10 medidas URGENTES para fazer caso uma grande crise aconteça

Quais são os PRIMEIRO passos a tomar caso a situação fique grave? Hora de descobrir. No vídeo de hoje vamos conversar sobre as medidas que nós recomendamos que sejam priorizadas.

Resumo do vídeo:

1 – Estabeleça comunicação e reagrupe
Lembre-se que celular pode não estar disponível, crie um plano antes de que tudo aconteça, rádio amador, pontos de encontro e horários limite.

2 – Acesse sua situação
Verifique onde você está, quais os riscos na região e como estão seus recursos. A análise de risco vai permitir que você decida os próximos passos.

3 – Vá para casa ou seu abrigo de evasão
Decida qual oferece menor risco em curto, médio e longo prazo. Talvez ficar em casa seja menos arriscado do que se ver travado em um engarrafamento. Ou talvez ficar em casa represente um risco altíssimo por conta de vizinhos despreparados.

4 – Reforce a segurança do seu abrigo
Em períodos de crise a tendência é de que haverá picos de violência. A fome, o desespero e a falta de preparação da massa poderá levá-los a tomar atitudes contra aqueles que possuem recursos, ou seja, você. Por isso, assim que você chegar ao local determinado como abrigo a sua prioridade é fortificá-lo e estruturar uma rotina de segurança com rondas e constante monitoramento do perímetro.

5 – Mantenha o SIGILO TOTAL (OPSEC)
Se não há energia na rede, luzes apagadas. Se ninguém tem comida, não cozinhe. Manter seus recursos é também não mostrar que você os possui.

6 – Misture-se
Se todos seus vizinhos estão indo na fila de ajuda humanitária e nunca te vêem lá, vão começar a se perguntar o motivo disso. Divida sua miséria com outros, não corte contato completo, não cuide de sua aparência.

7 – Colete inteligência
Sem internet a forma de entender o que está acontecendo volta para os tempos antigos… A conversa. Por isso, aproxime-se de vizinhos e pessoas de outras regiões para tentar entender o que eles sabem, mas lembre-se, fale o mínimo possível.

8 – Evite locais com muitas pessoas ou aglomerações
Se ambientes com multidões já são perigosos em tempos normais, imagine em tempos complicados! É compreensível que você vá a pequenas reuniões de pessoas, mas evite estar em locais com MUITA gente e também em ambientes onde sua mobilidade está prejudicada por conta do número de pessoas em volta.

9 – Foque em ficar em casa por 1 ou 2 meses
O melhor lugar para se estar na crise é dentro de casa. Lá você terá seus recursos, seus familiares, tudo centralizado e organizado! Por isso, pense em treinar a sua mente (e de sua família) para lidar com longos períodos de isolamento.

10 – Decida quais os próximos passos
A crise já teve seu pico e você continua bem. O que fazer? A vida continua… Então é importante pensar qual será seu foco após a tempestade ter ido embora.

Vale enfatizar aqui que essas são diretrizes gerais, que precisarão ser adaptadas de acordo com a sua realidade! Contudo, já são um norte para quem está começando e um lembrete aos preparadores avançados.

Até.