A fragilidade da Internet

Talvez vocês estejam estranhando a paradeira nas postagens dos vídeos e podcasts por aqui, mas há uma explicação razoável para tal fato… Estou offline. Por conta disso, hoje vamos pensar sobre os perigos que nossos hábitos “internéticos” apresentam para nossa conduta sobrevivencialista.

Neste momento lhes escrevo usando a internet móvel do meu celular, afinal, já fazem três dias que estou sem internet em minha residência. Isso causou um atraso geral em toda a programação do nosso Portal, visto que estou incapaz de enviar novos vídeos.

Contudo, mais importante ainda, lembrou-me da enorme fragilidade da internet. Hoje é muito fácil contarmos com o acesso rápido que a internet nos proporciona para resolver problemas ou dúvidas cotidianas. O problema é que existem perigos muito sutis neste tipo de pensamento e comportamento moderno, vamos pensar em alguns deles:

  • Surgiu uma dúvida? Google: Lembro passar um bom tempo fazendo pesquisas nas enciclopédias para um trabalho escolar. Hoje, em segundos, podemos ter acesso a um número virtualmente ilimitado de informações. Apesar de isso ser ótimo, você não pode confiar apenas nesta ferramenta. Se um dia ficar sem acesso à internet, todo aquele conhecimento se evapora no ar. Procure imprimir (sim, em papel) tudo aquilo que você julga ser valioso e ache um bom local para armazenar estas informacões;
  • Vou falar com os meus amigos sobrevivencialistas no WhatsApp ou Facebook: Conectar-se é ótimo, na verdade, imprescindível. Porém muitas pessoas acabam mantendo seus contatos somente em nível online e, como sabemos, a primeira infraestrutura a sofrer com uma crise é a telefonia e internet. Busque formas de manter contato sem depender desses elementos. Hoje com rádios PX você já consegue certa efetividade se os contatos que almeja realizar são da mesma região que você;
  • Vídeos são belas formas de aprender técnicas novas: Sim, são… Mas são mais frágeis que os textos, afinal, não podem ser impressos. Com o “boom” do Youtube e sites de vídeos semelhantes é muito mais atraente aprender algo novo vendo um vídeo, mas se aquele conhecimento ficar somente ali, será perdido ou esquecido. Procure praticar aquilo que vê e tome notas, como se estivesse em uma sala de aula. Estas notas poderão realmente ser úteis quando os sites não estiverem mais disponíveis.

Sempre defendo que devemos usar a tecnologia à nosso favor, mas há uma linha tênue entre usá-la como complemento de suas informações e depender exclusivamente dela. No mais, paro por aqui e acredito que até o final desta semana consiga voltar com a programação normal do nosso portal.

Me diga, o que você faz para garantir seu acesso a informações caso a internet sumir do mapa?

Até.