Pistola e revólver X Parede: Um teste prático! (.38, .380, .40 e 9mm)

Será que um disparo de arma curta pode atravessar uma parede? Para descobrir nós preparamos um teste com três tipos de obstáculos e usamos os calibres de pistolas e revólveres mais comuns no Brasil!

Com a violência sempre crescente em território nacional e um futuro cada vez menos atraente, está na hora de nos educarmos melhor sobre as ameaças que enfrentamos diariamente. Conhecer os diversos tipos de calibres e o poder que eles têm já é um ótimo começo, afinal, este conhecimento nos dá a capacidade de reagir de maneira mais consciente em um cenário de crise e assim aumentar nossas chances de sobrevivência.

Vale lembrar que o vídeo foi feito em um clube de tiro e acompanhado de instrutores certificados e oficiais militares. Não apoiamos práticas ilegais de qualquer caráter, especialmente ligadas à questão armamentista.

E aí, os resultados te surpreenderam? Como você sente que este conhecimento pode te ajudar a se preparar melhor? Deixe sua opinião nos comentários!

Até.

Anúncios

19 Comentários

  • Eduardo Munhoz

    Um tiro de .38 SPL ponta ogival tem aproximadamente 270 J na saída da boca. Essa energia não é muito diferente num revólver com 3″, 4″ ou 6″ de comprimento do cano. Mas, se usar uma munição +P o comprimento do cano fará diferença, pois terá melhores condições de aproveitamento da carga, gerando aproximadamente 440 J. Ou seja, praticamente a mesma energia de uma 9mm. Talvez fosse um teste interessante. Um abraço.

  • Há um equivoco recorrente no meio de tiro quanto a stopping power. Este valor é apenas um dado estatístico americano verificado juntos as Polícias locais, de porcentagem de agressores que foram “parados” com apenas 01 tiro. O “parar” é apenas demover de continuar o agressor nas ações que estava praticando. Vale tanto matar, incapacitar, ou o mesmo afugentar. Se um .22 LR tem um stopping power de 20%, significa que apenas em 20% dos boletins de ocorrência foi registrado que no primeiro disparo o agressor foi impedido.

    Quanto a EFETIVO poder das munições, temos que nos voltar a física. Temos a equação de energia cinética E=m . v . v , onde a velocidade de saída do projétil da arma é muito mais importante que sua massa. Os Americanos, por arcadismos advindos do Sec XIX, usam erroneamente a fórmula de quantidade de movimento Qm= m. v , onde nesse caso um projétil pesado é privilegiado. Fazem isso pois há ainda uma mistica quanto ao calibre .45, usado e ambas grandes gerra, bastante pesado e que é incapaz de atravessar um para-brisa de carro (motivo do FBI ter demandado o .40S&W). Um fuzil 7.62, tem um projétil pequeno em calibre, leve, mas extremamente veloz, sendo este o motivo de atravessar um carro blindado padrão do mercado.

    Dos calibres apresentados no video, em situação controlada em gel balístico, o 9mm parabellum (jaquetado ogival padrão) é disparado o com maior penetração, embora .40 pode ter dependendo da munição, 15% a mais de energia. Vale ressaltar que recentemente o FBI mudou de posição e está parando de adotar o .40 e adotando o 9mm parabellum, tal como as Forças Armadas dos EUA, pois permite o retorno da visada muito mais rápido que o .40 , para os tiros sucessivos.

  • FABIO FERNANDO RAMALHO FAUSTINO

    Nossa !Meu amigo esse video foi muito preocupante,imaginam em favelas barracos irregularidades,becos aonde tem trocas de tiros!Só Deus mesmo

  • Raul Anduze

    Excelente este teste, me resolveu uma questão de trabalho sobre paredes para sala de desarme. Seria interessante informar se o bloco de concreto é somente de vedação ou estrutural, pela foto parece estrutural , pois cada um tem resistência diferente. Blocos que não seguem as normas provavelmente não resistiriam.

  • Júlio, qual a espessura das paredes do tijolo de concreto usado no teste ? Os que vi até hoje tem a parede mais fina.

  • Daniel Costa

    Muito bons esses testes balisticos. Tambem os faço aqui. É bom conhecer a capacidade de um calibre. Parabéns Julio

  • Pra mim esse video me impressionou bastante, eu esperava menos do bloco de concreto e achava que a diferença do .380 pra 9MM não era tão grande, óbvio que a 9MM é melhor mas não esperava que fosse tudo isso.
    Parabéns pelo vídeo, ficou muito bom.
    Obrigado.

  • Fui surpreendido pelo bloco de concreto.

    Pensei que na parede com reboco nenhum tiro iria atravessar além da .40, sendo que a 9mm também atravessou…

    Obrigado pelo vídeo.

    • Fala Miguel!

      Nós também ficamos impressionados, eu mesmo jurei que ele ia se esfarelar inteiro. É exatamente por isso que gosto de fazer estes testes, verificamos os efeitos na prática e não damos espaço para suposições.

      Um grande abraço!

  • Olá Júlio. Ao fazer uma barraca improvisada, como manter as cobras do lado de fora? Tem alguma forma de espantá-las pra não ter risco de acordar com um animal rastejante dentro do saco de dormir?

    • Olá amigo,

      O ideal é fechar as entradas, deixando apenas uma aberta e se possível, virada para onde o fogo está. Já ouvi várias dicas diferentes que envolvem desde espalhar as cinzas da fogueira em volta do abrigo até urinar, mas confesso que nunca fiz nenhuma delas e nunca tive problemas nos testes que vivenciei.

      Um abraço!

  • Ola Julio como sempre videos sensacionais trazendo conhecimento pra todos nós. Assim como no teste da porta de carro é muito valido para ver a efetividade dessas armas. Minha duvida com a parede com reboco é como se comportaria uma 12 e um rifle de presiçao. Abraço

    • Olá Geronimo!

      Agradeço o apoio. Sobre sua dúvida, posso lhe dizer que um calibre de arma longa como o .7.62 x 51mm provavelmente atravessaria sem dificuldades uma única parede com reboco duplo. Já o .12 dependerá diretamente da munição utilizada… Fiquei curioso para fazer um possível teste!

      Abraços!

  • Clóvis Antonio Schonhofen

    Excelente demonstração, práctica e objetiva, sobre os calibres mais utilizáveis em situações de defesa e emergência, parabéns Julio,  e que sempre o tenhamos em nosso convívio, prestando esclarecimentos em SOBREVIVENCIALISMO, att. Clovis.

  • Muy interesante el video, también sirve para saber que en el caso de una defensa domiciliaria un disparo perdido puede afectar al que se encuentra en la habitación de alado.
    Otra cosa que vengo estudiando hace mucho es el llamado stoping pawer en las armas de puño, y cada vez me convenzo mas que es un mito, ya que si un disparo tiene el poder de detener o hacer retroceder a una personas, por física, el que dispara también recibiría el mismo efecto.

    • Olá Gabriel,

      Infelizmente não consigo escrever com clareza em espanhol, então espero que me entenda. É importante pensar que o stopping power não se trata somente da força empregada no momento do impacto, mas também a efetividade de parar o agressor. Muitas vezes a munição pode não possuir alto poder de impacto, porém tem capacidade de, ao gerar expansão interna no alvo, neutralizá-lo com muita rapidez.

      Um grande abraço!

  • rhanna celestina

    Boa tarde Julio Lobo,

    Desculpa a demora é que o que fizemos uma reunião pra decidir o dia e o horário certo que daria para ambos participarem do Hangout. Então dia 17/09 às 15:30 ficaria agradável pra fazer o Hangout?

    Me desculpa de novo por mais esse incômodo. É que dia 15/11 vai ter o AREPIO (acampamento onde estarão todos os pioneiros do DF e entorno), e a do ano passado eu não fui por motivos de equipamentos. E eu queria saber se o senho pode me ajudar, poder ser até equipamentos usados, se isso não for um problema pro senhor. E de novo peço desculpas outra vez.

    PS: Manda um abraço pra sua esposa pq eu acho ela muito legal e um outro para o Collector porque é muito massa também

  • Francino Neto

    Muito interessante! Vale ressaltar que as munições utilizadas eram de Ponta ogival, ideais para transfixação diferente das munições Ponta oca. Talvez possa influenciar a carga de pólvora das munições tipo + p+ nos testes feitos. Talvez possa influenciar nos testes mas o objetivo é esse, sempre aprender. Parabéns!

    • Olá Francino!

      Agradeço o apoio, realmente existem muitas variáveis envolvidas no resultado, contudo já podemos ter uma ideia aproximada do poder de cada calibre em cada obstáculo – o que pode ajudar muitos em situações de risco.

      Um grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s