmeras variações na montagem de um kit?

Até.

Anúncios

7 comentários

  • Francisca Maria Mastronca Bastos

    Onde é que diz então o que se deve pôr num kit de sobrevivência?!?!?
    Nao diz. Portanto, acho que o título é altamente errado. Obrigada pela não afirmação.

  • E pra alguém que nem de longe tem dinheiro ou condições de criar um kit que atenda todas as necessidades que puderem aparecer ou não tem nenhuma condição de testar o que tem? E se a pessoa enfrenta os dois problemas?! O que fazer? Como criar um kit bom, ou adquirir conhecimento bom se tudo o que a pessoa tem é alguns(poucos mesmo) itens improvisados ou de segunda mão e o único conhecimento que a pessoa pode adquirir é teórico?!

  • Perfeito, so na pratica pra ir tomano consciencia do que levar nas proximas atividades de campo…

  • Fala Julio, tudo bem cara? Sempre legal seus vídeos. Você poderia falar onde comprou essa mochila? Abraços!

  • Excelente texto e vídeo companheiro! O início de tudo é muito complicado mesmo, cheio de erros e acertos, leva-se tempo para chegar a um patamar aceitável e não para por aí a cada momento estamos a aprender algo e sábio é aquele que asseita este fato e é suficientemente humilde o bastante para está sempre aprendendo, tolos são aqueles que ao chegar em um determinado nível acham que já sabem o bastante e não tem mais nada a aprender se tornam excessivamente confiantes e arrogantes.

    Recomendo aos iniciantes que antes de se jogarem em uma área natural, mesmo com uma mochila abarrotada de coisas que julgue útil, treinem em espaços controlados como o quintal de casa, terrenos baldios, os arredores de uma propriedade rural para depois partirem para um ambiente, digamos, mais selvagem.

  • É isso mesmo, o tipo de material, quantidade, etc. vai depender de muitos fatores, entre eles, a sua capacitação e conhecimentos técnicos de uso.

  • Lucas Cavalcanti

    Podem pensar assim também (eu acho rsrs), tenho esse pensamento:
    1- sua mochila é uma escultura, ou seja, você a esculpe do zero, do bruto, e leva tempo.
    2-para esculpir vc precisa do material, então vá atrás de tudo que você ACHA necessário, tudo mesmo, n importando o quão pesado fique (esse material é como o bloco de argila do escultor de uma estátua)
    3-Depois disso coloque tudo da melhor maneira numa mochila, o que couber, dando preferência ao que vc julgar essencial (a escultura começou).
    4- agora você já está começando a dar forma à mochila de emergência, e como o Júlio falou, vá praticar, acampar etc. Você vai sentir falta do que precisa e vai ver que muita coisa sobrou. Quando voltar tire TUDO o que sobrou e coloque o que faltou. **Faça esse passo várias vezes, acampe várias vezes que vai continuar mudando a mochila.
    5- agora vc tem a escultura formada, todavia ainda falta os detalhes (o que diferencia uma boa estátua de uma qualquer), essa parte é a mais demorada, é a que você vai melhorando, upando, aperfeiçoando, evoluindo sua mochila com o TEMPO, à medida que adquire mais e mais conhecimento e experiências. Nesse ponto as mudanças já não serão tão grandes quanto no passo 4, pelo contrário, diminuirá cada vez menos e no lugar de simplesmente colocar ou tirar, você descobrirá que há itens que são necessários, mas há outros que podem substitui-lo e acrescentar algo a mais **talvez como eu, e a maioria dos sobrevivencialistas você tenha comprado produtos mais baratos no início e essa seja a hora de troca-los, pouco a pouco, por itens de maior qualidade, uma faca de churrasco por uma da sua preferência por exemplo.
    6- sua mochila só não está pronta, porque a partir desse ponto você terá ela no canto, no carro etc e continuará melhorando só que em passos de formiguinha, pois ela já está excelente, porém acredito que não esteja perfeita. Como sempre, teste teste teste…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s