O Apocalipse chegou: Quem morre primeiro?

Este é um assunto que provavelmente vai deixar a maioria dos leitores contrariados. Se você se ofende facilmente, ligue a TV ou algo do tipo. A questão é debatida por todos interessados em sobrevivência: Se o apocalipse inciar, quem morrerá primeiro? Em outras palavras, qual grupo de pessoas não irá conseguir e vai cair mais cedo?

Geralmente, a resposta de quem é questionado (especialmente aqueles que são sobrevivencialistas) é a mesma:

– Acostumados ao sistema

– Alienados

– Peregrinos (Hippies, mendigos e outros)

– Drogados

Essas são respostas já esperadas e estereotipadas. Mas quem as responde nunca considera onde eles estão encaixados. A maioria simplesmente assume que estará super bem, sem ter fundamentos muito sólidos para essa afirmação.

Se o apocalipse realmente acontecesse, pense sobre o que realmente aconteceria e quem seria afetado:

– Sem comunicações

– Sem hospitais, clínicas ou médicos

– Sem farmácias

– Sem pensões ou benefícios sociais

– Sem governo ou agências para dar assistência

– Sem ajuda, sem comida, sem entregas à domicílio

Entende? Se você vive de qualquer forma de assistência do governo, então você está em risco. Isso inclui militares veteranos, seguros sociais, planos de saúde e todos os outros.

De repende, a discussão parece muito maior.

Imaginemos um homem de vinte e poucos anos saudável que mora em um condomínio fechado, dirigindo uma BMW a toda a velocidade em uma área urbana tentando fugir. Ele é uma ameaça real a outro de sessenta e poucos anos que dirige uma motocicleta e tem uma prateleira cheia de comida e uma picape funcional em casa. Um está saudável e o outro está tomando uma prateleira inteira de medicações. Quem ganha em uma luta?

Os acomodados ao sistema podem ser diminuídos, mas não se esqueça que eles se adaptaram ao sistema. Eles atualmente sabem como pegar medicamentos de graça, comida de graça, passes de ônibus gratuitos e descontos em lugares para dormir. Em um sistema tão inflexível, eles conseguiram manejá-lo para pegar o que eles querem e precisam.

O mesmo pensamento irá ajudá-los a sobreviverem em um apocalipse. Eles irão se adaptar e descobrir onde o sobrevivente solitário guarda comida e roubá-la porque é a forma que eles vão conseguir sobreviver. Eles podem cheirar “coisas” e tomá-las como deles. Cuidado com esse grupo, eles são mais perigosos do que você pensa.

Próximos, drogados. Drogados não se importam se estão sujos, se roubam, se outros morrem ou se ofendem alguém para conseguir a próxima dose. Mais que tudo, eles pessoalmente não se importam se eles vivem ou morrem, afinal, estão bombeando para dentro de seu corpo químicos perigosos sem considerar o perigo a sua saúde.

Com certeza, eles são os mais perigosos para todos os sobrevivencialistas. Eles irão atrás de você e das suas coisas se eles pensarem que você tem álcool, cigarros ou drogas que eles precisam. Não vão pensar duas vezes em matar ou machucar para pegar o que precisam. Os drogados também vão se adaptar às situações muito mais rápido do que os “presos na lama” que pensam que suas preparações são o bastante para lidar com a situação.

Próximos, os obesos. Eu não me importo se você tem cinco anos de comida e um rifle de alta precisão em casa se após correr meia quadra fica sem fôlego. Com o tempo que você leva para se virar e se levantar da cama, o mais jovem, mais rápido e muito mais ágil saqueador vai te desarmar, te jogar no chão e ver você se debater como uma tartaruga de barriga pra cima.

Não caia neste mundo imaginário apresentado na internet onde o “Ele pode ser lento mais tem habilidade” derrota hordas inumeráveis nas ruas da cidade. Aqueles que se adaptarem primeiro no mundo pós apocalíptico vão ganhar. E eles vão ganhar por estarem preparados agora no mundo pré apocalíptico. Este post tem o intuíto de motivar você a repensar sobre a sua segurança e rever alguns conceitos acerca do que você considera uma ameaça em situações adversas.

A maior regra que devemos ter incrustrada em  nosso pensamento é: Não somos tão bons como pensamos.

Fonte: Off Grid Survival 

Até.

Anúncios

14 Comentários

  • Uma frase que sempre uso é: “A arte imita a vida”. Vemos nos filmes e seriados, que as coisas estão para dar certo e sempre aparece o filho ou a esposa, fazendo algo que foi dito para não fazer e dificulta ainda mais a situação.
    Sou casado e tenho uma filha de 10 anos. Não posso nem falar a palavra preparação dentro de casa, pois sei que irá iniciar uma discussão.
    Acredito que para quem tem família, que não tem o mesmo pensamento, vai ser muito difícil.

    • Dilema complicado o seu… Ainda bem que eu não tenho esse problema. Já tentou levá-las a algum lugar onde as pessoas vivessem no limite? Pode levá-las para distribuir frutas num lixão por exemplo… talvez elas aprendam a valorizar mais a vida e o conforto que tem, e a perceberem que esse conforto não é tão certo e seguro assim.

      Estudar história com a sua filha também pode ser interessante para despertar nela a necessidade de preparação e pode ainda ensinar aos dois muitas coisas mais além da sobrevivência.

      Televisão aliena as pessoas… se tiver TV a cabo recomendo que cancele. A natureza pode irá ajudar a fortalecer e regenerar as faculdades mentais delas: cultive plantas, leve-as para fazer pique-niques em parques verdes, florestas, rios, cachoeiras, praia pouco movimentadas, passeios de barco em mar aberto.

      Estimule-as a comer mais frutas… isso é muitíssimo importante, se elas se recusarem apele para o fator saúde e beleza.

      Boa sorte.
      Felicidades.

  • Elementar… não é possível dizer ao certo quando cada um vai morrer, não poderia ter certeza absoluta nem se eu lesse as mão de cada um, pois as marcas mudam, especialmente as da linha de Mercúrio que fazem referências a acidentes e doenças.

    Todavia, se pensarmos com coerência, os primeiros a morrer serão os mais fracos ou despreparados para o novo habitat.

    No geral, mas não absolutamente, e sem ordem de chances:

    Os doentes;
    Os idosos;
    As grávidas:
    As mães com filhos pequenos;
    Os obesos;
    Os alienados (não são capazes de ruminar e e pensar com coerência);
    Os destemidos;
    Os descontrolados;
    Os que habitam as zonas urbanas;

    Porém, outro fator é certo: quem não sabe s-o-b-r-e-v-i-v-e-r, isto é, ser racional, fazer fogo, higienizar a água, obter alimento, se defender. construir abrigo etc. ainda que sobreviva ao susto inicial, não conseguirá sobreviver por muito tempo a uma crise apocalíptica ou prolongada.

  • Na minha opinião os primeiros a caírem serão os que mesmo antes do acontecido, no seu vasto imaginário antecipam acontecimentos, e os subestimam, temos que primeiramente perceber que se somos sobrevivencialistas responsáveis sabemos que não somos super heróis, mas ponderamos os fatos e tomamos as melhores decisões possíveis, temos preparações para nos auxiliar e não para subestimar situações. Claro que os despreparados serão os primeiros a sofrerem com o fator psicológico e acreditem esse é o fator que mais derruba em meio as dificuldades.
    Os que tiverem mais bem maior facilidade de manter a calma, frieza, raciocínio rápido, medo (o medo é o fator essencial para se manter vivo, graças a ele vc vai pensar antes de tomar decisões, desde que não tome conta de vc), habilidades, fé, criatividade, conhecimento, alguns tipos de armas e bons motivos, com certeza vão resistir muito mais, não importando a situação.

    • Não concordo integralmente, porém isso seria muito difícil, pois este assunto é muito incerto. Assim mesmo, mais uma vez aprendo algo útil com a sua opinião.

  • Pingback: Relembrando conteúdos |

  • Pingback: Alguns posts que você pode não ter visto |

  • Pingback: Centésimo Post! |

  • tecnicomateus

    É o comentário abaixo que me refiro. Desculpem.

  • tecnicomateus

    Continuando o tema do post, a meu ver as pessoas que morreriam primeiro, seraim aquelas com dificuldade já atualmente a lidar com mudanças. Em segundo as com baixa velocidade de reação. E em terceiro, as que não assimilarem as mudanças. Devemos levar em consideração que eventos cataclismicos tendem a ser uniformes apenas localmente, a nivel regional e mesmo mundial, estaremos lidando com realidades diferentes, em que diferentes habilidades podem acabar sendo solicitadas.

  • tecnicomateus

    De acordo com o comentario do amigo acima, os sobrevivente perfeito vai ser oque mata mais. Alguns Pontos devem ser considerados antes de tomarmos uma abordagem mais “assassina”…1 – A municao vai acabar.
    2 – Uma abordagem confrontacionista irá atrair inimigos.
    3 – Mesmo um eximio atirador, só o é sob condições ideais, e não o tempo todo. Contra uma multidão a menos de 100 metros vindo em sua direção, de pouco adiantaria essas habilidades.

  • Sobrevive quem:

    3º Tiver uma arma.

    2º Tiver mais munição.

    1º Tiver melhor pontaria.

    😀

    • Se acabar a munição, acho que nem a pontaria nem a arma vão servir mais ‘-‘
      Fosse assim, todos os reality shows, séries de TV e filmes apocalípticos seriam escolas de sobrevivencialistas.

    • Não concordo, mas é interessante considerar esses fatores!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s