SHTF School: A verdadeira natureza da sobrevivência

É difícil estar preparado para algumas coisas antes de experienciá-las. O primeiro passo para estar preparado é ter o entendimento de como a natureza realmente é e que nós vivemos somente em uma bolha que nos protege dela.

Se você não está comendo agora, tire um momento e veja este vídeo de um macaco comendo uma gazela.
Nota do tradutor: O vídeo possui cenas muito fortes, não me responsabilizo por qualquer mal estar gerado. Por outro lado, é muito importante assisti-lo para que o post atinja seu objetivo de despertar esta reflexão. A escolha é sua.

Algumas pessoas podem se sentir muito mal ao ver essas cenas. Isso mostra o quanto nós estamos desconectados da natureza. A maioria das pessoas quer comer carne mas nunca matariam o animal para isso, por exemplo. O que acontece com a gazela não é bom ou ruim, é a natureza. Simplesmente.

Quando você se encontra em uma situação de sobrevivência, você entra em contato rapidamente com tudo isso e então percebe que a natureza é cruel e o conceito de justiça não existe.

Quando a crise começou naquele período, a maioria de nós pensava que o que acontecia à nossa volta eram saques temporários que saíam um pouco do controle. Os serviços da cidade ainda funcionavam em algumas partes e todo mundo estava esperando por essa “loucura” parar.

Naquele pequeno período antes da crise estourar de vez, as pessoas perdiam suas vidas simplesmente por não reconhecer a situação. Haviam pessoas lá fora saqueando, roubando, lutando… Mas tudo era “moderado”.

Naquele momento as pessoas ainda estavam “dentro” do sistema, então estávamos todos tentando nos esconder e ficar passivos quando saqueadores passavam pela vizinhança. A polícia ainda estava prendendo pessoas e tentando controlar as coisas. Haviam sim pessoas atirando uma contra as outras, mas não era algo como um tiroteio de grande escala e violência, as pessoas estavam atirando somente para assustar os outros.

Um dos meus amigos foi envolvido em um tiroteio desses nesse período, depois de saquear algumas lojas, ele foi ferido. A ferida não era muito perigosa, pois ele havia levado um tiro no pé.

Como eu disse antes, a maioria dos serviços da cidade ainda estava funcionando e tentando trazer ordem ao caos. As ambulâncias vieram e o pegaram, indo então o mais rápido possível ao hospital com ele.

Cerca de um quilômetro à frente o mesmo grupo de pessoas que havia atirado contra ele parou a ambulância em uma barricada improvisada, atiraram no motorista e depois atacaram meu amigo na traseira do carro. Eles atacaram ele de forma mais lenta e dolorida do que o motorista, usando lâminas. Nós chegamos lá um pouco mais tarde, mas já era tarde demais.

Essa história pode parecer confusa para você, fazendo você dizer que “isso acontece na guerra”… Mas para 95% das pessoas naquele momento não havia guerra alguma, era algo como saques violentos. Estes mesmos 95% ainda confiavam que a ordem ia ser restaurada pelo sistema, polícia e governo. As pessoas ainda confiavam que as ambulâncias são coisas “protegidas” e que ninguém vai pará-las, muito menos que poderia ser alvo de tiros.

Nessa história que lhes contei o cara ferido e o motorista da ambulância simplesmente não reconheceram a situação. “Ele era um cara bacana, por que isso aconteceria com ele?” Se fosse comigo eu também teria entrado na ambulância. Eu senti esse acontecimento como algo muito errado, mas também foi meu despertar para entender que o conceito de justo e injusto ficou no passado.

Em primeiro lugar, meu amigo não deveria estar naquele local no tempo de caos. O motorista da ambulância deveria ter dito “que se ferre”, pegado todos medicamentos valorosos e ter ido para casa ao sentir os primeiros sinais da violência e colapso total. Ele não fez isso. É fácil chamá-lo de herói por ter tentado ajudar outra pessoa, mas o risco era muito alto naquele momento.

É fácil perceber que ele errou agora, mas naquele tempo nós ainda usávamos palavras antigas como confiança, governo, lei, sistema, penas… Se meu amigo tivesse se ferido um ou dois dias depois talvez ele teria rastejado e curado seus ferimentos sozinho, ou o motorista teria se recusado à dirigir… Enfim.

Alguns dias depois o colapso verdadeiro aconteceu e ninguém mais tinha ilusões de que era um problema temporário.

O ponto aqui é que muitas pessoas morreram naquele curto período antes de realizar que as coisas não eram as mesmas. Você não podia confiar em pessoas boas ao seu redor, mas a maioria confiava. Esse evento da ambulância foi um dos muitos que terminaram com mortes semelhantes.

Então a próxima vez, quando saques surgirem na sua cidade, brigas ocorrerem depois de jogos de futebol ou protestos contra o desemprego começarem a aparecer e você ouvir tiros, gritos, boatos de que existem pessoas sendo mortas nas ruas, lojas sendo saqueadas, você precisa ter esperança que isso é um distúrbio temporário… Mas não pode confiar nessa ideia.

Seja desconfiado, confie nos seus equipamentos, no seu estoque, confie na sua arma. Não saia lá fora simplesmente por que “todo mundo também está lá”. Evite ser ganancioso e acabar indo para esses saques, pois mesmo que pareça fácil, suas preparações são feitas para você não precisar sair de casa.

Quando você perceber o quão randômica e brutal a natureza e a violência são, você então percebe que não se prepara para ser herói, se prepara para sobreviver. O cara da ambulância poderia ter ajudado muito mais pessoas nos meses posteriores quando estávamos lutando pela sobrevivência se ele não tivesse morrido. Mas lá atrás, nós não entendíamos a seriedade da situação.

Se você experienciou uma situação que te lembrou que justiça é somente um conceito do mundo “civilizado”, por favor, compartilhe nos comentários.

Traduzido e adaptado do blog SHTF School.

Anúncios

26 comentários

  • SHTF School, blog do bom e velho Selko, sobrevivência nua e crua, daquelas que a gente espera nunca ter que passar na vida. Vale muito a pena a leitura! BTW, o video da gazela me deixou com fome…

  • Yoseph Makabi

    Olá rapaziada!
    Sabem porque me tornei vegetariano? Não foi por pena dos bichinhos. Foi porque eu fiquei perdido na selva por OITO LONGOS DIAS, apenas com uma faca e não consegui comer carne crua. Eu não conseguia fazer fogo porque chovia muito (na selva amazônica chove pra caralho) e não encontrei uma pedra pra tirar faísca com a faca. Matei um pássaro, mas não consegui comer a carne crua. Comi, mas vomitei e fiquei mais fraco ainda. Tive que comer frutos e larvas. As melhores larvas são as dos cocos das palmeiras. Os índios comem até gafanhotos… Aliás as palmeiras dão frutos o ano inteiro e algumas são bem baixinhas, fácil de colher os frutos. Então, companheiros, pra sobreviver você tem que VIRAR BICHO. Virar animal mesmo. Essa história de mochila, fogareiro, kit disso ou daquilo é pra escoteiro brincar nos finais de semana. Sobrevivência e voltar a ser das cavernas. Faz a diferença com a faca. Com uma boa faca você consegue o que precisa. Mesmo que tenha que matar pra isso.
    SELVA!!!

  • Filtro de agua económico e eficiente

    Partilho este excelente site de equipamentos de sobrevivência.
    Achei interessante este procedimento de filtragem de agua.

    Abraços.

    Ramiro Lopes Andrade

    ——————————————————————————

    http://www.survivalistas.es/2014/03/01/filtro-de-madera-que-purifica-el-99-de-las-bacterias/

    Filtrar madeira purificação de 99% das bactérias

    fonte: http://insteading.com
    Um sistema de filtro de água de baixa tecnologia a partir de um galho de uma árvore pode filtrar até quatro litros de água por dia, removendo até 99% das bactérias E. coli e de produção, de água doce não contaminada beber.

    Uma equipe do MIT usou um pequeno pedaço de alburno, que contém tecido xilema que transporta seiva dentro da árvore, para a construção do filtro de água eficaz, que poderia fazer uma grande diferença em lugares onde a água está contaminada padrão. Através da utilização deste tipo de filtro, as comunidades rurais podem ser capazes de resolver alguns dos seus problemas de água barato e eficiente.

    “A filtração por membranas de hoje têm poros em nanoescala não são algo que pode ser fabricado em uma garagem muito facilmente. A idéia aqui é que não é necessário para fazer uma membrana, porque é facilmente disponível. Você pode simplesmente pegar um pedaço de madeira e fazer um filtro de fora “-. Rohit Karnik, professor associado de engenharia mecânica do MIT

    A equipe usou galhos de pinho branco, a casca externa é removida e garantiu os pedaços em um pedaço de tubo de plástico para criar um filtro de água. Sapwood, que é composta de tecido poroso chamado seiva do xilema em movimento a partir de raízes árvores para as suas coroas, com um sistema de pequenos poros e vasos, e, naturalmente, presta-se à tarefa de poluentes da água de filtragem que medem tão pequenas quanto 70 nanômetros.

    Enquanto a equipe usou pinho branco para o estudo original, mas também olhar para o potencial da utilização de outros tipos de alburno como um filtro, incluindo árvores floridas, que têm poros menores e poderiam ser usados para filtrar a contaminantes adicionais.

    “Há uma enorme variação entre as plantas. Poderia ser muito melhor plantas lá fora, que são adequados para este processo. Idealmente, um filtro seria uma fatia fina de madeira pode ser usada por alguns dias e, em seguida, jogá-lo fora e substituir quase todos os . custo é ordens de magnitude mais barato do que as membranas de alta qualidade no mercado hoje “-. Karnik

    A equipe de pesquisa foi publicada na revista PLoS One, e pode levar a dispositivos mais baratos mais eficaz de filtragem de água.

  • Caros sobrevivencialistas

    Passa-se algo na Europa, uma guerra simulada está para aparecer ( Ucrânia ).
    Dá-me impressão que estão a nos atirar areia para os olhos.
    Houve um asteroide de tamanho gigantesco que passou a menos de 4 mil quilómetros do Planeta Terra, e não foi sequer notícia, há menos de um mês.
    Acho que algo muito sério está para acontecer, nos distraem com guerra simuladas, crises financeiras, algo muito grave está para acontecer………..
    Recomendo preparação de recursos …… com destaque para alimentação, remédios, purificadores de agua ( pastilhas ), e aguardar calmamente.
    Abraços, aqui de Araruama.

    Ramiro Lopes Andrade

    • Sem contar os sete banqueiros que já se suicidaram só esse ano!

  • Colegas, o que EU acho que vai acontecer é uma crise financeira forte, efeito cascata, desemprego, inadimplência, manifestações, saques, assaltos, e tudo vira um caos social.
    Mas o que me assusta são as MILÍCIAS, se elas já existem em época de “paz”, imagine em tempos de conflito… E elas virão com toda força pois não haverá “ordem” que dê jeito!
    Teremos que “ter” nossas próprias..?!!?
    Abraço!

    • Crises financeiras fazem parte da rotina capitalista, afinal quantas crises já não passamos? O Brasil acaba de ter o menor índice da Dívida Pública da história – 33,3 % do PIB. Países ricos tem Dívidas Públicas estratosféricas, como o Japão que tem uns 240% de Dívida Pública em relação ao PIB.
      Os investimentos não param de crescer, ao menos na minha região: construção de Plataformas, estradas duplicadas, alta oferta de empregos, etc.
      Agora se falar em crise social e legal, aí sim concordo. Social porque a Educação está longe de dar um atendimento decente, principalmente oferendo estrutura para os jovens praticarem esportes, artes e cultura, afastando-os das drogas e violência. Crise legal porque nossa legislação é muito benevolente com bandido, onde crimes hediondos, que mereciam prisão pérpetua, são punidos com meia dúzia de anos, sem falar nos menores infratores super protegidos.

      • Nathan.Scala

        prisão perpetua gasta dinheiro mata de uma vez!

    • Lembrando que desde já, somos privados do direito de fazer frente à qualquer ameaça graças aos desarmamentistas. Não podemos defender nosso patrimônio nem nossas vidas, e também não temos quem o faça.

  • Impressionante como a Gazela sobrevive pela metade. Não dá para acreditar. Infelizmente estamos numa situação muito delicada, as pessoas de bem. A população foi desarmada e pela ideologia do politicamente correto deixou sua vida da mão de outro. Um qualquer preposto de ptista, sem falar na malandragem. Ta feito o estrago. Agora é só aguardar o estopim pois, vai sobrar feio. Não sei, nem quero imaginar o nível do caos se uma crise forte bater por aqui.
    Não vai ter preparação que de jeito.
    braço
    luisf

  • Assustadora a semelhança com a atualidade do Brasil: Black Bostas, desobediência civil agressiva, torcidas desorganizadas, inércia das autoridades…
    Percebam os sinais de que nosso país está à beira de uma convulsão, influenciada pelas mesmas forças que têm arrasado a sociedade venezuelana.
    Mais do que nunca e como “nunca antes na história do Brasil”,
    PREPAREM- SE!!!!
    FORÇA e HONRA!!!
    CAVEIRA!!!!.

    • Exatamente isso.

    • Olá Major,

      Fico feliz que tenha captado a mensagem, espero que os outros também tenham percebido tal semelhança.

      Abraços.

  • As imagens do vídeo realmente são fortes, mas são a realidade, são o normal na natureza onde o mais forte sobrevive comendo o mais fraco.
    Temos que nos preparar para isso também.
    .
    Quanto a sugestão de uma discussão sobre as situações de protestos e revolta popular, acho válida e importantíssima essa conversa.
    Mas acredito que o maior risco que corremos no Brasil é de uma crise envolvendo a economia, procuro acompanhar os acontecimentos/situação econômica mundial e vejo que estamos andando a beira de um abismo de uma crise econômica mundial, ao contrário do que se tenta passar a população que a situação é controlada e tudo vai ficar bem.
    Para ser bem resumido para que ocorra um “fim do mundo” econômico só precisamos que a China resolva parar de financiar os EUA. Aliás em Janeiro ela reduziu a exposição em títulos americanos e vem cada vez mais comprando ouro físico, na minha opinião se preparando para o pior.
    Apesar do que declara o governo nossa economia não é sólida e é altamente dependente do mercado e do fluxo de capitais externos. A maioria da população está endividada e não possui reservas para manter seus gastos essenciais por um pequeno período.
    Um pequeno aumento nas taxas de desemprego levaria ao aumento imediato da inadimplência e aí temos uma círculo vicioso que leva a uma situação cada vez pior, nessa situação acredito que poderíamos ter grandes movimentos sociais e revoltas que tornariam algumas regiões/cidades em locais de guerra civil.
    .
    Outras situações de crise podem ocorrer? Logicamente que podem, mas em minha opinião a situação econômica é mais próxima de ocorrer. Aceito opiniões contrárias.

    • Olá Alexandre,

      Eu concordo plenamente porém acredito que o fator político está conectado intrinsecamente com a economia. Guerras sempre começam por interesses econômicos e assim que a economia mundial começar a rachar nas bases (processo que já está ocorrendo) as tensões políticas aumentam e tudo vai pelo ralo.

      Parece bobeira, mas tenho aquela sensação atrás do pescoço que alguma coisa está para acontecer, e não é coisa boa.

      Abraços.

  • Erich Preissel

    Certa vez em minha cidade, houve uma queda de luz, a noite…
    para todos pareciam uma queda de luz normal, mas começou um surto de assaltos/vandalismo e acerto de contas do tráfico.
    Várias pessoas baleadas, e algumas mortas.

    Inteligente, foi quem no dia, não acreditou na ideia de “apenas um apagão”.

    • Olá Erich,

      A camada da civilização é bastante fina e ultimamente anda quase inexistente com tamanha impunidade no sistema. Assim que as luzes se apagam, a ultima sensação de “proteção” vai pelo ralo e os criminosos se aproveitam dos sistemas sobrecarregados.

      Abraços.

  • Cara.. não tem como não se sentir desconfortável assistindo um vídeo desses e imaginando o texto, mas, no final, temos que lembrar que somos Sobrevivêncialistas e não podemos esquecer que precisar “matar para sobreviver.”

  • Olá Júlio, embora eu ainda seja um “sbrevivencialista teórico” já acompanho seu site fazem uns 6 meses. Gostaria de sugerir um artigo sobre algo que me preocupa muito e acho que pode acontecer em breve no nosso país. A exemplo recente da Ucrânia, crises sociais que desembocam em guerra civil como na Síria parecem irromper de uma hora para outra. Só uma pessoa muito ingênua acha que são manisfestações populares, pois a incitação externa é óbvia. No nosso caso, embora o PT não agrade a muitas pessoas, estão lá por voto direto da maioria do povo brasileiro e se uma minoria de extrema esquerda ou direita se sente descontente, não é justificativa para desestabilizar um país com querelas ideológicas. Onde ira parar nossa democracia se um governo eleito pode ser deposto por uma minoria raivosa a qualquer momento? Antes que os defensores de ditaduras se manifestem, lembrem que estas servem a qualquer ideologia esquerdista ou direitista. E francamente, essa fase de imposições deve ficar no passado e devemos sentar a mesa com nossas diferenças e procurar entrar em acordo quanto a elas. Ditaduras também não tem menos corrupção, apenas são mais escondidas.
    Então, Júlio, num quadro de crise semelhante a essas expostas, que tipo de comportamento sobrevivencialista adotar, sobretudo onde facções armadas controlam partes do território? abraçoo

    • Idéia boa!
      Na Alemanha da II Guerra esse tipo de situação aconteceu e com muito vigor e quando estava mais perto da vitória aliada, já não havia mais diferenças entre judeus e não-judeus e o cidadão nazista ou não-nazista tinha as facções e o estado contra si.
      Uma discussão interessante que pode resultar em um excelente post.

    • Olá Max,

      Primeiramente muito obrigado por estar acompanhando o conteúdo. Eu sempre obtive uma postura mais neutra quando falamos de política pois é um tema bastante delicado, porém quando falamos de algo de escala nacional e que envolve possível censura/ditadura não consigo pensar nada melhor do que manter-se abaixo do radar e seguir com sua vida de forma mais discreta possível.

      Sempre pensei que montar uma resistência não é a saída, contornar o conflito e manter-se sempre abaixo da linha de visão faz mais sentido para mim. O que acha?

      Att.

  • “As pessoas sensíveis não são capazes
    De matar galinhas
    Porém são capazes
    De comer galinhas”-Sophia de Mello Breyner

  • O vídeo me chocou, principalmente por ver a gazela ainda viva, gritando de dor. Mas é a natureza, e a fina camada que nos protege dela está para se romper.

    O primeiro infeliz que cercou um pedaço de terra e disse “isso aqui é meu” deveria ter sido morto naquela época, pois foi o estopim para a divisão de renda, a desigualdade. Quando uma pessoa passa a ter mais que a outra, existe segregação.

    O que podemos fazer é nos preparar para o pior, e esperar.

    • Olá amigo,

      Realmente o vídeo é bastante forte. Eu acredito que precisamos sim definir territórios e estruturar uma sociedade, é algo inerente à humanidade. O que devemos fazer é educar e estruturar os indivíduos dentro da premissa da sustentabilidade e também da cooperação, assim mesmo que um desastre grande ocorrer a tendência será agrupar-se e não adotar uma postura individualista, a qual somos criados atualmente. Basta observarmos a conduta indígena para compreender que quando há escassez, somente em grupo podemos prevalecer.

      Abraços.

  • Sobrevivencialista - RS

    Muito bom o texto.

    por coincidência eu quase lhe mandei via email esse texto, mas traduzido livremente para o português (BR).
    só não consegui enviar por falha na rede/sistema do Gmail :/

    • Olá amigo,

      Obrigado pelo apoio!

      Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s