Anatomia do Combate: Uso da faca na defesa contra humanos [+18]

Existe pouquíssima informação livre sobre como usar equipamentos de defesa contra seres humanos. A maioria de nós carrega uma faca diariamente (eu carrego a minha desde que tinha 9 anos de idade) e muitos também pensam em usá-la como uma arma de defesa se for necessário, mas quase ninguém se dedica ao estudo de como usar a faca do ponto de vista anatômico.

Antes de começar deixo três avisos bem claros:

  1. Usar uma faca contra outro ser humano é considerado como uso de força letal (apenas mostrar uma faca pode ser crimes em alguns lugares se não for um cenário claro de legítima defesa).
  2. Se você puxar a sua faca para se defender você precisa estar 110% comprometido em usá-la rápida e violentamente. Se não, não puxe sua faca.
  3. Conhecimento é sempre bom, mas exige responsabilidade. Estamos aqui para ajudar você a se defender de uma agressão injusta e imediata, mas se você decidir fazer mau uso destas informações, que pague caro por ser estúpido. Nosso texto não se configura como conselho legal ou dá orientações para você fazer coisa alguma.

CUIDADO:

Este texto vai trazer informações bastante gráficas sobre como causar traumas massivos em outro humano com uma arma afiada e pontuda. Se você for sensível é melhor não passar daqui.

Perceba que o título deste texto é “Uso da faca na defesa contra humanos”, e não “Como lutar com uma faca”. A legítima defesa é algo que você coloca em ação quando todo o resto falhou e agora você precisa lutar pela sua vida. Lutar com uma faca é o tipo de coisa que você faz um pouco antes de ser mandado para a prisão. Mesmo que você use uma lâmina com 100% do cenário apontando para a legítima defesa você provavelmente ainda terá de enfrentar problemas legais e com certeza terá cicatrizes emocionais pesadas.

Este não é um texto sobre resolução de conflitos ou evitação de violência. Estas são as suas primeiras linhas de defesa. Este artigo cobre sobre o que você deve fazer quando todo o resto falhou e agora você precisa lutar pela sua vida contra outro humano (ou vários). Não será bonito e será difícil.

Se você ainda está lendo, eu espero que esta informação possa ser usada para salvar sua vida se você um dia se ver na situação de tendo que lutar pela sua vida, mas entenda que a informação aqui não irá fazer tudo por você. O combate físico é algo que precisa ser treinado e praticado se você quiser performar melhor do que o seu inimigo. Se você carrega uma faca para defesa eu recomendo que você IMEDIATAMENTE vá buscar algum treinamento de como usá-la de maneira correta.

O estado mental de quem porta lâminas

Se você carrega uma lâmina focada em defesa você precisa perguntar para si mesmo uma questão muito séria: Eu posso cortar, esfaquear outro ser humano, possivelmente resultando na morte dele?

Usar uma faca como arma é um ato muito íntimo, você terá que estar muito próximo do dano que você está causando. Você será traumatizado por ele.

Você precisa saber que se for usar uma lâmina em um humano você verá MUITO sangue e provavelmente um grande pedaço de carne exposta. Se você quiser ver como ferimentos causados por faca REALMENTE são (cenas fortes), olhe algumas imagens clicando aqui.

Você poderia causar isso em outro humano se a sua vida estiver em risco? Só você pode responder essa pergunta, mas ela precisa ser respondida antes de você decidir carregar uma lâmina como uma arma defensiva.

É fácil pensar que você seria capaz, mas eu conheço homens que dispararam contra pessoas que dizem não ter coragem de usar uma faca em outro ser humano.

O conceito que estou tentando passar aqui é muito difícil de ser comunicado de forma correta. Infelizmente existem muitos machões que logo de cara dizem “eu com certeza cortaria o desgraçado”, mas você precisa abandonar essa porcaria de ditado vazio pra lá e realmente considerar a consequências de suas ações (ou potenciais ações).

Vamos começar: Anatomia básica humana

Qualquer um que estudou um pouco de anatomia na escola poderá dizer que esta escala apresentada no desenho não está correta, mas é o suficiente para nossos propósitos. Se você realmente quer entender onde estão os órgãos vitais de um ser humano, encontre um bom livro de anatomia básica para estudar.

Quando usando uma faca para defesa pessoal existem dois golpes básicos, o corte e a estocada. Por isso, vamos segmentar este texto nestas duas categorias de ataque.

Alvos para corte

 

Figura 1 (clique para aumentar)

 

Como o corpo humano é mais ou menos simétrico, os alvos mostrados aqui podem ser aplicados no lado direito ou esquerdo do corpo.

Ponto A, figura 1: É a artéria superficial temporal que corre ao longo do lado externo do crânio pela têmpora (melhor mostrada na figura 2). Se cortada, irá sangrar profusamente.

Ponto B, figura 1: É a lateral do pescoço e garganta. Esta área contém a artéria carótida e a veia jugular. Se qualquer uma for cortada o atacante irá sangrar até a morte muito rapidamente. A Carótida fica a aproximadamente 3,5 centímetros abaixo da superfície da pele, então um corte muito profundo é necessário para alcançá-la.

Ponto C, figura 1: Este o músculo trapézio. Este é responsável por grande parte dos movimentos do ombro.

Ponto D, figura 1: Corte no lado externo do músculo do peitoral. Este deve ser feito de maneira potente, pois se feito de forma horizontal e continuado até o braço pode potencialmente cortar a veia cefálica que sangrará intensamente.

Ponto E, figura 1: Corte através da frente do músculo deltoide. Se feito com força pode cortar a veia cefálica.

Ponto F, figura 1: Corte ao longo do bíceps. Este músculo é responsável por grande parte do movimento do braço e contém múltiplas veias.

Ponto G, figura 1: Corte através da parte interna da junta do cotovelo. Em adição as inúmeras veias (como mostradas no ponto B da figura 3), esta área possui muitos ligamentos que dão movimentação ao ante braço.

Ponto H, figura 1: Corte horizontal na testa. Esta área é repleta de veias e irá sangrar muito após o corte, potencialmente cegando seu atacante.

Ponto I, figura 1: Corte vertical através da bochecha e maxilar. Esta área possui a maioria dos nervos da face e cortá-los causará dor intensa.

Ponto J, figura 1: Corte horizontal ao longo do pescoço e garganta. Esta área não só possui a veia jugular mas também a traqueia e ligamentos que controlam o movimento da cabeça.

Ponto K, figura 1: Músculo trapézio, próximo do pescoço.

Ponto L, figura 1: Corte profundo ao longo do músculo peitoral. Um corte com profundidade nesta área irá destruir a habilidade do atacante dar socos com alguma força.

Ponto M, figura 1: Corte vertical no abdômen. A penetração profunda nesta área pode resultar em imobilização e possível estripamento.

Ponto N, figura 1: Corte horizontal ao abdômen. A penetração profunda nesta área pode resultar em imobilização e possível estripamento.

Ponto O, figura 1: Corte penetrante no interior do antebraço entre os ossos da região. Um corte mais profundo do que 1 centímetro irá prejudicar diversas veias (como mostrado no ponto C da figura 3) e irá resultar em rápida perda de sangue.

Ponto P, figura 1: Corte ao longo da nuca começando na base da orelha e acabando no centro do crânio. Há uma série de artérias pequenas que correm ao longo do crânio (mostrado na figura 2) e que irão sangrar profusamente se cortadas.

Ponto Q, figura 1: Corte através da ponta externa da escápula do ombro, causando perda de movimento.

Ponto R, figura 1: Corte vertical entre a coluna e a escápula do ombro. Esse grupo de músculos é responsável por grande parte da movimentação da parte superior do tronco.

Ponto S, figura 1: Corte vertical ao longo das costelas e área dos rins. Este golpe será extremamente doloroso e resultará em perda de movimento.

Ponto T, figura 1: Corte horizontal na parte traseira do pescoço. Prejudicará os movimentos da cabeça e causará sangramento intenso.

Ponto U, figura 1: Corte na traseira do músculo trapézio, que resultará na perda de movimento do ombro.

Ponto V, figura 1: Corte ao longo dos músculos das costas, abaixo da escápula. Este será um corte extremamente doloroso e causará perda de movimento na parte superior do tronco.

Ponto W, figura 1: Corte horizontal na parte inferior das costas. Esta área é muito densa com nervos e resultará em dor massiva e perda de movimento na parte superior do tronco.

Ponto A, figura 3: Artéria braquial que corre na parte interna do braço. Esta artéria está alojada profundamente, mas cortá-la pode resultar em inconsciência relativamente rápida.

Ponto C, figura 3: Artéria radial. Cortá-la pode levar à inconsciência rapidamente e por consequência, óbito.

Alvos para estocadas


Figura 4 (clique para aumentar)

Ponto A, figura 4: Lateral do pescoço, logo atrás do pomo de Adão, aproximadamente 6 centímetros da frente da garganta. Este é um golpe idealmente feito com a lâmina perpendicular à espinha, cortando a frente do pescoço. Se feito corretamente ele pode cortar a carótida e traqueia, criando um sangramento massivo que neutralizará a ameaça rapidamente.

Ponto B, figura 4: Parte interna da axila direita, com a lâmina paralela às costelas. Se feito corretamente a lâmina passará entre a terceira e quarta costela perfurando o pulmão direito. Este é um alvo perigoso pela chance da lâmina travar no alvo.

Ponto C, figura 4: Estocada para cima e abaixo do lado direito das costelas, feita em um ângulo de 45 graus no fígado. Dependendo da severidade do dano ao fígado este ferimento pode causar inconsciência em menos de um minuto.

Ponto D, figura 4: Artéria localizada aproximadamente a 5 centímetros abaixo do ponto demonstrado, logo atrás da clavícula. O corte desta artéria pode resultar em sangramento profuso, levando a perda de consciência rapidamente.

Ponto E, figura 4: Parte interna da axila esquerda, com a lâmina paralela às costelas. Se feito corretamente a lâmina passará entre a terceira e quarta costela perfurando o pulmão esquerdo. Este é um alvo perigoso pela chance da lâmina travar no alvo.

Ponfo F, figura 4: Centro do abdômen, aproximadamente 3 a 5 centímetros acima do umbigo. Cerca de 10 centímetros abaixo da pele está a Aorta e a Vena Cava inferior, ambas as maiores no corpo. Cortar qualquer uma delas garante incapacitação rápida e efetiva.

Ponto G, figura 4: Logo atrás da orelha. Este ponto é o único onde uma pessoa normal consegue perfurar o crânio com uma faca. Lâminas mais longas e finas tem maior chance de obter sucesso. Um golpe sólido pode resultar em morte instantânea.

Ponto H, figura 4: Estocada nos rins. Perfurar um rim causa inconsciência rapidamente, visto que estão conectados às veias suprarrenais, que possuem grande volume de sangue.

Considerações

Carregar uma faca de bolso utilitária e carregar uma faca de bolso para defesa são coisas completamente diferentes. Um canivete suíço é praticamente inútil em um momento onde eu precise de uma lâmina para defesa. As chances são de que, se for para usar a faca para defesa, você precisará tê-la pronta para uso o mais rápido possível.

Algumas coisas que você precisa considerar se estiver carregando uma lâmina com o propósito de defesa:

  • O quão rápido você consegue sacar sua faca e posicioná-la em sua mão?
  • Você pode sacá-la com uma só mão?
  • Você consegue alcançar a faca com as duas mãos?
  • Você pode sacar ela se alguém pegar você pelas costas e prender seus braços ao seu tronco?

Se vocês quiserem, posso escrever um outro artigo sobre quais os critérios que eu uso para selecionar uma lâmina para defesa.

Texto traduzido e adaptado do site Exigent Circumstances.