Ameaças modernas: Ataques virtuais

Fato interessante a ser observado é que a humanidade tem tendência a criar instrumentos com os quais não consegue lidar ou controlar corretamente. Um destes é o tema de hoje… A internet.

A internet surgiu e abriu possibilidades imensas para negócios, relações humanas e transmissão de conhecimento, este blog é um exemplo disso. Temos milhões de dólares em transações online ocorrendo neste momento, um número incontável de pessoas conversando em tempo real mas separadas por milhares de quilômetros… Isso é realmente um grande avanço. Mas, existe a parte ruim.

Já melhoramos muito, mas a internet continua sendo um ambiente sem muitos donos e o controle de informações é detido por quem tiver capacidade técnica de utilizá-la. Dito isso, chegamos a este novo grande problema. Diferente do “mundo real”, o indivíduo não precisa ter um grupo armado, milhares de dólares e uma organização lhe dando apoio para danificar um sistema, roubar uma instituição ou causar danos a uma pessoa. Ele pode ser um cara qualquer sentado em frente ao computador na casa dele.

O número de invasões, roubos e golpes sendo aplicados tem aumentado tanto que unidades de combate ao crime virtual estão sendo criadas nos mais diversos países, cada qual com seu nível de tecnologia. No Brasil ainda estamos bastante atrasados em relação a tal progresso, pois muitos que foram lesados permanecem assim. Sabemos que isso acontece e sempre acontecerá enquanto houverem pessoas fáceis de serem enganadas com propagandas e promoções falsas e com arquivos infectados.

Para piorar o problema, hoje podemos observar o surgimento de “organizações virtuais”, capazes de causar severo dano na infraestrutura de um país. Com a conectividade dos sistemas aumentando, logo teremos toda a nossa infraestrutura acessível a um click de distância.

Disse um especialista do FBI sobre a segurança virtual dos EUA: “Os Estados Unidos estão sob ataque. Os ataques são contra o sistema do governo e das corporações privadas”. Na mesma entrevista ele afirma que a infraestrutura do país baseia-se num centro de dados unificado, que se atacado, pode causar um caos sem reparos. Os EUA hoje estão se preparando para uma possível guerra virtual… Logo, porque não nos prepararmos também?

Alguns fatos que devemos ter em mente:

  • Nada na internet é privado: Fotos, dados, textos… tudo isso fica armazenado em algum lugar, e se está em algum lugar, pode ser achado por aquele que tiver capacidade para isso.
  • O verdadeiro anonimato é para poucos: Seu nível de anonimato está diretamente ligado a quem está lhe procurando. Com o conhecimento certo, o indivíduo pode saber até quando fostes a ultima vez ao médico, que número de sapato você calça e o que fez na tarde de ontem.
  • Seus dados não estão seguros: Um dos mercados bastante lucrativos na internet é a comercialização de dados pessoais. Não acredite em “site seguro” que mantém seus dados em sigilo, mesmo que eles queiram, outros com certeza entrarão lá e pegarão tudo sobre você.
  • Seu computador é facilmente acessado: Tem arquivos importantes? Deixe-os longe de um computador. Se houver alguém realmente querendo entrar aí no teu disco rígido, ele entrará.

O que podemos fazer para diminuir as chances de sermos alvos:

  • Evite expor dados pessoais: Seja muito cauteloso ao compartilhar seus dados pessoais na internet, dados como CPF, RG e CNH são os mais perigosos… não preciso nem falar das contas de banco. Se precisar fazer algum serviço online com estes documentos, certifique-se que não há formas de fazê-lo de maneira presencial.
  • Mantenha as defesas de seus dispositivos atualizadas: Ok, convenhamos que a grande maioria dos antivírus não tem capacidade de parar uma invasão ao seu computador… Mas ao menos as dificulta e para as ameças mais leves, como vírus de redes sociais e afins.
  • Não acesse links ou softwares suspeitos: Pense bem antes de clicar nas coisas. Evite mensagens estúpidas como “trocar a cor do seu Facebook”, esse tipo de coisa pode lhe dar uma pequena dor de cabeça como também pode lhe lesar financeiramente.
  • Não use pendrives de estranhos: Atualmente existem “hackers” que deixam pendrives em locais públicos, para que algum curioso os pegue para ver o que há dentro, contaminando a rede toda em que o pendrive foi inserido. Evite usar pendrives que tenham procedência desconhecida.
  • Faça seu “estoque” seguro: Se possui arquivos muito importantes, grave-os em um CD ou em um pendrive exclusivo para isso e os guarde, conectando-os em último caso. Também vale imprimir seus documentos e-books mais importantes… afinal, se a rede cair, você não vai poder ver tutoriais de nada na internet.

Não quero que vejam tais procedimentos ou declarações como algo paranóico, mas são fatos e que ocorrem com muita frequência no dia a dia. Seja em nível individual ou social, os ataques virtuais representam uma ameça bastante complexa a nossa integridade. Preparem-se, utilizem o bom senso e mantenham o perfil baixo.

Até.