As maiores ameaças ao futuro da humanidade

O que será da humanidade em vinte, trinta ou oitenta anos? Se hoje você está abaixo dos quarenta anos as chances é que você ainda verá muitas mudanças acontecerem. De acordo com os vários indícios que podemos acompanhar em notícias políticas, científicas e financeiras, talvez nosso futuro seja um pouco mais cinzento do que gostaríamos.

AVISO: O que você lerá aqui poderá lhe deixar triste, depressivo. Mas é assim que as coisas são. Que as minhas reflexões possam lhe ajudar a se preparar melhor para o futuro e que lhe tornem um cidadão mais ativo no presente para ajudar a melhorar nosso planeta.

De forma simples, qual o objetivo deste texto? Pontuar todos os fatores que acredito que podem ser ameaças diretas a nossa sobrevivência neste prazo relativamente curto de tempo. Devo dizer que não sou um especialista nesta área, mas sempre mantenho os olhos muito abertos. O que você lerá aqui é a minha opinião pessoal, então fique à vontade para debater, concordar ou discordar do meu posicionamento nos comentários.

Uma última nota antes de começarmos: Não sou um daqueles indivíduos desesperançosos e que tem completa certeza de que a humanidade está fadada ao fracasso. Não vivo meus dias como um profeta do apocalipse, esperando os sinais do “fim do mundo”, longe disso. Muito pelo contrário, sou um amante da ciência que vibra com todos avanços tecnológicos que estão ocorrendo em nossa era. Acredito piamente que o caminho para escapar das armadilhas do futuro é a tecnologia, que abraça desde produção de comida até exploração espacial.

Sim, sou daquele grupo de entusiastas que assiste a transmissão ao vivo de foguetes da SpaceX como se fosse a final de uma copa de futebol.

Mas fato é que, diante de todos estes progressos fantásticos há uma sombra cada vez mais crescente, que pode – infelizmente – apagar o brilho de nossos avanços. Essa sombra tem várias formas e várias caras, e hoje quero mostrar algumas que me preocupam.

As ameaças

Untitled-1

Depois de tantas provas conclusivas que a ciência conseguiu coletar nas últimas décadas a existência do “efeito estufa” não está mais sob discussão, ele está acontecendo e tem a tendência de piorar exponencialmente.

Com as toneladas de gás carbônico que despejamos na atmosfera, aceleramos radicalmente a dinâmica climática do planeta em um nível somente visto antes em eras glaciais, e fizemos tudo isso em menos de 100 anos de revolução industrial.

Como nós só nos importamos com as coisas que podem afetar a nossa vida de maneira direta, não vou ficar filosofando ou colocando reflexões profundas aqui. De forma simples, vamos ao que a mudança climática já está causando:

  • Derretimento constante das geleiras presentes nos pólos do planeta;
  • O aumento do nível do mar tornou-se mais rápido neste último século;
  • Muitos animais estão migrando e mudando seus habitats para áreas mais afastadas das zonas tropicais devido ao constante aumento de temperatura;
  • A média de precipitação de chuva aumentou no mundo inteiro;

Muitos outros efeitos indiretos ainda estão sendo comprovados por meio de observações, mas estes foram apenas para pontuar a ponta do iceberg. Se continuarmos jogando gás carbônico na atmosfera (e com certeza vamos continuar), aqui estão os problemas que podem começar a aparecer ainda nos próximos cinquenta anos:

  • O mar continuará a subir, aumentando entre 18 e 59 centímetros, sendo que o degelo das calotas polares pode adicionar entre 10 e 20 centímetros a mais nesta média. Isso já é suficiente para começar a inviabilizar muitas cidades costeiras;
  • Tempestades e furacões se tornarão maiores e mais frequentes devido as variações de temperatura;
  • Diversas espécies que dependem de outras podem ficar fora de sincronia. Por exemplo, as plantas podem florescer antes dos insetos que as polinizam ficarem ativos;
  • Inundações e secas poderão ficar mais comuns, com suas intensidades aumentando em 10%;
  • Doenças portadas por mosquitos tropicais irão se espalhar mais facilmente, visto que o clima mais quente favorecerá estes insetos;
  • Cerca de 10% das espécies conhecidas hoje não conseguirão se adaptar a mudança climática acelerada e serão extintas.

Todos estes aspectos podem parecer relativamente difíceis de se visualizar, mas causariam mudanças radicais em nossa economia e política. Isso nos leva ao próximo ponto.

1.jpg

De acordo com várias estimativas, o planeta entrou no “vermelho” desde agosto do ano passado. Isso quer dizer que desde este ponto, estamos consumindo mais do que o planeta é capaz de repor.

A regra é simples: Quanto mais pessoas, mais consumo. A população mundial possui estimativa de dobrar nos próximos 20 anos, e isso simplesmente ultrapassa de longe a capacidade da “mãe terra”.

Poderíamos mudar essa realidade com estratégias de controle de natalidade, educação e principalmente mudança de cultura ( um terço do que produzimos de comida é jogado no lixo)….Mas me diga, você já viu alguma vez a humanidade agir de maneira preventiva? Eu não, então não tenho fé nisso.

Nos próximos trinta anos teremos muitas pessoas famintas, surtos de diversas doenças (devido a concentração populacional) e todos os problemas associados a isso, tais como criminalidade, estupros, revoltas politicas e instabilidades econômicas.

A espécie humana além de gostar de se reproduzir, também é péssima em gerenciar recursos. Não bastasse termos cada vez mais bocas para alimentar, temos como marca registrada a nossa incapacidade de gerenciar recursos pensando a longo prazo, e aqui posso colocar como maior caso a pesca industrializada que está acabando com a vida marítima.

Pois é. A industrialização da pesca está prejudicando de maneira intensa muitas espécies. Em 2011 um estudo apontou que mais de metade dos pontos de pesca estão sendo superexplorados, acima do nível sustentável. Para ser mais específico, aí vão alguns dados do site overfishing.org, falando sobre o índice de exploração dos estoques naturais de peixes nos oceanos:

  • 52% dos estoques naturais de peixes estão sendo explorados;
  • 20% estão sendo explorados de maneira moderada;
  • 17% estão superexplorados;
  • 7% já esgotaram;
  • 1% estão se recuperando do esgotamento.

Sem um oceano funcional, adeus cadeia alimentar global.

Poderíamos escrever páginas e páginas recheadas com outros exemplos aqui, mas o foco não é chocar e sim informar. Contudo, não mencionei o que possui maior valor para a vida humana: água.

Já estamos sofrendo com escassez deste recurso tão importante, e a tendência é aumentar. Existem países que já possuem políticas de racionamento e multas para aqueles que não as obedecem, e a tendência são que estas políticas apertem ao ponto de estrangulamento. Então, vamos falar exatamente disso agora.

1.jpg

Todos sabemos que estes dois termos andam muito juntos. Para deixar este aspecto mais claro, vamos utilizar um cenário que já é bastante conhecido de todos.

Os EUA possuem uma cultura de consumo de combustíveis fósseis enorme. Sua produção própria estava se tornando insuficiente para manter a população abastecida, então qual foi a jogada? Encontrar “armas químicas” em locais com riqueza de petróleo para poder ter argumentos para entrar em guerra com tais regiões e então adquirir controle deste recurso que os faltava. Isso não é teoria conspiratória, é apenas uma observação fria dos fatos.

Porém a grande pergunta é… E quando lhes faltarem água? Ou minério? O Brasil pode ser o próximo alvo. E não estamos falando apenas dos EUA aqui, mas qualquer grande potência ou nação que esteja interessada em captar recursos que não possui em seu território. Em toda a história da humanidade vimos exemplos de que quando uma nação precisa de algo que seu vizinho tem ela dá um jeito de entrar em conflito para tomar à força.

Junte isso à crescente escassez de recursos e você tem o tempero para o desastre, ou, indo mais longe, para a terceira guerra mundial.

Ao descermos para os cenários mais “micros” as previsões ficam ainda complicadas. Quantas fábricas já estão fechando atualmente por conta da crise que nosso país vive? Muitas. Imagine em um cenário onde o mundo está começando a lutar por recursos escassos e o empreendedorismo já está sofrendo diretamente com a falta de insumos para manter as coisas rodando.

Tudo o que afeta o “grande palco” vira uma enxurrada de catástrofe para os pequenos como nós, simples pessoas lutando dia após dia para prover uma vida melhor para suas famílias.

1.jpg

Já não bastasse essa série de questões ambientais, políticas e financeiras, ainda temos mais um bônus: A incapacidade de tolerar crenças opostas às nossas. O ser humano enche a boca para promover suas visões, religiões e valores do que considera certo, porém infelizmente quer ser o detentor da única e grande verdade.

Hoje temos grupos extremistas que convencem pessoas a se explodirem – literalmente – em nome de uma crença. Não só isso, mas proclamam que possuem como principal missão acabar com aqueles que não seguem suas formas de vida.

Com a crescente falta de recursos, veremos reaparecer o velho costume de proclamar argumentos ideológicos para mascarar a necessidade de mais recursos naturais. Os discursos de “Lutaremos pela liberdade“, ou “Eliminar as ameaças ao nosso modo de vida” ficarão cada vez mais presentes e pungentes, disseminando cada vez mais ódio entre as diversas classes sociais e culturas.

Não precisamos ir tão longe assim para ver como isso vêm se intensificando com o passar dos anos. Perceba em si, como a sua percepção mudou em relação à pessoas que possuem um posicionamento político diferente do seu. Antes se o seu amigo era de esquerda você tolerava e preferia não discutir com ele, hoje, ele provavelmente não é mais seu amigo.

Agora aumente isso para o palco mundial de relações entre as nações e o negócio fica complicado.

Uma simples conclusão

Conforme fui escrevendo este artigo me dei conta que ele poderia se tornar um livro se decidisse nomear todas as ameaças que enfrentaremos nestas próximas décadas. Fato é que o mundo hoje é uma panela de pressão sob fogo alto e com a válvula de escape quebrada.

Mesmo com todo este tom trágico confesso que tenho grande esperança que a humanidade consiga driblar todos estes fatores com a ciência e a tecnologia, mas infelizmente não posso apostar todas as minhas fichas nisso. Sinto que, ainda sendo jovem, tenho um caminho duro pela frente e farei o possível para não tropeçar em nenhuma pedra. Sou um sobrevivencialista, e meu dever é estar preparado.

Espere pelo melhor. Prepare-se para o pior.

Até.

Anúncios

35 comentários

  • Juninho Miranda

    Eu acompanho o portal sobrevivencialismo.com há uns 4 ou 5 anos pelo que me lembro, entro quase que diariamente e ja devo ter visto quase todos os posts. E esse foi um dos mais interessantes que li, claro, todos são úteis e interessantes para quem se interessa por sobrevivencialismo. Muito bem elaborado, bem explicativo, e com certeza eu concordo com tudo que foi dito.

  • Reinaldo Junior

    Não é muito difícil “prever” o futuro… a raça humana crescendo; os recursos naturais acabando; a intolerância em lidar com as diferenças… logo a necessidade de uns será maior que outros e guerras começarão, e aí quem tiver mais poder (dinheiro) será o vencedor. Também quero acreditar que a ciência e a tecnologia irá reverter esse cenário, mas enquanto não, prefiro me preparar para o pior. Ótimo texto!

  • Não vejo como não crer nas profecias da Bíblia Sagrada, especialmente nas que estão no Livro de Apocalipse. Elas retratam uma realidade que está muito próxima de acontecer no mundo, como esta:

    “E ouvi uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: Uma medida de trigo por um dinheiro, e três medidas de cevada por um dinheiro; e não danifiques o azeite e o vinho.” (Apocalipse 6:6)

    A referência acima nos diz que até mesmo entre as potências mundiais haverá fome e consequentemente caos. Um pedaço de pão custará muito caro e não será para todos.

    Mesmo no tempo de Jesus, antes da destruição de Jerusalém ocorrida no ano 70, encontramos um alerta do Senhor e uma estratégia de sobrevivência para quem acreditasse em seu aviso:

    “Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação.
    Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas. Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo. E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem.” (Lucas 21:20-24)

    O resultado disso é que até hoje, Jerusalém é pisada pelos gentios (povos não judeus). Os judeus não têm o controle do monte onde estava o seu antigo templo e sequer puderam reconstruí-lo até hoje.

    Como vemos, no momento da crise, não estar nos grandes centros é a melhor alternativa.

    O mundo caminha para a redução drástica da população mundial. Por que Bill Gates estaria tão interessado na produção de vacinas e alimentos modificados geneticamente e por que isso ajudaria a diminuir a população em 10%? Pesquise sobre a Nova Ordem Mundial e o interesse da elite mundial na eliminação da maior parte da vida humana. Saiba o que existe em comum nas mortes de Jonh Kennedy e Michael Jackson e sobre o que eles falaram poucos dias antes de serem assassinados. Pesquise sobre as pedras da Geórgia e os dez mandamentos dos illuminatis. Aprenda sobre o Blue Bean e HAARP.

    Acredite na Palavra de Deus e confie.

    “E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.” (Atos 16:31)

    • Aliás, doze mandamentos.

      • São dez mesmo! ¬¬

    • Meu amigo, infelizmente as pessoas estão “entendidas demais” hoje em dia para dar crédito à verdade da palavra… e a ameaça dos iluminatis, que já nem se preocupam em se esconder mais.

  • Creio que isso já está acontecendo não é?

  • Isso que vc nem citou o risco de epidemias (só esse ano tivemos dengue, zika e h1n1). Quanto ao risco de guerra ideológica é real ou melhor, já a vivemos! Existe em nosso país uma crescente exploração do fundamentalismo religioso junto com a extrema direita por políticos inescrupulosos. O Estado Islâmico é fruto dessa conjunção; o Nazismo reinou a 70 anos sob crença cristã!
    Acredito que seja um meio de desestabilizar nossa nação, pois é preciso “dividir para dominar”.
    Quanto a guerra por recursos, a presidenta Dilma já havia criado vastas áreas para reservas indígenas; Serra, como ministro de Relações Exteriores irá entregar o Pré-sal; Marina é árdua defensora ambiental contrária a muitos projetos de geração de energia e agronegócio. Enfim, não haverá conflito pelos nossos recursos, pois serão entregues em uma bandeija aos EUA, China ou qualquer outro que possa “bancar” nossos corruptos políticos.
    O que fazer? Procurar não ser excessivamente consumista, não dependente de toda bugiganga que aparece! Estudar e se informar como viviam os mais velhos. Ainda lembro de minha avó que não disperdiçava nada, além de gerenciar bem o dinheiro e saber poupar.

    • Fora do PT não há salvação, então?

      • Fora do sentimento de nacionalismo não há salvação!

    • Vamos chamar o lula…kkkk

    • Yoseph Makaby

      Tá de sacanagem véio…. Dilma, Serra, Marina…. pelo amor dos meus jumentinhos….Dilma é sem comentários, mesmo…. Serra é um vampiro e a Marina hein??? Defensora do meio-ambiente é??? E o maridinho que enriqueceu às custas da madeira apreendida na amazônia quando ela era ministra do… meio-ambiente… Vai catar coquinho cara…. Só a “direita” é criminosa é??? Vai pra CORÉIA DO NORTE, ou CUBA ou VENEZUELA…. e seja feliz…
      SELVA!!!!

    • … As pessoas falam do nazismo governando sob a fé cristã, dos crimes da igreja católica sob a fé cristã, sobre os crimes evangélicos sob a fé cristã… e mais, e mais, e mais… Mas se os amiguinhos lerem a bíblia e principalmente o novo testamento, vão ver que 90% das pessoas que se dizem cristãs ou que creem em Jesus, nem sabem quem é o Senhor Jesus, pois nunca leram a bíblia… Não perco meu tempo com religiões, mas tenho plena certeza que a bíblia é a verdade. Me surpreende a quantidade de ignorantes e posers que existem hoje em dia, dizem e fazem discursos que a bíblia é falsa, que é um conto de fadas, mas NUNCA se deram o trabalho de estuda-la… Se alguém da opinião sobre qualquer livro que nunca leu, seja religioso ou não, NINGUÉM vai dar crédito a um mentiroso… mas sobre a bíblia qualquer tolo que falar mal dela é levado em consideração principalmente pelas midias, e isso ainda é chamado de “razão”… muito hilário.

    • Davi Gabriel

      Vc por algum acaso já leu Hittler’s Tabble Talk? Ele desprezava a fé cristã…nunca pronuncie algo histórico novamente sem o conhecer!

  • Muito bom o texto companheiro!

    Uma ameaça que vejo crescendo, bem de perto, é a violência urbana… Hoje mais do que antes mata-se por coisas banais e as forças de segurança não conseguem frear os malfeitores, o cidadão de bem encontra grande dificuldades em prover-se de meios para se defender ficando à mercê dos marginais que cada dia agem com mais ousadia e parecem não temer as forças de segurança públicas nem a prisão.

    Uma grande porcentagem da juventude dos dias atuais demostra interesse em fazer parte do mundo do crime, engrossando as fileiras do exercito dos bandidos…

  • Yoseph Makaby

    Olha rapaz, só pra ilustrar: se cada ser humano do planeta hoje recebesse um lote de MIL METROS QUADRADOS a população do planeta caberia na Austrália. Faça as contas. É simples assim. Então a tua teoria tá furada…. Não vai faltar recursos tão cedo, mas algumas pessoas querem que vc pense assim. Cuidado…
    SELVA!

    • Concordo com o Sr. Yoseph Makaby.

    • Edion S. Silva

      Y.M. Vc resolveu o problema da fome no mundo e ainda não ganhou o Nobel kkkkk vc pode me dizer como vai distribuir todos os recursos do planeta, sem levar em consideração as condições políticas; econômicas e geográficas que nortearam a história da humanidade… Na minha humilde opinião vc deveria parar com as crenças marxistas e voltar pra realidade, é mais fácil ter a terceira guerra mundial do que todos os governos trabalharem em cooperação pelo bem da humanidade!

    • Mas o problema não é quantidade de pessoas, mas toda a demanda por bens, energia e serviços que o homem moderno exige: produção de carne bovina consome muita água e vastas pastagens; vestuário também precisa de muita água e energia; construção civil tradicional (areia grossa retirada de rios); combustíveis fósseis, etc. Todo esse aparato produtivo para atender as necessidades e, na maioria das vezes, necessecidades supérfluas, ocupam muito espaço e exploração exagerada de recursos.

  • Mário Irio

    Júlio, há ainda 1 fator mto mais grave: com o aumento de CO2 na atm, as plantas estão com maior produção de suas defesas, aumentando de forma assustadora o nível de toxicidade. Como elas são a base da cadeia alimentar, se não conseguirmos reverter esse quadro alterando o DNA delas, não haverá alimentos nem vegetais nem. Gostaria de ser otimista, mas qto mais eu leio, mais fico assustado. Acho q já passamos (e mto) da curva do gráfico de “correção” e a Terra não suportará nenhuma forma de vida complexa…

  • acrescentaria Epidemias, grandes cidades são um caldeirão propício à epidemias.

  • Demóstenes Jr.

    A iniciativa é louvável, expor nossas opiniões é uma forma de avaliar nossos termos em perspectiva. Apenas não encontrei uma exposição fora da “mainstream media”, que é a que influencia a maioria das pessoas. Como simpáticos à subcultura sobrevivencialista deveríamos avaliar as informações alternativas, marginais ao sistema, como a da rejeição à “mudança climática” antrópica, que nada mais é que propaganda da ONU para impor um modelo industrial “mais limpo” e regras rigorosas de comércio internacional, uma das consequências é impedir que países periféricos possam ir adiante com seu processo de industrialização, que tem que passar pelo uso de técnicas tradicionais (lenha, carvão, gás, petróleo, etc.) para então chegar a uma economia “limpa”.

    O grande causador das mudanças climáticas é o Sol, também já ocorreram extinções em massa e a 6ª que está por vir não será causada por nós. Alguém já ouviu falar que havia uma floresta tropical na Antártica? Ou um mar no deserto do Saara? Ou um enorme bolsão de gás metano na Sibéria, que se liberado tornará o planeta inabitável, já que é o verdadeiro gás do esfeito estufa? Enfim, não consigo mais pensar em mudança climática global antrópica. O que me preocupa é a poluição química, a radioativa e a eletromagnética, como exemplo todos os oceanos do globo estarem agora contaminados pela água que escapou de Fukushima, quem come Sushi experimente levar um contador Geiger para aferir como está seu Sushi se ele foi preparado com ingredientes do Pacífico, outra é o aumento das torres de telefonia e redes wifi, estão por toda parte e ainda não sabemos o que podem causar ao ecossistema, dados da Anatel indicam que o Brasil terminou Março de 2016 com 257,8 milhões de celulares e densidade de 125,42 cel/100 hab.

    A Instabilidade política e econômica são outra questão artificialmente imposta, uma saída prática seria a falta de apoio popular às políticas atuais dentro dos estados/nação ocidentais e a mudança paradigmática de cidadãos consumidores para cidadãos produtores, uma alteração mínima que seja no paradigma da obsolescência programada já ajudaria, mas é uma esperança vã, a diminuição da inteligência do cidadão comum já é um dado alarmante que altera a capacidade crítica e autocrítica das pessoas e suas crenças nunca são postas em dúvida depois que se consolidam.

    A Terra pode prover recursos suficientes para 10×10^9 de habitantes, só que eles precisam ser inteligentes, responsáveis e equânimes com o uso desses recursos, os grandes inimigos da “sustentabilidade” são o modelo de sociedade de consumo, as mega cidades, o agronegócio e a obsolescência, a crise será útil para revermos se realmente precisamos disso e se devemos colaborar com esse modelo de desenvolvimento.

    As questões ideológicas são um jogo antigo e retorna como foi na Cold War, engana-se que pensou que o jogo de poder assimétrico acabou, mas a minha preocupação maior é com o choque de culturas no Ocidente, imposta pelo relativismo cultural e pelas políticas da social democracia que endividaram e enfraqueceram os países europeus e sua influência, diminuíram sua taxa de natalidade e ameaçam tornar ainda mais decadentes os valores da cultura ocidental da qual somos herdeiros. Um exemplo é que se a elites globalistas estivessem preocupadas com a superpopulação, por que fazem campanhas massivas de vacinação e ajuda aos países subdesenvolvidos e nada dizem a respeito da queda irreversível de natalidade dentro dos países desenvolvidos? Por que os mais pobres tem que aumentar e os mais ricos diminuir? Tema algo de errado com essa política e a imigração forçada só irá piorá-la.

    Já tive a experiência de erodir amizades por causa de ideologias, mas lamento por eles esterem sob o controle delas e não o oposto, eu reviso as minhas e sei que ideologias deveriam servir para orientar, não controlar. Só existe uma característica ideológica primária e ancestral na humanidade: é o livre arbítrio, com ele todos tem uma responsabilidade individual partilhada coletivamente e todos sofrem e são causa das ameças ao futuro da humanidade.

    OBS: perdão pelo exagero de palavras, mas o tema é complexo e difícil.

    • Marcos Willian

      Cara, tô impressionado com sua inteligência. Parabéns.

  • Parabéns pelo texto Camarada! Obrigado! Deus Abençoa…

  • Muito bom, Julio! O texto só é soturno só para quem teme sem saber o que fazer proativamente. Para nós sobrevivencialistas só nos acrescenta mais confiança e mais garra para nos prepararmos! Grata!

  • Um livro que indico fortemente sobre o assunto é o “Colapso” de Jared Diamond.

  • Homem de Fé

    Prezado Julio, excelente artigo, concordo em todos os pontos, porém, acredito que o maior problema que já estamos enfrentando no mundo inteiro, e penso que vai piorar muito nos próximos 4 anos, é o desemprego. Penso que o futuro do trabalhador vai depender da capacidade que cada um tem de empreender e cuidar da própria vida, ou seja, no Brasil a maioria vai morrer de fome.

  • Historicamente as coisas dão errado. É algo que tento ensinar inclusive em sala de aula. E se repetem. Coisas impensáveis, como o totalitarismo, refloresceram. Basta ver a experiência da América Latina. A Venezuela tornou-se uma nação totalitária e é aplaudida por governantes vizinhos. Aqui mesmo no Brasil grupos pediram e pedem a volta dos governos militares. Aparentemente, nossa breve experiência democrática precisa ser urgentemente aperfeiçoada. Outra coisa que vai nos danar é a mania esquerdóide do politicamente correto. Os inimigos falam de guerra, e nós falamos de “cultura da paz”…….. Além disso, por já ter uma certa idade, posso ver claramente as mudanças no clima. Isso sim. Embora ele tenha revisto certas posições, a entrevista do James Lovelock (http://rollingstone.uol.com.br/edicao/14/aquecimento-global-e-inevitavel-e-6-bi-morrerao-diz-cientista#imagem0) é reveladora do potencial destrutivo disso. Nos últimos anos tivemos aqui no Paraná tornados, granizo do tamanho de bolas de tênis, terremotos em Londrina e região…. é claro que muito do alarme se dá pela extensão e velocidade de nossas comunicações hoje, essas coisas certamente aconteceram antes. Mas a mudança do clima….essa sim….essa eu posso certificar pessoalmente, ao menos nas últimas 3 ou 4 décadas. Então não é alarmismo. Obrigado pelo texto.

  • O texto é muito superficial ao se deter apenas em aspectos do câmbio climático e algumas consequencias economicas. De fato,assim como no passado, não pode se subestimar o impacto das tecnologias na produção de alimentos e gestão de recursos hídricos.
    O mais provável e ameaçador é a ascensão de governos e ideologias totalitárias que impactam tanto as liberdades individuais quanto econômicas, e consequentemente ambientais.
    Para tanto basta observar o que acontece na América Latina com a movimentação do Foro de São Paulo, tendo como expoente a Venezuela e em volume de recursos o Brasil; a expansão islâmica na Europa e os impactos ideológicos e geopolíticos e a China, com população e recursos para consolidar a apropriação economica da America Latina e Africa…

    Agora imagina governos totalitários controlando e vasculhando seu pensamento nos megabanco de dados do Facebook, Google, twinter, Whats Up e outras plataforma. Estas possibilidades de distopias estão infinitamente mais próximas com a agravante de que o inimigo real é o próprio homem, afinal, o homem é o lobo do homem – “Homo homini lupus”

  • João louven

    Compartilho da mesma visão. Não é exagero dizer que somos um problema tentando se resolver…

  • carlossilvapb

    Muito bom o texto. E te digo mais uma coisa. Alguns locais aqui mesmo no Brasil, que é um dos países do mundo mais ricos em recursos naturais, já estão sofrendo. O Pantanal e seus rios estão completamente descompassados, alterando de maneira drástica o comportamento da fauna e da flora locais, e mudando de maneira significativa a vida das pessoas que vivem por lá. Os ciclos de chuva e seca na Amazônia estão mais intensos, com queimadas cada vez maiores. O aumento populacional e de padrão de vida começam a pressionar as fontes de recursos em todas as regiões, especialmente no Nordeste e Sudeste. Os problemas com o abastecimento de água experimentados nos últimos anos (e aqui em Campina Grande tal problema NÃO foi ao menos aliviado, mesmo com as chuvas ACIMA da média histórica) são uma prova disso. E os prognósticos não são nada animadores. Para esta época de chuvas, os níveis dos reservatórios Brasil afora nunca estiveram tão baixos. Se houver outra seca (e é bem provável que haja), dessa vez as maiores cidades brasileiras se verão em apuros. Em 30 ou 40 anos, poucos seres humanos (os mais ricos) serão poupados das mudanças que enfrentaremos…

    • Tivemos nesse fim de semana 3.2°C em Londrina EM PLENO OUTONO. Mais claro impossível…..

  • JAIME DANIEL GELERNTER

    Parabens pelo texto.Claro,objetivo e triste. Sinto da mesma forma.

  • Elon Musk é o cara!

    Obrigado pelo texto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s