Cuidados ao coletar água da chuva

Com a escassez de água se intensificando e não mostrando sinais de que vai melhorar, está na hora de criar estratégias. Ter água armazenada é importante, porém garrafas e galões cheios tomam muito espaço. Além disso, poucos de nós temos a sorte de morar perto de um riacho ou rio capaz de fornecer a água que precisamos caso o suprimento da rua seja interrompido.  Caso você esteja na grande maioria que vive em centros urbanos, a melhor opção é conseguir um barril e coletar a água da chuva que cai em seu telhado.

Contudo, coletar água da chuva não trata-se de apenas pegar um balde e colocar no final de suas calhas. Muitas pessoas acreditam que a água da chuva é pura e segura para beber, mas há muitos poluentes no ar e também muitos contaminantes no seu telhado como sujeira, insetos, fezes de pássaros, cobre e arsênico – isso para falar somente alguns.

Telhados acumulam MUITA sujeira

Devido a essas situações, se você for coletar água da chuva existem algumas coisas que você precisa lembrar:

  1. Deixe a água da chuva limpar o seu telhado por pelo menos cinco minutos antes de começar a coletar a água. Isso já irá remover grande parte dos contaminantes;
  2. Tenha algum filtro antes do barril que seja capaz de retirar da água as partículas grandes como insetos, folhas e semelhantes;
  3. Depois disso, pegue a água coletada e faça todo o processo de purificação. Aqui estamos falando da filtragem e purificação completa, se possível incluindo pastilhas de cloro.

Caso você não tenha calhas em casa, pode recorrer a canos de pvc de 75 mm. Basta cortá-los na metade e prendê-los no final das telhas. O seu barril de água não precisa ser chique, a única coisa que eu sugiro é que você pegue um barril preto para bloquear a luz solar e minimizar o crescimento de algas dentro dele. Se você puder, deixe este barril na sombra durante maior parte do dia.

Além disso, lembre-se que ele ficará BEM pesado quando ficar cheio (o peso dependerá do tamanho do seu barril), então coloque-o em uma base sólida de concreto ou algo semelhante. Vale lembrar que se você quiser colocar uma torneira no barril você precisará achar uma base elevada para ter acesso a torneira, que ficará perto do fundo.

Tijolos de concreto são seguros e baratos para elevar o sistema

Se você está se preparando para um cenário de crise, também é uma boa ideia esconder ele dos seus vizinhos com plantas, árvores ou qualquer coisa que não dê acesso visual a ele. Com a escassez e racionamento aumentando, a tendência é que aqueles que possuírem água se tornarem alvos de saque.

Existem várias formas de esconder os barris, aqui está um exemplo.

Coletar água da chuva é a maneira mais rápida para conseguir manter seu estoque em níveis seguros, ainda mais com a grande quantidade de água que anda caindo nos centros urbanos (e longe dos reservatórios). Lembre-se, no entanto, de tomar as precauções necessárias para manter você e sua família saudável caso precise beber desta reserva.

Você já coleta água da chuva? Se não, acha que é um sistema viável para colocar em sua casa?

Texto traduzido e complementado do blog UrbanSurvivalSite.

Anúncios

22 Comentários

  • Quando fiz um curso na area da construção civil, meu trabalho final foi de captação de águas Pluviais , e tenho certeza que é um otimo projeto a ser realizado e que pode ser adaptado a qualquer pessoa e bolso, e que pode ser adaptado sem qualquer dificuldade para que se possa deixar esta água boa para ser consumida se necessário. Este é um projeto que merece nossa atenção.

  • Luciano neres

    Ifelizmente essa não é uma realidade atual o nosso País já vive uma crise hidrica a muito tempo… Mas q tem se agravado pelo destaque q ganhou nos centros urbanos e como é a nossa meta lembramos que só os q estiverem relativamente “preparados” terão uma certa vantagem…… Me lembro muito bem de um cenário d crise no interior d Pernambuco, onde pessoas chegaram a brigar por latas d agua q eram entregues pelo carro pipa….. Eu e minha esposa estávamos lá e eu não gostaria d passar por isso outra vz agora temos duas filhas e podem me chamar de louco + vou fazer d tudo q estiver ao meu alcançe para evitar q elas passem por aquela situação!!!!! Valeu galera fiquem com DEUS……. E sobrevivam!!!!!

  • Sei que esse não é o assunto do artigo, porém não posso deixar de compartilhar este vídeo, referente ao circo de guerra que se desenvolve:

  • Não há necessidade de coletar água da chuva. Existem outros meios mais práticos para conseguir água. Eu, por exemplo, gosto de purificar e beber o sangue de meus inimigos. Ou mijo numa carcaça de jiboia e bebo depois como fez o nosso grande amigo e semi-deus sobrevivencialista Bear Fucking Grills.

  • Acho válida a coleta de água das chuvas, mas vale lembrar que essa crise está do jeito que está justamente por falta de chuvas, e creio que seja pouco provável que quando passar o período das chuvas, que tenhamos esse recurso com certo.
    Me preocupo, pois eu e minha família estamos no epicentro da crise, e eu não tenho recursos suficientes para simplesmente sair de minha casa e ir para outro lugar, sou assalariado como uma parcela esmagadora das pessoas que estão envolvidos nesse cenário,por essa razão tenho lido tudo a respeito do assunto, em todos os sites, blog’s, jornais e revistas que consigo encontrar, e chegue a três conclusões que exponho a seguir.
    1º – O Governo sempre vai minimizar a crise, para evitar desgastes, e dessa maneira ele vai é aumentar a crise, e ele particularmente está mais preocupado com sua imagem do que com a população de uma maneira geral. E no Brasil isso é praxe.Vide fala do Ministro de Minas e Energia que fala que o sistema elétrico brasileiro é SÓLIDO, sendo que sabemos que não é.
    2º – Como em vários casos, por exemplo a violência, e comum aparecer especialistas de tudo que é canto e nesse caso não podia ser diferente, o que li de gente se dizendo especialistas em hidro não sei o que, foi uma loucura, e como sempre, cada um fala alguma coisa, e foi ai que cheguei a 2ª conclusão, ninguém ao certo sabe o que está acontecendo e o que vai acontecer, então não ache que esse crise não possa ter desdobramentos horrendos, pois pode, porque o que eu já vi de especialistas errarem não é brincadeira.
    3º – Essa crise que se desenha (Ainda não foi instalada), é sem precedentes na história da humanidade. Pelas minhas pesquisas, o grau de abrangência que essa crise pode chegar em seu pior cenário, de 50.000.000 (SP/MG/RJ e ES) de pessoas atingidas é próximo de uma guerra de grande escala. Esse volume de pessoas só foi atingido pela peste negra e a gripe espanhola, sem contar que nenhuma das duas forçou o êxodo das pessoas.
    Por isso é preciso fica muito atento, pois não sabemos em que isso vai dar. Espere o melhor, mas esteja prontos para o pior.

    • Gostei muito do que li, no geral concordo com você.

      Posso afirmar que o fator principal que mantêm essa crise é especificamente um e que existem ainda outros fatores agravantes. Perceba:

      1º – Desmatamento – As árvores tem uma função ecológico-ambiental indispensável. A mesma área vista de cima de árvores corresponde de 3 à 5 vezes a mais evaporação de água para a atmosfera que a mesma área em oceano; conjugado com o fato de que a água da chuva não vem da amazônia diretamente, mas sim da evaporação nos minutos anteriores à precipitação; certeiramente o volume e as frequências das chuvas só poderão diminuir.

      2º – Poluição – Os cristais de gelos que formam as nuvens são naturalmente formados por micropartículas de poeira, porém a poluição atmosférica tem alterado proporcionalmente a oferta desses aerosóis, de modo que sua composição e propriedades químicas estão alteradas, isto faz com que a água se agrupe em cristais maiores e isso, por sua vez, faz com a chuva se precipite com um grande volume em um pequeno período em comparação com o habitual.

      3º – Mudança da temperatura – As cidades se transformaram em desertos – pior, em fábricas de calor – desse modo a chuva encontra dificuldade em se precipitar, pois a temperatura atmosférica é fator decisivo para a precipitação. E ainda acontece o fenômeno da inversão térmica que favorece a manutenção das altas temperaturas nas cidades, pois este fenômeno é potencializado pela poluição.

      4º – Engenharia Climática – Se você falar disso em algum site científico especializado, provavelmente (pelo menos foi assim comigo) excluirão o seu comentário e bloquearão a sua conta. Todavia, fato é que ela existe – mesmo porque, aparentemente, não é algo difícil de se fazer e é muito importante para a supremacia – não conheço outras, porém uma empresa brasileira denominada “MODClima” já faz esse tipo de serviço legal e comercialmente para mega-latifundiários. Além disso, considerando que as nuvens são frias e são gelo, você deve se indagar: Por que elas não caem?! Ora, apesar de serem frias, é a energia que elas armazenam que às mantêm elevadas, contudo esta energia não está – principalmente – sob a forma de temperatura, ou seja está numa frequência diferente da radiação infra vermelha. Naturalmente essa energia provém do Sol, porém, na situação atual do mundo, a atmosfera é saturada com uma intensa carga energética eletromagnética proveniente das muitas e muitas e muitas telecomunicações, isso sob as mais variadas frequências de rádio possíveis. Ou você pensa que a energia de uma estação de rádio, seja ela pequena ou enorme, simplesmente desaparece? Não! Ela se acumula na atmosfera!

      5º – Anomalia Magnética do Atlântico Sul – Apesar de morarmos num território, geograficamente privilegiado, tanto pela oferta de água e biodiversidade, como pela rara ocasião de catástrofes naturais extremas, este país está localizado exatamente no centro da Anomalia Magnética do Atlântico Sul, que funciona como um porta de entrada das influências energéticas originarias fora do planeta, o que, por sua vez, faz com que esta região seja mais sensível à perturbações atmosféricas vindas do Sol e a intensidade da radiação UV, como é o caso da seca no período de 2013-2014-2015.

      • Amigo FRANCISCO. O primeiro tópico apresentado por vc (desmatamento), esta absolutamente equivocado. Embora toda a campanha da mídia sobre o desmatamento, não é ele o responsável pela falta d´agua. Me permita a caixa alta, não é para gritar, mas para destacar: A FLORESTA ESTÁ LÁ POR CAUSA DA CHUVA, NÃO É A CHUVA QUE ESTÁ LÁ PELA FLORESTA.

        Tão simples, mas que querem que nós, o gado, pensemos diferente.

        Abçs.

        Obs.: Não estou e nem concordo com o desmatamento. Mas vamos ser francos acerca dos problemas referentes a falta de água.

    • Sinceramente, amigo Flávio: Não não… A natureza não é um fluxo unívoco. As chuvas tanto são causa como consequência das florestas. Não só pelo que eu apresentei, mas também pelo fato de que acumulam a radiação solar evitando que a atmosfera se aqueça e um ambiente mais frio e úmido, você deve saber, é mais propício à chuva. Além disso a evapotranspiração das plantas não emana para a atmosfera apenas água, mas também as substâncias que naturalmente deveriam dar origem aos cristais de gelo das nuvens. Bom este não é um site de meteorologia, nem de ciências naturais em geral, por isso não convêm debater esse assunto, com sucessivos contra-argumentos. Eu tenho certeza do que eu estou falando. Cada um que ler, que analise e decida por si a sua opinião, mas quem disse algo bastante errado foi você.

      Um fator mais forte, que a vegetação pré-existente, para a determinação do clima, certamente são as correntes marítimas. Porém a natureza e tudo o mais que existe, não se desenvolve por apenas um fator, mas sim, sempre por conjecturas e gradualmente em ritmos. Ou seja: Ao longo de milhares de anos pode ser que o desmatamento antrópico seja menos significativo para a determinação do clima, pois as florestas poderiam se recuperar por si mesmas; todavia, o período a que nos referimos é muito mais rápido que essa recuperação. Além disso, o ser humano tem um potencial energético, isto é: de transformação e organização muito acentuado, não é simplesmente apenas mais uma espécie, mas tem o poder de destruir todo o planeta.

      Eu não sei o que a mídia diz, e nem tenho TV em casa e não leio jornais. Mas pense… imagine a Amazônia verdinha, verdinha… agora imagine o Saara – em uma época a muito tempo eram a mesma floresta – agora imagine o Saara reflorestado… eu sei que isso é impossível na nossa realidade, mas apenas imagine… As nuvens surgirão sobre a floresta, mas não surgirão no deserto e as nuvens precipitarão sob o clima ameno da floresta, mas no deserto quando precipitarem, evaporarão a muitos quilômetro do solo. Isso explica… não estou “absolutamente errado” como você pode entender, na verdade nem se quer estou errado.

      Mas obrigado, discutir é bom, quando temos a intenção de nos ajudar.

      • Obs.: Não me referia apenas aos desmatamento da amazônia, mas a todo e qualquer desmatamento. Olhe pelo Google Maps mesmo por todo o país Brasil e pelo mundo ou suba numa montanha bem alta, você verá que menos de 20% de mata.

  • Murilo Almeida

    Creio que o reuso de água seja um grande passo para o processo de autossuficiência, onde parte da água que seria desperdiçada, pode ser utilizada novamente… E, dependendo da finalidade, pode haver ou não um tratamento da água… Sempre me questionei porque não reutilizamos a água de banho para lavagem de quintal e para dar descarga em vasos sanitários… Não é tão complicado fazer a captação, o armazenamento e a filtragem deste tipo de água… Falando de água de chuva, o seu não aproveitamento parece tb uma grande burrice… Esta água, pode e deve ser facilmente captada, podendo ser utilizada para diversas finalidades… Sendo muito mais “limpa” que a do chuveiro por exemplo, vai ser muito mais simples de captar, armazenar e filtrar… Porem, a água de chuva ou reaproveitada de máquina de lavar e chuveiro não deve ser utilizada para beber ou cozinhar, pois não passa pelo processo necessário que a torna potável, logo é prejudicial à saúde, podendo trazer doenças ou problemas de alergias nas peles… http://sistemas.ib.unicamp.br/be310/index.php/be310/article/viewFile/52/32 … Bom post, Julio…

  • A maioria das irrigações feitas por pequenos produtores do cinturão verde de SP é feita através de cisternas que captam água de chuva. Os reservatórios também recebem a maior parte da água de chuva e menor das nascentes pois os rios também são compostos pela maior parte de água de chuva. A contaminação destes reservatórios é muito grande há muito tempo, principalmente no tal volume morto. Sinceramente, penso que corremos menos riscos coletando nossa própria e abençoada água de chuva.

  • No local onde moro aqui na capital eu não disponho de espaço para armazenar água (minha casa é minúscula, não tem nem quintal e é delimitada em dois lados por ruas e nos outros dois por terrenos vizinhos), no entanto, SEMPRE deixamos aqui uns baldes cheios, mais um tonel médio de uns 50 litros, e mais recentemente, adquiri mais dois garrafões. Feito isso, tenho uma pequena reserva emergencial para situações corriqueiras, e na eminência de uma falta d’água comunicada (“bairros x, y e z passarão ‘n’ dias sem água”) ainda dá pra reservar uns 60 litros no tanquinho, mas como disse, em situações corriqueiras.
    Já no sítio da família, dispomos de reservatórios grandes para irrigação (que precisam ser recuperados e mais bem planejados, mas isso é um investimento alto), que numa crise muito grave seria uma última saída para a obtenção de água. Em relação à água potável, dispomos de uma fonte natural escavada no nosso terreno, onde (a um certo custo) construímos um tanque, que nos provê água cristalina da drenagem do terreno adjacente (planejo fazer o teste da água e monitorar se sua qualidade ainda se mantém), além de uma segunda fonte que planejamos explorar mais tarde (a grana ta curta).
    Mesmo assim, ano passado construímos uma cisterna bem grande, com capacidade para uns 50-60.000 litros. Nessa cisterna armazenamos a água não só da chuva, que coletamos já a um bom tempo através do sistema de calhas (canos de 100mm cortados ao meio) que elaboramos, como também água do abastecimento público (que incrivelmente é potável).
    Como dito pelo Julio, antes de coletar a água deixamos que as primeiras chuvas limpem a sujeira dos telhados/calhas, para então coletar de fato a mesma, passando por um primeiro sistema de filtro simples (uma tela para conter sólidos), e quando a usamos passamos por uma segunda filtragem e cloração.Além disso, o ambiente escuro é necessário, como dito antes, evitando a proliferação de algas e cianobactérias que podem se desenvolver nessas circunstâncias, sendo extremamente tóxicas dependendo da espécie.
    Claro, tooooda essa disponibilidade de água não surgiu de uma hora pra outra, foram anos de planejamento, fora a quantia gasta no processo, mas é sempre válido, considerando os pontos apontados por outros colegas, mais acima, como no caso de poluentes em áreas urbanas (de fato, será muito mais prejudicial consumir água da chuva das cidades), mas ainda assim, num caso extremo, acho válido até uma alternativa ser encontrada.
    Ah sim amigos, meu texto ta muito longo (desculpem) mas deem uma olhada nesse novo produto da P&G. Acredito que muitos já devem ter ouvido falar no mesmo nos comerciais que passam na tv, e bom, é mais uma alternativa nesses tempos difíceis.

  • Bom post. Lembro que água de chuva coletada nas cidades ou nas áreas rurais próximas as cidades não é indicada pra beber devido a contaminação química proveniente da poluição do ar, podem pesquisar que encontrarão fontes confiáveis a esse respeito. Filtragem, fervura ou cloro não remove a contaminação química proveniente da poluição do ar, esse tipo de contaminação só sai com uma aeração bem feita. Mas pros outros usos em casa não tem problema usar água de chuva.

    • Leonardo Dias

      Verdade. A ingestão da água da chuva coletada próximo aos centros urbanos não é recomendada pelos motivos já citados, pois não é água potável.
      Mas me surgiu outra dúvida: é seguro regar hortaliças destinadas a alimentação humana com a água da chuva coletada e tratada?

      Deixo aqui também um pequeno manual para a construção de minicisternas de baixo custo: http://www.sempresustentavel.com.br/hidrica/minicisterna/minicisterna.htm

      • Não encontrei informação a respeito dessa contaminação afetar as plantas e passar pra gente através delas. Creio que isso não aconteça devido ao contato com o solo, o funcionamento da planta, sei la. Mas pra beber é perigoso principalmente a longo prazo devido aos nitratos, enxofre e outros componentes cancerígenos originados da fumaça das indústrias e dos veículos. Apesar do processo atmosférico lembrar a destilação esses componentes entram na formação da água da chuva pois estão na forma de vapor na atmosfera.
        O melhor é pesquisar bem a respeito, buscar bastante informação, pois há muita controvérsia.

      • A poluição das maiores cidades que conhecemos, não chega a ser tanta, porém já ocorreram casos severíssimos de chuvas tóxicas em outras cidades e nesses sim plantas e animais – talvez pessoas – morreram diretamente após a chuva. Neste caso a chuva mataria as plantas e talvez até se apresentasse perceptivelmente contaminada com coloração alterada, aroma e paladar, de modo que não seria difícil reconhecê-la.

        Entendo que a planta funciona como uma espécie de filtro dessas toxinas , uma espécie de “boi de piranha”, onde o boi é a planta e as piranhas são os componentes mais reativos. É necessário explicar que o tóxico, nada mais é do que uma substância que é muito reativa e que por isso interage com tal potência no nosso metabolismo que impede o fluxo do metabolismo celular normal. A planta, congruentemente, funcionaria reagindo com estes elementos neutralizando ou diminuindo o seu potencial ofensivo, antes do consumo animal.

        O Sol tem o incrível poder de neutralizar essas toxinas: Posto que são ácidas, sabemos que elas tem carência de elétrons; Já o Sol emite radiação eletromagnética, que em algumas frequências ioniza os metais, inclusive causando o fenômeno da eletricidade estática. Do mesmo modo esse excedente de elétrons também interage com essas toxinas, carentes de elétrons e muito receptivas a eles, seja nas nuvens, seja na folha das plantas, neutralizando assim muito da potencial toxicidade anterior.

        Por exemplo, o húmus funciona de modo similar, corrigindo o pH e a oferta de nutrientes do solo para as plantas. É claro que as plantas não são indestrutíveis e a sua capacidade de metabolizar essa substâncias não é tão forte que conseguisse suportar uma chuva propriamente tóxica, assim sendo, acredito que você notaria que as suas plantas morreriam sem razão aparente por estarem com as raízes prejudicadas pelos ácidos em questão.

        De qualquer modo, não entendo que esteja ocorrendo neste país chuvas tóxicas tão perigosas assim, que matem as plantas. Talvez seja uma possibilidade para o futuro, mas provavelmente ocorreriam chuvas assim antes em lugares mais industrializados, como China e Índia – se é que não ocorrem.

    • Completo também que a água de chuva é similar à água destilada, pois tanto numa quanto noutra, a evaporação a separa dos sais normais e naturais da água mineral.

      Do mesmo modo que a água destilada pura é citotóxica, devido a pouca concentração de sais, a água de chuva também o é. O que ocorre é que o diferencial osmótico entre o meio intracelular e o meio intercelular, se torna muito acentuado, no sentido do exterior para o interior, fazendo com que a célula se incha de água em tal proporção que explode, isso ocorre com todo o tipo de células inclusive a humana, por isso ela é citotóxica.

      Para anular de modo prático este malefício, acredito que seja necessário, transformar a água em soro caseiro, misturando à água, sal e açúcar (de preferencia mascavo, rsrsrs), na proporção de: 3,5g de sal e 20g de açúcar para cada litro de água. Embora essa não seja nem a melhor nem a mais saborosa alternativa, pode ser que na falta de água seja necessário utilizá-la. Repito: Água de chuva pura também é tóxica! Não beba!

    • Vou deixar uns links aqui, procurei o link da Sabesp que eu tinha lido ano passado mas não encontrei, creio que tenha sido removido pra não desestimular as pessoas
      http://mundoestranho.abril.com.br/materia/a-agua-da-chuva-e-potavel
      http://diariodebiologia.com/2008/12/podemos-beber-agua-da-chuva-ela-e-potavel/#.VM9mASyrFME
      http://blogs.odiario.com/saude/2014/09/23/agua-da-chuva-nao-e-potavel/
      Na falta de opção não há outra maneira a não ser beber dessa água, mas parece ser bom evitar beber

  • Acho importante lembrar que quem mora em apartamento deve se preocupar com o peso da água armazenada.
    Muita água junta pode provocar problemas estruturais e causar uma tragédia.

  • Estou indo comprar mais galões de 10 litros de água mineral, é a única coisa que cabe por aqui; quando eles esvaziam os guardo para enche-los em caso de emergência.

    Aqui no Rio de Janeiro, capital, choveu hoje a noite (lua quase cheia), mas acho que não foi muito; a últimas vez que tinha chovido foi à uns 15 dias atrás (lua quase nova); mas a verdade mesmo é que esse verão foi um calor danado e quase não choveu por aqui. Eu lamento o que está se passando com nossa biosfera.

    A exemplo dos anos em que ocorreu a guerra de Canudos, exemplo notável de independência, insurgência, liberdade e idealismo; novamente ocorrem três aspectos que aparentam estar relacionados: as manchas solares além do número e intensidades habituais; a seca além do habitual tanto do sertão como aqui – também no verão passado; e a insurgência social idealista.

    Alongar os dedos flexibiliza o seu modo de agir. Fechar os olhos e relaxar a pontas dos dedos flexibiliza o seu modo de pensar. O destino está em sua mãos – Transforme-o!

  • Com certeza, essa é uma atitude que pessoas de diversas regiões do Brasil precisarão tomar: armazenar água da chuva. Como não há –por enquanto– leis que proíbam o brasileiro de fazer tal coisa, é uma ótima saída para amenizar a falta desse líquido precioso, que se avizinha.
    De acordo com essa matéria: https://medium.com/a-conta-da-agua/ensaio-sobre-a-cegueira-hidrica-2759ec839c74, os poços de água serão mapeados e “num plano de contingência, todos esses 50 mil poços têm de ter sua outorga suspensa e a exploração será de uso exclusivo do Estado”.
    Parabéns pelo artigo, Júlio, bem elucidativo.

  • Mais um excelente post, Julio! Importantíssimo, nós, sobrevivencialistas, se possível, captar essa água gratuita que a natureza nos dá. Felizmente já estou com minha água suficiente para 4 ou 5 dias de corte. Ufa! Falar nisso, viram que o SP está pensando num rodízio de 4 dias sem água e 2 com?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s