Quando foi a última vez que você checou suas preparações?

Então você pensa que está preparado? Então deixe-me perguntá-lo: Quando foi a última vez que você fez um inventário de todos seus suprimentos? Quando foi a última vez que você verificou seus planos de preparação? Você têm testado seus equipamentos em campo ultimamente?

Quando se trata de preparação contra emergências, goste ou não, você precisa periodicamente checar seus suprimentos e fazer um inventário de tudo o que você possui e/ou precisa possuir. Uma situação de emergência não é o momento certo para descobrir se tudo o que você planejou está em condições funcionais.

Verificação de comida: Rotacione, rotacione e rotacione

Na minha opinião, a comida que você armazena para emergências têm de ser a mesma que você geralmente come em sua casa. Isso facilita muito o ato de manter seus suprimentos novos – sem mencionar que ainda há o ganho de conhecer as comidas que você terá de enfrentar durante uma crise.

  • Monte um sistema de rotação. Você deve rotacionar sempre seus suprimentos de comida, especialmente as que você come diariamente.
  • Faça um teste. Durante uma situação de emergência, onde você pode perder a energia elétrica e o gás, cozinhar será um desafio. Agora é o momento certo para testar seus métodos alternativos para preparar a comida. Se você pretende acender sua churrasqueira ou usar uma chapa em cima de um fogareiro, você precisa estar extramente confortável com esse meio alternativo, assim durante um desastre o esforço requerido será menor.

Cheque suas mochilas de fuga, Go Bags e equipamentos de emergência

O simples fato de você ter estas coisas em casa já te colocam bem à frente da massa despreparada – que sempre parecem lutar pela sobrevivência em simples situações como tempestades ou desastres leves, como apagões. Mas só por você estar preparado não caia no erro de ficar confortável e esquecer de checar o estado de suas coisas.

  • Supervisões bimestrais. A cada três meses ou período semelhante você deverá esvaziar suas mochilas, kits de sobrevivência e caixas de preparação. Sim, ESVAZIE-OS! Isso permite que você refaça o estoque de sua mochila com roupas adequadas à estação do ano e também troque equipamentos que podem estar danificados.
  • Verifique seus eletrônicos. Quaisquer coisas que precisem de baterias precisam ser testadas. Isso só lhe tomará apenas alguns segundos! A última coisa que você precisa é ter uma lanterna com a bateria morta quando você mais precisar dela.

Verificação da preparação pessoal e testagem de campo

Aquele seu armário cheio de equipamentos pode parecer legal, mas você vai se sentir bastante estúpido se não souber como usá-lo quando for preciso. É bem simples, você comprou o equipamento por uma razão: Lhe proteger durante um desastre. Para que isso seja possível, você precisa testá-lo em campo.

  • Teste para valer. Agora é realmente o momento de ver do que seu equipamento é feito. Testá-lo em um cenário realista irá expor as possíveis falhas que ele possui – limitando assim os problemas que você poderá encontrar durante um desastre verdadeiro.
  • Treinar é a chave para a sobrevivência. O fato de você ter equipamentos não significa nada. Não confunda ter equipamentos com estar preparado para sobreviver. A cada dois meses você precisa avaliar onde você está preparado em termos físicos e mentais. Existe alguma fraqueza que precisa de reforço? Seus planos ainda são efetivos?

E então, você está efetivamente preparado ou apenas está colecionando equipamentos?

Traduzido e adaptado do blog OffGridSurvival

Anúncios

9 comentários

  • Resolvi o problema de falta de espaço improvisando prateleiras de correr ao lado do guarda roupa e geladeira. Fiz elas com 2.30m de altura, 20cm de largura e 75cm de comprimento. Ficou perfeito e a quantidade de alimentos que se pode estocar é espantosa, principalmente latas e garrafas.

  • Excelente texto! Treinar é mesmo a chave para a sobrevivência! Me deu inspiração para um artigo! Valeu!

  • Ontem eu resolvi fazer um pequeno teste.

    Me locomover , a pé, por 12 km até minha residência. Eu fiz o trajeto em 2:30 minutos. Todo o trajeto foi em cidade, alguns passando por locais mais propensos a violência.

    Levei comigo 1 bolsa com 1 ,5L de água, 1 canivete victorinox, 1 smartphone com plano de dados e gps, 2 pacotes de amendoin pequeno e 1 barra de sneakers.

    O que mais pegou, acredito é que não tinha algo para me defender efetivamente e também não tinha mais alimentos para uma necessidade a mais, além da falta de uma troca de roupa.

  • Eu me preocupo muito com isto, estamos quase entrando em uma Terceira Guerra Mundial.

  • Sugestão(projeto) para produção de energia: BIODIGESTOR

    Olá Julio Lobo. Desde o final do ano passado venho acompanhando seu canal no youtube e acho muito interessante o sobrevivencialismo e adoro seus videos. Bom, recentemente vi seu video a cerca do projeto do painel solar e vc disse q sempre busca a produção da própria energia. Então, vc ja ouviu falar em BIODIGESTOR??? Biodigestor é nada mais do que um reservatorio em que se coloca materia organica. Essa materia organica vai sofrer fermentação e vai produzir gás metano, um gás altamente inflamável, que pode substituir o gás de cozinha ou pode ser usado em geradores de energia elétrica.
    O biodigestor é algo muito simples e barato. Podem ser feitos com aqueles barris de plastico usados por pedreiros.
    É simples. é só encher esse barril de fezes ou qualquer outra materia organica e deixar os microrganismos fazerem todo trabalho pra vc. Dpois de alguns dias vc abre aquela valvula lá em cima e queima o gás ou usa em algum gerador de energia elétrica.
    Bom, espero q vc tenha gostado da minha sugestão e aguardo sua opinião sobre esse projeto. Abraços.

  • Olá Júlio! Parabéns por mais essa ótima postagem!
    Realmente, ter coisas não significa estar preparado. Fazer treinamentos de campo em condições próximas do real é uma necessidade.
    Semana passada participei de um treinamento do Exército aqui em Dourados. Choveu muito e teve companheiros que passaram apertado. Eu levei o meu bom e velho poncho militar, que faz uma grande diferença: serve como proteção para chuva, ajuda a aquecer o corpo, pode ser usado para construir um bivaque para uma pessoa ou duas, pois podemos unir dois com botões de pressão e com ajuda de cordas; pode ser usado para improvisar uma maca de primeiros socorros ou captar água, enfim, uma gama de atividades. Recomendo um bom poncho ou capa de chuva na mochila. Mas a questão do teste é interessante: Tive que andar bastante e o poncho demonstrou ser ótimo para áreas abertas ou trilhas, mas andar em mato fechado, com espinhos, cactos, cipoal, o poncho mais atrapalha do que ajuda, então é melhor guardar na mochila. Tivemos que transportar um ferido na prancha rígida em uma trilha enlameada, com subida e também dentro d’água e precisamos usar cordas para ancorar em árvores e ajudar no transporte. então, é importante ter cordas, mas é necessário praticar periodicamente nós, amarrações e técnicas especiais. Mesmo quem já sabe perde a mão do que não pratica.
    Outra coisa interessante Júlio, é preparar a família. Não adianta o cara ser um preparador excepcional e a família (que vai junto na situação de crise) não saber nada. Explicar a importância de se preparar, como organizar o material e revisá-lo, como sobreviver a campo.
    Júlio, sem fugir muito do assunto, há uma postagem do blog, do ano passado, na qual um preparador comentou recomendando formar um grupo e “não levar crianças”. Claro que com crianças as coisas se complicam um pouco, mas que sentido haveria em “sobreviver” deixando para trás nossos filhos pequenos, para morrer de fome, doenças ou trucidados por gangues? Preparação só faz sentido se incluir a sobrevivência e segurança de nossa família, principalmente os mais fracos e desprotegidos. Hoje é sexta-feira, e quando acabar o expediente vou para a chácara fazer um acampamento com a família. Além do lazer, é interessante aproveitar para treinar esposa e filhos. Quero ensinar a construir fogões improvisados com pedras, cipós e forquilhas, para assar e moquear. Vou aproveitar a sua matéria e verificar o funcionamento de algumas tralhas rsrsrs. Um abraço e bom final de semana.

  • Erich Preissel

    “Não confunda ter equipamentos com estar preparado para sobreviver.”
    Frase que muitas pessoas precisam refletir.
    Excelente matéria! como sempre, muito instrutivo.

  • Olá Júlio!!
    Sobre a comida, tenho no meu telefone alguns alarmes (usando a tecnologia a meu favor), para datas específicas de troca de leite em pó, enlatados, chocolates entre outros. A água eu troco toda semana aos sábados! Pilhas de lanternas a cada semana também. Como moro em clima frio e muito úmido, sempre troco ou ponho as roupas da mochila para “tomar um sol” ou trocá-las se for necessário!
    Revejo todo material usado, cordas, faca, facão, material de fogo, pesca, costura.
    Sempre que preciso, uso o meu material “preparado” para testar, pois como vc disse, ele não pode falhar na hora da B….. no ventilador!

    O que está faltando é mais acampamento simulando condições reais que poderiam acontecer!
    Sempre faço caminhadas para averiguar o encanamento desde a nascente até a caixa d’agua e aproveito para levar a mochila cheia, pronta!
    Olho meus pontos de apoio com alguns ítens, se nenhum tatu, capivara achou primeiro..!!
    Ótima chamada Júlio, matéria que nos faz ficar cada vez mais espertos!

  • Como moro em apartamento e meus familiares são avessos as minhas preocupações, me tratando muitas das vezes como neurótico, eu acaba tendo um problema com espaço, pois se todos os demais membros se preocupassem pelo menos um pouco seria mais fácil. Mas dessa forma eu trabalho da seguinte maneira, meus equipamentos que não necessitam de manutenção periódica, como lâminas inox, machados, cordas, lonas ,mochilas que são várias, entre outros apetrechos, eu deixo em cima do guarda roupa e vejo eles uma vez a cada 6 meses e dou a manutenção necessária, e desse jeito não incomodo os outros membros da família. Os demais equipamentos eletrônicos, armas e munições (Devidamente registradas), algumas lâminas de aço carbono, lanternas (várias) rádios de comunicação e outros equipamentos que necessitam de constante manutenção eu deixo dentro de um armário de aço reforçado, e vejo ele todas as semanas, pois guardo coisas que uso no dia a dia justamente para ter a obrigação de abrir o armário, e dessa forma meu equipamento fica no jeito para o pronto emprego em qualquer situação. Com relação a comida eu com já falei tem um problema de espaço e de conflito de ideias e a comida ocuparia um grande espaço, então resolvi aprender técnicas para conseguir alimentos no mato e montei um estoque de comida de emergência para 4 pessoas para um pouco mais de uma semana. Já a parte de prática eu vou com uma certa frequência para o mato, o que me deixa apto a permanecer em ambientes hostis por um período de tempo maior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s