Como criar uma cultura guerreira no Brasil? (Com Tony Eduardo/Clube 38) Sobrecast #006

É possível criar uma cultura guerreira em um país tão enfraquecido pela violência e abandono da cultura? Será que nós temos condições de nos tornarmos um povo unido e forte? A conversa de hoje vai ser difícil, mas vai causar reflexões.

Lembre-se, você pode baixar o arquivo abaixo, ouvir no Spotify e também no Itunes! Encontre a melhor forma de acompanhar o papo e espero que seja um investimento de tempo proveitoso.

O que você acha? Depois de ouvir nossa conversa, adoraria conhecer sua opinião sobre este assunto tão complexo! Comente abaixo e enriqueça o debate.

Além disso lhe convido a conhecer nossa marca de roupas, que surgiu com a ideia de lentamente criar uma identidade para o mais novo guerreiro do Brasil, o cidadão Brasiliano. Espero que você goste:

Untitled-2

Até.

Anúncios

6 Comentários

  • João Girardi

    Olá Júlio, gostaria de fazer um comentário a respeito da etiologia que você fez da palavra “brasileiro”.

    Considero seu comentário a respeito da história do Brasil equivocado.

    O Brasil é um país cuja origem está umbilicalmente ligada à história de Portugal, das Cruzadas e da Reconquista. Os portugueses procuravam uma rota comercial alternativa para às Índias após a queda de Constantinopla.

    O Brasil foi descoberto por membros de uma ordem de cavaleiros portuguesa que descendia diretamente da Ordem do Templo que combateu nas Cruzadas e na Reconquista.

    Houveram inúmeras batalhas navais por todo o Atlântico e o Índico entre portugueses e otomanos para Portugal assegurar o domínio desses mares, e sendo os portugueses um povo pequeno em comparação aos seus inimigos, frequentemente venciam batalhas estando em desvantagem numérica esmagadora. Somente um povo guerreiro poderia fazer isso.

    Até mesmo na história do Brasil temos grandes exemplos de valentia, como a Batalha de Guararapes, em que portugueses, índios e negros se uniram para combater os invasores holandeses, lançando assim a semente de nossa identidade nacional como povo e a origem do Exército Brasileiro.

    A existência de nosso país é resultado direto das ações históricas de cavaleiros, desbravadores e navegadores. Fomos colonizados por um povo reconhecidamente guerreiro.

    O motivo pelo qual não temos uma cultura guerreira é porque jogamos nossa cultura guerreira que herdamos dos portugueses no lixo ao permitir que a esquerda tivesse o monopólio da educação e portanto liberdade total para falsificar e fazer troça da nossa história. Que o resultado disso fosse a importação de uma cultura guerreira vinda dos EUA e os homens de papelão do Instagram, é apenas a consequência lógica desse processo de auto-demolição cultural resultante dessa falta de cuidado em preservar o passado.

    • Estava indo bem, muito bem, até no final do texto vir com essa lorota de falar de esquerda, esquerda, esquerda. Essa parte já estragou todo seu comentário. Saia dessa dicotomia, dessa visão limitada, desse senso comum em atribuir a tal esquerda todos os males do universo. Garanto que sua opinião irá melhorar muito. Abraço.

    • E deixou de fora toda a história dos povos indígenas guerreiros e também as revoltas do escravos.

  • Bruno Santos

    Show de bola Julio, legal o Tony ter virado quase um “co-host” do podcast pq é um cara com bastante bagagem pra acrescentar

  • Eu ouvi a live no dia 23/04. Se no outro dia eu acordar às 05:00 para correr, eu comento amanhã.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s