Fauna Brasileira: Pardal

Um dos elementos determinantes para o sucesso em uma situação de sobrevivência é o conhecimento sobre a região onde você está. Este conhecimento não deve se ater apenas aos aspectos geográficos do local, mas também aos animais que o habitam e qual o comportamento destes.

É muito difícil encontrarmos informações claras a cerca destes animais (nós mesmo tivemos dificuldades para tal tarefa) e recorremos à pessoas que moram no campo e a algumas fontes na internet para conseguir montar este grupo de informações. Para ajudá-lo neste processo vamos começar a postar sobre os animais mais comuns no Brasil, demonstrando fotos e também citando alguns aspectos do comportamento destes animais.

Hoje iniciaremos falando sobre o “Pardal”, pássaro da família Passeridae, gênero Passer e Petronia.

 

Pardal alimentando filhotes

Nome científico: Passer domesticus

Tamanho médio: 15 cm com cauda

Cores: Cabeça e pescoço cinza-chumbo, listra branca sobre as asas, peito e ventre brancos.

Alimentação: Pardais comem vários tipos de sementes e complentam a dieta com alguns insetos, frutas e migalhas de pão.

Distribuição: O Pardal é encontrado no mundo todo. É nativo da Europa e Norte a África. Foi introduzido no Sul da África, América do Sul, Austrália, Nova Zelândia, e América. Sua introdução em ocupação na América Norte ocorreu em 1851, quando um grupo de 100 pássaros da Inglaterra foi lançado em Brooklyn, Nova Iorque. 

Hábitos: Pardais tendem a forragear comida no solo e usam um movimento saltando quando não estão em vôo. O vôo deles é direto, sempre agitando as asas e nenhum período de vôo livre.

Reprodução: Pardais formam pares monógamos para cada estação de procriação. São construídos ninhos entre fevereiro e maio. Na época do acasalmento o macho procura um lugar adequado. Este lugar pode ser o oco de uma árvore no campo, o beiral de um telhado ou a saliência de um edifício na cidade. Com o território estabelecido, ele chama uma fêmea que esteja próxima. Enquanto mostra-lhe a casa, ele eriça a penugem negra do pescoço. Se ficar satisfeita, a fêmea entra no ninho e a família está constituida. São construídos ninhos de vegetação seca, penas, cordas, e papel.

Pardal Macho
Pardal Fêmea

Produzem então cerca de um a quatro ovos. Machos e fêmeas incubam os ovos para períodos pequenos de alguns minutos cada. Incubação dura durante 10 a 14 dias. Depois que os ovos forem chocados, machos e fêmeas alimentam o jovem por regurgitação. 

Predadores naturais: Muitos falcões e corujas caçam e alimentam de Pardais. Outros predadores conhecidos que se alimentam dos filhotes e ovos incluem gatos, cachorros, e muitas serpentes.

Adequação ao homem: Pardais e agricultores são inimigos porque o pardal causa grande prejuízos nos pomares e plantações de cereais. Nas cidades, essas aves se reúnem ao entardecer em bandos muito barulhentos, que não se aquietam até que a noite chegue. 

Conhecendo os animais do local onde você está já lhe dá uma boa base para saber onde procurar comida e abrigo da forma mais eficiente possível. Logo postaremos sobre mais animais!

Fonte de pesquisa: Saúde Animal (com adições e subtrações de conteúdo).