Podcast 15: Consciência situacional em cenários de crise

podcast 015

Estar atento ao que acontece ao seu redor é imprescindível para conseguir reagir à uma ameaça maneira eficiente e segura. Você sabe como adotar uma postura de atenção durante o seu dia a dia? É sobre isso que vamos falar neste podcast.

Você conhece outras técnicas e maneiras de criar uma mente disciplinada e capaz de lidar com imprevistos? Comente abaixo!

Até.

Anúncios

14 Comentários

  • shiranduarte

    Olá, sobrevivencialistas!
    Ei, Julio! Quando sai o novo Podcast?
    Tá na hora de aproveitar a situação e falar de lições que a tragédia de Mariana nos ensinou, né?
    Talvez fosse a hora de aproveitar o embalo e falar de ameaças terroristas também…
    Essa é a hora! Aguardando o novo podcast para me manter afiado nas preparações aqui.

    Um abraço sulista ao canal!

  • Júlio, por favor, faça um tutorial de estoque de água. Ando precisando estocar água e transportar sem que ninguém saiba, por causa da tragédia de Mariana e extrema seca na minha cidade.
    Em Governador Valadares a água chega escoltada, muito grave a situação.

    • Clor-in ou água sanitária permite que ela fique armazenada por um tempo maior, não sei quanto. Para guardar é melhor guardar em recipientes pequeno que sejam mais fáceis de transportar, você não vai querer além de falta de água ter também que tratar de disco de coluna logo nesta hora.

      O fato de não ser transparente pode ajudar a evitar o crescimento da algas.

      Eu gosto de usar estes recipientes de detergente de louças ou água sanitária, compro estes de cinco litros e não jogo fora, vou aproveitando.

    • Deb, estocagem de água é importantíssimo, de fato. Acredito que você já esteja familiarizada com os filtros caseiros de água, não é? Bem, se não estiver, recomendo que pesquise sobre “Cheap Homemade Water filter” no youtube. A maior parte deles envolve dois baldes grandes, carvão ativado e filtros de cerâmica, alguns trechos de mangueiras e tal.
      Recomendo que você armazene a água em bombonas plásticas, e se possível, guarde-as em local abrigado da luz (enterrar seria uma boa idéia se conseguir mantê-las bem fechadas)

    • shiranduarte

      Aliás, considere a hipótese de fabricar um sistema de cisterna. Às vezes, basta um orvalho durante a noite e você já tem água para um dia de consumo. Lembre-se de ferver toda água que for coletada naturalmente, e toda água que ficar estocada por muito tempo, por conta das algas que se desenvolverão nos recipientes (daí a necessidade de manter as bombonas no escuro total). O Julio Lobo demonstrou há um tempo atrás aquele filtro “Sawyer” de nanofibras que potabilizam instantaneamente quase qualquer tipo de água. Seria essencial para a sua situação.

      • Obrigada pelos comentários! Adquiri recentemente um filtro caseiro de barro, para me livrar da dependência do fornecimento de água mineral.
        Também fiz um estoque razoável de água mineral, sempre antes de vencer estarei utilizando.
        Aqui na minha região, por causa da crise hídrica, não tive como adquirir as bombonas… mas pretendo adquirir 2 “de início”. Uma para captação de água da chuva e outra para reaproveitar a água da máquina de lavar.
        Quando eu tiver minha casa própria uma das primeiras coisas que farei é a cisterna… e enterrada de preferência, para não chamar atenção.
        Também pensei em poço artesiano… se tiver como, com certeza farei!
        Valeu pelas dicas!!! Obrigada!

    • Deb, não precisa ficar tão grilada com o prazo de vencimento da validade da água. Água não é perecível. O que acontece com a água estocada depois de um certo tempo é que ela: 1) pode acabar permitindo a proliferação de microorganismos – especialmente algas. 2) pode acabar adquirindo algum sabor oriundo do recipiente, especialmente plásticos. 3) acumular outros elementos indesejados (caso esteja em contato com metais, barro ou sal.) Agora, digamos que você encontre um garrafão de vidro cheio de água, e aquela água está intocada neste mesmo recipiente há 10, 20, sei lá, 200 anos. Tanto faz! Ela só precisa ser fervida e adequadamente filtrada para se tornar tão potável quanto qualquer Perrier, ou Evian. A água está no planeta há bilhões de anos… Não tem prazo de validade.

  • Boa tarde,
    Pra variar, mais um bom assunto. Eu sempre costumo, quando saio de casa adotar a postura de cão de guarda, atento a tudo, ando sempre de cabeça erguida, prestando atenção a tudo e a todos, e também costumo evitar lugares que apresentem riscos ou a possibilidade de ser surpreendido. Quando avisto alguém com movimentação suspeita, deixo claro que estou prestando atenção nele e que não sou alvo fácil, não pra lutar ou reagir, inclusive se fala muito de pesquisas que diz que os bandidos preferem os desatentos, acredito que por isso, só fui assaltado uma vez e espero continuar assim. Aqui na minha cidade a atenção tem que ser redobrada, pois se trata de uma capital que é uma ilha e só tem uma saída por terra, dá pra imaginar o caos que iria ser em um senário onde todos quisessem sair ao mesmo tempo, uma simples data como semana santa e carnaval já se torna um transtorno se deslocar rumo ao interior do estado. Também sou fã das artes marciais, pratiquei por muitos anos (parado atualmente), inclusive acho que é um tema que deveria ter uma abordagem mais completa, fica a dica Diego, e acredito que a prática de tecnicas de defesa pessoal, seja ela qual for, da capoeira ao Krav magá, seja primordial para um sobrevivencialista, nunca se sabe quando vc precisará se defender.
    Até a próxima.

  • Helio Dubeux

    Se a coisa ficar feia, vaze!!!

    Realmente impressionante como as pessoas gostam de ver tragédias acontecendo em tempo real, basta um simples acidente de trânsito para acumular curiosos querendo saber o que aconteceu. Eu particularmente não tenho esse comportamento, porém em 2014 estava fazendo um trabalho em São Paulo e começou uma reintegração de posse de um imóvel no centro. Como é de se esperar em questão de minutos se iniciou um conflito entre as famílias e a PM, resolvi sair do meu hotel para tentar fotografar o que estava acontecendo. Não passei 10 minutos na rua e uma bomba de efeito moral estourou do meu lado, quando comecei a correr veio do nada uma viatura da PM e quase passa por cima de todo mundo. Enfim, eu não tinha nada que ter descido do hotel para entrar em um conflito. Graças a Deus não aconteceu nada, apenas uma lição bem simples: Vaze! Sempre que for possível.

    Grande abraço e parabéns pelo blog.

  • Rompimento da barragem em Mariana é um bom estudo de caso de crise, muitas cidade que estão km de distancia estão sem abastecimento de água por causa da lama que está escoando pelo Rio Doce. Meus parentes em Governador Valadares estão acordando cinco horas da manha para pegar fila para comprar galão de água. Isso tudo por falta de preparo, eu já comentei sobre sobrevivencialismo e até passei esse site para eles, mas não escutaram, só estou assistindo a agonia deles pelas msgem de WhatsApp que me mandam. Uma boa dica que não tinha pensado em saber se sua região tem barragem e dar uma olhada no google maps para saber se sua residência esta na rota das ondas.

    • Vamos torcer pra que isso sirva de lição e que seus parentes e as pessoas afetadas mudem de mentalidade. Aborde esse assunto daqui um tempo, agora tudo que eles não querem ouvir é alguém “dando lição de moral”

    • Michel, m inha cidade e as cidades vizinhas estão todas mobilizadas em ajudar Gov. Valadares, inclusive eu. Mas a água mineral já está faltando na minha cidade em decorrência da tragédia do rio doce. Como tenho um estoque de água, estou longe de passar necessidade. É uma pena que pessoas prevenidas como nós ainda sejam poucas!Tomara que essas tragédias abram os olhos da população.

      • Ja estão falando em saque e preços abusivos, acabei de ver um vídeo fila enorme para conseguir agua.

  • carlossilvapb

    Júlio e Diego!

    Excelente tópico. Acho que o tema merece aprofundamento. Algumas perguntas que eu faria seriam:

    1) Qual o seu grau de dependência eletrônica? Como você ficaria se, de repente, seus aparelhos eletrônicos (celulares, computadores, etc) ficassem sem funcionar, ou, ao menos, sem acesso à internet?
    2) Como você agiria se tivesse que fugir de repente, e abandonar as suas preparações de anos? Ou, como você agiria se durante um evento qualquer (como a avalanche de lama em Minas Gerais) se, de repente tudo o que você construiu fosse destruído?
    3) Como você se sentiria se tivesse que matar alguém?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s