Por que a auto suficiência está ligada ao sobrevivencialismo?

Atualmente temos um grande aumento no número de pessoas interessadas na prática sobrevivencialista, muitas vezes estimuladas pelos programas de TV sobre o tema. Mas será que a mentalidade que estão se baseando é a correta?

survival

O sobrevivencialismo é estocagem e aquisição de equipamentos de sobrevivência somente? Não. 

Ter a capacidade de prover os recursos de sua sobrevivência é a parte mais importante e deve ser o objetivo final de todo sobrevivencialista. Não estou dizendo que você deve saber como fazer fogo sem fósforos e pegar pássaros em arapuca, estou dizendo que você deverá aprender como VIVER por si só, pois ninguém aguenta SOBREVIVER durante longos períodos. Esse viver “fora da rede” como chamam os gringos é a parte mais complexa de toda a prática, pois requere boa dedicação e coragem para se desvencilhar desse nosso sistema tão confortável.

Antes de prosseguir, gostaria de compartilhar alguns motivos que encontrei no blog “The Survival Mom” explicando os oito mitos sobrevivencialistas mais mortais:

  1. É como acampar. Não tem nada a ver como acampar. Quando você vai acampar, se você não tomar banho por alguns dias, não há problemas, você toma um quando chegar em casa. Esta será sua casa, e você terá que descobrir como manter seu corpo ( e roupas ) limpas durante todo ano, no frio ou calor. Numa viagem de camping você pode viver sem alguma coisa por alguns dias, até semanas, mas basta subir no carro e ir até a conveniência mais próxima para pegar o que você precisa. E se não houvessem mais conveniências? Como você vai se sentir quando seus hábitos diários são interrompidos, não apenas por alguns dias de viagem, mas até onde você enxerga o futuro?
  2. Você pode comprar comida e suprimentos o suficiente para sempre. Não, algum dia o que você tem vai acabar. Você terá que aprender a criar/coletar novas fontes de alimentos e aprender a usar o que você tem, mesmo que isso signifique fazer panquecas sem farinha. Algum dia você terá que se limpar com um pano reutilizável em vez de papel higiênico. Algum dia não haverá gasolina para chegar até a loja e a loja não terá nada nas prateleiras de qualquer maneira.
  3. Seus vizinhos vão se unir e ajudar uns aos outros. Pense que seus vizinhos nunca pensaram ou não conseguem aguentar o pensamento de terem suas vidas suburbanas confortáveis mudando quando a realidade os atingi-los bem na cabeça. E se seus vizinhos não puderem ter suas doses diárias de cigarro, cerveja, viagra, coca cola e afins? Eles serão pessoas que você poderá depender? Por quanto tempo?
  4. Se eu comprar equipamentos suficientes (lava roupas portátil, gerador, gps) eu ficarei bem. Se você realmente acredita que a sociedade vai passar por uma balançada forte, você vai perceber que não é o momento de gastar dinheiro de forma desnecessária, mas sim gastar cada centavo no que é prático. Equipamentos vão quebrar e então você terá de aprender como viver sem eles de qualquer forma. Então por que não aprender agora?
  5. Eu posso chegar até meu abrigo de fuga quando a crise acontecer. Este é o mais falado e o plano mais popular, pensar que quando as portas do inferno abrirem, você saberá disso com antecedência o suficiente para viajar centenas de quilômetros para seu abrigo. Quando a porta fecha, as rodovias estarão bloqueadas, as ruas urbanas serão bloqueadas e patrulhadas e ninguém irá a lugar nenhum! Mesmo se a localização do seu abrigo for alguns quilômetros de distância, você provavelmente não chegará lá. Se você realmente entende a necessidade de ter uma “mente de sobrevivência”, porquê não mudar seu estilo de vida para o auto suficiente AGORA? Aprenda o que realmente significa viver “fora da rede” AGORA, não quando o caos estiver ao seu redor. Você pode descobrir que é um estilo de vida muito melhor do que o que está vivendo agora.
  6. Eu posso convencer meus entes queridos que este é o caminho certo. Não, você não pode e não deve. Tudo o que pode fazer é dar informações a eles e permitir que eles decidam o que fazer. As pessoas ou entendem, ou não. Não é para todos. Isso funciona inclusive para TODOS seus familiares, não estou dizendo para você ir com ou sem eles… essa é uma decisão e ação individual e circunstancial. Se todos os membros da sua família não estão na “mesma página”, você deve determinar sua decisão. Ficar onde você está pode ser sua escolha, mas decida de forma informada.
  7. Eu não preciso preparar um lugar. Eu vou pegar minha mochila de fuga (BoB) e achar uma caverna em algum lugar. Quantos outros você acha que tem o mesmo plano? Especialmente aqueles que vivem perto de cavernas, já sabem onde estão e você acha que eles não vão ocupá-las? E sua mochila pode oferecer tudo o que você precisa por um período de tempo extenso?
  8. Minhas crianças vão ficar entediadas. Suas crianças vão estar aprendendo tantas novas formas de viver, novas atividades diárias, se conectando com a natureza de tantas formas que eles não terão tempo para se entediar. Deixe-os descobrirem coisas novas como que insetos vivem em volta da casa, quais plantas são legais de criar, que tipo de animais é abundante na localidade. Se sua atitude é de otimismo e felicidade, também será a deles. Ajude-os a ver isso como uma aventura, não um fardo.

Pois bem, se você realmente é um sobrevivencialista e pensa como tal, tem dentro de si o ímpeto de ser livre e independente. Como ser livre e independente se você ainda está ligado ao sistema de todas as formas possíveis? É importante que você compreenda que para viver fora da rede você deve começar a mudar seu estilo de vida desde hoje, não somente em caso de desastre.

Não estou dizendo para dar uma de louco, vender tudo e ir morar em uma casa de madeira no mato! Admiro quem faça isso, mas não é nada fácil.  O que eu lhe digo é para aos poucos desenvolver habilidades que vão lhe dar algo em troca… Faça uma pequena hortinha em casa, tente fazer um painel solar, um forno solar, construa uma pequena cisterna para armazenar água… E por aí vai.

Você como adulto crescido ou jovem em busca de sua autonomia deverá ter consciência de que NINGUÉM é responsável pela sua sobrevivência, apenas você. Se você não sabe por onde começar, tenho um pequeno exercício que funciona muito bem.

Vá até o padrão de luz da tua casa e o desligue, depois, vá ao registro de água e desligue o que fornece água da rua. Agora passe um dia sem energia elétrica e água da rua para sentir quais suas dificuldades. Feito? Agora imagine como sanar os problemas que enfrentou de forma independente e parta para a ação.

Até.

Anúncios

20 Comentários

  • Ola Julio adorei sua reportagem, antes de ler essa eu li sobre uma “nova” categoria de mochila, nova pra mim, é a BOLT, não lembro se falei sobre minha situação para vc, mas quero uma mochila justamente assim, totalmente auto suficiente e para um longo tempo de uso, ter minha casa dentro dessa mochila, procurei saber mais sobre essa mochila e achei muito pouca coisa a respeito, gostari de poder saber mais em como montar uma 🙂

  • No meu caso acredito que estamos passando um período muito peculiar na historia da humanidade,onde os governos estão se preparando para algo muito horrível a acontecer num futuro breve,muito breve,vejam o caso dos EUA que construíram enormes banker em pleno deserto que no seu interior existe até navios ,submarinos alimentos para +- dois milhões de pessoas onde criaram a F.E.M.A órgão para grandes catástrofes construíram 700 campos de concentração e dizem que é para levar os desabrigados de uma possível catástrofe ,construíram enormes cemitérios que se perde a vista de tão grande,sem contar os cinco milhões de caixões já fabricados ,se você procurar as informações ,vai ver que no brasil cresce assustadoramente a quantidade de container ´(ninguém sabe o que tem dentro) espalhados pelas grandes cidades em suas rodovias também temos o lado religioso onde entra a grande tribulação onde todos os sinais estão bem claros que o tempo das dores já começou,por isso acredito ser no minimo prudente pensar que se os governos estão esperando algo grande e não nos avisam,temos que cada um individualmente ou em um grupo pequeno que seja começar a se preparar pro pior esperando que nada aconteça e quando ficarmos velhinhos rirmos de tudo isso.ha o brasil também tem seu banker no centro do pais.

  • Eu tenho motivos pessoais para acreditar que um dia teremos de voltar a uma condição primitiva de vida. Mas quanto aos demais, o que vocês acham que acontecerá que os levará a ter de abandonar o conforto de suas vidas e ter de se submeterem a essas condições? Gostaria de saber se seus motivos são os mesmos que os meus. Abraço

    • Olá Vinícius,

      Cada qual tem lá seu motivo, mas convenhamos que se observamos o estado atual da vida humana, esta prova-se não sustentável. Temos um número crescente de vidas e uma cultura de consumo exacerbado e intenso, que logo não conseguirá suprir a demanda seja por incapacidade de produção ou falta de matéria prima. Nunca em nenhum momento da história o homem mudou antes que o desastre ocorresse, sempre lidou com as consequências para só assim então modificar seu comportamento. Creio que nos próximos 20 anos teremos algumas crises de escassez e afins, mas espero que nunca tenhamos que voltar a tal estado primitivo. Para isso, certifico-me de que eu seja capaz de produzir meu próprio alimento e saber cuidar de minha própria vida.

      Não vivo pensando nisso de forma obsessiva, não é parte da minha rotina diária pensar sobre isso, mas sempre tenho em mente que eu e somente eu sou responsável pela minha vida e devo certificar que todos aqueles de minha família também estejam seguros.

      Abraços.

  • Valeu Julio, ótima postagem!
    Nos coloca realmente em xeque, em relação a nós mesmos.
    O desafio está posto e cabe a cada um como conduzi-lo.

  • O blog é muito bom!!!parabéns!!!estou no primeiro passo da caminhada que pra mim é a motivação + plano de fuga, assim vc pode começar passo a passo a caminhada rumo ao sobrivivencialismo….minha mini horta esta saindo, ja tem um abrigo com agua de poço, mas preciso proteger melhor o lugar…

    Acredito que o anonimato é fundamental para o plano funcionar, afinal como na história da formiga e da cigarra, quem ri da gente hoje será o primeiro a pedir ajuda. Mas, acho fundamental a troca de ideias e experiencias, além de ser prudente conhecer quem também tem chance de sobreviver.

    Por último, acho que não podemos diminuir o esforço de cada um. Se o cara quer encher uma mochila de tralha é uma opção, pois se esse cara tiver que fugir pra mata as ferramentas que ele tem podem fazer toda a diferença, pior seria ir para a mata com as mãos vazias. Isso porque acredito que na dificuldade o ser humano se supera e mesmo um pessoa cheia de frescuras seja capaz de comer uma barata, os exemplos de sobrevivencia provam isso. Ainda sim, concordo que para sobreviver ao caos temos que mudar coisas do cotidiano de uma cidade, mudanças saudaveis no dia a dia podem ser a principal ferramenta no momento de crise.

    Vou continuar lendo o blog, abs

  • muito bom…
    eu já fiz o exercício da água e da luz por uns 03 ou 04 dias…
    com duas filhas e uma grávida, foi bem interessante, principalmente pq não fui eu quem desligou o padrão e o registro, foram as companias de água e luz….rs
    hj é engraçado mas na época foi fda…
    abs

    • Valeu pela complementação amigo,

      Realmente essas dificuldades colocam à prova nossos conhecimentos e causam muito estresse nas relações familiares, mas são necessárias para nos dar uma “dose de realidade”.

      Abraços.

  • Muito bom desconstruir esses mitos. Sou da opinião que não há preparação absoluta, mas que já é um avanço ser uma pessoa previdente, do tipo que sabe fazer coisas básicas sozinho e tem relativo controle sobre suas coisas. Pra mim, qualquer aventureiro que se intitule “sobrevivencialista” precisa primeiro responder algumas perguntas: Você depende do seu cartão de crédito? Cheque especial? Chama o seguro para trocar um pneu? Chama encanador ou eletricista para algo simples? Depende de um GPS pra se localizar na sua própria cidade? Se irrita com outros motoristas no trânsito? Esquece de vacinar seus filhos? Tem cáries? Troca de carro todo ano? Tem caprichos tipo “não como comida fria”, etc? Só compra medicamentos quando tem dor ou adoece? Acha tudo culpa do governo? Não conversa sobre prevenção (incêndios, roubos, acidentes) com sua família? Nunca costurou ou lavou uma peça de roupa? Sofre ao ver sangue? Não gosta de ir a hospitais? Tem dívidas? Pneus carecas no carro? Esquece de carregar o celular? Tem nojo ou preconceito com o que é diferente (pessoas, comidas, hábitos, etc)?…
    A lista é infinita. Em meu ponto de vista, são perguntas eliminatórias. Cada vez que eu respondo sim a uma pergunta parecida a essa, corrijo imediatamente. Só depois de ser “auto-suficiente” assim eu posso comprar um rádio ondas-curtas a dínamo, montar uma BOB, falar a sério em EDC. É, não é simples, mas a preparação não é para o fim do mundo o para eventuais crises ou catástrofes: é para a vida mesmo.

    • Olá Anderson,

      É exatamente isso! E batendo sempre no mesmo prego, por isso temos de nos agrupar. Ninguém consegue saber de tudo, pode até ter noções gerais sobre tudo, mas nunca se aprofundará. Encontrando pessoas com o mesmo pensamento e que tenham habilidades variadas, as chances de um pequeno grupo conseguir cobrir as lacunas de conhecimento são maiores.

      Não há nada mais gratificante do que ser auto suficiente, porém é um trabalho árduo e que envolve muito tempo para ser realmente atingido. Eu ainda estou longe, mas sobrevivencialista é mais o indivíduo que tem o pensamento de prevenção e aprimoramento do que o que compra trocentas coisas no mercado querendo manter a vida confortável que tem mesmo em cenários de crise.

      Abraços.

  • Depender menos do sistema é como dar a liberdade para uma ave que está presa na gaiola. Se você tem um bom tratador, sempre terá água e comida em abundancia mas jamais será livre.
    O homem que se prepara não depende do seu “patrão” para sobreviver, faz o que é necessário com antecedência. Não vira refém do medo, de perder o emprego, de se aventurar e não dar certo.
    Faz o que tem que ser feito, quer der trabalho ou não.

    Julio, mais uma vez obrigado por traduzir e compartilhar.

    • Ismael,

      Palavras inteligentes as suas.

      Abraços.

  • Sou um Ex-militar do EB, tenho uma pequena experiencia de sobrevivência e de socorrista. nos últimos meses tenho acompanhado o site de vcs, e tenho gostado do que leio. dicas para um calouro no sobre-vivencialismo?

    Abraço!

    • Olá Mário,

      A princípio você tem de compreender qual a sua motivação para se preparar. Determinado o alvo que lhe preocupa (explosão solar, crise financeira, guerra), você então deve pensar em como sanar as dificuldades que este vai lhe causar. O ideal é ler bastante sobre os diversos temas aqui escritos no blog para ir tendo uma noção sobre as coisas e é muito importante acessar o nosso fórum para tirar dúvidas com outros sobrevivencialistas que estão por lá.

      Abraços.

  • Muito bom seu post.
    Ja adquiri um conversor de 12v /220v e tenho dois altenadores. um de alto giro com regulador de voltagem(gol g5) e um que carrega com baixo giro (corcel ll) só que não tem regulador . Para carregar uma bateria 60 amperes . posso coloca-los em uma queda de agua ou um catavento e terei energia. ja com a agua terei que achar um lago,uma vertente,um rio, também tenho vários equipamentos tipo carregador solar (pequeno) lanternas etc para o inicio ,material para fogo e algumas sementes variadas e arroz ,farinha,açucar, feijão, massa em garrafas pet para 1 ano +_ e tento aprender o mais que eu poder aqui em seu blog e nos videos na internet.Vejo que agora o mais importante é mostrar a minha familia o que tenho em mente. Também já fui na serra gaucha (Sou de Porto Alegre) ver um local possivel de se ir . +_ 80 KM. obrigado

    • Olá Rogerio,

      Bom saber que está em progresso de preparação, isso lhe deixa em vantagem imensa perto das pessoas de sua região. E realmente, sem o apoio das pessoas em volta, não há sobrevivência, pois ninguém vive sozinho.

      Abraços.

  • Caro Júlio. Parabéns, artigo importantíssimo.
    Se puder contribuir, segue link de site e blog de um casal de amigos que se dedicam à preparação pessoal e familiar, especialmente suprimentos em estoque para emergências. Os tres se complementam.
    http://www.beeready.com.br
    http://www.beeready1.blogspot.com.br/
    http://www.folianacozinha.blogspot.com.br/

    • Olá Roque,

      Obrigado pela contribuição. Vou dar uma lida!

      Abraços.

  • Parabéns Julio, tocou fundo na ferida dos aventureiros de ocasião, espero que esse seu texto esclareça a eles o verdadeiro significado de sobrevivencialismo

    • Valeu pelo apoio Euler,

      Eu mesmo tenho mudado alguns conceitos e visões conforme vou pesquisando e colocando coisas em prática!

      Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s